Brasil nos Jogos Olímpicos de Verão de 2016

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo.
Olympic Rings white.svg
Brasil nos Jogos Olímpicos
Comitê Olímpico Nacional (CON)
Código do COI BRA
Nome Comitê Olímpico do Brasil
site oficial
Jogos Olímpicos de Verão de 2016
Sede Rio de Janeiro, Brasil
Competidores 465 em 28 esportes
Porta-bandeira Yane Marques (abertura)[1]

Isaquias Queiroz (encerramento)[2]

Medalhas
Pos.
13º
Medalha de ouro
7
Medalha de prata
6
Medalha de bronze
6
Total de medalhas
19
Participações nos Jogos Olímpicos
Verão 19201924192819321936194819521956196019641968197219761980198419881992199620002004200820122016
Inverno 1992199419982002200620102014

O Brasil competiu como anfitrião nos Jogos Olímpicos de Verão de 2016 no Rio de Janeiro, de 5 a 21 de agosto de 2016. Esta foi a vigésima segunda participação do país nos Jogos Olímpicos, que não participou apenas dos Jogos Olímpicos de Verão de 1928 em Amsterdam. O Brasil foi o primeiro país a sediar os Jogos Olímpicos de Verão na América do Sul e o segundo na América Latina, após a edição da Cidade do México 1968.

A primeira medalha do Brasil foi conquistada logo no primeiro dia de competições. Felipe Wu obteve a medalha de prata no tiro esportivo.[3] Já a primeira medalha de ouro do Brasil foi conquistada no terceiro dia de competições, pela judoca Rafaela Silva.[4]

No dia 7 de agosto, a futebolista brasileira Cristiane tornou-se a maior artilheira do futebol na história das Olimpíadas (incluindo homens e mulheres), com 14 gols. Sophus Nielsen, da Dinamarca, era o antigo detentor do recorde: ele havia marcado 13 gols em duas participações nos Jogos Olímpicos (Londres 1908 e Estocolmo 1912).[5]

No início de 2016, Marcus Vinícius Freire – então diretor executivo de Esportes do Comitê Olímpico Brasileiro, informou que a meta do COB para os Jogos Rio 2016 era colocar o Brasil no top 10 do quadro total de medalhas. E para atingir este objetivo, contou com o maior investimento financeiro já feito em um ciclo olímpico.[6] Ao final do evento, o Brasil bateu tanto o seu recorde de ouros em uma edição das Olimpíadas (cinco ouros em Atenas 2004) quanto o seu recorde de medalhas obtidas em uma edição dos Jogos (17 medalhas em Londres 2012). Duas modalidades ganharam pela primeira vez o ouro para o Brasil: o boxe, com Robson Conceição, e o futebol, com a seleção olímpica masculina. Também pela primeira vez o Brasil teve um atleta com três pódios na mesma edição dos Jogos: Isaquias Queiroz, na canoagem.[7] Além disso, no total, os atletas brasileiros apareceram 71 vezes no top 8 de suas modalidades. A melhor marca até então havia sido em Londres 2012, com 41.[8] Apesar disso, a meta estabelecida pelo COB não foi alcançada: o Brasil ficou no 12º lugar em número de medalhas. De todo modo, a 13ª posição alcançada no quadro tradicional (que considera a qualidade das medalhas) supera o 15º lugar atingido nos Jogos de 1920, na Antuérpia, que era a melhor posição alcançada pelo Brasil até então.[8]

Competidores[editar | editar código-fonte]