Hipismo nos Jogos Olímpicos de Verão de 2016

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Olympic Rings white.svg
Hipismo nos
Jogos Olímpicos de Verão de 2016
Brasil Rio de Janeiro, Brasil
Equestrian (Dressage), Rio 2016.pngEquestrian (Eventing), Rio 2016.png
Equestrian (Jumping), Rio 2016.png
Dados
Participantes 400 atletas
Sede Centro Olímpico de Hipismo
Dias de competição 6 a 8, 10, 11, 14 e 16 de agosto
Dias de finais 9, 12, 15, 17 e 19 de agosto
Eventos 6
Medalhistas
Medalha de ouro Ouro AlemanhaGER Alemanha (2 medalhas)
Grã-BretanhaGBR Grã-Bretanha (2 medalhas)
FrançaFRA França (2 medalhas)
ver a lista completa...
Medalha de prata Prata AlemanhaGER Alemanha (2 medalhas)
ver a lista completa...
Medalha de bronze Bronze AlemanhaGER Alemanha (2 medalhas)
Estados UnidosUSA Estados Unidos (2 medalhas)
ver a lista completa...
◄◄ Reino Unido 2012 Olympic Rings white.svg Japão 2020 ►►

O hipismo foi disputado nas tradicionais três modalidades, adestramento, concurso completo de equitação – CCE e saltos, nos Jogos Paralímpicos de Verão de 2016, no Rio de Janeiro, no período de 6 a 19 de agosto de 2016. As provas foram disputadas no Centro Olímpico de Hipismo, na Vila Militar, região da Deodoro. É o único dos esportes olímpicos em que homens e mulheres competem juntos nas mesmas provas, disputadas individualmente e por equipes.[1]

Histórico do evento[editar | editar código-fonte]

Centro Nacional de Hipismo

O hipismo já era tratado como competição há pelo menos 2.000 anos, período em que os gregos introduziram o treinamento de adestramento para preparar os cavalos para a guerra. Desde a Idade Média, ainda como exercício militar, se desenvolveu um evento de três dias que combinava adestramento, cross-country e testes de saltos, projetado para refletir os desafios enfrentados pelos cavalos em batalhas. O formato atual deve muito à sua inclusão nos Jogos Olímpicos, que levou à criação da Federação Equestre Internacional - FEI, em 1921.

O esporte foi apresentado pela primeira vez nos Jogos Olímpicos em 1900, os segundos da era moderna, que ocorreu na França. Só foi incluído, porém, de forma permanente no programa olímpico nos Jogos de Estocolmo, em 1912, já com as três modalidades atuais. Curiosamente, por quarenta anos, apenas militares homens podiam participar das provas de hipismo, até os Jogos de Helsínque, em 1952.

Eventos[editar | editar código-fonte]

As três modalidades olímpicas são disputas em duas provas, individual e por equipe, em que homens e mulheres disputam conjuntamente.

Adestramento[editar | editar código-fonte]

Será disputado a partir da quarta-feira, 10 de agosto, até dia 15 de agosto, com sessenta conjuntos.

Nessa modalidade, cada conjunto executa movimentos obrigatórios, definidos em regulamento, numa sequência preestabelecida, denominada reprise, em uma área de 60m por 20m, sem que haja comunicação entre o cavaleiro e o animal. É importante que o animal se mostre calmo, elástico, descontraído e flexível. Os movimentos se desenvolvem nas três andaduras naturais, passo, trote e galope.

A apresentação é avaliada por um grupo de cinco juízes, que pontuam a precisão dos movimentos. A exigência com relação aos movimentos aumenta progressivamente a cada fase da disputa.

Saltos[editar | editar código-fonte]

Será disputado a partir do domingo, 14 de agosto, até dia 19 de agosto, com setenta e cinco conjuntos.

Os conjuntos enfrentam circuitos com obstáculos, que incluem obstáculos com água, paredes simuladas de pedra, barreiras paralelas, triplas e outras variações, com o objetivo de testar a habilidade do cavaleiro e a capacidade de salto do cavalo. As faltas cometidas pelo conjunto, derrubar um obstáculo, refugo e exceder o tempo determinado, geram pontos correspondentes às penalidades.

CCE – Concurso completo de equitação[editar | editar código-fonte]

É a primeira das modalidades a ser disputada no hipismo e será disputada a partir de sábado, 6 de agosto, até dia 9 de agosto, com sessenta e cinco conjuntos.

É uma modalidade que combina três modalidades independentes, adestramento, cross-country e saltos.

  • Adestramento: segue a mesma estrutura da competição de adestramento. As pontuação atribuída pelos juízes é convertida em pontos de penalidade.
  • Cross-country: é uma corrida de obstáculos, em um circuito de 5.700m a 6.270m, com até 45 obstáculos (o circuito pode ser reduzido em situações específicas, como condições meteorológicas inadequadas). O conjunto deve completar o circuito dentro do período de tempo prescrito, sem erros nos obstáculos, caso contrário sofrerá as penalidades específicas, equivalente ao tempo ultrapassado ou por erros cometidos.
  • Saltos: segue a mesma estrutura da competição de saltos. No CCE, os conjuntos enfrentam circuitos com nível de dificuldade menor do que na competição de saltos.

Qualificatórias[editar | editar código-fonte]

Cada modalidade tem as suas próprias regras de qualificação, com predominância dos rankings da FEI. Em todas as modalidades, além das vagas conquistadas por equipe, todos os Comitês Olímpicos Nacionais - CON que qualificarem pelo menos três conjuntos para a competição individual se qualificam com uma equipe.

Adestramento[editar | editar código-fonte]

Foram disputadas vinte vagas para a competição individual, além das quarenta vagas preenchidas pelos conjuntos inscritos por equipe. Estão disponíveis dez vagas para a disputa por equipe, cada uma com até quatro conjuntos. Uma vaga é do país-sede.[2]

Saltos[editar | editar código-fonte]

Foram disputadas quinze vagas para a competição individual, além das sessenta vagas preenchidas pelos conjuntos inscritos por equipe. Estão disponíveis quinze vagas para a disputa por equipe, cada uma com até quatro conjuntos. Uma vaga é do país-sede.[3]

CCE – Concurso completo de equitação[editar | editar código-fonte]

Foram disputadas vinte e uma vagas para a competição individual, além das quarenta e quatro vagas preenchidas pelos conjuntos inscritos por equipe. Estão disponíveis quinze vagas para a disputa por equipe, cada uma com até quatro conjuntos. Uma vaga é do país-sede.[4]

Formato da disputa[editar | editar código-fonte]

CCE - Concurso completo de equitação[editar | editar código-fonte]

Todos os competidores participam das três provas, cuja sequência é adestramento, cross-country e saltos. Em cada uma delas são considerados os pontos de penalidade sofridos por cada conjunto. O objetivo é somar o menor número de pontos considerando todas as provas.

No adestramento, a pontuação atribuída pelos juízes é convertida em pontos de penalidade.

Na prova de saltos, o primeiro circuito tem extensão de 600m e 11 ou 12 obstáculos, com altura de 1,25m, e o tempo mínimo previsto impõe uma velocidade média de 375m/min. O segundo circuito é mais curto, com 360m a 500m e 9 obstáculos, porém com altura de 1,30 m.

Apenas os melhores vinte e cinco conjuntos, no máximo três conjuntos por CON, além dos que ficarem empatados com o vigésimo quinto classificado, competem na prova final de saltos. A pontuação final, somadas as quatro provas, nas três modalidades, determina as medalhas e a classificação na prova individual.

Disputa por equipes

Cada equipe é formada por três ou quatro conjuntos atleta/cavalo. A pontuação obtida pela equipe resulta da soma da pontuação dos três melhores conjuntos da equipe.

A prova final por equipes é o primeiro circuito de saltos e a pontuação final é a soma das três provas disputadas, que define a classificação e a disputa por medalhas por equipes. Em caso de empate, são consideradas as três melhores classificações individuais de cada equipe.

Adestramento[editar | editar código-fonte]

São três fases de competição: Grand Prix, Grand Prix Especial e Grand Prix Freestyle (estilo livre).

Todos os atletas competem no Grand Prix e os pontos obtidos, com base na avaliação de cinco juízes. são considerados para as disputas Individual e por equipe.

Disputa individual

Na primeira fase, o Grand Prix, todos os membros de equipes classificadas (mínimo de 18 conjuntos) e os oito conjuntos com maior pontuação dentre os que não se classificaram por equipe, além dos que ficarem empatados com o oitavo classificado, qualificam-se para a fase seguinte da competição, o Grand Prix Especial.

Classificam-se para a final, Grand Prix Freestyle, os melhores dezoito conjuntos, mas no máximo três conjuntos por CON, além dos que ficarem empatados com o décimo oitavo classificado. São considerados apenas os pontos obtidos no Grand Prix Especial.

No Grand Prix Freestyle são disputadas as medalhas individuais, considerando-se apenas a pontuação dessa fase.

Disputa por equipes

Cada equipe é formada por três ou quatro conjuntos atleta/cavalo. A pontuação obtida pela equipe resulta da soma da pontuação dos três melhores conjuntos da equipe.

Na primeira fase, o Grand Prix, as seis equipes com maior pontuação, além das que ficarem empatadas na sexta colocação, qualificam-se para a competição final por equipes, o Grand Prix Especial, e seus componentes também continuam na disputa individualmente.

No Grand Prix Especial ocorre a disputa pelas medalhas por equipe. O resultado final de cada uma das equipes é a soma de sua pontuação nas duas fases.

Saltos[editar | editar código-fonte]

Disputa individual

A prova é disputada em cinco rodadas: três qualificatórias e duas finais. A pontuação nas três primeiras rodadas são somadas, para efeito de classificação para as rodadas seguintes e são zeradas para a fase final.

Após a primeira rodada qualificatória os sessenta conjuntos com menor pontuação, além dos que ficarem empatados com o 60º classificado e todos os membros de equipes, qualificam-se para a segunda rodada.

Na segunda rodada, os quarenta e cinco conjuntos com menor pontuação, além dos que ficarem empatados com o 45º classificado e todos os membros das oito melhores equipes, qualificam-se para a terceira rodada. Após a terceira rodada, passam para as rodadas finais os trinta e cinco conjuntos com menor pontuação, mas no máximo três conjuntos por CON, além dos que ficarem empatados com o 35º classificado.

Na fase final, os vinte conjuntos com menor pontuação, além dos que ficarem empatados com o vigésimo classificado, passam da primeira para a rodada decisiva, na qual serão disputadas as medalhas, entre os que somarem menor pontuação nas duas rodadas finais. Caso ocorra empate na disputa por medalhas, haverá uma rodada de desempate entre os conjuntos empatados.

Disputa por equipes

Cada equipe é formada por três ou quatro conjuntos atleta/cavalo. A pontuação obtida pela equipe resulta da soma da pontuação dos três melhores conjuntos da equipe.

As equipes competem em apenas duas rodadas, correspondentes às segunda e terceira rodadas da prova individual. A ordem de entrada de cada conjunto é definida conforme os resultados da 1ª rodada individual.

Na rodada qualificatória as oito equipes com menor pontuação, além das que ficarem empatadas na oitava colocação, qualificam-se para a rodada final por equipes. As equipes com menor pontuação, somadas as duas rodadas disputam as medalhas por equipe. Caso ocorra empate na disputa por medalhas, haverá uma rodada de desempate entre as equipes empatadas.

Calendário de provas[editar | editar código-fonte]

Sexta
5 ago
Sábado
6 ago
Domingo
7 ago
Segunda
8 ago
Terça
9 ago
Quarta
10 ago
Quinta
11 ago
Sexta
12 ago
Sábado
13 ago
Domingo
14 ago
Segunda
15 ago
Terça
16 ago
Quarta
17 ago
Quinta
18 ago
Sexta
19 ago
CCE - Concurso completo de equitação
Adestramento Individual Adestramento
Por equipe
Cross-country Individual Cross-country
Por equipe
Saltos – 1º circuito Individual Saltos
Por equipe Final
Saltos – circuito final Individual Final
Inspeção dos animais
Adestramento
Grand Prix Individual Qual.
Por equipe
Grand Prix Especial Individual 2ª qual.
Por equipe Final
Grand Prix Freestyle Individual Final
Inspeção dos animais
Saltos
1ª rodada Individual 1ª qual.
2ª rodada Individual 2ª qual.
Por equipe Qual.
3ª rodada Individual 3ª qual.
Por equipe Final
Final Individual Final A
Final B
Inspeção dos animais

Participantes[editar | editar código-fonte]

Países qualificados[editar | editar código-fonte]

Quarenta e três CON se qualificaram. Catar, Palestina, República Dominicana, Taipei e Zimbabwe farão sua estreia no hipismo em Jogos Olímpicos.[5]

Medalhistas[editar | editar código-fonte]

Event Medalha de ouro Ouro Medalha de prata Prata Medalha de bronze Bronze
Adestramento individual
detalhes
Charlotte Dujardin (Valegro)
Grã-BretanhaGBR Grã-Bretanha
Isabell Werth (Weihegold Old)
AlemanhaGER Alemanha
Kristina Bröring-Sprehe (Desperados FRH)
AlemanhaGER Alemanha
Adestramento por equipes
detalhes
Sönke Rothenberger (Cosmo)
Dorothee Schneider (Showtime FRH)
Kristina Bröring-Sprehe (Desperados FRH)
Isabell Werth (Weihegold Old)
AlemanhaGER Alemanha
Spencer Wilton (Super Nova II)
Fiona Bigwood (Orthilia)
Carl Hester (Nip Tuck)
Charlotte Dujardin on (Valegro)
Grã-BretanhaGBR Grã-Bretanha
Allison Brock (Rosevelt)
Kasey Perry-Glass (Dublet)
Steffen Peters (Legolas 92)
Laura Graves (Verdades)
Estados UnidosUSA Estados Unidos
CCE individual
detalhes
Michael Jung (Sam FBW)
AlemanhaGER Alemanha
Astier Nicolas (Piaf de B'Neville)
FrançaFRA França
Phillip Dutton (Mighty Nice)
Estados UnidosUSA Estados Unidos
CCE por equipes
detalhes|
Karim Laghouag (Entebbe)
Thibaut Vallette (Qing du Briot)
Mathieu Lemoine (Bart L)
Astier Nicolas (Piaf de B'Neville)
FrançaFRA França
Julia Krajewski (Samourai du Thot)
Sandra Auffarth (Opgun Louvo)
Ingrid Klimke (Hale-Bob Old)
Michael Jung (Sam FBW)
AlemanhaGER Alemanha
Shane Rose (CP Qualified)
Stuart Tinney (Pluto Mio)
Sam Griffiths (Paulank Brockagh)
Chris Burton on (Santano II)
AustráliaAUS Austrália
Saltos individual
detalhes
Nick Skelton (Big Star)
Grã-BretanhaGBR Grã-Bretanha
Peder Fredricson (All in)
SuéciaSWE Suécia
Eric Lamaze (Fine Lady 5)
CanadáCAN Canadá
Saltos por equipes
detalhes
Philippe Rozier (Rahotep de Toscane)
Kevin Staut (Rêveur de Hurtebise)
Roger-Yves Bost (Sydney une Prince)
Pénélope Leprevost (Flora de Mariposa)
FrançaFRA França
Kent Farrington (Voyeur)
Lucy Davis (Barron)
McLain Ward (Azur)
Elizabeth Madden (Cortes'C)
Estados UnidosUSA Estados Unidos
Christian Ahlmann (Taloubet Z)
Meredith Michaels-Beerbaum (Fibonacci)
Daniel Deusser (First Class)
Ludger Beerbaum (Casello)AlemanhaGER Alemanha

Referências

  1. «Guia Oficial Rio 2016 - Hipismo» (PDF). Equestrian Explanatory Guide Rio 2016. Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. Julho de 2015. Consultado em 26 de junho de 2016. 
  2. «Regras para qualificação Rio 2016 - Adestramento» (PDF). fei.org. 22 de março de 2016. Consultado em 26 de junho de 2016. 
  3. «Regras para qualificação Rio 2016 - Saltos» (PDF). 22 de março de 2016. Consultado em 26 de junho de 2016. 
  4. «Regras para qualificação Rio 2016 - CCE» (PDF). 22 de março de 2016. Consultado em 26 de junho de 2016. 
  5. «Six nations make Olympic and Paralympic débuts at Rio 2016 equestrian events». FEI. 24 de março de 2016. Consultado em 26 de março de 2016.