Henrique VI do Sacro Império Romano-Germânico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Henrique VI da Germânia)
Ir para: navegação, pesquisa
Henrique VI
Rei da Sicília
Reinado 25 de dezembro de 1194
a 28 de setembro de 1197
Coroação 25 de dezembro de 1194
Predecessor Guilherme III
Sucessor Constança (sozinha)
Co-monarca Constança
Imperador Romano-Germânico
Reinado 15 de abril de 1191
a 28 de setembro de 1197
Coroação 15 de abril de 1191
Predecessor Frederico I
Sucessor Otão IV
Rei da Itália
Reinado 21 de janeiro de 1186
a 28 de setembro de 1197
Coroação 21 de janeiro de 1186
Predecessor Frederico I
Sucessor Otão IV
Rei dos Romanos
Reinado 15 de agosto de 1169
a 28 de setembro de 1197
Coroação 15 de agosto de 1169
Predecessor Frederico I
Sucessores Filipe e Otão IV
Esposa Constança da Sicília
Descendência
Frederico II do Sacro Império Romano-Germânico
Casa Hohenstaufen
Pai Frederico I do Sacro Império Romano-Germânico
Mãe Beatriz I, Condessa da Borgonha
Nascimento novembro de 1165
Nimega, Gueldres, Sacro Império Romano-Germânico
Morte 28 de setembro de 1197 (31 anos)
Messina, Sicília
Enterro Catedral de Palermo, Palermo, Itália
Religião Catolicismo

Henrique VI (Nimega, novembro de 1165Messina, 28 de setembro de 1197) foi o Imperador Romano-Germânico de 1191 até sua morte, além de Rei da Sicília, Rei da Itália e Rei dos Romanos. Era o segundo filho do imperador Frederico I e sua segunda esposa Beatriz I, Condessa da Borgonha.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Foi coroado como rei dos romanos em Bamberg em junho de 1169 e como Imperador Romano-Germânico em 1193, pela mão do papa Celestino III na cidade de Roma juntamente com a sua esposa.

No ano de 1190 e também em 1193 tentou impor-se aos nobres alemães que lhe ofereciam resistência e eram liderados por Henrique XII de Baviera também denominado por Henrique, o Leão e que tiveram a ajuda do papado e do rei Ricardo I de Inglaterra, não tendo no entanto grande êxito pois apesar da vitória alcançada não obteve o seu principal objetivo que era converter em hereditário o trono germânico que era sempre uma fonte de problemas da nobreza alemã com o papado e a Inglaterra.

Em 1194, depois dos seus intentos estarem derrotados recebeu o trono da Sicília em 1191 praticamente pela força das armas e depois de o haver reivindicado devido à herança por direito da sua esposa.

Em 1197, o poder tirânico do rei estrangeiro na Itália deu origem a revoltas, especialmente no sul da Sicília, que os soldados alemães reprimiram cruelmente. No mesmo ano, Henrique preparou a Cruzada, mas em 28 de setembro morreu na cidade italiana de Messina, por malária[1] embora seja também aventada a hipótese de envenenamento.[2]

O seu filho Frederico II herdaria tanto o Reino da Sicília como a o Sacro Império Romano-Germânico.

Relações familiares[editar | editar código-fonte]

Foi filho do imperador Frederico I (1122 – 1190) e de Beatriz I da Borgonha (1145 - 15 de novembro de 1184)), condessa da Borgonha. Casou em 27 de janeiro de 1186 com Constança da Sicília, (2 de novembro de 1154 - 27 de novembro de 1198), de quem teve:

  1. Frederico II (Jesi, 26 de dezembro de 1194 — Castel Fiorentino, Apúlia, 13 de dezembro de 1250), foi Rei da Sicília (1197-1250), Rei de Tessalónica, Rei de Chipre, Rei de Jerusalém, Rei dos Romanos e Rei da Germânia e Imperador Romano-Germânico (1220-1250). Casou por quatro vezes, com:
    1. Constança de Aragão, (1179 – Catânia, 23 de junho de 1222) infanta de Aragão;
    2. Isabel II de Jerusalém, (1212 – Andria, 25 de abril de 1228) rainha de Jerusalém;
    3. Isabel da Inglaterra, (1214 – 1 de dezembro de 1241) princesa de Inglaterra;
    4. Bianca Lancia (1200 ou 1210 - 1244).

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

  1. Em 1197, embora “a bem-preparada cruzada do imperador Henrique visasse conquistar a Terra Santa, também pretendeu atingir um antigo desejo dos normandos no leste: a conquista do Império Bizantino.” Veja-se Werner Hilgemann e Hermann Kinder, The Anchor Atlas of World History, Volume I: From the Stone Age to the Eve of the French Revolution, trans. Ernest A. Menze (New York: Anchor Books, Doubleday, 1974), 153
  2. "Henry VI died in Messina, poisoned, so it was believed, by his own entourage because of his Italian policy," Page 41, in Kenneth Varty (editor), Reynard The Fox: Social Engagement and Cultural Metamorphoses In the Beast Epic from the Middle Ages to the Present (Berghahn Books, 2000). ISBN 1-57181-737-9

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Henry Bogdan, Histoire de l'Allemagne de la Germanie à nos jours, coll. « Tempus », Perrin, 2003 ISBN 2-262-02106-6, p. 113-115
Precedido por
Frederico I
Rei da Germânia
1169 - 1197
Sucedido por
Frederico II (rei co-regente)
Precedido por
Frederico I
Imperador Romano-Germânico
1191 - 1197
Sucedido por
Otão IV
Precedido por
Guilherme III
Rei da Sicília
1194 - 1197

(com Constança)

Sucedido por
Constança