Teliana Pereira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Tenista Teliana Pereira
Pereira WM16 (9) (28135982510).jpg
Pereira durante Wimbledon de 2016
País  Brasil
Residência Curitiba, Paraná
Data de nascimento 20 de julho de 1988 (34 anos)
Local de nasc. Santana do Ipanema, AL, Brasil
Altura 1,68 m
Peso 62 kg
Profissionalização 2005
Aposentadoria 2020
Mão destra
Prize money US$ 1.068.880
Simples
Vitórias-Derrotas 419–248
Títulos 2 WTA, 22 ITF
Melhor ranking 43ª (19/10/2015)
Open da Austrália 1R (2014, 2016)
Roland Garros 2R (2014, 2015, 2016)
Wimbledon 1R (2014, 2015, 2016)
US Open 1R (2014, 2015, 2016)
Jogos Olímpicos 1R (2016)
Duplas
Vitórias-Derrotas 122–85
Títulos 10 ITF
Melhor ranking 117ª (16/09/2013)
Open da Austrália 1R (2014, 2016)
Wimbledon Q2 (2013)
US Open 1R (2015)
Jogos Olímpicos 1R (2016)
Medalhas
Jogos Pan-Americanos
Bronze Rio 2007 Duplas
Última atualização em: 28 de setembro de 2020.

Teliana Pereira (Santana do Ipanema, 20 de julho de 1988) é uma ex-tenista brasileira.[1]

Profissionalizou-se em 2005, ganhou dois títulos de simples no circuito WTA e chegou a 43ª em 2015, também em simples.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Sua origem é o município de Águas Belas, no agreste de Pernambuco. O povoado onde a família de Teliana Pereira morava, Barra de Tapera, na divisa com Alagoas, não tinha maternidade, e por isso a tenista nasceu no município alagoano de Santana do Ipanema, a área urbana mais próxima. A família de Teliana migrou para o estado do Paraná quando ela tinha apenas oito anos de idade.[2][1] O pai dela tinha arranjado um emprego em uma academia de tênis, e arranjava serviço para os sete filhos, com Teliana servindo de gandula. O francês dono do lugar, Didier Rayon, dava aos irmãos Pereira espaço nas aulas sempre que faltava um aluno, e Teliana, que tinha criado um interesse no tênis ao ver o irmão Renato jogando, começou a jogar aos 8 anos. Um ano depois já ganhou um torneio, e assim Rayon decidiu se tornar seu técnico.[3]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Iniciou a carreira profissional em 2005, depois de ótimas atuações como juvenil e, em 2007, já como profissional, deu um pulo na carreira atingindo seu melhor ranking até então, 196° do mundo, e tornando-se a número 1 do Brasil. Nessa temporada conquistou três títulos seguidos no circuito future em Atenas (Grécia), em Amiens (França) e em Foggia (Itália).

Nos jogos Jogos Pan-Americanos de 2007, no Rio de Janeiro, ao lado da compatriota Joana Cortez, ganhou a medalha de bronze na modalidade de duplas.[4]

2013[editar | editar código-fonte]

Em 2013, Teliana, a então 156ª colocada do ranking mundial e única brasileira no top 300, venceu a francesa Alizé Cornet, a 36ª do mundo, no torneio WTA de Bogotá. Com o resultado, ela se tornou a primeira brasileira a alcançar as quartas de final de um WTA desde Vanessa Menga, que atingiu a mesma fase em 1999, também em Bogotá.[5] No dia seguinte, derrotou a luxemburguesa Mandy Minella, chegando à semifinal. Na semi, perdeu para a Argentina Paula Ormaechea. Com essa campanha, subiu 40 posições no ranking e, em 25 de fevereiro de 2013 aparecia como a 116ª melhor do mundo. Além disso, foi a melhor campanha de uma brasileira desde 1989, quando Niege Dias foi às semifinais do WTA de Niagara Falls, nos Estados Unidos.[6]

Após campanha histórica para o tênis feminino brasileiro em Bogotá, Teliana perdeu logo na estreia do WTA de Florianópolis, em Santa Catarina, para a tenista alemã Tatjana Malek, então número 105 do mundo, por 2 sets a 0, com parciais de 4/6 e 2/6.[7]

Em maio de 2013, Teliana quase obteve a vaga para a chave principal de Roland Garros. Chegou à última rodada do qualy,[8] e chegou a ser candidata a lucky loser (tenista que entra na chave principal de um Grand Slam se tiver perdido na última rodada do qualy e se alguém desistir da chave), mas não houve desistências. Ela também foi à segunda rodada do qualy de Wimbledon.[9] Conquistou dois títulos ITF de 25 mil dólares (Perigueux[10] e Denain[11]), com isso obtendo pontos suficientes para alcançar o 105º posto do ranking mundial feminino.[12]

Em 29 de julho de 2013 se tornou a primeira tenista brasileira a chegar no top 100 mundial de simples desde o ano de 1990, quando Andrea Vieira, em 16 de abril daquele ano, caiu da 95ª colocação do ranking mundial.[13]

Em setembro de 2013, Teliana chegou a três finais seguidas de torneios ITF de U$ 25 mil, ganhando os três títulos (Mont-de-Marsan, Saint-Malo e Sevilha). Como resultado, em 7 de outubro chegou ao ranking de n. 88 do mundo.[14]

2014[editar | editar código-fonte]

Em 2014 participou do seu primeiro Grand Slam na carreira, no Australian Open. Perdeu na estreia, derrotada pela russa Anastasia Pavlyuchenkova, então 30ª do ranking mundial. O placar foi de 2 sets a 0, com parciais de 6/7 e 4/6.

Em fevereiro de 2014, Teliana jogou o WTA do Rio Open, no Rio de Janeiro. Venceu três jogos e só parou nas semifinais do torneio, ficando a uma vitória de sua primeira decisão de uma competição de nível WTA. E sobre o torneio carioca ela declarou:

"É muito legal. Estava chegando e pensando: passei uma semana tão incrível aqui, só espero que seja ainda melhor em 2015, que eu possa jogar ainda melhor. A semifinal foi um resultado incrível, mas gostaria de ir mais longe".[15]

Na semana seguinte, não conseguiu repetir no WTA de Florianópolis, em Santa Catarina, a ótima campanha que obteve na semana anterior no WTA do Rio Open, no Rio de Janeiro, quando chegou às

semifinais do torneio. Teliana, que havia conseguido uma boa vitória na estreia em Florianópolis, ao fazer dois sets a 0 na espanhola María Teresa Torró Flor, caiu na segunda rodada (oitavas de final) da competição disputada na capital catarinense ao perder para a tenista romena Alexandra Dulgheru também por 2 sets a 0, com parciais de 7/5 e 6/2.[16]

Na sequência, ainda embalada após duas semanas jogando no Brasil, onde chegou à semifinal do WTA do Rio Open e oitavas de final do WTA de Florianópolis, Teliana passou pela cazaque Yulia Putintseva na primeira rodada do qualifying do WTA Premier de Indian Wells, nos Estados Unidos, por 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 6/3. Porém, em seguida, não conseguiu entrar na chave principal do torneio norte-americano, pois foi eliminada na última rodada do qualifying pela britânica Heather Watson, que venceu o duelo por 2 sets a 0, com duplo 2/6.[17]

Em abril, jogando no Premier de Charleston, nos Estados Unidos, ela alcançou as oitavas de final do torneio. E mesmo sendo impedida de chegar as quartas de final, pois perdeu para a eslovaca Daniela Hantuchova em sets diretos, por 2/6 e 3/6, Teliana conseguiu durante a competição derrotar pela primeira vez na carreira a uma tenista top 30 do ranking mundial; e isso aconteceu sobre a romena Sorana Cîrstea, então cabeça-de-chave n° 8 do torneio americano. A partida terminou com as parciais de 3/6, 6/3 e 7/6 (7-0).[18] Em abril de 2015, ao conquistar o WTA de Bogotá, na Colômbia, ela então com 26 anos e 130ª do ranking mundial, tornou-se a primeira tenista brasileira a conquistar um torneio de nível WTA depois de 27 anos. E sobre essa conquista, o ex-tenista profissional Fernando Meligeni afirmou: "Não é fácil vencer um torneio da WTA. Isso mostra que ela é diferenciada".

Em maio, jogando pelo Torneio de Roland Garros, venceu seu primeiro jogo em um Grand Slam. Pois Teliana, que disputava a chave principal da competição pela primeira vez, venceu sua partida de estreia, onde enfrentou a tailandesa Luksika Kumkhum, 114ª colocada do ranking mundial, e sofreu no início, mas conseguiu virada no placar para ficar com a vitória por 2 sets a 1, com parciais de 4/6, 6/1 e 6/1. Com essa vitória, ela quebrou um jejum de 25 anos sem triunfo de tenistas brasileiras na competição, pois a última vitória de uma atleta do Brasil em Roland Garros havia sido em 1989, quando Andrea Vieira e Niege Dias venceram duas partidas e chegaram à terceira rodada do torneio francês.[19] Mas em seguida, pela segunda rodada do torneio de Roland Garros, Teliana até que tentou segurar a experiente tenista romena Sorana Cîrstea, esta cabeça de chave número 26 do torneio, mas não deu certo, pois em um jogo em que teve que se defender muito para segurar o jogo agressivo da romena, ela perdeu por 2 sets a 0 e pelas parciais de 2/6 e 5/7.[20]

Em junho, pela primeira vez disputou a chave principal do tradicional Torneio de Wimbledon, mas apesar do esforço, não ofereceu riscos a adversária e acabou eliminada na estreia da competição, pois enfrentou a romena Simona Halep, que era a terceira no ranking mundial e perdeu por um duplo 2/6.[21]

Na sequência, Teliana jogou pouco depois de Wimbledon, pois em partida válida pela primeira rodada do WTA de Bastad, em quadra de saibro, acabou se retirando do jogo após apenas quatro games disputados por causa de dores no joelho.

Em agosto, disputou pela primeira vez a chave principal do Grand Slam do US Open, nos Estados Unidos. E assim como aconteceu no Open da Austrália, ela voltou a encontrar Anastasia Pavlyuchenkova da Rússia em sua partida de estreia. E mais uma vez a vitória foi da tenista russa, mas diferentemente do jogo decidido nos detalhes na Austrália, Teliana acabou sendo amplamente dominada pela então 24ª do ranking mundial, caindo por 2/6 e 0/6 em apenas 57 minutos de partida. Mesmo eliminada, na primeira rodada, ela fez história, pois se tornou a segunda brasileira a disputar os quatro torneios de Grand Slam numa mesma temporada. Antes, só Maria Esther Bueno havia jogado os quatro grandes torneios do circuito em uma mesma temporada, e isso aconteceu por duas vezes, em 1960 e 1965.[22]

Na segunda semana de setembro, desistiu da semifinal de um torneio do nível ITF, em Saint Malo, na França, por conta de uma inflamação no joelho. E por causa desse problema, Teliana não jogou mais durante a temporada.

2015[editar | editar código-fonte]

Teliana Pereira começou a temporada de 2015 com maus resultados, pois perdeu para a sérvia Jovana Jakšić no qualificatório do WTA de Brisbane, acabou derrotada pela russa Ekaterina Bychkova no qualificatório do Aberto da Austrália, e foi eliminada pela italiana Sara Errani na primeira rodada do WTA do Rio Open, no Rio de Janeiro. Mas, em 6 de abril, ela derrotou a paraguaia Verónica Cepede Royg na final do Challenger de Medellín]] e conquistou o título do torneio colombiano.

Na sequência, ainda em abril, Teliana, então com 26 anos e 130ª do mundo, tornou-se a primeira tenista brasileira a conquistar um torneio de nível WTA depois de 27 anos. E, para isso acontecer, na estreia do WTA de Bogotá, na Colômbia, ela derrotou a campeã de Roland Garros de 2010, a italiana Francesca Schiavone. Depois venceu a luxemburguesa Mandy Minella e a espanhola Lourdes Domínguez. Na semifinal ganhou em sets diretos da ucraniana Elina Svitolina, então número 27 do ranking. Na final, ela derrotou a cazaque Yaroslava Shvedova, então 75ª colocada do ranking, por 2 sets a 0, com parciais de 7/6 (7-2) e 6/1, sem perder sets.[23] Sobre essa conquista, o ex-tenista profissional Fernando Meligeni afirmou: "Não é fácil vencer um torneio da WTA. Isso mostra que ela é diferenciada". A conquista inédita do WTA de Bogotá também rendeu à Teliana Pereira nada menos que 49 posições no ranking. À época, a tenista número 1 do Brasil, ela também voltou ao top 100 e bateu sua melhor colocação, aparecendo na 75ª posição mundial.[24]

Em maio, Teliana foi eliminada do ITF de Saint-Gaudens, na França, de maneira inacreditável. Pois, em confronto válido pela fase de quartas de final, ela acabou desclassificada após o final do primeiro set diante da eslovaca Jana Čepelová por mandar a raquete na direção do público após tentar isolar a bolinha. Principal favorita ao título da competição, ela lamentou a eliminação e comentou:

"Estou muito chateada. Foi triste o que aconteceu hoje em Saint-Gaudens. Em um momento de frustração, joguei a bola contra a tela; a raquete escapou da minha mão e parou na arquibancada. Por sorte, pegou apenas de raspão em uma pessoa e não a feriu, mas acabei desclassificada". "É a regra. Nunca tive a intenção de jogar a raquete em alguém, e nem costumo jogá-la na quadra. Na hora, fui me desculpar com a senhora atingida. Ela trabalha no torneio, um dos que eu mais me sinto em casa e (onde) me tratam como se fosse uma local. Eles todos me apoiaram e entenderam que não foi intencional. Ficaram tão arrasados quanto eu".[25]

Na semana seguinte, pelo Torneio de Roland Garros, Teliana derrotou três adversárias no qualificatório (onde havia entrado como cabeça-de-chave nº1). Já na chave principal, eliminou a tenista francesa Fiona Ferro na estreia, mas em seguida, pela segunda rodada, se defrontou com a nº 9 do ranking mundial, a russa Ekaterina Makarova. E em um duelo disputado, perdeu por 2 sets a 1 para a tenista da Rússia, com parciais de 2/6, 7/5 e 3/6.

Em junho, pelo tradicional Torneio de Wimbledon, ela saiu na frente nos dois sets, mas permitiu a virada e acabou sendo eliminada na estreia do Grand Slam britânico pela italiana Camila Giorgi, então 31ª cabeça de chave, por 2 sets a 0, com parciais de 6/7(4) e 3/6.

Entre o final de julho e o início de agosto, Teliana disputou o WTA de Florianópolis no Costão do Santinho, em Santa Catarina. E, durante a competição, ela derrotou María Irigoyen, Risa Ozaki, Laura Siegemund e Anastasija Sevastova para chegar à final do torneio. Já na decisão, Teliana Pereira fez a festa da torcida ao conquistar o título da terceira edição do WTA de Florianópolis. Com essa conquista, ela faturou seu segundo troféu de nível WTA na carreira, ao superar na final a tenista alemã Annika Beck por 2 sets a 1, com parciais de 6/4, 4/6 e 6/1, em uma partida de 2 horas e 36 minutos.[26] O título conquistado por Teliana em Florianópolis permitiu que ela quebrasse um jejum de 28 anos no tênis feminino brasileiro pois, com os pontos adquiridos, ela subiu 30 posições no ranking da Associação de Tênis Feminino (WTA) e furou o top 50 mundial, passando a figurar na 48ª posição do ranking. A última tenista nacional a alcançar o feito foi Niege Dias, em 1988.[27]

No início de outubro, Teliana obteve mais um marco em sua carreira, pois ela não apenas disputou seu primeiro WTA Premier Mandatory, como também conseguiu expressiva vitória sobre a romena Alexandra Dulgheru, então 55º do ranking, pelas parciais de 7/5 e 6/2.[28]

2016[editar | editar código-fonte]

Teliana Pereira não começou a temporada da melhor forma, pois foi facilmente batida no seu jogo de estreia na temporada 2016. Então a número 46 do mundo, ela perdeu na primeira rodada do Torneio WTA de Brisbane para a alemã Andrea Petkovic, então 24ª colocada no ranking da WTA, por 2 sets a 0, com parciais de 6/1 e 6/2, em 1 hora e 18 minutos.[29] Na semana seguinte, Teliana voltou a sofrer uma derrota e, dessa vez, ela perdeu na estreia do Torneio WTA de Hobart para a britânica Heather Watson, então a 53ª colocada no ranking da WTA, por 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 6/0, em apenas 1 hora e 13 minutos. Em 2016, Teliana também perdeu no US Open na primeira rodada para Suarez Navarro em um duplo 6/0, acentuando ainda mais a situação em sua temporada. Teliana completou 2016 fora do top 200, pela primeira vez em quatro anos.[30]

2017[editar | editar código-fonte]

Seu melhor resultado foi a 2ª fase do Australian Open, onde perdeu para a alemã Mona Barthel. Em fevereiro, ganhou três jogos de sete (incluindo duplas) no Zonal das Américas, Grupo I, da Fed Cup, mas o Brasil sequer chegou à repescagem de promoção. Os torneios WTA foram diminuindo e os ITF, aumentando. Disputou qualificatórios e o máximo que conseguiu foi chegar à segunda fase de chaves principais.

2018[editar | editar código-fonte]

Com ranking menor, o calendário foi composto somente de ITFs. O maior que disputou foi o de Cagnes-sur-Mer, em maio, onde não passou da 1ª fase. Chegou a duas quartas de final: 60 000 Brescia (perdeu para Nathaly Kurata) e 25 000 Braunschweig (perdeu para Anastasia Zarycka).

2019[editar | editar código-fonte]

Em maio, atingiu as quartas de final de um 25 000, em Roma. No mês seguinte, mesma fase nos 60 000 de Versmold e 25 000 de Bad Saulgau. Ainda ficaria entre as oito melhores nos 60 000 de Assunção. Seu melhor resultado, no entanto, foi na italiana Pula (25 000), caindo apenas na final para a croata Tena Lukas.

2020[editar | editar código-fonte]

O ano da pandemia de covid-19 foi também o ano da despedida. Três torneios até fevereiro, sendo o derradeiro a fase qualificatória da Fed Cup, onde o Brasil perdeu para a Alemanha. No saibro de Florianópolis, a alagoana perdeu de Laura Siegemund por duplo 6–3.[31]

Em 28 de setembro, aos 32 anos, anunciou a aposentadoria em entrevista ao podcast Match Point, do Grupo Globo.[32]

Evolução do ranking de simples[editar | editar código-fonte]

[33]:

Finais[editar | editar código-fonte]

Circuito WTA[editar | editar código-fonte]

Simples: 2 (2 títulos)[editar | editar código-fonte]

Status V–D Data Torneio Cidade/país Categoria Piso Adversária Resultado
Venceu 2–0 1º de agosto de 2015 Brasil Tennis Cup Brasil Florianópolis, Brasil International saibro Alemanha Annika Beck 6–4, 4–6, 6–1
Venceu 1–0 19 de abril de 2015 Claro Open Colsanitas Colômbia Bogotá, Colômbia International saibro Cazaquistão Yaroslava Shvedova 7–62, 6–1

Circuito WTA 125K[editar | editar código-fonte]

Duplas: 1 (1 vice)[editar | editar código-fonte]

Status V–D Data Torneio Cidade/país Piso Parceira Adversárias Resultado
Perdeu 0–1 Fevereiro de 2013 Copa Bionaire Colômbia Cáli, Colômbia saibro Argentina Florencia Molinero Colômbia Catalina Castaño
Colômbia Mariana Duque Mariño
3–6, 6–1, [10–5]

Circuito ITF[editar | editar código-fonte]

Simples: 31 (22 títulos, 9 vices)[editar | editar código-fonte]

Status V–D Data Cidade/país Categoria Piso Adversária Resultado
Perdeu 22–9 Outubro de 2019 Itália Pula, Itália 25 000 saibro Croácia Tena Lukas 4–6, 3–6
Venceu 22–8 Abril de 2015 Colômbia Medellín, Colômbia 50 000 saibro Paraguai Verónica Cepede Royg 7–66, 6–1
Perdeu 21–8 Setembro de 2014 Países Baixos Alphen aan den Rijn, Países Baixos 25 000 saibro Chéquia Denisa Allertová 3–6, ab.
Perdeu 21–7 Julho de 2014 França Biarritz, França 100 000 saibro Estónia Kaia Kanepi 2–6, 4–6
Venceu 21–6 Setembro de 2013 Espanha Sevilha, Espanha 25 000 saibro Argentina Florencia Molinero 7–65, 6–3
Venceu 20–6 Setembro de 2013 França Saint-Malo, França 25 000 saibro França Pauline Parmentier 6–2, 6–1
Venceu 19–6 Setembro de 2013 França Mont-de-Marsan, França 25 000 saibro França Pauline Parmentier 6–1, 6–4
Venceu 18–6 Julho de 2013 França Denain, França 25 000 saibro Itália Alberta Brianti 6–4, 7–5
Venceu 17–6 Junho de 2013 França Périgueux, França 25 000 saibro Chile Daniela Seguel 6–1, 6–4
Venceu 16–6 Novembro de 2012 Argentina Buenos Aires, Argentina 25 000 saibro Reino Unido Amanda Carreras 6–1, 6–2
Venceu 15–6 Outubro de 2012 Espanha Sevilha, Espanha 25 000 saibro Espanha Estrella Cabeza Candela 4–6, 7–63, 7–65
Perdeu 14–6 Setembro de 2012 França Mont-de-Marsan, França 25 000 saibro Suíça Timea Bacsinszky 6–2, 3–6, 6–2
Perdeu 14–5 Junho de 2012 Eslovénia Maribor, Eslovênia 25 000 saibro Alemanha Anna-Lena Friedsam 2–6, 7–61, 6–2
Venceu 14–4 Maio de 2012 Argentina Rosário, Argentina 25 000 saibro Argentina Mailen Auroux 7–5, 7–65
Perdeu 13–4 Abril de 2012 Venezuela Caracas, Venezuela 25 000 duro Venezuela Adriana Pérez 6–1, 6–1
Venceu 13–3 Julho de 2011 França Denain, França 25 000 saibro Ucrânia Valentyna Ivankhnenko 6–4, 6–3
Venceu 12–3 Março de 2011 México Metepec, México 10 000 duro Estados Unidos Amanda Fink 6–4, 6–4
Venceu 11–3 Outubro de 2010 Brasil Londrina, Brasil 10 000 saibro Paraguai Verónica Cepede Royg 6–4, 6–0
Venceu 10–3 Outubro de 2010 Brasil Arujá, Brasil 10 000 saibro Argentina Vanesa Furlanetto 4–6, 6–4, 6–1
Venceu 9–3 Dezembro de 2008 Argentina Buenos Aires, Argentina 10 000 saibro Argentina Emilia Yorio 6–2, 6–1
Venceu 8–3 Agosto de 2007 Colômbia Bogotá, Colômbia 25 000 saibro Portugal Frederica Piedade 7–62, 6–2
Venceu 7–3 Agosto de 2007 Brasil Campos do Jordão, Brasil 25 000 duro Brasil Maria Fernanda Alves 6–4, 6–2
Perdeu 6–3 Maio de 2007 Áustria Viena, Áustria 10 000 saibro Croácia Darija Jurak 6–1, 1–6, 6–2
Venceu 6–2 Março de 2007 Itália Foggia, Itália 10 000 saibro Espanha Rebeca Bou Nogueiro 6–4, 6–3
Venceu 5–2 Março de 2007 França Amiens, França 10 000 saibro (coberto) França Audrey Bergot 7–5, 3–6, 6–1
Venceu 4–2 Março de 2007 Grécia Atenas, Grécia 10 000 saibro França Violette Huck 6–2, 6–1
Perdeu 3–2 Novembro de 2006 Argentina Córdoba, Argentina 10 000 saibro Bélgica Yanina Wickmayer 6–1, 46–7, 6–0
Venceu 3–1 Novembro de 2006 Brasil Itajaí, Brasil 10 000 saibro Argentina Veronica Spiegel 4–6, 6–1, 6–1
Venceu 2–1 Outubro de 2006 Chile Santiago, Chile 10 000 saibro Argentina Mailen Auroux 4–6, 6–2, 6–3
Perdeu 1–1 Outubro de 2006 Argentina Córdoba, Argentina 10 000 saibro Argentina Vanesa Furlanetto 1–6, 6–1, 7–5
Venceu 1–0 Outubro de 2006 Argentina São Miguel de Tucumã, Argentina 10 000 saibro Brasil Vivian Segnini 6–2, 6–1

Duplas: 22 (10 títulos, 12 vices)[editar | editar código-fonte]

Status V–D Data Cidade/país Categoria Piso Parceira Adversárias Resultado
Perdeu 10–12 Julho de 2014 França Biarritz, França 100 000 saibro Espanha Lourdes Domínguez Lino Argentina Florencia Molinero
Liechtenstein Stephanie Vogt
2–6, 2–6
Perdeu 10–11 Maio de 2013 França Cagnes-sur-Mer, França 100 00 saibro Colômbia Catalina Castaño Estados Unidos Vania King
Países Baixos Arantxa Rus
4–6, 7–5, [10–8]
Perdeu 10–10 Outubro de 2012 Espanha Sevilha, Espanha 25 000 saibro Bulgária Aleksandrina Naydenova Polónia Paula Kania
Polónia Katarzyna Piter
5–7, 6–4, [10–6]
Perdeu 10–9 Setembro de 2012 França Saint-Malo, França 25 000 saibro Bulgária Aleksandrina Naydenova Turquia Pemra Özgen
Ucrânia Alyona Sotnikova
6–4, 7–66
Perdeu 10–8 Setembro de 2012 França Mont-de-Marsan, França 25 000 saibro Bulgária Aleksandrina Naydenova Suíça Timea Bacsinszky
Roménia Mihaela Buzărnescu
6–4, 6–1
Perdeu 10–7 Junho de 2012 Chéquia Zlín, República Tcheca 25 000 saibro Paraguai Verónica Cepede Royg Bulgária Elitsa Kostova
Bósnia e Herzegovina Jasmina Tinjić
4–6, 6–1, [10–8]
Venceu 10–6 Maio de 2012 Argentina Rosário, Argentina 25 000 saibro Áustria Nicole Rottmann Paraguai Verónica Cepede Royg
Argentina Luciana Sarmenti
6–2, 7–5
Venceu 9–6 Abril de 2012 Itália Pomezia, Itália 10 000 saibro Peru Bianca Botto Itália Benedetta Davato
Alemanha Anne Schäfer
7–63, 6–2
Perdeu 8–6 Dezembro de 2011 Argentina Buenos Aires, Argentina 25 000 saibro Brasil Vivian Segnini Argentina Mailen Auroux
Argentina María Irigoyen
6–1, 6–3
Venceu 8–5 Julho de 2011 Brasil Campos do Jordão, Brasil 25 000 duro Brasil Fernanda Hermenegildo Brasil Maria Fernanda Alves
Brasil Roxane Vaisemberg
3–6, 7–65, [11–9]
Venceu 7–5 Julho de 2011 França Denain, França 25 000 saibro Paraguai Verónica Cepede Royg França Céline Ghesquière
França Elixane Lechemia
6–1, 6–1
Perdeu 6–5 Março de 2011 México Poza Rica, México 10 000 duro Brasil Fernanda Hermenegildo Estados Unidos Macall Harkins
Áustria Nicole Rottmann
6–2, 6–4
Venceu 6–4 Novembro de 2008 Argentina Buenos Aires, Argentina 10 000 saibro Brasil Fernanda Hermenegildo Argentina Tatiana Búa
Argentina María Irigoyen
6–3, 6–2
Venceu 5–4 Novembro de 2007 Portugal Sintra, Portugal 25 000 saibro (coberto) Itália Nicole Clerico Brasil Joana Cortez
Brasil Roxane Vaisemberg
6–4, 6–2
Perdeu 4–4 Novembro de 2007 Líbano Jounieh, Líbano 25 000 saibro Itália Nicole Clerico Polónia Olga Brózda
Rússia Maria Kondratieva
6–3, 6–1
Perdeu 4–3 Setembro de 2007 Bulgária Sófia, Bulgária 25 000 saibro Brasil Joana Cortez Roménia Mihaela Buzărnescu
Polónia Magdalena Kiszczyńska
6–4, 26–7, [10–4]
Perdeu 4–2 Agosto de 2007 Colômbia Bogotá, Colômbia 25 000 saibro Brasil Ana Clara Duarte Brasil Joana Cortez
Brasil Roxane Vaisemberg
5–7, 6–4, 6–4
Perdeu 4–1 Julho de 2007 França Mont-de-Marsan, França 25 000 saibro Brasil Joana Cortez Rússia Nina Bratchikova
Portugal Neuza Silva
6–3, 7–63
Venceu 4–0 Maio de 2007 Áustria Viena, Áustria 10 000 saibro Áustria Nikola Hofmanova Eslováquia Katarína Poljaková
Eslováquia Zuzana Zlochová
7–61, 6–3
Venceu 3–0 Março de 2007 França Amiens, França 10 000 saibro (coberto) Países Baixos Marcella Koek Polónia Monika Krauze
Rússia Anna Savitskaya
6–1, 6–0
Venceu 2–0 Novembro de 2006 Argentina Córdoba, Argentina 10 000 saibro Bélgica Yanina Wickmayer Argentina Florencia Molinero
Argentina Veronica Spiegel
7–5, 6–4
Venceu 1–0 Novembro de 2006 Brasil Itajaí, Brasil 10 000 saibro Bélgica Yanina Wickmayer Brasil Fernanda Hermenegildo
Eslováquia Monika Kochanová
6–3, 6–3

Participações em Jogos Olímpicos[editar | editar código-fonte]

Brasil Jogos Olímpicos de 2016[editar | editar código-fonte]

Tênis nos Jogos Olímpicos de Verão de 2016

Atleta Evento 1ª fase 2ª fase Oitavas de final Quartas de final Semifinais Final
Adversário e resultado Adversário e resultado Adversário e resultado Adversário e resultado Adversário e resultado Adversário e resultado
BrasilBRA Teliana Pereira Simples FrançaFRA C. Garcia
D 1-6, 2-6
Não avançou
BrasilBRA Teliana Pereira
BrasilBRA Paula Gonçalves
Duplas n/a EspanhaESP C. Navarro/G. Muguruza
D 6-7(6–8), 2-6
Não avançou
BrasilBRA Teliana Pereira
BrasilBRA Marcelo Melo
Duplas n/a FrançaFRA C. Garcia/Mahut
V 7-6(4), 7-6(1)
Estados UnidosUSA B. Mattek-Sands/J. Sock
D 4–6, 4–6
Não avançou

Participações em Jogos Pan-Americanos[editar | editar código-fonte]

Brasil Jogos Pan-Americanos de 2007[editar | editar código-fonte]

Tênis nos Jogos Pan-Americanos de 2007

Atleta Evento 1ª fase 2ª fase Oitavas de final Quartas de final Semifinais Final Pos.
Adversário e resultado Adversário e resultado Adversário e resultado Adversário e resultado Adversário e resultado Adversário e resultado
BrasilBRA Teliana Pereira Simples CanadáCAN A. Wozniak
D 3-6, 6-0, 0-6
Não avançou 17º
BrasilBRA Joana Cortez
BrasilBRA Teliana Pereira
Duplas Bye CubaCUB Y. Fors
CubaCUB Y. Nuñez

V 5-7, 7-5, 6-4
ColômbiaCOL K. Castiblanco
ColômbiaCOL M. Duque

D 5-7, 6-2, 2-6
Disputa do Bronze:
Estados UnidosUSA A. Cohen
Estados UnidosUSA M. Falcon

V 7-5, 6-0
Bronze medal america.svg

Bronze

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Teliana conquista primeiro título de WTA da carreira, em Bogotá». telianapereira.com.br. Cópia arquivada em 15 de julho de 2015 
  2. «Filha de ex-boia-fria, Teliana deixa o Sertão para fazer história no tênis». globoesporte.com. 30 de julho de 2013 
  3. A única chance de vencer
  4. «Joana Cortez e Teliana Pereira ganham o bronze nas duplas». uol.com.br. 22 de julho de 2007 
  5. «Site da WTA destaca Teliana Pereira e fim da "seca" do Brasil». terra.com.br. 21 de fevereiro de 2013 
  6. «Teliana perde na semifinal e encerra melhor campanha do país em 24 anos». globoesporte.com. 23 de fevereiro de 2012 
  7. «Teliana Pereira é eliminada no WTA de Florianópolis». ndmais.com.br. 26 de fevereiro de 2013 
  8. «Teliana sofre 'pneu', cai diante de ucraniana, e jejum brasileiro continua». globoesporte.com. 24 de maio de 2013 
  9. «Teliana perde para promessa belga de 19 anos e cai na 2ª rodada do quali». globo.com. 19 de junho de 2013 
  10. «Teliana Pereira vence chilena e garante título do Challeneger de Perigueux». globo.com. 30 de junho de 2013 
  11. «Teliana é campeã do ITF de Denain». band.com.br. 7 de julho de 2013 
  12. «Teliana sobe para 105º lugar e atinge seu melhor ranking». tenisbrasil.com.br. 15 de julho de 2013 
  13. «Teliana entra no top 100, realiza sonho antigo e quebra jejum de 23 anos». globo.com. 29 de julho de 2013 
  14. «Teliana Pereira encerra melhor temporada da carreira». cbt-tenis.com.br. 10 de outubro de 2013 
  15. «Teliana sobre a torcida no Rio Open: 'Foi impressionante o carinho'». globo.com. 3 de dezembro de 2014 
  16. «Teliana é eliminada por romena em Florianópolis». gazetadopovo.com.br. 26 de fevereiro de 2014 
  17. «Teliana é eliminada na última rodada do quali em Indian Wells». espn.com.br. 4 de março de 2014 
  18. «Teliana Pereira consegue maior vitória da carreira e avança em Charleston». globo.com. 1º de abril de 2014 
  19. «Teliana quebra tabus de 25 anos, vence e avança em Roland Garros». globo.com. 27 de maio de 2014 
  20. «Teliana Pereira luta, mas perde para Sorana Cirstea e dá adeus a Roland Garros». superesportes.com.br. 29 de maio de 2014 
  21. «Teliana é eliminada pela terceira do mundo em sua estreia em Wimbledon». globo.com. 24 de junho de 2014 
  22. «Teliana Pereira é eliminada logo na estreia do US Open». folhavitoria.com.br. 26 de agosto de 2014 
  23. «Teliana Pereira vence o WTA de Bogotá e quebra jejum de 27 anos». globo.com. 19 de abril de 2015 
  24. «Teliana sobe 49 posições e atinge o melhor ranking da carreira». otempo.com.br. 20 de abril de 2015 
  25. «Teliana é eliminada de torneio ao atingir raquete em espectadora: "Escapou"». uol.com.br. 16 de maio de 2015 
  26. «Teliana Pereira faz história e é campeã do WTA de Florianópolis». lance.com.br. 1º de agosto de 2015 
  27. «Título conquistado em Florianópolis coloca Teliana Pereira no top 50 do ranking mundial». superesportes.com.br. 3 de agosto de 2015 
  28. «Teliana vence romena na estreia pela chave principal do WTA de Pequim». globo.com. 3 de outubro de 2015 
  29. «Teliana Pereira é eliminada na estreia em Brisbane por Petkovic». atarde.com.br. 3 de janeiro de 2016 
  30. «Teliana Pereira vence só três games e perde na estreia em Hobart». atarde.com.br. 11 de janeiro de 2016 
  31. «Laura Siegemund bate Teliana Pereira em sets diretos na 1ª partida da Fed Cup». revistatenis.com.br. 7 de fevereiro de 2020 
  32. «Depois de fazer história, Teliana se aposenta aos 32». tenisbrasil.com.br. 28 de setembro de 2020 
  33. Ranking de Teliana Pereira

Ligações externas[editar | editar código-fonte]