Beatriz Haddad Maia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Tenista Beatriz Haddad Maia
Bia Haddad em Roland Garros, 2023.
Alcunha(s) Bia Haddad Maia
País  Brasil
Residência São Paulo, Brasil
Data de nascimento 30 de maio de 1996 (27 anos)
Local de nasc. São Paulo, Brasil
Altura 1,85 m
Treinado por Rafael Paciaroni (2021–)[1][2]
Profissionalização 2010
Mão Canhota (backhand com duas mãos)
Material Esportivo Vestuário: Asics,
raquete: Wilson
Prize money US$ 5.931.043
Simples
Vitórias-Derrotas 435–226 (65,8%)
Títulos 3 WTA, 20 ITF[3]
Melhor ranking N° 10 (12 de junho de 2023)
Ranking atual simples N° 13 (01 de abril de 2024)
Open da Austrália 3R (2024)
Roland Garros SF (2023)
Wimbledon 4R (2023)
US Open 2R (2022, 2023)
Duplas
Vitórias-Derrotas 168–93 (64,4%)
Títulos 7 WTA, 14 ITF[4]
Melhor ranking N° 10 (08 de maio de 2023)
Ranking atual duplas N° 22 (01 de abril de 2024)
Open da Austrália F (2022)
Roland Garros 2R (2022, 2023)
Wimbledon 3R (2017, 2022)
US Open QF (2023)
Torneios principais de duplas
WTA Championships RR (2022)
Duplas Mistas
Roland-Garros QF (2022)
Wimbledon 2R (2022)
Medalhas
Copa Billie Jean King
BJK Cup recorde 26–11 (70,3%)
Última atualização em: 01 de abril de 2024
(último ranking oficial publicado pela WTA)[5].

Beatriz "Bia" Haddad Maia (São Paulo, 30 de maio de 1996) é uma tenista profissional brasileira. Quando juvenil, alcançou a 15ª posição do ranking da ITF[6] e foi, por duas vezes (2012 e 2013), vice-campeã de duplas do Torneio de Roland Garros, além de ter sido semifinalista em Wimbledon (2011).[7] Já como profissional, possui três títulos de simples (Nottingham e Birmingham em 2022, e o WTA Elite Trophy em 2023) e sete títulos de duplas (Bogotá em 2015 e 2017, Sydney e Nottingham em 2022, Madri, o Elite Trophy em 2023, e Adelaide em 2024) no WTA Tour, bem como um de simples (Saint Malo em 2022) e um de duplas (Paris em 2022) no WTA Challenger Tour, além de mais 34 títulos (20 simples, 14 duplas) no Circuito Feminino da ITF.

Em 15 de maio de 2017, um dia depois de ganhar o título do torneio de Cagnes-Sur-Mer, na França, então com 20 anos, apareceu na 100ª colocação do ranking da WTA, repetindo Maria Esther Bueno, Niege Dias, Teliana Pereira, Patrícia Medrado, Andrea Vieira, Cláudia Monteiro e Gisele Miró, que alcançaram em algum momento de suas carreiras o top 100 mundial do tênis feminino. Em 2022, chegou à final de duplas do Aberto da Austrália, sendo apenas a terceira brasileira em uma final de Grand Slam, depois de Bueno e Monteiro,[8] e entrou nas quarenta melhores do ranking de duplas. Em outubro, entrou no top 20 de duplas ao chegar na final do WTA de Guadalajara. Por chegar nessa final, Bia classificou-se para o WTA Finals de 2022 na chave de duplas, tornando-se a primeira brasileira a ir para esse torneio.[9][10]

Em 2023, entrou entre as dez primeiras do ranking da WTA tanto em simples - a primeira brasileira a alcançar essa posição na Era Aberta - quanto em duplas - igualando o feito de Luisa Stefani. Ao chegar nas semifinais do Aberto da França de 2023, foi a primeira brasileira semifinalista em simples de um Grand Slam desde Maria Esther Bueno no Aberto dos Estados Unidos de 1968.[11] O 10º lugar de Bia no ranking, só é superado no tênis brasileiro por Gustavo Kuerten, que foi número 1 do mundo da ATP por 43 semanas entre 2000 e 2001.[12] Antes disso, já havia obtido a melhor colocação da história de uma brasileira na classificação na "Era Aberta" após ser vice-campeã do Aberto do Canadá de 2022 (15ª do mundo), onde Bia foi a primeira brasileira a chegar a uma final de simples em um WTA/Masters 1000 na história.[12]

Em outubro de 2023, Bia tornou-se a primeira jogadora da história do tênis a vencer o WTA Elite Trophy tanto na chave de simples quanto na chave de duplas, tendo conquistado os dois troféus sem perder um único set durante o torneio.[13]

Infância e carreira juvenil[editar | editar código-fonte]

De ascendência libanesa, sua mãe e avó foram tenistas profissionais e a influenciaram a iniciar no esporte desde cedo, tendo começado a treinar aos 5 anos.[14] Ela era sobrinha do falecido cantor e apresentador Rolando Boldrin.[15]

Haddad Maia é canhota e usa duas mãos no backhand. Em 7 de maio de 2012 (aos 16 anos) atingiu a 598ª posição na classificação da Associação de Tênis Feminino (WTA) e em 23 de abril de 2012 (aos 15 anos) chegou à 15ª posição no circuito juvenil (até 18 anos) da Federação Internacional de Tênis (ITF).[16] Ela fez parte de sua formação no Esporte Clube Pinheiros, em São Paulo.[17][18][19]

Na sua carreira juvenil, ela atingiu o melhor ranking no simples de nº 15 no dia 24 de Abril de 2012, ganhou 14 partidas e perdeu 6 no simples,[6] e ganhou 14 partidas com 5 derrotas no duplas.[20]

Carreira profissional[editar | editar código-fonte]

2010–2012: Início e primeiros títulos[editar | editar código-fonte]

Em 2010, aos 14 anos, passa a treinar com Larri Passos[21] e jogou seus primeiros torneios na categoria 18 anos, em São Paulo, Mogi das Cruzes e Arujá.[22][23][nota 1]

Consegue a primeira vitória em torneio profissional em cima da equatoriana Mariana Correa [en] (que tinha então 26 anos) no ITF $10 000 de São Paulo.[23][nota 1]

Ganha o primeiro título profissional em setembro, no torneio de Mogi das Cruzes, nas duplas com Flávia Guimarães Bueno.[24][nota 1]

Em outubro, vence, na categoria 18 anos juvenil, a Copa GTC realizada em Guarulhos, um torneio de Grau 5 da ITF, em simples e duplas.[25]

Em julho de 2011, participa de um torneio de US$ 25k em Campos do Jordão, onde perde na primeira rodada para a colombiana Karen Castiblanco [en].[23][nota 1]

Em agosto, chega à sua primeira final ITF de US$ 10k em São Paulo, onde perde para Maria Fernanda Alves.[23][nota 1] Nas duplas, em parceria com Carla Forte [en], é campeã sobre a dupla Isabella Robbiani [en] / Kyra Shroff [en].[24][nota 1]

Em outubro, vence as finais de simples e de duplas (com Luísa Rosa) da Copa Guga Kuerten, na categoria 18 anos.[26] E no final do mesmo mês, foi campeã de simples em um outro torneio de US$ 10k em Goiânia sobre a portuguesa Bárbara Luz,[23][nota 1][27] e nas duplas, com Paula Gonçalves, também foi campeã, sobre outra dupla brasileira de Flavia Dechandt Araujo / Karina Venditti. Essa conquista foi a primeira de Bia em um torneio profissional por uma chave de simples.[24][nota 1]

Em fevereiro de 2012, aos 15 anos, torna-se a mais jovem tenista brasileira a disputar a Fed Cup, em sua primeira experiência em uma competição profissional por equipes, foi derrotada na primeira rodada pela venezuelana Gabriela Paz [en].[28]

Em março, é finalista da 29ª Copa Gerdau, principal competição juvenil do Brasil (única de Grau A da ITF no país).[29][30]

Vence, em abril, o "Future" de Ribeirão Preto, o primeiro título profissional conquistado em quadra dura.[23][nota 1]

Em junho, alcança a final do torneio juvenil de duplas de Roland Garros, ao lado da paraguaia Montserrat González, juntando-se a Maria Esther Bueno e Cláudia Monteiro no seleto grupo de brasileiras que jogaram uma final de Grand Slam.[31]

Participa pela primeira vez de torneio de nível WTA em setembro, conhecido na época como Bell Challenge, caindo na primeira rodada da qualificatória para a canadense Heidi El Tabakh [en].[32][nota 1]

É eleita pela 4ª vez consecutiva a melhor tenista juvenil do Brasil (2009, 2010, 2011 e 2012).[33]

2013: Final da Copa Gerdau, estreia no top 300 e duas contusões[editar | editar código-fonte]

Em fevereiro, recebe convite para a primeira edição da Brasil Tennis Cup e vence sua primeira partida em nível WTA contra Hsu Chieh-yu [en]. É eliminada na segunda rodada pela experiente húngara Melinda Czink, então nº 100 do mundo, em jogo no qual teve 3 match points no terceiro set.[34][23][nota 1]

Depois disso, vence dois torneios ITF de US$ 10k um em março em Ribeirão Preto e outro em abril em Antalya, Turquia, este último sua primeira conquista profissional em simples fora do Brasil.[23][nota 1]

No circuito juvenil, repete a final em simples da Copa Gerdau (18 anos)[35] e a final de duplas em Roland Garros, dessa vez ao lado da equatoriana Doménica González.[36]

Bia entra pela primeira vez no top 300 do ranking da WTA profissional de simples (como 265 no final do ano),[37] e alcança finais em torneios ITF de nível US$ 25k em Caserta na Itália e Lenzerheide na Suíça, nos meses de maio e junho, respectivamente.[23][nota 1][38]

Sofre queda em quadra quando vencia a argentina Andrea Benítez [en] no torneio ITF de US$ 25k em Campinas e lesiona o ombro, afastando-se das quadras por 2 meses.[23][nota 1][39]

Em outubro, nos Estados Unidos, sofre nova contusão, dessa vez na coluna, no primeiro torneio em que participa após retornar da lesão no ombro, o que a afasta das quadras até o fim do ano.[23][nota 1][40]

2014: Número 2 do Brasil, troca de treinador e retorno ao top 300[editar | editar código-fonte]

Tendo atingido a maioridade, Bia Haddad volta-se integralmente ao circuito profissional.[41] Recuperada das lesões que a afastaram da quadra no segundo semestre de 2013, em fevereiro recebe convites ("wild cards") para a primeira edição do Rio Open[42] e para a Brasil Tennis Cup, mas é eliminada na primeira rodada de ambos.[23][nota 1] Em março, também perdeu na primeira rodada em dois torneios ITF de US$ 25k disputados no Brasil.[23][nota 1]

Em abril, joga 4 torneios ITF no Estados Unidos, um de US$ 25k em Jackson onde perde na primeira rodada, em seguida, outro de US$ 25k em Pelham onde perdeu na terceira rodada. Na sequência, um torneio de US$ 50k no qual chegou às quartas de final, obtendo o mesmo resultado em outro torneio de US$ 50k em Charlottesville.[23][nota 1]

Na campanha européia, a partir de maio, volta a vencer no torneio ITF de US$ 10k de Caserta, na Itália, onde chegou à final no ano anterior, dessa vez ganhando duas rodadas e atingindo as quartas-de-final.[23][nota 1] Em junho, é vice-campeã de simples no ITF de Breda, na Holanda.[23][nota 1] Ainda na Holanda, é vice-campeã de duplas ao lado da argentina Tatiana Búa em Amstelveen e campeã em Alkmaar com a americana Bernarda Pera.[24][nota 1][43] Não defende os pontos da final do ITF de Lenzerheide do ano anterior e cai bastante no ranking WTA, saindo do top 300 chegando ao final do ano na 335ª posição, seu pior ranking desde janeiro de 2013.[37] Em julho, participa de 3 torneios ITF de 25k na Europa, alcançando uma semifinal, uma quarta-de-final e uma segunda rodada.[23][nota 1]

Após quatro anos de trabalho com Larri Passos, passa a ser treinada por Marcus Vinícius Barbosa, o Bocão, no segundo semestre.[44][45]

Em setembro faz mais uma série de 3 torneios ITF de US$ 25k na Europa e novamente faz uma semifinal em Sófia, uma segunda rodada em Dobrich e uma quarta-de-final em Podgorica[23][nota 1] e volta ao top 400 do Ranking WTA, alcançando o nº 385 do ranking.[37]

Parte para os Estados Unidos em outubro para uma série de 3 torneios ITF de US$ 50k, mesmo tendo que disputar a qualificatória em todos. Alcança a chave principal no primeiro e no terceiro torneios, atingindo uma segunda rodada e uma quarta-de-final, marcando suas primeiras vitórias em torneios ITF de nível US$ 50k.[23][nota 1][46]

Tendo chegado às quartas-de-final do ITF de US$ 50k de Assunção em novembro,[23][nota 1] volta, ao top 300 do ranking, atingindo o nº 295 do ranking.[37]

Em dezembro, disputa, no México, mais 2 torneios ITF de US$ 25k em Mérida e consegue boas campanhas em simples, sendo finalista no primeiro e semifinalista no segundo,[23][nota 1] obtendo o seu melhor ranking da WTA e tornando-se a tenista nº 2 do Brasil no ranking WTA atrás apenas de Teliana Pereira.[37][47]

2015: Primeiro título no WTA Tour em duplas, contusão e fim precoce da temporada[editar | editar código-fonte]

Beatriz Haddad Maia em 2015.

O ano começa com Bia sendo convocada para, pela terceira vez, para fazer parte da equipe brasileira da Fed Cup, para disputar o Zonal Americano I em San Luis Potosí, no México.[48] A equipe brasileira bateu as do Chile e da Colômbia mas em seguida perdeu para a equipe do Paraguai, ficando fora do playoff do Grupo Mundial II.[49]

Em fevereiro, Bia tem uma inesperada grande atuação no Rio Open. Com apenas 18 anos e o ranking de 234 do mundo,[37] derrota duas adversárias com ranking superior, inclusive a top 100 Polona Hercog[50] e, nas quartas-de-final, enfrentando a nº 16 do mundo Sara Errani, chega a ter 3 match-points, perdendo posteriormente. Essa participação no Rio Open 2015 levou Bia pela primeira vez em sua carreira até a fase de quartas de final de um torneio de nível WTA em uma chave de simples.[51]

Em abril, disputando a Copa Colsanitas, conquista seu primeiro título de WTA nas duplas, ao lado da compatriota Paula Gonçalves.[52] Além disso, atinge seu melhor ranking de simples na carreira, o posto de 168ª do mundo.[37]

Convocada para o Pan de Toronto como principal jogadora da equipe feminina brasileira, sente a volta da contusão no ombro que sofrera em Campinas em 2013 e, por decisão da chefia da delegação, não pode disputar a medalha de bronze em duplas ao lado de Paula Gonçalves.[53] Como consequência da contusão, sofre intervenção cirúrgica que a afasta das quadras pelo resto da temporada, além de ter terminado a parceria com o técnico Marcus Vinícius Barbosa, o Bocão.[54] Finalizou 2015 como nº 198 no ranking da WTA.[37]

2016: Alguns títulos no Circuito ITF e Top 170[editar | editar código-fonte]

A temporada teve início para Bia no torneio ITF de US$ 25k do Guarujá, onde conquistou o título de duplas, novamente ao lado de Paula Gonçalves.[55] Nas simples, é derrotada pela romena Sorana Cîrstea nas semifinais.[56] Atinge também as semifinais do ITF de US$ 25k de Bertioga.[57]

É convocada novamente para a Fed Cup, em Santa Cruz de la Sierra, Bolívia, onde apesar de alguns bons resultados iniciais a equipe não consegue a classificação.[58] Recebe convite ("wild card") para o Rio Open[59] mas é derrotada novamente por Sorana Cîrstea na primeira rodada em dois sets diretos.[60]

Em março, recebe outro "wild card" para a chave principal do Miami Open,[61] no qual é derrotada pela compatriota Teliana Pereira, então 50 do mundo, na primeira rodada.[62]

Compete na temporada de saibro européia a partir de abril. Entra no ITF de US$ 100k de Cagnes-sur-Mer como "lucky loser"[63] e é derrotada por Kateryna Kozlova na primeira rodada em dois sets.[64] Na qualificatória de Roland Garros, atinge a segunda rodada onde é eliminada.[65] Bia permanece na Europa para participar dos torneios ITFs de Grado (US$ 25k), Brescia (US$ 50k), Padova (US$ 25k) e Brauschweig (US$ 25k).[66] nos quais chega à segunda rodada.Sofre derrota na primeira rodada da qualificatória do US Open para Shuko Aoyama em dois sets.[67] Fura o quali do ITF de US$ 100k de Biarritz, mas tomba novamente face a Sorana Cîrstea na primeira rodada.[68] Chega à segunda rodada no ITF de Saint-Malo,[69] às quartas em Clermont-Ferrand[70] e alcança a final do ITF de US$ 25k de Santa Margherita di Pula na qual foi superada por Martina Trevisan em dois sets.[71]

Em novembro, nos Estados Unidos, conquista o título do ITF de US$ 50k de Scottsdale[72] e, na semana seguinte, repete a façanha ao vencer o ITF 50 000 de Waco,[73] seus maiores feitos até então.

Bia termina a temporada como 170 do mundo, após ter subido quase 200 posições em relação ao ranking de 18 de julho de 2016, no qual se encontrava na 367ª posição.[37]

2017: Estreia no top 100[editar | editar código-fonte]

Bia em Wimbledon, em 2017.

Recuperada de lesão sofrida em acidente doméstico em dezembro,[74] inicia, em fevereiro, a temporada na Austrália.[75] Conquista um torneio ITF de US$ 25k, o "Clare Valley Tennis International" tanto em simples quanto em duplas.[76]

Joga os WTAs de Monterrey e Bogotá. No primeiro, cai na última rodada da qualificatória.[77] Na capital colombiana, passa pelas rodadas qualificatórias em simples, mas cai na primeira rodada da chave principal contra Verónica Cepede Royg.[23][nota 1] Já nas duplas, repete o feito de 2015, e conquista seu segundo título em nível WTA, agora ao lado da argentina Nadia Podoroska.[24][nota 1]

Na temporada europeia de saibro, torna-se a primeira tenista brasileira a vencer uma top 20 desde 1989, após derrotar a décima-nona colocada Samantha Stosur nas oitavas de final do Aberto de Praga.[78][79] Na semana seguinte, conquista, sem perder nenhum set, o maior torneio de sua carreira até então, Open de Cagnes-sur-Mer, um torneio ITF de US$ 100k.[80] Com o resultado, alcança a centésima posição do ranking pela primeira vez.[81] Consegue superar as etapas qualificatórias em Roland Garros. Em sua primeira participação em chaves principais de um Grand Slam, Haddad Maia é derrotada pela russa Elena Vesnina, então n°15 do mundo.[82][83]

Entra direto na chave principal em Wimbledon e conquista a primeira vitória em Grand Slam ao bater, na primeira rodada, Laura Robson em sets diretos,[84] interrompendo sequência de 28 anos sem vitórias do tênis feminino brasileiro na chave principal do Grand Slam britânico, e repetindo o feito de Gisele Miró, que conseguira passar para a segunda rodada em 1989.[85] No confronto seguinte, acaba derrotada contra a romena Simona Halep, então n°2 do mundo.[86]

No US Open é eliminada na primeira rodada de simples pela croata Donna Vekić, 52ª do mundo, em sets diretos.[87] No Korea Open, pela primeira vez na carreira, chega à final de simples de um torneio WTA, sendo derrotada na disputa do título pela top 10 e campeã de Roland Garros Jeļena Ostapenko em jogo de três sets. É também a primeira vez desde 1983 que uma brasileira alcança uma final de torneio WTA fora do saibro. Com esse resultado a tenista chega entre as 60 melhores tenistas do mundo, 58ª em 25/09/2017.[88]

2018: Primeira vitória em simples e terceira rodada em duplas no Australian Open[editar | editar código-fonte]

O ano começou com inédita vitória na primeira rodada de simples do Australian Open sendo a primeira vitória desde 1965 de uma brasileira em um inicio de aberto profissional, vencendo a australiana Lizette Cabrera [en] por 7-6(3) e 6-4.[89] Foi derrotada na segunda rodada de simples por Karolína Plíšková por duplo 6/1.[90] Nas duplas Bia e a romena Sorana Cîrstea derrotaram na estreia a dupla russa Veronika Kudermetova e bielorrussa Aryna Sabalenka vencem por duplo 6/2.[91] Na segunda rodada derrotaram a dupla polonesa-americana Alicja Rosolska e Abigail Spears por 2 sets a 1, parciais de 4-6 e duplo 6-3.[92] Na terceira rodada foram eliminadas pela dupla tcheca formada por Lucie Šafářová e Barbora Strýcová.[93]

2019–2020: Suspensão por doping e sentença favorável[editar | editar código-fonte]

Bia em Wimbledon, 2019.

Em fevereiro de 2019, jogando em Acapulco, vence a nº 4 do mundo Sloane Stephens, tornando-se a primeira brasileira a vencer uma top 4 desde a profissionalização do tênis, em 1969 - a maior vitória de uma brasileira na Era Aberta.[94] Em Wimbledon do mesmo ano, derrota a ex-campeã do torneio em 2017, e cabeça de chave 26, Garbiñe Muguruza, em sets diretos.[95]

No final de julho, é suspensa provisoriamente pela ITF após testar positivo no controle de antidoping para dois anabolizantes sintéticos - o SARM S-22 e o SARM LGD-4033. O exame foi feito no começo de junho, enquanto ela disputava o Bol Ladies Open.[96]

Em fevereiro, a ITF lançou o veredicto, compreendendo que o suplemento ingerido foi contaminado. Definiu a suspensão por dez meses, já considerando o tempo que estava afastada.[97] O relatório da federação não a eximiu de responsabilidades, citando o caso de outros três tenistas brasileiros que já se encontraram em situação semelhante: Marcelo Demoliner, Thomaz Bellucci e Igor Marcondes. Livrou-se de uma pena maior, que poderia ir de dois a quatro anos.[98] Bia estaria livre para voltar em 22 de maio de 2020, véspera do Torneio de Roland Garros. Contudo, sem ranking - despencou para o 1342° lugar na inatividade - ela não pôde disputar o Grand Slam francês, tendo que recomeçar em torneios pequenos.[99][100]

Devido à pandemia de COVID-19, que paralisou atividades esportivas por meses, ela retornou aos jogos em setembro de 2020, no ITF de Montemor-O-Novo, em Portugal, no qual venceu Jodie Burrage na final por dois sets diretos.[101][102] Depois de vencer esse e mais três torneios portugueses, em Figueira da Foz, Santarém e Funchal, todos em quadra dura,[23][nota 1] Haddad descobriu um encondroma ao diagnosticar uma lesão na mão, passando por uma cirurgia que encerrou sua temporada.[103]

2021: De volta ao top 100[editar | editar código-fonte]

Ao longo de 2021, Haddad venceu cinco torneios da ITF: os W25 de Villa María e Córdova na Argentina em abril, o W25 de Montemor-o-Novo em Portugal em junho e os W60 de Collonge-Bellerive e de Montreux na Suíça em setembro.[23][nota 1][104]

Bia também voltou às top 100 do ranking da WTA após uma surpreendente campanha em Indian Wells em outubro,[105] onde apesar de perder na qualificatória para Usue Maitane Arconada [en],[106] recebeu um lugar na chave principal após a desistência de Nadia Podoroska.[107] Após derrotar Mayar Sherif na segunda rodada em dois sets diretos,[108] venceu a primeira cabeça de chave e terceira do mundo Karolína Plíšková[109] e avançou para a quarta rodada, onde perdeu para Anett Kontaveit.[110][111]

2022: Finais de Grand Slam e Master 1000, Top 15[editar | editar código-fonte]

Bia no Pan Pacific Open de 2022.

Haddad Maia planejava jogar o Australian Open de 2022 com Nadia Podoroska, até a argentina desistir com uma lesão abdominal. Precisando de uma parceira entre as 70 melhores do mundo, busca a cazaque Anna Danilina, que Haddad conhecera na final da Copa Gerdau dez anos antes; Danilina aceita apesar de estar jogando um torneio na Tunísia no momento do convite.[112] A dupla vence o primeiro torneio que disputou, o Torneio de Sydney, que precede o Grand Slam.[113][114] Derrotada na segunda rodada de simples,[115] Haddad Maia chega, junto de Danilina, à final em duplas, no melhor desempenho de uma brasileira no torneio desde Maria Esther Bueno em 1965; Haddad Maia tornou-se a terceira brasileira finalista de Grand Slam, depois de Bueno e Cláudia Monteiro.[8][116] Em uma final acirrada contra a dupla número um do mundo Barbora Krejcíková e Katerina Siniaková, Haddad e Danilina venceram o primeiro set, mas perderam de virada.[117] Os pontos dos dois torneios fizeram Bia disparar no ranking de duplas, subindo de 483ª para 40ª.[118]

O sucesso fez Bia decidir jogar mais duplas com Danilina, mesmo que dando precedência à sua carreira de simples. Depois de desistir do WTA de Dubai por contrair COVID-19,[119] voltou no WTA de Doha. O melhor torneio de Bia após a Austrália foi o Monterrey Open, chegando até a semifinal antes de perder para a eventual campeã Leylah Fernandez.[120]

Em abril, Bia disputa sua sexta Billie Jean King Cup, dessa vez realizada em Salinas no Equador. Com vitórias contra a Guatemala, a Argentina e o Chile, a equipe brasileira vence o "Zonal Americano I" e classifica-se para disputar os play-offs do torneio.[121][122][123] Disputados em novembro de 2022, a equipe brasileira, contando com vitórias de Haddad Maia contra as argentinas Nadia Podoroska e María Carlé, vence o qualificatório para disputar as finais de 2023.[124]

Em maio de 2022, Beatriz Haddad Maia conquista seu primeiro título no circuito de challengers da WTA, o L'Open 35 de Saint-Malo, ao vencer a russa Anna Blinkova na final em sets diretos.[125] No torneio seguinte do circuito em Paris, é campeã de duplas ao lado da francesa Kristina Mladenovic, e vice-campeã de simples ao perder a final para a americana Claire Liu [en].[126] Os resultados a fizeram subir para o 49º lugar de simples, a primeira brasileira nas 50 melhores desde Teliana Pereira em 2015.[127] Em Roland-Garros, Bia vence pelo menos um jogo em três modalidades, chegando à segunda rodada nas simples e duplas - junto de Danilina - e as quartas-de-final nas duplas mistas, junto de Bruno Soares.[128]

Em 12 de Junho conquista seu maior título de simples, o Nottingham Open superando a americana Alison Riske na final. Torna-se a primeira brasileira a vencer um torneio em quadras de grama desde Maria Esther Bueno.[129] No mesmo dia, vence também a final de duplas ao lado da chinesa Zhang Shuai alcançando o melhor ranking da carreira em duplas, número 26. Shuai foi a adversária na final do torneio seguinte, o Birmingham Classic, onde a chinesa desistiu por lesão, permitindo Bia a chegar ao seu segundo título de simples da WTA e garantindo a ela o melhor ranking da carreira: número 29 do mundo, igualando o recorde de Bueno na era aberta.[130] Quando vence na segunda rodada do Eastbourne International, Bia alcançou 12 vitórias na grama, a sequência mais longa desde que Serena Williams teve 20 seguidas entre os torneios de 2015 e 2018 de Wimbledon.[131] Na semifinal de Eastbourne é derrotada por Petra Kvitova e chega o melhor ranking da carreira (25º).[132] Apesar do bom precedente na temporada de grama, em Wimbledon caiu na primeira rodada, enquanto chegou na terceira nas duplas ao lado de Magdalena Fręch.[133]

Em agosto de 2022, sendo 24ª do ranking da WTA, chega à final de seu primeiro WTA 1000 no Aberto do Canadá, com uma sequência de vitórias que inclui a primeira de uma brasileira sobre a líder do ranking, contra a polonesa Iga Swiatek,[134] além de também vencer a finalista do US Open Leylah Fernandez, a campeã olímpica Belinda Bencic e pela segunda vez Karolína Plíšková. Na final, no dia 14 de agosto, é superada por Halep em jogo de três sets, terminando com o vice-campeonato. Com essa campanha ela entra no top 20 do ranking em simples, chegando na 15ª posição, a melhor de sua carreira até então.[135] No US Open, após vitória expressiva de duplo 6-0 contra Ana Konjuh, caiu na segunda rodada para Bianca Andreescu.[136]

No Guadalajara Open que encerra a temporada de WTA 1000 em outubro, Haddad caiu já na estreia em simples,[137] mas junto de Danilina alcançou a decisão de duplas após bater Krejcikova e Siniakova na semifinal. A vitória também garantiu à dupla a última vaga do WTA Finals no mês seguinte, fazendo de Haddad a primeira brasileira a se classificar na história do torneio.[10] Apesar de perder uma final acirrada em três sets para Luisa Stefani e Storm Sanders,[138] o resultado impulsionou Haddad entre as 15 melhores no ranking de duplas da WTA.[139] Após o WTA Finals, onde caiu na primeira fase com apenas uma vitória sobre Gabriela Dabrowski e Giuliana Olmos, Haddad fechou o ano com o 12° lugar no ranking de duplas.[140]

Bia terminou 2022 como uma das personalidades brasileiras com menos de 30 anos de idade mais promissoras segundo eleição da revista Forbes.[141][142]

2023: Melhores rankings e campanhas em Grand Slams da carreira[editar | editar código-fonte]

Tatjana Maria cumprimenta Bia após o jogo da primeira rodada em Roland Garros.

Em janeiro, a posição de 14ª no ranking foi alcançada depois de Bia chegar as quartas de final do Adelaide International 2, onde perdeu para Paula Badosa em dois sets muito equilibrados.[143][144] Bia não repetiu seu sucesso do ano anterior no Australian Open, caindo na primeira rodada de simples para Nuria Párrizas Díaz [en] em sets diretos, apesar de ser cabeça de chave.[145] Nas duplas, depois de uma estreia impressionante, com a chinesa Zhang Shuai quando venceram um jogo de virada contra a canadense Leylah Fernandez e a americana Bethanie Mattek-Sands em três sets, depois de estarem perdendo o segundo,[146] perderam na rodada seguinte para a dupla tcheca formada por Marketa Vondrousova e Miriam Kolodziejová [en] também em jogo de três sets, perdendo nove match points no game decisivo.[147]

Em janeiro, a posição de 14ª no ranking foi alcançada depois de Bia chegar as quartas de final do Adelaide International 2, onde perdeu para Paula Badosa em dois sets muito equilibrados.[143][144] Bia não repetiu seu sucesso do ano anterior no Australian Open, caindo na primeira rodada de simples para Nuria Párrizas Díaz [en] em sets diretos, apesar de ser cabeça de chave.[145] Nas duplas, depois de uma estreia impressionante, com a chinesa Zhang Shuai quando venceram um jogo de virada contra a canadense Leylah Fernandez e a americana Bethanie Mattek-Sands em três sets, depois de estarem perdendo o segundo,[146] perderam na rodada seguinte para a dupla tcheca formada por Marketa Vondrousova e Miriam Kolodziejová [en] também em jogo de três sets, perdendo nove match points no game decisivo.[147]

Em fevereiro, no Abu Dhabi Open, ela chegou às quartas de final após mais de 3 horas de batalha com Yulia Putintseva, em uma partida de três sets com dois "tiebreaks".[148] Em seguida, ela chegou às semifinais, derrotando a terceira cabeça de chave e jogadora do top 10 Elena Rybakina registrando uma sequência de seis vitórias consecutivas contra as 10 melhores jogadoras do ranking.[149] Na semifinal Bia sentiu o desgaste dos jogos anteriores e perdeu para o jogo sólido da campeã olímpica e n° 9 do mundo Belinda Bencic em dois sets diretos.[150] Com isso, em 13 de fevereiro de 2023 Bia Haddad foi apresentada como a 12ª no ranking da WTA.[5][151]

Em março, ao lado de Laura Siegemund, chegou à sua segunda final de WTA 1000 de duplas em Indian Wells, perdendo para Barbora Krejčíková e Kateřina Siniaková.[152]

A temporada em quadras de saibro começou para Bia em abril, onde teve um desempenho irregular em Stuttgart, sendo derrotada nas quartas de final por Ons Jabeur de forma contundente em sets diretos.[153] E fez uma autocrítica afirmando que não havia sido competitiva o suficiente.[154] Em seguida ainda em abril, na Billie Jean King Cup contra a equipe da Alemanha, venceu o primeiro jogo[155] e perdeu o segundo num desempenho apenas discreto.[156]

Já no início de maio, no Madrid Open, Bia chega à sua terceira final de WTA 1000 em duplas ao lado de Victoria Azarenka.[157] Lá, obteve seu primeiro título de WTA 1000 ao derrotar na final a dupla americana Coco Gauff e Jessica Pegula em sets diretos.[158] A dupla deu tão certo que foi criado o match "BIARENKA".[159] Com este resultado, Bia entrou pela primeira vez no top 10 mundial de duplas, sendo a 3ª brasileira na história a entrar no top 10 do ranking da WTA, após Maria Esther Bueno e Luisa Stefani.[160] Apesar do sucesso, por motivos ainda não esclarecidos, as duas duplas finalistas foram impedidas de fazer a costumeira entrevista pós jogo final, o que gerou grande impacto na mídia.[161]

No WTA 1000 seguinte, o Internacional da Itália,[162] ambas começaram bem e chegaram à terceira rodada em duplas depois de ficarem de "bye" na primeira, quando Azarenka sofreu uma contusão na perna direita e foi forçada a se retirar do torneio.[163] O principal resultado, porém, foi obtido em simples: Bia derrotou Elena-Gabriela Ruse, a cabeça de chave 17 Magda Linette e Camila Osorio para chegar às quartas de final, obtendo seu melhor resultado no ano até o momento.[164] O jogo das quartas contra Anhelina Kalinina foi épico, durou 3h e 41min, com direito a muitas viradas de ambas as partes, no final, Kalinina prevaleceu nessa longa "maratona".[165] Ainda no primeiro set desse jogo, Bia Haddad sentiu uma lesão na perna esquerda, o que acabou limitando sua movimentação em momentos decisivos do jogo.[166]

Em Roland Garros ela chegou à terceira rodada pela primeira vez em um Grand Slam, derrotando Tatjana Maria em sets diretos na primeira rodada e Diana Shnaider num jogo de três sets na segunda.[167] Bia continuou sua campanha vencendo Ekaterina Alexandrova na terceira rodada também em três sets,[168] e Sara Sorribes Tormo na oitava de final, mais uma vez em três sets, no terceiro jogo mais longo do feminino na história de Roland Garros.[169] Já na quarta de final, surpreendeu a número sete do mundo Ons Jabeur vencendo de virada em mais um jogo de três sets, entrando para a história, tornando-se primeira brasileira na semifinal de um torneio do Grand Slam na "Era Aberta", e a primeira no geral desde Maria Esther Bueno no US Open de 1968.[170] Na semifinal diante da número um do mundo Iga Świątek, depois de ter perdido o primeiro set, Bia sustentou um bom jogo no segundo, levando-o para o "tiebreak", onde Świątek confirmou seu favoritismo e venceu o jogo em dois sets.[171][172] Com isso, Bia chegou ao posto de nº 10 do mundo, entrando pela primeira vez no top 10 mundial em simples.[173] Essa semifinal foi, na época, a maior audiência de um jogo feminino de tênis da história da TV paga brasileira e o melhor resultado de audiência do tênis em geral desde 2012. Mais de 1,4 milhão de pessoas passaram pelo SporTV 3 que, com a transmissão dessa partida, bateu sua melhor audiência desde os jogos olímpicos de Tóquio 2020.[174]

Bia viajou para a Inglaterra em junho para começar a temporada de grama.[175] Em Nottingham, de forma surpreendente, com a desistência de Lesia Tsurenko que seria sua adversária, Bia, que defendia o título do ano anterior, enfrentou outra ucraniana, a "lucky loser" da qualificatória e número 157 do ranking Daria Snigur, para quem perdeu em sets diretos, sendo eliminada do torneio na primeira rodada.[176] Bia anunciou que sofreu uma contusão no joelho durante a partida que jogou em Nottingham, e optou por não participar do torneio de Birmingham para tentar estar apta para o WTA 500 de Eastbourne, e em forma para Wimbledon.[177] Em Eastbourne, Bia passou pela primeira rodada num jogo equilibrado de três sets contra Marie Bouzková,[178] e na segunda rodada, diante de Petra Martic, voltou a sentir a lesão e abandonou a partida.[179][180] Em Wimbledon, Bia passou por Yulia Putintseva na primeira rodada em um jogo de três sets de virada,[181] e na segunda, novamente em um jogo de três sets de virada, venceu Jaqueline Cristian, chegando à terceira rodada, sua melhor campanha nesse torneio até então.[182][183] Na terceira rodada, venceu Sorana Cirstea em sets diretos (6–2, 6–2), passando às oitavas de final, algo que apenas Maria Esther Bueno conseguiu fazer no tênis feminino brasileiro.[184][185] No jogo das oitavas de final contra Elena Rybakina, Bia sentiu uma lesão na região lombar logo no início do jogo e teve que desistir.[186]

De volta às quadras duras na América do Norte, em Montreal, Bia venceu bem a primeira rodada passando por Magdalena Fręch em sets diretos, mas perdeu na segunda para Leylah Fernandez em jogo de três sets.[187] No seu torneio seguinte em Cincinnati, Bia perdeu na primeira rodada para Karolína Muchová em outro jogo de três sets e quase três horas.[188] Poucas horas depois, no mesmo torneio, em dupla com Victoria Azarenka elas perderam o jogo de estreia para a dupla americana Peyton Stearns e Emma Navarro em sets diretos.[189] No US Open, Bia mais uma vez, não passou da segunda rodada. Apesar de ter vencido a campeã de 2017, Sloane Stephens, num longo jogo de três sets na primeira rodada,[190] perdeu na rodada seguinte para a 132ª do mundo Taylor Townsend, que vem retomando a carreira depois da gravidez, em sets diretos.[191] Nas duplas, reeditando a parceria com Azarenka, chegou às quartas de final, onde perderam para a dupla 12ª cabeça de chave, Laura Siegemund e Vera Zvonareva em jogo de três sets de mais de três horas de duração.[192] No torneio seguinte em San Diego, Bia venceu Leylah Fernandez na primeira rodada e Marta Kostyuk na segunda, ambos os jogos decididos em três sets, chegando às quartas de final, onde perdeu para Barbora Krejčíková em sets diretos.[193] No que seria seu próximo torneio em Guadalajara, Bia sofreu um acidente doméstico inusitado no hotel no mesmo dia de sua estreia quando a porta de seu chuveiro estourou, causando cortes nas mãos e forçando-a a abandonar o torneio e retornar ao Brasil para tratamento e recuperação.[194]

Ao retornar ao circuito para a temporada asiática no Aberto da China, Bia foi eliminada na primeira rodada da chave de simples por Jasmine Paolini em jogo de três sets e quase três horas, cheio de reviravoltas.[195] Na chave de duplas, em parceria com Veronika Kudermetova, ela teve um melhor desempenho. Elas venceram a dupla Anna Danilina / Alexandra Panova na primeira rodada, a dupla Nadiia Kichenok / Monica Niculescu na segunda, mas nas quartas de final, perderam para a dupla Magda Linette / Peyton Stearns em jogo disputado de três sets.[196] Seu próximo compromisso foi no Jiangxi Open no qual perdeu para Nao Hibino na primeira rodada em sets diretos.[197] Como uma das 20 melhores do ranking se qualificou para o WTA Elite Trophy, onde Bia teve seu melhor desempenho na temporada,[198] conquistando as duas chaves sem perder nenhum set durante o torneio,[199] vencendo a final de simples sobre a favorita local Zheng Qinwen em sets diretos porém de extremo equilíbrio, sendo ambos decididos no "tiebreak",[200][201] e pouco depois, junto de Kudermetova, venceu a final de duplas contra Miyu Kato [en] e Aldila Sutjiadi [en] também em sets diretos.[202] Os pontos do Elite Trophy fizeram Haddad fechar o ano no 11° lugar no ranking de simples da WTA.[200]

Bia encerrou a temporada disputando a segunda e terceira partidas das quatro do confronto entre o Time Brasil e a equipe da Coréia do Sul, no mês de novembro em Brasília, válido pela fase dos play-offs da Billie Jean King Cup. Beatriz enfrentou primeiro Yeonwoo Ku [en], 505ª do ranking de simples da WTA na época e venceu em sets diretos.[203] No dia seguinte, enfrentou Sohyun Park [en] e também venceu em sets diretos.[204] O time Brasil saiu vitorioso do confronto diante das coreanas, não tendo perdido uma partida sequer.[205]

Em dezembro, Bia foi eleita e premiada como a "Mulher do ano" na premiação do "Men of the year 2023" promovida pela revista GQ Brasil e figurou em uma das versões da capa da edição de dezembro/janeiro da revista, além de em uma matéria no interior da publicação.[206] No mesmo mês, Bia foi eleita pelo Comitê Olímpico do Brasil a melhor tenista do Prêmio Brasil Olímpico pelo segundo ano consecutivo, além de finalista do troféu "Rei Pelé" de Melhor Atleta do Ano de 2023, que acabou sendo vencido pela ginasta Rebeca Andrade.[207] [208] Um de seus pontos na primeira rodada do Hong Kong Tennis Open, contra a bielorussa Aliaksandra Sasnovich, foi finalista da categoria Ponto do Ano da WTA.[209]

2024: Melhor performance no Australian Open em simples[editar | editar código-fonte]

A primeira competição de Bia na temporada foi representando o Brasil na United Cup em Perth na Austrália, uma competição de equipes mistas por países. A evolução de Bia na temporada anterior foi decisiva para que o Brasil se classificasse pela segunda vez consecutiva para esse torneio.[210] Apesar do desempenho da equipe não ter sido bom, sendo desclassificada ainda na fase de grupos, a número um brasileira foi a única a obter uma vitória para a equipe na partida de simples feminina contra Sara Sorribes Tormo em sets diretos.[211][212] Ainda no giro australiano, Bia participou do Adelaide International. Na chave de simples ela não passou da estreia, quando perdeu para Anastasia Pavlyuchenkova em sets diretos.[213] Já na chave de duplas, Bia formou uma parceria inédita com Taylor Townsend. A nova parceria foi vitoriosa de imediato, conquistando o título do torneio vencendo as francesas Caroline Garcia e Kristina Mladenovic por sets diretos na final.[214] Em seguida, Bia entrou diretamente no Australian Open. Na chave de simples, como "cabeça de chave" N° 10, ela passou por Linda Fruhvirtová na primeira rodada em jogo de três sets,[215] por Alina Korneeva [en] na segunda em sets diretos,[216] marcando a primeira brasileira a passar da segunda rodada da Austrália desde Maria Esther Bueno,[217] mas perdeu na terceira para Maria Timofeeva em sets diretos.[218] Já na chave de duplas, mantendo a parceria com Townsend e como cabeças de chave N° 8 chegaram até as oitavas de final, onde caíram para a dupla Cristina Bucșa / Alexandra Panova em sets diretos.[219] Essa campanha no Australian Open recolocou Bia no top 20 do ranking de duplas da WTA ocupando a 20º posição, ganhando três colocações.[220]

No torneio seguinte em Abu Dhabi, Bia decidiu se unir a Luisa Stefani como preparo para os Jogos Olímpicos de Verão de 2024, já que ambas têm o ranking para jogarem juntas o torneio de duplas e já levaram dois títulos da ITF em 2019.[221] Bia alcançou as semifinais de ambas as chaves, mas após perder em simples para Daria Kasatkina em uma longa partida de mais de 3 horas, sentiu dores nas costas e desistiu do jogo em dupla no dia seguinte.[222] Depois disso, seu desempenho caiu e ela foi eliminada na primeira rodada no Qatar Open, no Dubai Championships e no San Diego Open.[32][nota 1] Já no WTA 1000 de Indian Wells, depois de ficar de "bye" na primeira rodada, venceu Rebecca Šramková [en] na segunda em sets diretos mas perdeu para Anastasia Pavlyuchenkova na terceira em um longo jogo de três sets.[32][nota 1] Nas duplas, nesse mesmo torneio, em parceria com Taylor Townsend, ela chegou às quartas de final.[32][nota 1] Teve desempenho semelhante no Miami Open, ficando de "bye" na primeira rodada, venceu Diane Parry na segunda em jogo de três sets e perdeu na terceira para Katie Boulter em sets diretos. Na chave de duplas, ela e Townsend perderam na primeira rodada em jogo de três sets[32][nota 1]

Dando início à temporada em quadras de saibro, Bia recebeu um "wild card" para o WTA 500 de Charleston e entrou como 5ª cabeça de chave, ficando de "bye" na primeira rodada e mais uma vez, depois de vencer Caroline Dolehide na segunda, de madrugada, em sets diretos depois de uma reação no segundo set,[223] na tarde daquele mesmo dia, perdeu na terceira (oitavas de final) para Veronika Kudermetova também em sets diretos.[224]

Patrocínios[editar | editar código-fonte]

Para vestuário e calçados Bia foi patrocinada pela Joma desde a temporada de 2018 até a de 2023.[225][226] A partir da temporada de 2024, passou a ser patrocinada pela Asics.[227][228][229][230] Para as raquetes, Bia firmou patrocínio com a Wilson em 2020.[231]

Além disso, Bia também fechou patrocínio com empresas de variados ramos, como por exemplo: a SMZTO desde 2021,[232] e desde 2023 o banco Itaú,[233] do qual é "embaixadora" tendo participado de campanhas institucionais[234][235] e a seguradora Prudential.[236]

No fim de 2023, Bia fechou patrocínio com a empresa estadunidense do ramo de comércio de joias Tiffany & Co para que em 2024 ela utilize produtos da marca durante a disputa de torneios de Grand Slam e também nos Jogos Olímpicos de Verão de 2024, em Paris, na França.[237][238][239]

Em Janeiro de 2024, Bia fechou patrocinio com a empresa de alimentação brasileira Bauducco[240][241] e com a Chevrolet, empresa automobilística da General Motors.[242][243][244]

Melhores resultados por tipo de torneio[editar | editar código-fonte]

Simples[editar | editar código-fonte]

  • WTA 125: Título
  • WTA 250: Título
  • WTA 500: Semifinal
  • WTA 1000: Final
  • Grand Slam: Semifinal

Duplas[editar | editar código-fonte]

  • WTA 125: Título
  • WTA 250: Título
  • WTA 500: Título
  • WTA 1000: Título
  • Grand Slam: Final

Duplas Mistas[editar | editar código-fonte]

  • Grand Slam: Quartas de final

Finais[editar | editar código-fonte]

Circuito WTA[editar | editar código-fonte]

Simples: 5 (3 títulos, 2 vices)[editar | editar código-fonte]

Status V–D Data Torneio País/cidade Categoria Piso Adversária Resultado
Perdeu 0–1 Set 2017 Hana Bank Korea Open Coreia do Sul Seul International Duro Letónia Jeļena Ostapenko 7–67–5, 1–6, 4–6
Venceu 1–1 Jun 2022 Nottingham Open Reino Unido Nottingham WTA 250 Grama Estados Unidos Alison Riske 6–4, 1–6, 6–3
Venceu 2–1 Jun 2022 Birmingham Classic Reino Unido Birmingham WTA 250 Grama China Zhang Shuai 5–4 ret.
Perdeu 2–2 Ago 2022 WTA de Montreal/Toronto Canadá Toronto WTA 1000 Duro Roménia Simona Halep 3–6, 6–2, 3–6
Venceu 3-2 Out 2023 WTA Elite Trophy China Zhuhai Fim de temporada Duro China Zheng Qinwen 7-6 (13-11), 7-6 (7-4)

Duplas: 9 (6 títulos, 3 vices)[editar | editar código-fonte]

Status V–D Data Torneio País/cidade Nível Piso Parceira Adversárias Resultado
Venceu 1–0 Abr 2015 Copa Colsanitas Colômbia Bogotá International saibro Brasil Paula Gonçalves Estados Unidos Irina Falconi
Estados Unidos Shelby Rogers
6–3, 3–6, [10–6]
Venceu 2–0 Abr 2017 Copa Colsanitas Colômbia Bogotá International saibro Argentina Nadia Podoroska Paraguai Verónica C. Royg
Polónia Magda Linette
6–3, 7–67–4
Venceu 3–0 Jan 2022 Sydney International Austrália Sydney WTA 500 duro Cazaquistão Anna Danilina Alemanha Vivian Heisen
Hungria Panna Udvardy
4–6, 7–5, [10–8]
Perdeu 3–1 Jan 2022 Australian Open Austrália Melbourne Grand Slam duro Cazaquistão Anna Danilina Chéquia Barbora Krejčíková
Chéquia Kateřina Siniaková
7–67-3, 4–6, 4–6
Venceu 4–1 Jun 2022 Nottingham Open Reino Unido Nottingham WTA 250 grama China Zhang Shuai Estados Unidos Caroline Dolehide
Roménia Monica Niculescu
7–6(7–2), 6–3
Perdeu 4-2 Out 2022 GDL Open México Guadalajara WTA 1000 duro Cazaquistão Anna Danilina Austrália Storm Sanders
Brasil Luisa Stefani
6–7(4–7), 7–6(7–2), [8–10]
Perdeu 4-3 Mar 2023 BNP Paribas Open Estados Unidos Indian Wells WTA 1000 duro Alemanha Laura Siegemund Chéquia Barbora Krejčíková
Chéquia Kateřina Siniaková
1–6, 7–6(7–3), [7–10]
Venceu 5-3 Mai 2023 Mutua Madrid Open Espanha Madri WTA 1000 saibro Bielorrússia Victoria Azarenka Estados Unidos Coco Gauff
Estados Unidos Jessica Pegula
6-1, 6-4
Venceu 6-3 Jan 2024 Adelaide International Austrália Adelaide WTA 500 duro Estados Unidos Taylor Townsend França Caroline Garcia
França Kristina Mladenovic
7-5, 6-3

Circuito WTA 125[editar | editar código-fonte]

Simples: 2 (1 título)[editar | editar código-fonte]

Status V–D Data Torneio País/cidade Piso Adversária Resultado
Venceu 1–0 Mai 2022 L'Open 35 de Saint-Malo França Saint-Malo saibro Rússia Anna Blinkova 7–63, 6–3
Perdeu 1–1 Mai 2022 Trophee Lagardère França Paris saibro Estados Unidos Claire Liu 3–6, 4–6

Duplas: 1 (1 título)[editar | editar código-fonte]

Status V–D Data Torneio País/cidade Piso Parceira Adversárias Resultado
Venceu 1–0 Mai 2022 Trophee Lagardère França Paris saibro França Kristina Mladenovic Geórgia Oksana Kalashnikova
Japão Miyu Kato
5–7, 6–4, [10–4]

Circuito ITF[editar | editar código-fonte]

Simples: 23 (15 títulos, 8 vices)[editar | editar código-fonte]

Status V–D Data País/cidade Nível Piso Adversária Resultado
Venceu 15-8 Jun 2021 Portugal Montemor-o-Novo 25 000 duro Geórgia Mariam Bolkvadze 6–4, 6–4
Venceu 14–8 Abr 2021 Argentina Córdoba 25 000 saibro Hungria Panna Udvardy 6–2, 6–2
Venceu 13–8 Abr 2021 Argentina Villa Maria 25 000 saibro Reino Unido Francesca Jones 5–7, 6–4, 6–2
Venceu 12–8 Out 2020 Portugal Funchal 15 000 duro Portugal Francisca Jorge 6–3, 6–3
Venceu 11–8 Set 2020 Portugal Porto 15 000 duro Brasil Ingrid G. Martins 6–3, 6–2
Venceu 10–8 Set 2020 Portugal Santarém 15 000 duro Polónia Martyna Kubka 6–0, 6–0
Perdeu 9–8 Set 2020 Portugal Figueira da Foz 25 000 duro Espanha Georgina García Pérez 7–612-10, 5–7, 4–6
Venceu 9–7 Set 2020 Portugal Montemor-o-Novo 25 000 duro Reino Unido Jodie Anna Burrage 6–1, 6–4
Perdeu 8–7 Nov 2018 Estados Unidos Tyler 80 000 saibro Estados Unidos Whitney Osuigwe 3–6, 4–6
Venceu 8–6 Mai 2017 França Cagnes-sur-Mer 100 000 saibro Suíça Jil Teichmann 6–3, 6–3
Venceu 7–6 Fev 2017 Austrália Clare [en] 25 000 duro Chéquia Markéta Vondroušová 6–2, 6–2
Venceu 6–6 Nov 2016 Estados Unidos Waco 50 000 duro Estados Unidos Grace Min 6–2, 3–6, 6–1
Venceu 5–6 Out 2016 Estados Unidos Scottsdale 50 000 duro Estados Unidos Kristie Ahn 7–67-4, 7–67-2
Perdeu 4–6 Out 2016 Itália Pula 25 000 saibro Itália Martina Trevisan 3–6, 4–6
Perdeu 4–5 Dez 2014 México Mérida 25 000 duro Roménia Patricia Maria Țig 6–3, 3–6, 1–6
Perdeu 4–4 Jun 2014 Países Baixos Breda 15 000 saibro Estados Unidos Bernarda Pera 1–6, 6–78-10
Perdeu 4–3 Jun 2013 Suíça Lenzerheide 25 000 saibro Alemanha Laura Siegemund 2–6, 3–6
Perdeu 4–2 Mai 2013 Itália Caserta 25 000 saibro Chéquia Renata Voráčová 4–6, 1–6
Venceu 4–1 Abr 2013 Turquia Antália 10 000 duro Chéquia Tereza Martincová 6–4, 6–3
Venceu 3–1 Mar 2013 Brasil Ribeirão Preto 10 000 saibro Argentina Andrea Benítez 7–67–2, 6–2
Venceu 2–1 Abr 2012 Brasil Ribeirão Preto 10 000 duro África do Sul Natasha Fourouclas 6–0, 6–1
Venceu 1–1 Out 2011 Brasil Goiânia 10 000 saibro Portugal Bárbara Luz 6–2, 6–0
Perdeu 0–1 Ago 2011 Brasil São Paulo 10 000 saibro Brasil Maria F. Alves 6–4, 5–7, 3–6

Duplas: 15 (9 títulos, 6 vices)[editar | editar código-fonte]

Status V–D Data País/cidade Nível Piso Parceira Adversárias Resultado
Perdeu 9–6 Out 2020 Portugal Funchal 15 000 duro Brasil Ingrid G. Martins Países Baixos Arianne Hartono
Países Baixos Eva Vedder
6–4, 1–6, [7–10]
Venceu 9–5 Set 2020 Portugal Figueira da Foz 25 000 duro Brasil Ingrid G. Martins Suécia Jacqueline Cabaj Awad
Portugal Inês Murta
7–5, 6–1
Venceu 8–5 Jun 2019 Reino Unido Ilkley [en] 100 000 grama Brasil Luisa Stefani Austrália Ellen Perez
Austrália Arina Rodionova
6–4, 6–75-7, [10–4]
Perdeu 7–5 Mai 2019 França Cagnes-sur-Mer 80 000 saibro Brasil Luisa Stefani Suíça Xenia Knoll
Rússia Anna Blinkova
6–4, 2–6, [12–14]
Venceu 7–4 Fev 2017 Austrália Clare [en] 25 000 duro Austrália Genevieve Lorbergs Austrália Alison Bai
Japão Erika Sema
6–4, 6–3
Venceu 6–4 Jan 2016 Brasil Guarujá 25 000 duro Brasil Paula C. Gonçalves Brasil Laura Pigossi
Suíça Jil Teichmann
6–73-7, 7–5, [10–7]
Venceu 5–4 Mai 2015 Itália Grado 25 000 saibro Suíça Viktorija Golubic Canadá Sharon Fichman
Polónia Katarzyna Piter
6–3, 6–2
Perdeu 4–4 Mai 2015 França Saint-Gaudens 50 000+H saibro Estados Unidos Nicole Melichar Colômbia Mariana Duque Mariño
Israel Julia Glushko
6–1, 6–75-7, [4–10]
Perdeu 4–3 Jan 2015 Estados Unidos Sunrise 25 000 saibro Brasil Paula C. Gonçalves Rússia Anna Kalinskaya
Estados Unidos Katerina Stewart
6–76-8, 7–5, [6–10]
Venceu 4–2 Jun 2014 Países Baixos Alkmaar 10 000 saibro Estados Unidos Bernarda Pera Países Baixos Charlotte van der Meij
Países Baixos Mandy Wagemaker
6–1, 1–6, [10–5]
Perdeu 3–2 Jun 2014 Países Baixos Amstelveen 10 000 saibro Argentina Tatiana Búa Estados Unidos Bernarda Pera
Bulgária Viktoriya Tomova
0–6, 1–2, ab.
Perdeu 3–1 Abr 2013 Turquia Antália 10 000 duro Portugal Bárbara Luz Roménia Irina Bara
Roménia Diana Buzean
5–7, 1–6
Venceu 3–0 Out 2011 Brasil Goiânia 10 000 saibro Brasil Paula C. Gonçalves Brasil Flávia D. Araújo
Brasil Karina Venditti
6–4, 5–7, [12–10]
Venceu 2–0 Ago 2011 Brasil São Paulo 10 000 saibro Brasil Carla Forte Paraguai Isabella Robbiani
Índia Kyra Shroff
6–75-7, 6–3, [10–7]
Venceu 1–0 Set 2010 Brasil Mogi das Cruzes 10 000 saibro Brasil Flávia G. Bueno Brasil Maria F. Alves
Brasil Natasha Lotuffo
6–1, 6–3

Grand Slam juvenil[editar | editar código-fonte]

Duplas: 2 (2 vices)[editar | editar código-fonte]

Status V–D Data Torneio País/cidade Piso Parceira Adversárias Resultado
Perdeu 0–2 Jun 2013 Roland Garros França Paris saibro Equador Doménica González Chéquia Barbora Krejčíková
Chéquia Kateřina Siniaková
5–7, 2–6
Perdeu 0–1 Jun 2012 Roland Garros França Paris saibro Paraguai Montserrat González Rússia Daria Gavrilova
Rússia Irina Khromacheva
6–4, 4–6, [8–10]

Vitórias sobre Top-10 por temporadas[editar | editar código-fonte]

Temporada 2019 2021 2022 2023 Total
Vitórias 1 1 3 4 9

Simples[editar | editar código-fonte]

# Jogador Rnk Torneio Piso Rodada Placar RHM
2019
1. Estados Unidos Sloane Stephens 4 Mexican Open, México duro segunda 6–3, 6–3 172
2021
2. Chéquia Karolína Plíšková 3 Indian Wells Open, Estados Unidos duro terceira 6–3, 7–5 115
2022
3. Grécia Maria Sakkari 3 Miami Open, Estados Unidos duro segunda 4–6, 6–1, 6–2 62
4. Grécia Maria Sakkari 5 Nottingham Open, Inglaterra, UK grama quartas 6–4, 4–6, 6–3 48
5. Polónia Iga Swiatek 1 WTA 1000 de Toronto, Canadá duro oitavas 6–4, 3–6, 7–5 24
2023
6. Cazaquistão Elena Rybakina 10 Abu Dhabi Open, UAE duro QF 3–6, 6–3, 6–2 14
7. Daria Kasatkina 8 Qatar Open, Qatar duro 2R 6–3, 7–6(9–7) 12
8. Cazaquistão Elena Rybakina 7 Stuttgart Open, Alemanha saibro (i) 2R 6–1, 3–1, ret. 14
9. Tunísia Ons Jabeur 7 Roland Garros, França saibro quartas 3–6, 7–6 (7–5), 6–1 14

Fed Cup/Billie Jean King Cup[editar | editar código-fonte]

Simples: 21 (14–7)[editar | editar código-fonte]

Edição Etapa Data Local Adversário Piso Oponente (V/P) Placar
2012 ZA R1 1 Fev Curitiba (BRA)  VEN Saibro Gabriela Paz P 6–7(3–7), 2–6[245]
2 Fev  BOL Nabila Farah V 6–1, 6–1[245]
2015 ZA R1 5 Fev Potosí (MEX)  CHI Duro Andrea Koch-Benvenuto V 6–1, RET[246]
6 Fev  COL Mariana Duque Marino V 7-6(8-6), 7-5[247]
7 Fev  PAR Veronica Cepede Royg P 4-6, 6-7(4-7)[248]
2018 R1 final 7 Fev Assunção (PAR)  VEN Saibro Andrea Gámiz V 7/6(7-4), 6/4[249]
8 Fev  GUA Kirsten-Andrea Weedon V 6/1, 6/1[250]
9 Fev  ARG Catalina Pella V 6-2, 4-6, 6-4[251]
10 Fev  PAR Veronica Cepede Royg P 7-6(7-2), 5-7, 6-7(9-11)[252]
2019 R1 final 7 Fev Medellín (COL)  PUR Saibro Mónica Puig V 6/1, 6/1[253]
8 Fev  CHI Daniela Seguel V 2-6, 6-4, 6-4[254]
8 Fev  ARG Victoria Bosio P 7-6(7-3), 5-7, 6-7(4-7)[255]
09 Fev  PAR Veronica Cepede Royg V 6-2, 6-3[256]
GM II RP 20 Abr Bratislava (SLO)  SLO Saibro Viktória Kužmová P 3-6, 3-6[257]
21 Abr  SLO Dominika Cibulková P 6-7(3-7), 0-6[258]
2022 ZA G1 12 Abr Salinas (EQU)  GUA Duro Kirsten-Andrea Weedon V 6–0, 6-0[259]
16 Abr  CHI Daniela Seguel V 6–2, 6–3[260]
11 Nov
12 Nov
Tucumã (ARG)  ARG Saibro Nadia Podoroska V 6-1, 6-3[261]
 ARG María Carlé V 6-3, 6-3[262]
2023 GM II 14 Abr Stuttgart (GER)  GER Saibro Anna-Lena Friedsam V 3-6, 6-4, 6-3[263]
15 Abr  GER Jule Niemeier P 6–7(3-7), 6–3, 2-6[264]

Duplas: 9 (8–1)[editar | editar código-fonte]

Os dados sobre duplas na Billie Jean King Cup foram obtidos no site da ITF. [265]

Edição Etapa Data Local Adversário Piso Parceira Oponentes (V/P) Placar
2015 ZA R1 6 Fev Potosí (MEX)  CHI Duro Gabriela Cé Fernanda Brito
Barbara Gatica
V 6–0, 6–2
7 Fev  COL Maria F. H. Gonzalez
Maria P. Perez-Garcia
P 6-3, 4-5, RET
2018 R1 final 10 Fev Assunção (PAR)  VEN Saibro Luisa Stefani Andrea Gamiz
Adriana Perez
V 6–1, 7–5
11 Fev  ARG Maria Irigoyen
Catalina Pella
V 6-1, 3-6, 6-2
2019 ZA G I 07 Fev Medellín (COL)  CHI Saibro Luisa Stefani Barbara Gatica
Alexa Guarachi
V 6-4, 5-7, 6-3
08 Fev  PUR Maria C. Aguiar
Erika Barquero
V 6-2, 6-0
09 Fev  ARG Jazmin Ortenzi
Catalina Pella
V 7-5, 6-3
2022 ZA G I 14 Abr[266] Salinas (EQU)  GUA Duro Carolina Alves Maria G.R. Corado
Kirsten-Andrea Weedon
V 6-3, 6-1
15 Abr[266]  ARG Jazmin Ortenzi
Julia Riera
V 6-3, 3-6, 6-1

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z aa ab ac ad ae af ag ah Para obter os dados dessa referência, selecione o ano correspondente no site da WTA ou da ITF.

Referências

  1. «More on Haddad Maia...» (em inglês). WTA. 8 de maio de 2023. Consultado em 12 de junho de 2023 
  2. «Paciaroni, parte II: estudos, ciência, Kerouac e "Foo Fighters x Aluguel"». uol.com.br. 25 de abril de 2023. Consultado em 8 de maio de 2023 
  3. «Beatriz Haddad Maia Women's Singles Titles» (em inglês). ITF. Consultado em 7 de maio de 2023 
  4. «Beatriz Haddad Maia Women's Doubles Titles» (em inglês). ITF. Consultado em 7 de maio de 2023 
  5. a b «Beatriz Haddad Maia - Overview» (em inglês). WTA. 1 de abril de 2024. Consultado em 1 de abril de 2024 
  6. a b «Beatriz Haddad Maia Juniors Singles Overview» (em inglês). ITF. Consultado em 7 de maio de 2023 
  7. «Beatriz Haddad Maia Juniors Doubles Grand Slams» (em inglês). ITF. Consultado em 7 de maio de 2023 
  8. a b «Bia Haddad vence semifinal na Austrália e se torna terceira brasileira a chegar numa final de Grand Slam». O Globo. 26 de janeiro de 2022. Consultado em 30 de janeiro de 2022 
  9. «Bia Haddad vence e chega a semifinal do WTA 1000 de Guadalajara e alcança o top 20» 
  10. a b Redação do ge (22 de outubro de 2022). «Bia Haddad se classifica para o WTA Finals nas duplas». ge.globo.com. Consultado em 9 de maio de 2023 
  11. «Beatriz Haddad Maia upsets Ons Jabeur to reach French Open semifinals». apnews.com (em inglês). 7 de junho de 2023 
  12. a b «Bia Haddad aparece em 16º no ranking e fica atrás apenas de Guga». Globoesporte.com. 15 de agosto de 2022. Consultado em 15 de agosto de 2022 
  13. Ramya Rangarajan (29 de outubro de 2023). «Beatriz Haddad Maia scripts HISTORY, becoming the first player ever to win WTA Elite Trophy in both singles and doubles» (em inglês). firstsportz.com. Consultado em 30 de outubro de 2023 
  14. Anna Julia Sbardelott (14 de novembro de 2022). «A extraordinária habilidade de Bia Haddad em dar a volta por cima». dicasdemulher.com.br. Consultado em 13 de fevereiro de 2023 
  15. «Cantor e apresentador Rolando Boldrin era tio da tenista Bia Haddad». uol.com.br. 9 de novembro de 2022. Consultado em 15 de agosto de 2023 
  16. «Beatriz Haddad Maia Tennis Player Profile - ITF» (em inglês). itftennis.com. Consultado em 23 de setembro de 2020 
  17. «Formada no Pinheiros, Bia Haddad faz história em Roland Garrosdata=2023-06-07». Consultado em 12 de julho de 2023 
  18. «Finalista no Aberto da Austrália; saiba a trajetória da tenista Bia Haddad». Exame. Consultado em 12 de julho de 2023 
  19. «Sociedade - EDT MATERIA IMPRIMIR - Por que é tão difícil formar uma campeã». revistaepoca.globo.com. Consultado em 12 de julho de 2023 
  20. «Beatriz Haddad Maia Juniors Doubles Overview» (em inglês). ITF. Consultado em 7 de maio de 2023 
  21. Gustavo Faldon, Matheus Castro e David Mijalchik (29 de agosto de 2022). «Como Bia Haddad Maia reescreveu a história do tênis brasileiro com mentalidade de campeã, superação e disciplina». espn.com.br. Consultado em 8 de maio de 2023 
  22. «O maior fenômeno do tênis brasileiro hoje é uma mulher: a vez de Bia Haddad Maia». Vogue. 14 de julho de 2022. Consultado em 8 de junho de 2023 
  23. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x «Beatriz Haddad Maia Women's Singles Activity» (em inglês). ITF. Consultado em 8 de maio de 2023 
  24. a b c d e «Beatriz Haddad Maia Women's Doubles Activity» (em inglês). ITF. Consultado em 8 de maio de 2023 
  25. «Brasileiros conquistam títulos em todas as categorias da Copa GTC, em Guarulhos (SP)». cbt-tenis.com.br. 13 de outubro de 2010. Consultado em 8 de maio de 2023 
  26. «Copa Guga Kuerten - selecionar: Girls>Singles>Final e Girls>Doubles>Final» (em inglês). ITF. Consultado em 8 de maio de 2023 
  27. «Aos 15 anos, Bia ganha primeiro título profissional». tenisbrasil.uol.com.br. 29 de outubro de 2011. Consultado em 8 de maio de 2023 
  28. Gustavo Loio (1 de fevereiro de 2012). «Aos 15 anos, Bia Maia estreia com derrota na Fed Cup, em Curitiba». blogs.oglobo.globo.com. Consultado em 8 de maio de 2023 
  29. «Após vice na Copa Gerdau, Bia Maia confirma bom momento e entra para o top 20 no juvenil». revistatenis.com.br. 26 de março de 2012 
  30. Fernando Itokazu (2012). «"Gigante" de 1,83 m segue os passos de Guga, deixa a casa dos pais e se divide entre a raquete e a sala de aula». folha.uol.com.br. Consultado em 8 de maio de 2023 
  31. «Vice nas duplas em Paris, Bia Maia entra no top 20 do ranking juvenil». globo.com.br. 11 de junho de 2012. Consultado em 8 de maio de 2023 
  32. a b c d e «Beatriz Haddad Maia - Matches» (em inglês). WTA. 18 de março de 2024. Consultado em 31 de março de 2024 
  33. «Bia Haddad é melhor juvenil do país pelo 4º ano». tenisbrasil.uol.com.br. 18 de dezembro de 2012. Consultado em 8 de maio de 2023 
  34. «Bia perde 3 match-points e se despede em Floripa». tenisbrasil.com.br. Cópia arquivada em 4 de março de 2016 
  35. «Bia leva virada na final dos 18 da Copa Gerdau». tenisbrasil.com.br. 24 de março de 2013 
  36. «Bia fica novamente com o vice em Roland Garros». tenisbrasil.com.br. Cópia arquivada em 4 de março de 2016 
  37. a b c d e f g h i «Beatriz Haddad Maia - Rankings History» (em inglês). WTA. Consultado em 8 de maio de 2023 
  38. «Bia vai à semifinal na Suíça e entra para o top 300». tenisbrasil.com.br. Cópia arquivada em 3 de março de 2016 
  39. «Bia sofre fratura e fica pelo menos 2 meses fora». tenisbrasil.com.br. Cópia arquivada em 4 de março de 2016 
  40. «Bia Maia passa por artroscopia na coluna lombar e não tem data para retorno». tenisnews.com.br. 15 de outubro de 2013 
  41. Anna Julia Sbardelott (14 de novembro de 2022). «A extraordinária habilidade de Bia Haddad em dar a volta por cima». dicasdemulher.com.br. Consultado em 8 de maio de 2023 
  42. «Após Teliana, Beatriz Haddad Maia é confirmada no Rio Open 2014». terra.com.br. 6 de fevereiro de 2014. Consultado em 8 de maio de 2023 
  43. «Bia Haddad fica com vice no saibro da Holanda». tenisbrasil.com.br. 29 de junho de 2014 
  44. Gazeta Press (17 de dezembro de 2014). «Sem Larri, Bia mira Pan em retomada da carreira após lesões». espn.com.br. Consultado em 8 de maio de 2023 
  45. «'Uma jogadora moderna', avalia novo técnico de Bia». tenisbrasil.com.br. 19 de agosto de 2014. Cópia arquivada em 23 de outubro de 2014 
  46. «Bia viaja para série de torneios norte-americanos». tenisbrasil.com.br. 15 de outubro de 2014. Cópia arquivada em 15 de dezembro de 2014 
  47. «Bia fecha temporada e celebra número 2 do Brasil». tenisbrasil.com.br. 13 de dezembro de 2014. Cópia arquivada em 13 de dezembro de 2014 
  48. «Brasil inicia Fed Cup contra o Chile na quinta». tenisbrasil.uol.com.br. 3 de fevereiro de 2015. Consultado em 8 de maio de 2023 
  49. Gazeta Esportiva (8 de fevereiro de 2015). «Eliminada, capitã brasileira fala em "consciência tranquila"». terra.com.br. Consultado em 8 de maio de 2023 
  50. «Desconhecida por rival, Bia Haddad quer mostrar cartão de visita no Rio». globoesporte.com. 20 de fevereiro de 2015 
  51. «Bia Haddad perde três chances de ir à semi, sente dor, chora e abandona». globoesporte.com. 20 de fevereiro de 2015 
  52. «Teliana Pereira vence o WTA de Bogotá e quebra jejum de 27 anos». globoesporte.com. 19 de abril de 2015 
  53. «Por causa de lesão, dupla Bia Haddad e Paula Gonçalves desiste e bronze fica com Argentina». superesportes.com.br. 16 de julho de 2015 
  54. «Bia Haddad passa por cirurgia no ombro e pode ficar até seis meses fora». revistatenis.com.br. 12 de agosto de 2015 
  55. «Bia Haddad Maia e Paula Gonçalves são campeãs de duplas no Guarujá». cbt-tenis.com.br. 22 de janeiro de 2016. Consultado em 8 de maio de 2023 
  56. «Bia Haddad Maia perde de virada e Guarujá terá final estrangeira». cbt-tenis.com.br. 23 de janeiro de 2016. Consultado em 8 de maio de 2023 
  57. «Bia Haddad Maia avança para as quartas de final em Bertioga». cbt-tenis.com.br. 23 de janeiro de 2016. Consultado em 8 de maio de 2023 
  58. «Brasil perde na dupla, cai diante da Argentina e adia sonho na Fed Cup». lance.com.br. 5 de fevereiro de 2016. Consultado em 8 de maio de 2023 
  59. «Bia Haddad Maia ganha convite para disputar o Rio Open 2016». cbt-tenis.com.br. 21 de janeiro de 2016. Consultado em 8 de maio de 2023 
  60. «Rio Open - Rio de Janeiro» (em inglês). tennistonic.com. 15 de fevereiro de 2016. Consultado em 8 de maio de 2023 
  61. André Podiacki (4 de março de 2016). «Beatriz Haddad Maia recebe convite e vai jogar a chave principal do Miami Open». gauchazh.clicrbs.com.br. Consultado em 8 de maio de 2023 
  62. Redação Placar (22 de março de 2016). «Teliana despacha compatriota em Miami e vence primeira partida do ano». placar.abril.com.br. Consultado em 8 de maio de 2023 
  63. «Bia Maia cai na final do quali, mas entra na chave em Cagnes-sur-Mer». lance.com.br. 2 de maio de 2016. Consultado em 8 de maio de 2023 
  64. «Kateryna Baindl vs. Beatriz Haddad Maia 03.05.2016 - Cagnes-Sur-Mer - compare» (em inglês). tennislive.net. 3 de maio de 2016. Consultado em 8 de maio de 2023 
  65. Gazeta Press (17 de maio de 2016). «Tenista brasileira Bia Maia passa pela primeira rodada do qualifying de Roland Garros». mg.superesportes.com.br. Consultado em 8 de maio de 2023 
  66. «Bia Haddad Maia para na segunda rodada do quali em Roland Garros». cbt-tenis.com.br. 19 de maio de 2016. Consultado em 8 de maio de 2023 
  67. «Bia Maia é eliminada no quali do US Open. Feijão e Paula estreiam». tenisnews.com.br. 23 de agosto de 2016. Consultado em 8 de maio de 2023 
  68. «Sorana Cirstea vs. Beatriz Haddad Maia 14.09.2016 - Biarritz - compare» (em inglês). tennislive.net. 14 de setembro de 2016. Consultado em 8 de maio de 2023 
  69. «Bia Haddad avança na chave principal em Saint Malo». cbt-tenis.com.br. 20 de setembro de 2016. Consultado em 8 de maio de 2023 
  70. «$25,000 Clermont-Ferrand - 26 Sep - 02 Oct 2016» (em inglês). ITF. 28 de setembro de 2016. Consultado em 8 de maio de 2023 
  71. Luiz Fernandes (9 de outubro de 2016). «Bia Haddad Maia é vice-campeã em Santa Margherita». tenisvirtual.com.br. Consultado em 8 de maio de 2023 
  72. Luiz Fernandes (6 de novembro de 2016). «Bia Haddad Maia é campeã em Scottsdale». tenisvirtual.com.br. Consultado em 8 de maio de 2023 
  73. «Haddad Maia conquista segundo título consecutivo e é a nova número 1 do Brasil». tenisvirtual.com.br. 13 de novembro de 2016 
  74. Estadão (23 de dezembro de 2016). «Bia Haddad sofre acidente doméstico, fratura vértebras e adia início de temporada». istoe.com.br. Consultado em 9 de maio de 2023 
  75. Estadão (26 de janeiro de 2017). «Bia Haddad sofre acidente doméstico, fratura vértebras e adia início de temporada». istoe.com.br. Consultado em 9 de maio de 2023 
  76. «$25,000 Clare - Clare Valley Tennis International» (em inglês). ITF. Consultado em 9 de maio de 2023 
  77. «Abierto Monterrey Afirme - Monterrey» (em inglês). tennistonic.com. 3 de abril de 2017. Consultado em 9 de maio de 2023 
  78. «Bia arrasa top 20 Stosur e anota sua maior vitória». tenisbrasil.uol.com.br. 3 de maio de 2017. Consultado em 9 de maio de 2023 
  79. «Bia Haddad bate australiana ex-top 5 em Praga e quebra tabu de 28 anos». uol.com.br. 3 de maio de 2017. Consultado em 9 de maio de 2023 
  80. Gazeta Press (14 de maio de 2017). «Bia Haddad Maia vence suíça, é campeã na França e entra para o top 100 do tênis». espn.com.br. Consultado em 9 de maio de 2023 
  81. «Bia conquista maior título e atinge o top 100». tenisbrasil.uol.com.br. 14 de maio de 2017. Consultado em 9 de maio de 2023 
  82. «Bia Haddad vence, se classifica para Roland Garros e faz história». uol.com.br. 26 de maio de 2017. Consultado em 9 de maio de 2023 
  83. Gazeta Press (29 de maio de 2017). «Bia minimiza eliminação em Roland Garros: "Sigo positiva e confiante"». espn.com.br. Consultado em 9 de maio de 2023 
  84. «Bia Haddad faz história, Thiago vence e Rogerinho é eliminado em Wimbledon». uol.com.br. 3 de julho de 2017. Consultado em 9 de maio de 2023 
  85. «Bia Maia domina britânica, quebra jejum em Wimbledon e aguarda Halep». sportv.globo.com. 3 de julho de 2017. Consultado em 9 de maio de 2023 
  86. «Bia começa bem, mas Halep prevalece na grama». tenisbrasil.uol.com.br. 5 de julho de 2017. Consultado em 9 de maio de 2023 
  87. «Rogerinho e Bia Haddad são eliminados em suas estreias no US Open». uol.com.br. 28 de agosto de 2017. Consultado em 9 de maio de 2023 
  88. «Bia Maia brilha, mas leva virada de Ostapenko na final do WTA de Seul». ge.globo.com. 24 de setembro de 2017. Consultado em 9 de maio de 2023 
  89. «Bia Haddad quebra tabu brasileiro de 53 anos e avança em Melbourne». uol.com.br. 16 de janeiro de 2018 
  90. «Bia Haddad é arrasada em 45min e está fora do Aberto da Austrália». abril.com.br. 18 de janeiro de 2018 
  91. «Duplas de Bia Haddad e Bruno Soares avançam no Aberto da Austrália». uol.com.br. 17 de janeiro de 2018 
  92. «Duplas de Marcelo Melo e Bia Haddad avançam na Austrália; Bruno Soares cai». uol.com.br. 20 de janeiro de 2018 
  93. «Bia Haddad perde nas duplas e é eliminada do Aberto da Austrália». correio24horas.com.br. 21 de janeiro de 2018 
  94. «Bia Haddad derruba nº 4 do mundo e conquista maior vitória de brasileira na Era Aberta». globo.com. 27 de fevereiro de 2019 
  95. «Vitória gigante! Bia Haddad brilha e derruba campeã de Wimbledon de 2017 na primeira rodada». globoesporte.com.br. 2 de julho de 2019 
  96. «Análise da contraprova confirma doping da tensita Bia Haddad Maia». estadao.com.br. 26 de julho de 2019 
  97. «Bia Haddad leva pena de 10 meses por caso de doping e pode voltar a jogar em maio». ge.globo.com. 10 de fevereiro de 2020. Consultado em 10 de maio de 2023 
  98. «Casos de outros brasileiros influenciam pena de Bia». tenisbrasil.uol.com.br. 10 de fevereiro de 2020. Consultado em 10 de maio de 2023 
  99. Demétrio Vecchioli (10 de fevereiro de 2020). «Bia Haddad comprova contaminação e leva 10 meses de suspensão por doping». uol.com.br. Consultado em 10 de maio de 2023 
  100. «Bia vai despencar no ranking e perderá US$ 100 mil». tenisbrasil.uol.com.br. 10 de fevereiro de 2020. Consultado em 10 de maio de 2023 
  101. «W25 Montemor-O-Novo - 2020 - Draws and Results» (em inglês). ITF. 6 de setembro de 2020. Consultado em 10 de maio de 2023 
  102. Redação do Ge (1 de setembro de 2020). «Após um ano sem competir, Bia Haddad retorna às quadras com vitória em Portugal». ge.globo.com. Consultado em 10 de maio de 2023 
  103. Redação do Ge (19 de novembro de 2020). «Bia Haddad opera a mão e deve ficar seis semanas longe das quadras: "A vida nos surpreende"». ge.globo.com. Consultado em 10 de maio de 2023 
  104. Redação do Ge (12 de setembro de 2021). «Bia Haddad Maia é campeã na Suíça e dedica título a Luisa Stefani». ge.globo.com. Consultado em 10 de maio de 2023 
  105. Folhapress (15 de outubro de 2021). «Bia Haddad volta ao top 100 do tênis mais "verdadeira" e consciente». opopular.com.br. Consultado em 10 de maio de 2023 
  106. «Usue Maitane Arconada vs. Beatriz Haddad Maia 05.10.2021 - BNP Paribas Open - Indian Wells - compare» (em inglês). tennislive.net. 5 de outubro de 2021. Consultado em 10 de maio de 2023 
  107. Redação do Ge (8 de outubro de 2021). «Bia Haddad conta com desistência e entra na chave principal de Indian Wells». ge.globo.com. Consultado em 10 de maio de 2023 
  108. «Beatriz Haddad Maia vs. Mayar Sherif 09.10.2021 - BNP Paribas Open - Indian Wells - compare» (em inglês). tennislive.net. 9 de outubro de 2021. Consultado em 10 de maio de 2023 
  109. Alexandre Cossenza (12 de outubro de 2021). «Bia Haddad vai voltar ao top 100 com margem para muito mais». uol.com.br. Consultado em 10 de maio de 2023 
  110. «Kontaveit atropela Bia Haddad Maia e vai às quartas no WTA 1000 de Indian Wells». revistatenis.uol.com.br. 12 de outubro de 2021. Consultado em 10 de maio de 2023 
  111. «WTA 1000 de Indian Wells: Bia Haddad Maia é derrotada por estoniana e encerra campanha histórica». espn.com.br. 12 de outubro de 2021. Consultado em 10 de maio de 2023 
  112. Bandsports (1 de fevereiro de 2022). "NOSSA DUPLA NÃO FOI PLANEJADA", AFIRMA BIA HADDAD  • ACE BANDSPORTS. YouTube. Consultado em 9 de maio de 2023 
  113. Gazeta Press (15 de janeiro de 2022). «Bia Haddad conquista o título de duplas no WTA 500 de Sydney». espn.com.br. Consultado em 9 de maio de 2023 
  114. Cláudia Soares Rodrigues (15 de janeiro de 2022). «Tenista Bia Haddad conquista título de duplas no WTA 500 de Sydney». agenciabrasil.ebc.com.br. Consultado em 9 de maio de 2023 
  115. «Australian Open: Bia Haddad é atropelada por Simona Halep e dá adeus na 2ª rodada». espn.com.br. 20 de janeiro de 2022. Consultado em 9 de maio de 2023 
  116. WTA Staff (27 de janeiro de 2022). «Krejcikova, Siniakova to face Danilina, Haddad Maia in Australian Open doubles final» (em inglês). WTA. Consultado em 4 de maio de 2023 
  117. «Bia Haddad leva virada de checas e é vice na Austrália». terra.com.br. 30 de janeiro de 2022. Consultado em 9 de maio de 2023 
  118. «Bia Haddad Maia vira Top 40 no ranking de duplas da WTA». terra.com.br. 31 de janeiro de 2022. Consultado em 9 de maio de 2023 
  119. Bia é diagnosticada com Covid-19 e não joga em Dubai
  120. WTA Staff (6 de março de 2022). «Osorio, defending champion Fernandez sweep into Monterrey final» (em inglês). WTA. Consultado em 4 de maio de 2023 
  121. «Brasileiras sobram contra Guatemala em estreia na Billie Jean King Cup». noticias.uol.com.br. 13 de abril de 2022. Consultado em 9 de maio de 2023 
  122. «Beatriz Haddad Maia faz grande virada e empata confronto contra a Argentina na BJK». esportesmais.com.br. 14 de abril de 2022. Consultado em 9 de maio de 2023 
  123. «Com Bia Haddad e Laura Pigossi, Brasil vence Chile e se classifica para playoffs da Billie Jean King». opovo.com.br. 16 de abril de 2022. Consultado em 9 de maio de 2023 
  124. Redação do ge (12 de novembro de 2022). «Brasil vence Argentina e se classifica para Billie Jean King Cup». ge.globo.com. Consultado em 9 de maio de 2023 
  125. Juliano Justo (8 de maio de 2022). «Tênis: Bia Haddad é campeã no torneio de simples da WTA na França». agenciabrasil.ebc.com.br. Consultado em 9 de maio de 2023 
  126. «Bia Haddad é campeã nas duplas em Paris e vai à final do simples». terra.com.br. 14 de maio de 2022. Consultado em 9 de maio de 2023 
  127. «Bia Maia confirma subida e entra no top 50». lance.com.br. 16 de maio de 2022. Consultado em 9 de maio de 2023 
  128. «Dupla mista de brasileiros é superada nas quartas de final de Roland Garros». gazetaesportiva.com. 30 de maio de 2022. Consultado em 9 de maio de 2023 
  129. Redação do ge (12 de junho de 2022). «Beatriz Haddad Maia é campeã do WTA de Nottingham, maior título da carreira». ge.globo.com. Consultado em 9 de maio de 2023 
  130. «Campeã! Bia Maia vê abandono de chinesa e fatura o título do WTA 250 de Birmingham». lance.com.br. 19 de junho de 2022. Consultado em 9 de maio de 2023 
  131. WTA [@@WTA] (21 de junho de 2022). «Beatriz Haddad Maia wins her 11th match in a row on grass...» (Tweet) – via Twitter 
  132. Redação do ge (24 de junho de 2022). «Bia Haddad perde para Kvitova, mas garante melhor ranking da história». ge.globo.com. Consultado em 9 de maio de 2023 
  133. Redação do ge (3 de julho de 2022). «Bia Haddad Maia é eliminada nas chaves de duplas em Wimbledon». ge.globo.com. Consultado em 9 de maio de 2023 
  134. «Tenista brasileira Bia Haddad supera a polonesa Iga Swiatek, número 1 do mundo». horadopovo.com.br. 12 de agosto de 2022. Consultado em 9 de maio de 2023 
  135. «Bia Haddad Maia derrota Pliskova, avança à final em Toronto e faz história no tênis brasileiro». gazetaesportiva.com. 13 de agosto de 2022. Consultado em 9 de maio de 2023 
  136. WTA Staff (1 de setembro de 2022). «Andreescu defeats Haddad Maia, earns Garcia rematch at US Open» (em inglês). WTA. Consultado em 4 de maio de 2023 
  137. Redação do ge (18 de outubro de 2022). «Bia Haddad cai na estreia de simples no WTA de Guadalajara». ge.globo.com. Consultado em 9 de maio de 2023 
  138. WTA Staff (24 de outubro de 2022). «Sanders and Stefani defeat Danilina and Haddad Maia to win Guadalajara» (em inglês). WTA. Consultado em 4 de maio de 2023 
  139. «Bia e Danilina batem favoritas e vão ao WTA Finals». tenisbrasil.uol.com.br. 22 de outubro de 2022. Consultado em 9 de maio de 2023 
  140. «Bia Haddad Maia perde e fica fora de semifinal do WTA Finals em duplas». uol.com.br. 6 de novembro de 2022. Consultado em 9 de maio de 2023 
  141. «Casimiro Miguel e Bia Haddad estão na lista da Forbes Under 30 de 2022». www.terra.com.br 
  142. «Casimiro está na Forbes Under 30 2022». www.uol.com.br 
  143. a b WTA Staff (12 de janeiro de 2023). «Adelaide International 2 -2023» (em inglês). WTA. Consultado em 11 de maio de 2023 
  144. a b «Bia Haddad se torna a número 14 do ranking mundial». CBT. 16 de janeiro de 2023. Consultado em 11 de maio de 2023 
  145. a b Alexandre Cossenza (18 de janeiro de 2023). «Cabeça de chave pela 1ª vez no Australian Open, Bia perde logo na estreia». uol.com.br. Consultado em 11 de maio de 2023 
  146. a b Alexandre Cossenza (20 de janeiro de 2023). «AO: Bia estreia nas duplas com virada incrível; Marcelo Melo está fora». uol.com.br. Consultado em 11 de maio de 2023 
  147. a b Redação do GE (22 de janeiro de 2023). «Bia Haddad Maia e Zhang desperdiçam nove match points e estão fora do Australian Open». ge.globo.com. Consultado em 11 de maio de 2023 
  148. «Sensational! Yulia Putintseva hangs tough in absurd Abu Dhabi rallies». WTA TOUR, INC. 9 de fevereiro de 2023. Consultado em 11 de maio de 2023 
  149. John Berkok (10 de fevereiro de 2023). «Stat of the Day: Beatriz Haddad Maia is now on a six-match winning streak against Top 10 players». WTA TOUR, INC. Consultado em 11 de maio de 2023 
  150. «Bia Haddad sofre com desgaste e cai para Bencic na semifinal do WTA de Abu Dabi». bemparana.com.br. Consultado em 11 de maio de 2023 
  151. «Bia Haddad perde para Bencic e dá adeus ao WTA 500 de Abu Dhabi, mas alcançará melhor ranking da carreira». ESPN Brasil. Consultado em 11 de maio de 2023 
  152. WTA Staff (18 de março de 2023). «Krejcikova, Siniakova battle to first Indian Wells doubles title» (em inglês). WTA. Consultado em 11 de maio de 2023 
  153. «Jabeur prevalece e Bia para nas quartas de Stuttgart». tenisbrasil.uol.com.br. 21 de abril de 2023. Consultado em 11 de maio de 2023 
  154. «Bia: "Não fiz bem minha parte, fui pouco competitiva"». tenisbrasil.uol.com.br. 21 de abril de 2023. Consultado em 11 de maio de 2023 
  155. «Bia Haddad vence, Laura perde e Brasil empata com Alemanha na Billie Jean King Cup». tribunadonorte.com.br. 14 de abril de 2023. Consultado em 11 de maio de 2023 
  156. Bruno da Silva (15 de abril de 2023). «Bia Haddad é surpreendida e Brasil se complica no duelo contra Alemanha na BJK Cup». bolamarela.com.br. Consultado em 11 de maio de 2023 
  157. «Bia é finalista de duplas com Vika e busca 1º WTA 1000». tenisbrasil.uol.com.br. 5 de maio de 2023. Consultado em 11 de maio de 2023 
  158. WTA Staff (7 de maio de 2023). «Madrid: Azarenka, Haddad Maia best Gauff, Pegula to win doubles title» (em inglês). WTA. Consultado em 11 de maio de 2023 
  159. WTA [@@WTA] (7 de maio de 2023). «BIARENKA TAKE MADRID 🔥...» (Tweet) – via Twitter 
  160. «Bia conquista com Vika o maior título da carreira». tenisbrasil.uol.com.br. 7 de maio de 2023. Consultado em 11 de maio de 2023 
  161. James Cooney (8 de maio de 2023). «Top tennis stars and fans are left outraged as women's doubles players are BARRED from speaking after their final at the Madrid Open». dailymail.co.uk. Consultado em 15 de maio de 2023 
  162. «Internazionali BNL d'Italia, Roma, Foro Italico, 2-21 Maggio 2023». internazionalibnlditalia.com. 2023. Consultado em 15 de maio de 2023 
  163. «Italian Open: Keys through to round of 16 after Azarenka withdrawal». tennismajors.com. 14 de maio de 2023. Consultado em 15 de maio de 2023 
  164. «Bia vence bem, vai às quartas e encara algoz de Keys». tenisbrasil.uol.com.br. 15 de maio de 2023. Consultado em 15 de maio de 2023 
  165. Thomas Alencar (16 de maio de 2023). «Bia Haddad e Kalinina se emocionam e são aplaudidas de pé após batalha épica em Roma». bolamarela.com.br. Consultado em 17 de maio de 2023 
  166. WTA (16 de maio de 2023). «Bia Haddad sente lesão na perna esquerda e recebe atendimento em quadra». espn.com.br. Consultado em 17 de maio de 2023 
  167. «Bia vence e enfim faz terceira rodada em Grand Slam». tenisbrasil.uol.com.br. 1 de junho de 2023. Consultado em 2 de junho de 2023 
  168. «Bia Haddad salva match point, vence Alexandrova e avança às oitavas em Roland Garros». espn.com.br. 3 de junho de 2023. Consultado em 7 de junho de 2023 
  169. «Bia Haddad entra na história com terceiro jogo mais longo de Roland Garros». espn.com.br. 3 de junho de 2023. Consultado em 7 de junho de 2023 
  170. Alexandre Cossenza (7 de junho de 2023). «Bia vence a 7ª do mundo, vai à semi e atinge feito inédito em Roland Garros». uol.com.br. Consultado em 7 de junho de 2023 
  171. «Bia Haddad perde para a número 1 do mundo e é eliminada na semifinal de Roland Garros». Portal R7 Esportes. 8 de junho de 2023. Consultado em 8 de junho de 2023 
  172. «Bia Haddad luta, mas cai para Swiatek e dá adeus ao sonho de título em Roland Garros». espn.com.br. 8 de junho de 2023. Consultado em 8 de junho de 2023 
  173. «Bia se torna 3ª sul-americana a atingir o top 10». tenisbrasil.uol.com.br. 10 de junho de 2023. Consultado em 10 de junho de 2023 
  174. «Semifinal de Bia Haddad é a maior audiência de um jogo feminino de tênis da história da TV paga». lance.com.br. 9 de junho de 2023. Consultado em 6 de julho de 2023 
  175. «Bia Haddad define calendário na grama e começará em Nottingham». terra.com.br. 9 de junho de 2023. Consultado em 10 de junho de 2023 
  176. «Bia Haddad 0x2 Snigur na estreia no WTA de Nottingham. Veja como foi!». tenisnews.com.br. 13 de junho de 2023. Consultado em 13 de junho de 2023 
  177. «Beatriz Haddad desiste da disputa do WTA de Birmingham». terra.com.br. 17 de junho de 2023. Consultado em 17 de junho de 2023 
  178. «Bia Haddad sofre, mas vira na estreia de Eastbourne». tenisnews.com.br. 27 de junho de 2023. Consultado em 28 de junho de 2023 
  179. «Bia Haddad sente lesão, abandona a partida contra Martic e está eliminada em Eastbourne». espn.com.br. 28 de junho de 2023. Consultado em 28 de junho de 2023 
  180. «Bia Haddad foca em Wimbledon: 'Estou chateada, mas temos um planejamento'». tenisnews.com.br. 28 de junho de 2023. Consultado em 28 de junho de 2023 
  181. Alexandre Cossenza (5 de julho de 2023). «Bia Haddad Maia vira jogo e supera cazaque na estreia em Wimbledon». uol.com.br. Consultado em 6 de julho de 2023 
  182. «Bia Haddad vence de virada e alcança melhor campanha em Wimbledon». espn.com.br. 6 de julho de 2023. Consultado em 6 de julho de 2023 
  183. Bruno da Silva (6 de julho de 2023). «Bia Haddad vence mais uma de virada e vai pela primeira vez à terceira rodada de Wimbledon». bolamarela.com.br. Consultado em 6 de julho de 2023 
  184. Matheus Castro (7 de julho de 2023). «Por que Bia Haddad está a uma vitória de repetir feito que só Maria Esther Bueno alcançou em Wimbledon». espn.com.br. Consultado em 8 de julho de 2023 
  185. «Bia Haddad vence Cirstea, avança às oitavas em Wimbledon e repete feito de Maria Esther Bueno». espn.com.br. 8 de julho de 2023. Consultado em 8 de julho de 2023 
  186. «Bia Haddad Maia sente lesão, sai chorando e abandona Wimbledon nas oitavas de final». espn.com.br. 10 de julho de 2023. Consultado em 10 de julho de 2023 
  187. «Fernandez consegue revanche e elimina Bia após 3h». tenisbrasil.uol.com.br. 9 de agosto de 2023. Consultado em 9 de agosto de 2023 
  188. Marcela Linhares (15 de agosto de 2023). «Em estreia dura, Bia Haddad cai para vice-campeã de Roland Garros em Cincinnati». bolamarela.com.br. Consultado em 15 de agosto de 2023 
  189. «Bia também se despede na estreia de duplas». tenisbrasil.uol.com.br. 15 de agosto de 2023. Consultado em 15 de agosto de 2023 
  190. «Bia Haddad Maia vence batalha dramática contra Sloane Stephens na estreia do US Open». lance.com.br. 28 de agosto de 2023. Consultado em 31 de agosto de 2023 
  191. «Bia Haddad perde para americana nº 132 do ranking e é eliminada na 2ª rodada do US Open». espn.com.br. 30 de agosto de 2023. Consultado em 31 de agosto de 2023 
  192. Juvenal Dias (6 de setembro de 2023). «Bia Haddad e Azarenka ficam nas quartas do US Open». olimpiadatododia.com.br. Consultado em 6 de setembro de 2023 
  193. «Krejcikova domina duelo com Bia e chega à semi». tenisbrasil.uol.com.br. 14 de setembro de 2023. Consultado em 15 de setembro de 2023 
  194. «Bia sofre acidente no hotel e desiste de Guadalajara». tenisbrasil.uol.com.br. 18 de setembro de 2023. Consultado em 1 de outubro de 2023 
  195. «Bia Haddad Maia leva virada em batalha maluca em Pequim». lance.com.br. 1 de outubro de 2023. Consultado em 1 de outubro de 2023 
  196. «Bia leva dura virada e se despede também nas duplas». tenisbrasil.uol.com.br. 5 de outubro de 2023. Consultado em 5 de outubro de 2023 
  197. «Com variações, japonesa elimina Bia na estreia». tenisbrasil.uol.com.br. 17 de outubro de 2023. Consultado em 17 de outubro de 2023 
  198. «WTA Elite Trophy: Beatriz Haddad Maia beats Zheng Qinwen for biggest title of career». bbc.com. 29 de outubro de 2023. Consultado em 29 de outubro de 2023 
  199. «Beatriz Haddad Maia captures WTA Elite Trophy title». deadspin.com. 29 de outubro de 2023. Consultado em 29 de outubro de 2023 
  200. a b WTA Staff (29 de outubro de 2023). «Haddad Maia denies Zheng Qinwen in classic final to claim Zhuhai title». WTA. Consultado em 29 de outubro de 2023 
  201. «Bia Haddad Maia é campeã do WTA Elite Trophy 2023 e se aproxima do top 10». olympics.com. 29 de outubro de 2023. Consultado em 29 de outubro de 2023 
  202. «Bia Haddad é campeã nas duplas ao lado de Kudermetova e faz dobradinha no Elite Trophy». uol.com.br. 29 de outubro de 2023. Consultado em 29 de outubro de 2023 
  203. «Bia Haddad e Laura vencem, e Brasil abre 2 a 0 na Billie Jean King Cup». ge. 10 de novembro de 2023. Consultado em 12 de dezembro de 2023 
  204. «Bia Haddad vence, e Brasil avança à fase final da Billie Jean King Cup». UOL. 11 de novembro de 2023. Consultado em 12 de dezembro de 2023 
  205. «Luisa Stefani e Ingrid Martins fecham o caixão da Coreia na BJK Cup». Tênis News. 11 de novembro 2023. Consultado em 17 de novembro de 2023 
  206. «'Mulher do Ano', Bia Haddad abre planos: "Quero ser mãe"». GQ. 5 de dezembro de 2023. Consultado em 12 de dezembro de 2023 
  207. «Rebeca Andrade faz história e ganha prêmio Brasil Olímpico pela terceira vez consecutiva». G1. 17 de dezembro de 2023. Consultado em 19 de dezembro de 2023 
  208. Zalcman, Fernanda (3 de dezembro de 2023). «Prêmio Brasil Olímpico 2023: confira os indicados ao prêmio de Melhor Atleta do Ano». olympics.com. Consultado em 19 de dezembro de 2023 
  209. «Bia Haddad e Ingrid Martins concorrem ao ponto do ano na WTA». Tenis News. 18 de dezembro de 2023. Consultado em 21 de dezembro de 2023 
  210. «Team Brazil Led By Inspirational Haddad Maia» (em inglês). unitedcup.com. 23 de dezembro de 2023. Consultado em 4 de janeiro de 2024 
  211. WTA Staff (29 de dezembro de 2023). «Haddad Maia d. Sorribes Tormo in first match of 2024 season at United Cup» (em inglês). WTA. Consultado em 4 de janeiro de 2024 
  212. Virgílio Franceschi Neto (30 de dezembro de 2023). «Brasil cai diante da Polônia e está eliminado da United Cup 2024». olympics.com. Consultado em 4 de janeiro de 2024 
  213. «Bia Haddad Maia é eliminada na estreia do WTA 500 de Adelaide». cnnbrasil.com.br. 8 de janeiro de 2024. Consultado em 19 de janeiro de 2024 
  214. Felipe Rosa Mendes (12 de janeiro de 2024). «Bia Haddad vence nas duplas em Adelaide e fatura 1º título da temporada». estadao.com.br. Consultado em 19 de janeiro de 2024 
  215. «Bia Haddad estreia no Australian Open com vitória». cnnbrasil.com.br. 15 de janeiro de 2024. Consultado em 19 de janeiro de 2024 
  216. «Bia Haddad vence com facilidade e quebra tabus no Australian Open». cnnbrasil.com.br. 17 de janeiro de 2024. Consultado em 19 de janeiro de 2024 
  217. WTA Staff (17 de janeiro de 2024). «Timofeeva takes out former champ Wozniacki at Australian Open» (em inglês). WTA. Consultado em 19 de janeiro de 2024 
  218. «Bia Haddad é dominada por Timofeeva, perde na terceira rodada e está eliminada do Australian Open». espn.com.br. 19 de janeiro de 2024. Consultado em 19 de janeiro de 2024 
  219. «Bia Haddad perde nas duplas e dá adeus ao Australian Open». ge.globo.com. 21 de janeiro de 2024. Consultado em 21 de janeiro de 2024 
  220. «Luisa Stefani dá salto e é confirmada no top 15 nas duplas. Bia também sobe». Tênis News. 29 de janeiro de 2024. Consultado em 29 de janeiro de 2024 
  221. Ludmila Candal e Luccas Oliveira (12 de março de 2024). «De olho em Paris, Bia Haddad e Luisa Stefani farão dupla em Abu Dhabi». cnnbrasil.com.br. Consultado em 6 de abril de 2024 
  222. «Luisa Stefani lamenta lesão de Bia Haddad e foca no torneio em Doha». gazetaesportiva.com. 10 de fevereiro de 2024. Consultado em 6 de abril de 2024 
  223. Fabrizio Gallas (4 de abril de 2024). «Com reação impressionante, Bia Haddad vence na madrugada em Charleston». lance.com.br. Consultado em 6 de abril de 2024 
  224. «Em partida irregular, Bia Haddad é eliminada por tenista russa nas oitavas em Charleston». lance.com.br. 4 de abril de 2024. Consultado em 6 de abril de 2024 
  225. «Bia Maia tem novos patrocinadores para iniciar nova temporada». lance.com.br. 30 de dezembro de 2017. Consultado em 15 de setembro de 2023 
  226. @biahaddadmaia (1 de janeiro de 2024). «Muito obrigada @jomasport por toda a confiança durante todos esses anos...». Consultado em 3 de janeiro de 2024 – via Instagram 
  227. «Bia Haddad deixa a marca Joma». Tenis News. 1 de janeiro de 2024. Consultado em 2 de janeiro de 2024 
  228. «Saque e Voleio: Bia Haddad Maia assina com a Asics, e CEO comemora: 'transcende o esporte'». UOL. 2 de janeiro de 2024. Consultado em 2 de janeiro de 2024 
  229. Cruz, Mário Sérgio (2 de janeiro de 2024). «Bia anuncia novo parceiro de material esportivo para 2024». TenisBrasil. Consultado em 2 de janeiro de 2024 
  230. @biahaddadmaia (2 de janeiro de 2024). «Seja bem-vinda à família ASICS...». Consultado em 3 de janeiro de 2024 – via Instagram 
  231. Luiz Fernandes (9 de agosto de 2020). «Bia Maia viaja para retornar ao circuito com novos patrocinadores». tenisvirtual.com.br. Consultado em 15 de setembro de 2023 
  232. «Tenista Bia Haddad fecha patrocínios para 2021». mktesportivo.com. 20 de maio de 2021. Consultado em 15 de setembro de 2023 
  233. Erich Beting (28 de dezembro de 2022). «Bia Haddad Maia e Itaú Personnalité fecham patrocínio inédito». maquinadoesporte.com.br. Consultado em 15 de setembro de 2023 
  234. Tatiana Furtado (23 de março de 2023). «Assim como Hamilton, Bia Haddad é nova estrela de campanha de banco». oglobo.globo.com. Consultado em 27 de julho de 2023 
  235. Muneratti, Ana Lucia Bertolino (28 de jun. de 2023). «Bia Haddad e Formiga se unem em filme que celebra as convocadas da Seleção para a Copa feminina». Gazeta Esportiva 
  236. «Prudential do Brasil fecha patrocínio inédito à tenista Bia Haddad Maia». maquinadoesporte.com.br. 10 de janeiro de 2023. Consultado em 15 de setembro de 2023 
  237. «O estilo e a praticidade de Bia Haddad: "Gosto de me olhar no espelho e estar bem comigo mesma"». Vogue. 15 de dezembro de 2023. Consultado em 19 de dezembro de 2023 
  238. «Bia Haddad usará joias da Tiffany em Grand Slams e na Olimpíada de Paris». Estadão. Consultado em 19 de dezembro de 2023 
  239. lance. «Bia Haddad Maia usará joias nos grandes torneios». Terra. Consultado em 19 de dezembro de 2023 
  240. «Mônica Bergamo: Bia Haddad será patrocinada pela Bauducco». Folha de S.Paulo. 3 de janeiro de 2024. Consultado em 3 de janeiro de 2024 
  241. «Bia Haddad assina patrocínio com a Bauducco». Tenis News. 4 de janeiro de 2024. Consultado em 4 de janeiro de 2024 
  242. Mensagem, Meio & (12 de janeiro de 2024). «Chevrolet fecha parceria com Bia Haddad». Meio e Mensagem - Marketing, Mídia e Comunicação. Consultado em 12 de janeiro de 2024 
  243. «Bia Haddad fecha novo patrocínio com grande marca». www.lance.com.br. Consultado em 12 de janeiro de 2024 
  244. «Bia Haddad assina parceria com marca de carro antes do Aberto da Austrália». Estadão. Consultado em 12 de janeiro de 2024 
  245. a b «Brasil bate Bolívia com facilidade na Fed Cup». gazetadopovo.com.br. 2 de fevereiro de 2012. Consultado em 6 de maio de 2023 
  246. «Beatriz Haddad Maia vs. Andrea Koch-Benvenuto - Wzajemne mecze» (em polaco). tenislive.pl. 5 de fevereiro de 2015. Consultado em 6 de maio de 2023 
  247. «Brasil bate Colômbia e joga final na Fed Cup neste sábado». cbt-tenis.com.br. 6 de fevereiro de 2015. Consultado em 6 de maio de 2023 
  248. «Fed Cup, Americas Zone Group I» (em inglês). tennistonic.com. 7 de fevereiro de 2015. Consultado em 6 de maio de 2023 
  249. «Bia marca a primeira vitória brasileira na Fed Cup». tenisbrasil.uol.com.br. 7 de fevereiro de 2018. Consultado em 6 de maio de 2023 
  250. «Brasil supera Guatemala e vence segunda na Fed Cup». olimpiadatododia.com.br. 8 de fevereiro de 2018. Consultado em 6 de maio de 2023 
  251. «Catalina Pella vs Beatriz Haddad Maia» (em inglês). matchstat.com. Consultado em 6 de maio de 2023 
  252. «Brasil perde final da Fed Cup e chance de ir ao Mundial». espn.com.br. 11 de fevereiro de 2018. Consultado em 6 de maio de 2023 
  253. «Monica Puig vs. Beatriz Haddad Maia 07.02.2019 - Fed Cup, Group I, Americas - compare» (em inglês). tennislive.net. 7 de fevereiro de 2018. Consultado em 6 de maio de 2023 
  254. «Beatriz Haddad Maia vs. Daniela Seguel 08.02.2019 - Fed Cup, Group I, Americas - compare» (em inglês). tennislive.net. 8 de fevereiro de 2019. Consultado em 6 de maio de 2023 
  255. «Victoria Bosio vs. Beatriz Haddad Maia 08.02.2019 - Fed Cup, Group I, Americas - compare» (em inglês). tennislive.net. 8 de fevereiro de 2019. Consultado em 6 de maio de 2023 
  256. «Beatriz Haddad Maia vs. Veronica Cepede Royg 09.02.2019 - Fed Cup, Group I, Americas - compare» (em inglês). tennislive.net. 9 de fevereiro de 2019. Consultado em 6 de maio de 2023 
  257. «Fed Cup: Viktória Kužmová - Beatriz Haddad Maia» (em eslovaco). sport.aktuality.sk. 20 de abril de 2019. Consultado em 6 de maio de 2023 
  258. Caio Carvalho (21 de abril de 2019). «Bia Haddad dá trabalho, mas perde para Cibulkova e Brasil cai para Eslováquia na Fed Cup». vavel.com. Consultado em 6 de maio de 2023 
  259. «Beatriz Haddad Maia vs. Kirsten-Andrea Weedon 13.04.2022 - Billie Jean King Cup, Group I, Americas - compare» (em inglês). tennislive.net. 13 de abril de 2022. Consultado em 6 de maio de 2023 
  260. «Beatriz Haddad Maia vs. Daniela Seguel 16.04.2022 - Billie Jean King Cup, Group I, Americas - compare» (em inglês). tennislive.net. 16 de abril de 2022. Consultado em 6 de maio de 2023 
  261. «Com Bia Haddad em quadra, Brasil empata com a Argentina nos Playoffs da Billie Jean King Cup». terra.com.br. 11 de novembro de 2022. Consultado em 6 de maio de 2023 
  262. «Billie Jean King Cup: Playoffs» (em inglês). livescore.com. 12 de novembro de 2022. Consultado em 6 de maio de 2023 
  263. «Bia Haddad vence, Laura perde e Brasil empata com Alemanha na Billie Jean King Cup». tribunadonorte.com.br. 14 de abril de 2023. Consultado em 6 de maio de 2023 
  264. «Bia Haddad é surpreendida e Brasil se complica no duelo contra Alemanha na BJK Cup». bolamarela.com. 15 de abril de 2023. Consultado em 6 de maio de 2023 
  265. «Beatriz Haddad Maia Women's Doubles Activity» (em inglês). ITF. Consultado em 6 de maio de 2023 
  266. a b «Brasil supera Argentina na Billie Jean King Cup após batalha de mais de 8 horas». otempo.com.br. 15 de abril de 2022. Consultado em 6 de maio de 2023 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Beatriz Haddad Maia