André Sá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Tenista André Sá
André Sá.jpg
André Sá, durante a etapa São Paulo da Copa Petrobrás de Tênis, 2010.
País  Brasil
Residência Blumenau, SC
Data de nascimento 6 de maio de 1977 (41 anos)
Local de nasc. Belo Horizonte, MG
Altura 1,85 m
Peso 74 kg
Treinado por Daniel Melo
Profissionalização 1996
Aposentadoria 2018
Mão destro (revés de duas mãos)
Prize money US$ 2,508,418Fonte
Simples
Vitórias-Derrotas 52–92
Títulos 0
Melhor ranking N° 55 (12 de agosto de 2002)
Resultados de Grand Slam
Open da Austrália 2R (2001)
Roland Garros 1R (2000, 2002, 2003)
Wimbledon QF (2002)
US Open 2R (2000, 2001)
Duplas
Vitórias-Derrotas 290–304
Títulos 11
Melhor ranking N° 17 (2 de fevereiro de 2009)
Resultados de Grand Slam de Duplas
Open da Austrália QF (2004)
Roland Garros 3R (2002, 2010, 2013, 2014, 2015. 2016)
Wimbledon SF (2007)
US Open QF (2007, 2016)
Torneios principais de duplas
Jogos Olímpicos 2R (2004, 2008, 2016)
Medalhas
Jogos Pan-Americanos
Ouro Winnipeg 1999 Tênis-Duplas
Última atualização em: 7 de agosto de 2016.

André Rezende Sá (Belo Horizonte, 6 de maio de 1977) é um ex-tenista brasileiro, nascido no estado de Minas Gerais. Se profissionalizou em 1996 e se aposentou em 2018, aos 40 anos, após cair nas quartas de final do Brasil Open, jogando ao lado de Thomaz Bellucci, de quem é técnico atualmente.[1]

É um exímio duplista que já conquistou 11 torneios ATP na carreira, sendo assim, o terceiro brasileiro com maior número de títulos ATP de duplas na história, ficando atrás somente dos também mineiros Bruno Soares e Marcelo Melo. Também conseguiu onze títulos de simples em competições de nível Challenger, sendo o terceiro brasileiro com maior número de conquistas neste porte e conquistou outros 34 Challenger em duplas.

Sá já foi 17º do mundo nas duplas e fez semifinal no Torneio de Wimbledon em 2007 com Marcelo Melo. Em simples ele já esteve no top 50 mundial e fez quartas de final no Torneio de Wimbledon, em 2002.

Carreira em simples[editar | editar código-fonte]

André Sá começou a jogar tênis com a idade de 8 anos, incentivado por seu irmão mais velho. Com 12 anos, ranqueado como o número 1 no Brasil, mudou-se para a Nick Bollettieri Tennis Academy, Bradenton, Flórida, onde ele ficou 5 anos. Em 1996, ele formou-se na Academia Brandenton, onde jogou basquete por três anos.

André Sá jogou seu primeiro jogo profissional em 1993, em um Challenger em sua cidade natal, Belo Horizonte, onde perdeu na primeira rodada, com a idade de 16 anos. Em 1997, iniciou viagem pela América do Sul, atingindo sua primeira semi de Challenger em Quito, perdendo para Mariano Puerta. Em agosto, ele alcançou sua primeira final, novamente em sua cidade natal, perdendo para o brasileiro Roberto Jabali. Ele também chegou à semifinal em Guadalajara, México. Em 1997, ele jogou sua primeira Copa Davis contra Alistair Hunt, da Nova Zelândia, em Florianópolis, no Qualy do Grupo Mundial. Foi o 5 º jogo, com uma vitória de 5-0 para o Brasil. Em outubro, ele jogou seu primeiro jogo de ATP, na Cidade do México, onde ele alcançou as quartas-de-final.[1]

Em 1998, ganhou seu primeiro Challenger, em fevereiro, em Ho Chi Minh City, Vietnã, derrotando Juan Antonio Marín, da Costa Rica por 6-3, 3-6, 6-2. Duas semanas depois, ele ganhou o Challenger de Salinas, no Equador, derrotando Guillermo Cañas na final, e em agosto, ele ganhou o Challenger de Gramado sobre o japonês Hideki Kaneko. Este ano participou do seu primeiro Grand Slam em Wimbledon, onde ele iria atingir o seu melhor resultado alguns anos mais tarde. Ele perdeu para Todd Martin na primeira rodada.[1]

Sá participou em 4 torneios ATP Tour, em 1999, atingindo a 2ª rodada em Wimbledon, perdendo para Karol Kucera, 13º do mundo no momento. Em cinco semanas, ele conquistou três títulos Challengers: Austin, batendo o americano Glenn Weiner, Tulsa e Dallas, derrotando Jimy Szymanski nos dois últimos. Ele ganhou 13 jogos seguidos à época.[1]

No início de 2000, ele alcançou a final do Challenger de Waikoloa, Havaí e sua primeira semifinal em ATP em Memphis, onde ele perdeu para o vencedor do torneio, o sueco Magnus Larsson. Participou em três Grand Slams: Roland Garros (perdeu na 1ª rodada), Wimbledon (perdeu na 1ª rodada) e U.S. Open (perdeu na 2ª rodada). Sá foi parte da equipe brasileira da Copa Davis que atingiu as semifinais, perdendo para a Austrália por 5-0. Sá jogou o 4º jogo contra Lleyton Hewitt e perdeu por 4-6, 1-6.[1]

Em 2001, Sá novamente jogou em 3 Grand Slams: Australian Open (perdeu na 2ª rodada), Wimbledon (perdeu na 1ª rodada para Arvind Parmar, que também o venceu no ano passado) e U.S. Open (perdeu na 2ª rodada). Ganhou 2 Challengers: Calabasas, batendo Michael Russel, e Salvador, vencendo o brasileiro Alexandre Simoni. Sá também chegou a semi do ATP de Hong Kong, perdendo para o alemão Rainer Schüttler.[1]

2002 viu o melhor resultado da carreira de Sá em simples. Sem ganhar um único título, Sá alcançou seu melhor ranking de carreira: 55º, após 3 excelentes resultados de ATP. Participou em todos os quatro Grand Slam com uma quartas-de-final em Wimbledon[2]. Ele bateu Antony Dupuis, Stefan Koubek, Flávio Saretta e Feliciano López, mas perdeu em quatro sets para o herói local Tim Henman, 6-3, 5-7, 6-4, 6 -3. No mês seguinte, ele chegou às quartas-de-final nos ATPs de Amersfoort e Kitzbühel.

Após um excelente ano em 2002, André Sá teve um terrível 2003. Com 13 derrotas na primeira rodada, uma fila, ele só viu a sua primeira vitória na grama de Queen's, mas perdendo na 2ª rodada. Ele caiu para 138 do mundo após o Grand Slam britânico, onde só chegou à 2ª rodada.[1]

2004 foi um bom ano para o jogador brasileiro, vencendo 2 Challengers, um em São Paulo e outro em College Station. Ele também chegou na final de Covington. Em 2005, Sá venceu o Challenger de Campos do Jordão e chegou à final em Dallas, juntamente com outras duas semifinais. Em 2006, ele chegou a duas finais Challenger em Bogotá e Belo Horizonte, terminando o ano com um ranking de 179, como o 5º brasileiro.[1]

Resumindo, seu melhor resultado foi as quartas-de-final de Wimbledon em 2002. André Sá chegou ao top60 e foi um dos melhores tenistas de simples do Brasil.

Encerrou sua carreira de jogador de simples devido à idade, e passou à se dedicar ao jogo em duplas, que admite tenistas mais longevos jogando em alto nível.

Carreira em duplas[editar | editar código-fonte]

Representando o Brasil, ele ganhou a medalha de ouro dos Jogos Pan-Americanos de 1999, em Winnipeg, em parceria com Paulo Taicher[3], derrotando os mexicanos Marco Osorio e Oscar Ortiz, 7-6 (6), 6-2. Em 2004, participou das Olimpíadas de Atenas, juntamente com Flávio Saretta. Eles bateram os espanhóis Carlos Moya/Rafael Nadal na primeira rodada 7-6 (6), 6-1, perdendo para a forte dupla do Zimbabue de Wayne Black/Kevin Ullyett, 3-6, 4-6.[4]

Com Flávio Saretta, ele alcançou as quartas de final do Australian Open em 2004 e com paraguaio Ramón Delgado, a 3ª rodada do tradicional Torneio de Wimbledon em 2006.[1]

Sua carreira de duplista se intensificou em 2007, quando, formando parceria fixa com o mineiro Marcelo Melo, atingiu as semifinais de Wimbledon. Primeiro,derrotaram Julien Benneteau e Nicolas Mahut em cinco sets, 6-7, 6-3, 7-6, 2-6, 6-3. Eles então derrotaram Paul Hanley e Kevin Ullyett no jogo mais longo da história de Wimbledon, que durou 5 horas e 58 minutos. A pontuação final foi 7-5, 6-7, 6-4, 6-7, 28-26. O jogo continha 102 games, 10 menos do que o recorde mundial de Charlie Pasarell versus Pancho Gonzales em 1969. Em seguida, venceram Christopher Kas e Alexander Peya em outra maratona, 6-4, 6-7, 7-6, 6-7, 6-4, em 3h36. Nas quartas, venceram por 6-4, 6-3, 6-4 sobre Mark Knowles e Daniel Nestor. A equipe, então finalmente perdeu 7-6 (8), 6-4, 6-4 para Arnaud Clément e Michael Llodra, que viriam a ser os campeões do torneio.[5]Ainda nesse mesmo ano de 2007 chegaram às quartas-de-final do Grand Slam do US Open de tênis.[1]

Em 2008, a dupla Melo/Sá terminou a temporada como a nona melhor parceria do mundo, quando em quatrofinais ATPs alcançadas ganhou três títulos (Costa do Sauípe, Pörtschach, e New Haven), e indo assim participar nas duplas da Masters Cup (atual ATP World Tour Finals) com time reserva.[6]

No ano de 2009, a dupla Melo/Sá conquistou um torneio de nível ATP (Kitzbühel) e chegou à final de outros 2 (Delray Beach e Queen's).[1]Mesmo assim, eles encerraram a parceria no final da temporada daquele ano.

Em 2010, Sá firmou nova dupla com Horia Tecau, romeno especialista em duplas. Porém, até maio de 2010, Sá jogou somente 4 torneios com o romeno, perdendo todos os jogos. No primeiro semestre de 2010, Sá chegou às semifinais do ATP 250 de Auckland com Thomaz Bellucci, e, em Roland Garros, junto com Stephen Huss, chegou às oitavas-de-final.[1]Já no segundo semestre de 2010, Sá se juntou ao brasileiro Franco Ferreiro, e juntos ganharam 5 títulos em Challengers.[1]

Em 2011, a dupla Ferreiro/Sá alcançou sua primeira final de ATP juntos, no torneio de Buenos Aires, onde foram vice-campeões. Foram também à semifinal do ATP 250 de Delray Beach. Ganharam os Challengers de São Paulo, Blumenau e Santos. Em julho, jogando com Marcelo Melo, foi à semifinal do ATP 250 de Newport. Voltando a jogar com Franco Ferreiro, fez a semifinal do ATP 250 de Bastad. Em agosto, a dupla Sá/Ferreiro foi vice-campeã do ATP 250 de Kitzbuhel. Em agosto, Sá conquista seu sétimo título ATP de duplas, ao vencer o ATP 250 de Metz com Jamie Murray.[1]

Em fevereiro de 2012, fazendo dupla com Michal Mertinak, foi vice-campeão de 3 ATPs 250 seguidos, em São Paulo, Buenos Aires e Delray Beach. No mês de julho obteve mais um vice-campeonato no ATP 250 de Stuttgart. Passou a jogar com Jamie Murray depois deste torneio, obtendo, ainda em 2012, uma final de Challenger e duas semifinais de ATPs 250.[1]

Na temporada de 2013, Sá alcançou às semifinais dos ATPs 250 de Vina del Mar, Dusseldorf, Newport e Metz. Ele também chegou às oitavas de final do Grand Slam de Roland Garros, e ganhou o Challenger do Rio de Janeiro.[1]

Em março de 2015, ao lado do finlandês Jarkko Nieminen, Sá conquista o oitavo título ATP de duplas em Buenos Aires. Em abril, junto com o australiano Chris Guccione, foi semifinalista do ATP 250 de Istambul. No final de junho de 2015, Sá conquista seu nono título ATP de duplas e, o primeiro na grama, em Nottingham. Já no final de julho de 2015, ao conquistar o troféu do ATP 250 de Umag, Sá ganha seu 10º título ATP de duplas. Assim, com as 10 taças ATP de duplas na carreira, Sá se igualou em números de títulos ATPs de duplas aos brasileiros Carlos Kirmayr e Cássio Motta, duplistas das décadas de 70 e 80, e ficou atrás somente de Bruno Soares e Marcelo Melo. Em sua temporada mais vitoriosa desde 2008, o mineiro André Sá viu os reflexos do bom momento no ranking mundial. Após a conquista do ATP 250 de Umag, ele ganhou 11 posições e apareceu em 42º do mundo. Esta já era a sua melhor colocação desde setembro de 2009, quando apareceu no top 40 pela última vez (38º).

Olimpíadas[editar | editar código-fonte]

André Sá é o tenista brasileiro com maior participação em Olimpíadas: ele disputou os jogos em Atenas 2004, Pequim 2008, Londres 2012 e Rio 2016. Apesar de tantas atuações, Sá não conquistou medalha olímpica: em Atenas fez dupla com Flávio Saretta e perdeu na segunda rodada; em Pequim jogou ao lado de Marcelo Melo, encerrando sua participação nas oitavas de final; em Londres, jogando ao lado de Thomaz Bellucci, foi eliminado na primeira rodada; no Rio de Janeiro, também com Bellucci, perdeu na segunda rodada para os italianos Fabio Fognini e Andreas Seppi.[7]

ATP finais[editar | editar código-fonte]

Duplas: 28 (10–18)[editar | editar código-fonte]

Legenda
Grand Slam (0–0)
ATP World Tour Finals (0–0)
ATP World Tour Masters 1000 (0–0)
ATP World Tour 500 Series (0–1)
ATP World Tour 250 Series (10–17)
Finais por Piso
Duro (3–5)
Saibro (6–9)
Grama (1–4)
Carpete (0–0)
Posição N. Data Torneio Piso Parceiro Oponentes Placar
Finalista 1. 9 de fevereiro de 1998 San Jose, EUA Duro Brasil Nelson Aerts Austrália Todd Woodbridge
Austrália Mark Woodforde
1–6, 5–7
Finalista 2. 28 de janeiro de 2001 Bogotá, Colômbia Saibro Argentina Martín Rodríguez Argentina Mariano Hood
Argentina Sebastián Prieto
2–6, 4–6
Finalista 3. 9 de julho de 2001 Newport, EUA Grama Estados Unidos Glenn Weiner Estados Unidos Bob Bryan
Estados Unidos Mike Bryan
3–6, 5–7
Campeão 1. 24 de setembro 2001 Hong Kong Duro Alemanha Karsten Braasch República Checa Petr Luxa
República Checa Radek Štěpánek
6–0, 7–5
Finalista 4. 15 de julho de 2002 Amersfoort, Holanda Saibro Brasil Alexandre Simoni África do Sul Jeff Coetzee
África do Sul Chris Haggard
6–7(1–7), 3–6
Finalista 5. 9 de setembro de 2002 Costa do Sauípe, Brasil Duro Brasil Gustavo Kuerten Estados Unidos Scott Humphries
Bahamas Mark Merklein
3–6, 6–7(1–7)
Finalista 6. 14 de julho de 2003 Amersfoort, Holanda Saibro África do Sul Chris Haggard Estados Unidos Devin Bowen
Austrália Ashley Fisher
0–6, 4-6
Campeão 2. 29 de abril de 2007 Estoril, Portugal Saibro Brasil Marcelo Melo Argentina Martín García
Argentina Sebastián Prieto
3–6, 6–2, [10–6]
Campeão 3. 11 de fevereiro de 2008 Costa do Sauípe, Brasil Saibro Brasil Marcelo Melo Espanha Albert Montañés
Espanha Santiago Ventura
4–6, 6–2, [10–7]
Campeão 4. 18 de maio de 2008 Pörtschach, Áustria Saibro Brasil Marcelo Melo Áustria Julian Knowle
Áustria Jürgen Melzer
7–5, 6–7(3–7), [13–11]
Finalista 7. 9 de junho de 2008 Londres, Reino Unido Grama Brasil Marcelo Melo Canadá Daniel Nestor
Sérvia Nenad Zimonjić
4–6, 6–7(3–7)
Campeão 5. 17 de agosto de 2008 New Haven, EUA Duro Brasil Marcelo Melo Índia Mahesh Bhupathi
Bahamas Mark Knowles
7–5, 6–2
Finalista 8. 1 de março de 2009 Delray Beach, EUA Duro Brasil Marcelo Melo Estados Unidos Bob Bryan
Estados Unidos Mike Bryan
4–6, 4–6
Campeão 6. 23 de maio de 2009 Kitzbühel, Áustria Saibro Brasil Marcelo Melo Roménia Andrei Pavel
Roménia Horia Tecău
6–7(9–11), 6–2, [10–7]
Finalista 9. 14 de junho de 2009 Londres, Reino Unido Grama Brasil Marcelo Melo África do Sul Wesley Moodie
Rússia Mikhail Youzhny
4–6, 6–4, [6–10]
Finalista 10. 20 de fevereiro de 2011 Buenos Aires, Argentina Saibro Brasil Franco Ferreiro Áustria Oliver Marach
Argentina Leonardo Mayer
6–7(6–8), 3–6
Finalista 11. 6 de agosto de 2011 Kitzbühel, Áustria Saibro Brasil Franco Ferreiro Itália Daniele Bracciali
México Santiago González
6–7(1–7), 6–4, [9–11]
Campeão 7. 25 de setembro de 2011 Metz, França Duro (c) Reino Unido Jamie Murray República Checa Lukáš Dlouhý
Brasil Marcelo Melo
6–4, 7–6(9–7)
Finalista 12. 19 de fevereiro de 2012 São Paulo, Brasil Saibro (c) Eslováquia Michal Mertiňák Estados Unidos Eric Butorac
Brasil Bruno Soares
6–3, 4–6, [8–10]
Finalista 13. 26 de fevereiro de 2012 Buenos Aires, Argentina Saibro Eslováquia Michal Mertiňák Espanha David Marrero
Espanha Fernando Verdasco
4–6, 4–6
Finalista 14. 4 de março de 2012 Delray Beach, EUA Duro Eslováquia Michal Mertiňák Reino Unido Colin Fleming
Reino Unido Ross Hutchins
6–2, 6–7(5–7), [13–15]
Finalista 15. 15 de julho de 2012 Stuttgart, Alemanha Saibro Eslováquia Michal Mertiňák França Jérémy Chardy
Polónia Łukasz Kubot
1-6, 3-6
Campeão 8. 1 de março de 2015 Buenos Aires, Argentina Saibro Finlândia Jarkko Nieminen Espanha Pablo Andújar
Áustria Oliver Marach
4–6, 6–4, [10–7]
Campeão 9. 27 de junho de 2015 Nottingham, Reino Unido Grama Austrália Chris Guccione Uruguai Pablo Cuevas
Espanha David Marrero
6-2, 7-5
Campeão 10. 25 de julho de 2015 Umag, Croácia Saibro Argentina Máximo González Polónia Mariusz Fyrstenberg
México Santiago González
4-6, 6–3, [10-5]
Finalista 16. 4 de outubro de 2015 Shenzhen, China Duro Austrália Chris Guccione Reino Unido Colin Fleming
Israel Jonathan Erlich
1–6, 7–6(7–3), [6–10]
Finalista 17. 25 de abril de 2016 Bucareste, Romênia Saibro Austrália Chris Guccione Roménia Florin Mergea
Roménia Horia Tecău
5–7, 4–6
Finalista 18. 19 de junho de 2016 Londres, Reino Unido Grama Austrália Chris Guccione França Pierre-Hugues Herbert
França Nicolas Mahut
3–6, 6–7(5–7)

Títulos em simples[editar | editar código-fonte]

Títulos em duplas[editar | editar código-fonte]

Ranking[editar | editar código-fonte]

  • Atual Ranking de Simples: N/A
  • Melhor Ranking de Simples: 55° (12/08/2002)
  • Atual Ranking de Duplas: 60°
  • Melhor Ranking de Duplas: 17° (02/02/2009)

Grand Slam performance em simples[editar | editar código-fonte]

Até o US Open de 2012.

Torneio 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 V-D
Grand Slam
Austrália Australian Open 2R 1R 1R 1–3
França Aberto da França 1R 1R 1R 0–3
Reino Unido Torneio de Wimbledon 1R 2R 1R 1R QF 2R 1R 5–7
Estados Unidos US Open de tênis 2R 2R 1R 2–3
V-D 0–1 1–1 1–3 2–3 3–4 1–3 0–1 8–16

Grand Slam performance em duplas[editar | editar código-fonte]

Atualizado até Roland-Garros de 2015.

Torneio 1997 1998 1999 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 V-D
Grand Slam
Austrália Australian Open 1R 1R 1R 1R QF 1R 1R 2R 1R 1R 2R 2R 1R 1R 6–14
França Aberto da França 1R 3R 1R 1R 1R 2R 2R 1R 3R 1R 1R 3R 3R 3R 12–14
Reino Unido Torneio de Wimbledon 1R 1R 3R 2R 1R 3R SF 3R 2R 1R 1R 2R 1R 3R 15–14
Estados Unidos US Open de tênis 1R 1R 1R 1R 1R 1R 1R QF 3R 2R 1R 1R 1R 2R 2R 8–15
V-D 0–1 0–4 0–2 0–1 2–4 2–4 4–4 0–3 2–1 8–3 5–4 3–4 2–4 0–4 2–4 4–4 5–4 2–2 41–57

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n o p «Histórico de Jogos de André Sá no site da ATP». ATP. 2013. Consultado em 8 de março de 2013. 
  2. «Bellucci passa Meligeni e perde apenas de Guga em lista de premiação». IG. 1 de novembro de 2012. Consultado em 8 de março de 2013. 
  3. Sá medalha de ouro no Pan 1999
  4. Sá e suas três participações olímpicas
  5. Sá semifinalista em Wimbledon
  6. Sá e Melo entram como reservas na Masters Cup
  7. r a n k brasil.com.br/Recordes/Materias/06xE/Tenista_Com_Maior_Participacao_Em_OlimpiadasTenista com maior participação em Olimpíadas, André Sá marcou presença em quatro edições dos jogos Acessado em 9 de março de 2017
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre André Sá

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]