Brasil nos Jogos Olímpicos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde abril de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Olympic Rings white.svg
Brasil nos Jogos Olímpicos
Comitê Olímpico Nacional (CON)
Código do COI BRA
Nome Comitê Olímpico do Brasil
site oficial
Participações nos Jogos Olímpicos
Verão 19201924192819321936194819521956196019641968197219761980198419881992199620002004200820122016
Inverno 1992199419982002200620102014

A primeira vez do Brasil nos Jogos Olímpicos ocorreu nos Jogos Olímpicos de 1920, em Antuérpia, Bélgica.[1] Participou de cada edição desde então, com exceção dos jogos de 1928, em Amsterdã, na Holanda. Nos Jogos Olímpicos de Inverno, o Brasil estreou em 1992, em Albertville, na França. As participações do país em Jogos Olímpicos totalizam 30 em sua história, sendo 22 na edição de verão, 6 na edição de inverno, uma nos Jogos Olímpicos da Juventude de Verão e uma nos Jogos Olímpicos da Juventude de Inverno.

História nos Jogos Olímpicos de Verão[editar | editar código-fonte]

A primeira participação brasileira em Olimpíadas foi nos Jogos Olímpicos de 1920, em Antuérpia, Bélgica.[nota 1] A delegação era constituída por 22 atletas, todos homens, que conquistaram três medalhas no tiro desportivo, uma de ouro, uma de prata e uma de bronze. Os atletas foram enviados pela Confederação Brasileira de Desportos (CBD).

O primeiro brasileiro a competir nos Jogos Olímpicos, porém, foi Adolphe Christiano Klingelhoeffer, em Paris 1900. Cidadão brasileiro nascido em Paris, filho de um francês com uma brasileira, ele competiu nos 60 m rasos, 200 m rasos e 110 metros com barreiras. Klingelhoeffer não é reconhecido pelo Comitê Olímpico Brasileiro porque em 1900 ainda não existiam comitês olímpicos nacionais.[2]

Em 1924, a CBD passava por uma crise financeira e só com fundos conseguidos pela Federação Paulista de Atletismo conseguiu enviar sua delegação. Em 1928, a crise das bolsas impediu a remessa de atletas. Em 1932, o Brasil teve sua primeira mulher atleta, Maria Lenk.

Em 1935, foi reativado o Comitê Olímpico Brasileiro, fundado inicialmente em 1914. Nos jogos realizados em 1936, a CBD mandou uma delegação e o COB enviou outra. Antes que o Comitê Olímpico Internacional (COI) proibisse a participação do Brasil, ambas as delegações se fundiram. Desde então, o COB organiza e leva os atletas aos Jogos.

Depois de 1920, o Brasil só voltou a ganhar medalhas em 1948, com um bronze do basquete masculino. Na edição seguinte, 1952, voltou a ganhar um ouro com Adhemar Ferreira da Silva no salto triplo do atletismo. Desde então, o país tem conseguido medalhas em todas as edições.

No total, o Brasil conquistou 128 medalhas na história dos jogos olímpicos, todas nas edições de verão. São 30 de ouro, 36 de prata e 62 de bronze, o que o torna o país sul-americano com o melhor retrospecto na história das Olimpíadas da era moderna e o 4º maior ganhador das Américas atrás apenas dos EUA, Canadá e Cuba, respectivamente. Essa posição foi conquistada nos jogos de Atenas, em 2004, quando ultrapassou a sua arquirrival Argentina, que era a primeira colocada na América do Sul até então. É também um dos raros países a ter um atleta que recebeu a Medalha Pierre de Coubertin: Vanderlei Cordeiro de Lima.

Desde que iniciou seu Histórico olímpico, a delegação brasileira enviou milhares de atletas em suas mais de 2 mil vagas olímpicas até o momento. Em 2016, o Rio de Janeiro sedia os Jogos Olímpicos de Verão de 2016, sendo a primeira cidade da América do Sul a sediar o maior evento do esporte mundial. A maior delegação brasileira da história teve 465 atletas em 28 esportes.

História nos Jogos Olímpicos de Inverno[editar | editar código-fonte]

Em sua primeira participação em Albertville em 1992, o país levou 6 homens e 1 mulher, todos competindo no esqui alpino. Quatorze anos depois, em Turim 2006, Isabel Clark, praticante de snowboard, alcançou o melhor resultado histórico de participação brasileira (bem como latino-americana) nos Jogos de Inverno, ficando em nono lugar no snowboard em Turim 2006. A tabela abaixo sintetiza as participações do Brasil nos Jogos de Inverno:[1]

Ano Cidade Atleta Prova Resultado
1992
(Detalhes)
Albertville Evelyn Schuler E.Alpino-Slalom Gigante 40°
Christian Lothar Munder E.Alpino-Slalom Gigante 41°
Sérgio Schuler E.Alpino-Slalom Gigante 64°
Marcelo Apovian E.Alpino-Slalom Gigante 73°
Hans Egger E.Alpino-Slalom Gigante DNF
Flávio Igel E.Alpino-Slalom Gigante DNS
1994
(Detalhes)
Lillehammer Christian Lothar Munder E.Alpino-Super combinado 50°
1998
(Detalhes)
Nagano Marcelo Apovian E.Alpino-Slalom Gigante 37°
2002
(Detalhes)
Salt Lake City Franziska Becskehazy E.Cross country 10 km 59°
Mirella Arnold E.Alpino-Slalom gigante 48°
Alexandre Penna E.Cross country 50 km 59°
Nikolai Hentsch E.Alpino-Slalom gigante DSQ
Renato Mizoguchi Luge 46°
Ricardo Raschini Luge 45°
Brasil Equipe Trenó/4(Bobsleigh) 27°
2006
(Detalhes)
Turim Isabel Clark Snowboard-boardercross
Jaqueline Mourão E.Cross country 10 km 67°
Mirella Arnold E.Alpino-Slalom gigante 43°
Hélio de Freitas E.Cross country 15 km 93°
Nikolai Hentsch E.Alpino-Slalom gigante 30°
E.Alpino-Downhill 43°
Brasil Equipe Trenó/4(Bobsleigh) 25°
2010
(Detalhes)
Vancouver Maya Harrisson E.Alpino-Slalom DNF
E.Alpino-Slalom gigante 48º
Jhonatan Longhi E.Alpino-Slalom DNF
E.Alpino-Slalom gigante 56º
Jaqueline Mourão E.Cross country 10 km 67º
Leandro Ribela E.Cross country 15 km 90º
Isabel Clark Ribeiro Snowboard cross 19º
2014
(Detalhes)
Sóchi
Jaqueline Mourão Biatlo-Velocidade 76°
Biatlo-Individual 77°
Brasil Dupla Trenó/2(Bobsleigh) 19°
Brasil Equipe Trenó/4(Bobsleigh) 29°

Quadros de medalhas[editar | editar código-fonte]

Maiores multimedalhistas[editar | editar código-fonte]

Quinze brasileiros tem 3 ou mais medalhas.

Número Atleta Esporte Anos Edições Gênero Ouro Prata Bronze Total
1 Robert Scheidt Vela 1996–2012 6 M 2 2 1 5
2 Torben Grael Vela 1984–2004 6 M 2 1 2 5
3 Sérgio Dutra Santos Vôlei 2004–2016 4 M 2 2 0 4
4 Gustavo Borges Natação 1992–2004 4 M 0 2 2 4
5 Marcelo Ferreira Vela 1992–2004 4 M 2 0 1 3
6 Bruno Rezende Vôlei 2008–2016 3 M 1 2 0 3
Dante Amaral Vôlei 2000–2012 4 M 1 2 0 3
Gilberto Godoy Filho Vôlei 2000–2012 4 M 1 2 0 3
Rodrigo Santana Vôlei 2004–2012 3 M 1 2 0 3
10 Emanuel Rego Volleyball (beach) pictogram.svg Voleibol de Praia 1996–2012 5 M 1 1 1 3
Ricardo Santos Volleyball (beach) pictogram.svg Voleibol de Praia 2000–2012 4 M 1 1 1 3
12 César Cielo Filho Natação 2008–2012 2 M 1 0 2 3
Hélia Souza Vôlei 1992–2008 5 F 1 0 2 3
Rodrigo Pessoa Hipismo 1992–2012 6 M 1 0 2 3
15 Isaquias Queiroz Canoagem 2016 1 M 0 2 1 3

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

Notas

  1. Pesquisadores atuais descobriram, porém, que o primeiro brasileiro a competir nos Jogos Olímpicos o fez em Paris 1900. Trata-se de Adolphe Christiano Klingelhoeffer, cidadão brasileiro nascido em Paris, filho de um francês com uma brasileira. Ele competiu nos 60 m rasos, 200 m rasos e 110 metros com barreiras. Klingelhoeffer não é reconhecido pelo Comitê Olímpico Brasileiro porque em 1900 ainda não existiam comitês olímpicos nacionais.[2]
  2. Na Olimpíada de Atenas, Vanderlei Cordeiro de Lima recebeu a Medalha Pierre de Coubertin, a mais rara e alta honraria concedida pelo Comitê Olímpico Internacional. Até então fora concedida apenas 29 vezes.
  3. a b c Uma das medalhas no atletismo depende da IAAF ratificar uma decisão do COI de retirar um ouro da Rússia em 2008 por doping.
  4. a b Inclui maratona aquática.

Referências

  1. a b «Olimpíadas de Antuérpia, 1920 - UOL Esporte». olimpiadas.uol.com.br. Consultado em 2016-07-04. 
  2. «Enciclopédia mapeia 1.797 atletas brasileiros que foram a Olimpíadas». Folha de S Paulo. Consultado em 22/02/2015.