Lucas Saatkamp

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Lucas Saatkamp
Informações pessoais
Nome completo Lucas Saatkamp
Apelido Lucão
Modalidade Voleibol
Nascimento 6 de março de 1986 (36 anos)
Colinas, Rio Grande do Sul, Brasil
Nacionalidade brasileiro
Compleição Peso: 110 kg • Altura: 2,09 m
Posição Central
Nível Profissional
Clube Brasil Sada Cruzeiro
Medalhas
Competidor do Brasil
Jogos Olímpicos
Ouro Rio de Janeiro 2016 Equipe
Prata Londres 2012 Equipe
Campeonatos Mundiais
Ouro Itália 2010 Equipe
Prata Polônia 2014 Equipe
Prata Itália/Bulgária 2018 Equipe
Bronze Eslovênia/Polônia 2022 Equipe
Copa do Mundo
Ouro Japão 2019 Equipe
Bronze Japão 2011 Equipe
Liga das Nações
Ouro Rimini 2021 Equipe
Liga Mundial
Ouro Belgrado 2009 Equipe
Ouro Córdoba 2010 Equipe
Prata Gdansk 2011 Equipe
Prata Mar del Plata 2013 Equipe
Prata Florença 2014 Equipe
Prata Cracóvia 2016 Equipe
Prata Curitiba 2017 Equipe
Copa dos Campeões
Ouro Japão 2009 Equipe
Ouro Japão 2013 Equipe
Copa América
Prata Manaus 2007 Equipe
Prata Cuiabá 2008 Equipe
Campeonato Sul-Americano
Ouro Brasília 2021 Equipe
Ouro Colômbia 2009 Equipe

Lucas Saatkamp (Colinas, 6 de março de 1986), também conhecido como Lucão, é um jogador de voleibol indoor brasileiro que atua na posição de central pela seleção brasileira e pelo Sada Cruzeiro.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Clube[editar | editar código-fonte]

Lucão começou sua carreira esportiva praticando basquetebol. Quando estava no primeiro ano do ensino médio, viu sua equipe de basquetebol do Colégio Martin Luther ser extinta e precisou migrar para outro esporte para continuar usufruindo da sua bolsa de estudos; foi quando começou a praticar voleibol.[1] Sem pretensões de ser atleta profissional, Lucão usava o esporte para alcançar os objetivos no estudo. Foi assim no Grêmio Náutico União, onde jogou para conseguir fazer o cursinho pré-vestibular e também na Ulbra, onde pretendia cursar biologia.[2]

Seu primeiro time profissional foi a ULBRA, clube de sua cidade natal, onde jogou por três anos. Em 2007, mudou-se para a cidade de Florianópolis, em Santa Catarina, para atuar no CIMED Florianópolis. Ao lado do levantador Bruninho, foi tricampeão da Superliga e campeão sul-americano de clubes.[3] Em 2010 o gaúcho se transferiu para o Vôlei Futuro onde conquistou o título do Campeonato Paulista e nas duas temporadas seguinte atuou pelo RJX Vôlei.[4] Com a equipe carioca conquistou os títulos do Campeonato Carioca de 2012 e 2013, o terceiro lugar no Campeonato Sul-Americano de Clubes e a Superliga de 2012-13 após vencer na final única, por 3 sets a 1, o atual campeão Sada Cruzeiro.[5][6]

Na temporada seguinte, após uma crise financeira atingir o clube carioca, o central assinou um contrato de dois anos com o SESI-SP, se tornando o jogador mais bem pago da Superliga na referida temporada.[7] Com o clube da capital paulista o central conquistou um título do Campeonato Paulista além de dois vice-campeonatos da Superliga.

Em 2015, Lucão teve sua primeira experiência internacional após assinar contrato com o Modena, time da primeira divisão do Campeonato Italiano. Atuando apenas por uma temporada pelo clube italiano, o central conquistou todos os títulos nacionais possíveis: o Campeonato Italiano de 2015-16, a Copa Itália de 2015-16 e a Supercopa Italiana de 2015.[8]

Em 2016 voltou para o Brasil para representar as cores do SESI-SP pela segunda vez, onde foi vice-campeão da Superliga além dos dois vice-campeonatos da Copa do Brasil nas duas temporadas subsequentes em que atuou pelo clube. Em 2018 se transferiu para o Taubaté. Pela equipe do Vale do Paraíba, sagrou-se campeão do Troféu Super Vôlei de 2020, da Supercopa de 2020 e das Superligas de 2018-19 e 2020-21, totalizando seis troféus nacionais em seu currículo.[2]

Na temporada 2021-22 foi campeão do Campeonato Paulista e ficou com o vice-campeonato da Copa do Brasil após derrota para o Minas Tênis Clube por 3 sets a 0. No final da temporada, o central já havia acertado um acordo de transferência para vestir a camisa do Sada Cruzeiro pela primeira vez em sua carreira.[9] Em 2022, foi anunciado oficialmente pela equipe de Minas Gerais.[10]

Seleção[editar | editar código-fonte]

Pelas categorias de base, Lucão foi vice-campeão do Campeonato Mundial Sub-21 de 2005, após perder a disputa do título para a seleção russa por 3 sets a 0. Estreou na seleção adulta brasileira pela Copa América de 2017, onde foi vice-campeão e premiado como melhor sacador do torneio.

Em 2009 subiu no lugar mais alto do pódio pela primeira vez na Liga Mundial, além do título Sul-Americano e da Copa dos Campeões. No ano seguinte conquistou o último título da seleção pela Liga Mundial, após vitória sobre a seleção russa. Em outubro do mesmo ano, se sagrou campeão mundial após vencer a seleção cubana por 3 sets a 0, marcando 6 pontos na final única do Campeonato Mundial de 2010. No ano seguinte conquistou novamente mais um título Sul-Americano, o vice-campeonato da Liga Mundial e o terceiro lugar na Copa do Mundo.

Em 2012, fez sua estreia em Jogos Olímpicos, ficando com a medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Londres após derrota para a seleção russa por 3 sets a 2. Em 2013 amargurou mais um vice-campeonato da Liga Mundial após derrota para a seleção russa. No mesmo voltou a conquistar mais um título do Campeonato Sul-Americano e da Copa dos Campeões. No ano seguinte o central foi vice-campeão na 25ª edição da Liga Mundial e da 18ª edição do Campeonato Mundial, realizado na Polônia. Em 2015 conquista novamente mais um título do Campeonato Sul-Americano.

Em 2016, viu a chance de conquistar mais um título da Liga Mundial ser desperdiçada após sofrer uma derrota por 3 a 0 para a seleção da Sérvia.

Lucão em partida contra a França nos Jogos Olímpicos de 2016.

Nos Jogos Olímpicos do Rio se sagrou campeão olímpico derrotando a seleção italiana na final, marcando 7 pontos sendo 6 de ataque de 1 de bloqueio.[11] Em 2017, na última edição da Liga Mundial, realizado em Curitiba, foi derrotado pela seleção francesa e novamente ficou com a medalha de prata. Completou o ano levantando as taças do Campeonato Sul-Americano e da Copa dos Campeões.

Em 2018, ficou em quarto lugar na Liga das Nações após perder a disputa pela medalha de bronze para a seleção norte-americana. Em setembro do mesmo ano foi novamente vice-campeão mundial após ser derrotado pela seleção polonêsa no Campeonato Mundial, sendo premiado como um dos melhores centrais do torneio. No ano seguinte voltou a perder a disputa pela medalha de bronze, na segunda edição da Liga das Nações, para a seleção polonesa. Logo após, participou do Torneio Hubert Jerzeg Wagner, torneio amistoso anual sediado na Polônia. Na ocasião, a seleção brasileira venceu a seleção finlandesa, sérvia e a seleção anfitriã e conquistou o torneio. No final do mesmo ano conquistou a Copa do Mundo após vencer todas as 11 partidas disputadas.

Em 2021 conquistou o único título que faltava para a seleção brasileira. Após perder o primeiro set por 25 a 22, fechou o placar em 3 sets a 1, marcando 7 pontos na partida e levantou a taça da Liga das Nações de 2021. Em sua terceira participação olímpica, não subiu ao pódio pela primeira vez ao ser derrotado pela seleção argentina na disputa da medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Tóquio.[12] Em setembro do mesmo ano sagrou-se campeão do Campeonato Sul-Americano pela sexta vez em sua carreira.

Em 2022 conquistou a inédita medalha de bronze com a seleção brasileira ao derrotar a seleção eslovena por 3 sets a 1.[13]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Lucas Saatkamp é casado com Beatriz Casagrande com quem tem dois filhos: Théo e Maya.[14] Bruninho, seu companheiro de quadras, é padrinho de Théo, que nasceu em 2016.[15][16]

No futebol, Lucão torce para o Grêmio.[17]

Clubes[editar | editar código-fonte]

Anos Clube
2004–2007 Brasil Ulbra
2007–2009 Brasil Cimed Florianópolis
2009–2010 Brasil Vôlei Futuro
2011–2013 Brasil RJX Vôlei
2013–2015 Brasil Sesi-SP
2015–2016 Itália Modena
2016–2018 Brasil Sesi-SP
2018–2021 Brasil Funvic Taubaté
2021–2022 Brasil Vôlei Renata
2022– Brasil Sada Cruzeiro

Títulos[editar | editar código-fonte]

Cimed Florianópolis

Gold medal southamerica.svg Campeonato Sul-Americano: 2009

Brasil Campeonato Brasileiro: 2007-08, 2008-09, 2009-10

Santa Catarina Campeonato Catarinense: 2009, 2010

Vôlei Futuro

São Paulo Campeonato Paulista: 2010

RJX

Brasil Campeonato Brasileiro: 2012-13

Rio de Janeiro Campeonato Carioca: 2011, 2012

SESI-SP

São Paulo Campeonato Paulista: 2013

Modena

Scudetto.svg Campeonato Italiano: 2015-16

Coccarda Coppa Italia.svg Copa Itália: 2015-16

Supercoppa italiana di pallavolo maschile.svg Supercopa Italiana: 2015

Funvic Taubaté

Brasil Campeonato Brasileiro: 2018-19

São Paulo Campeonato Paulista: 2020

Brasil Supercopa Brasileira 2020

Trófeu.png Troféu Super Vôlei: 2020

Vôlei Renata

São Paulo Campeonato Paulista: 2021

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Lucão». COB. Consultado em 6 de abril de 2022 
  2. a b «"O voleibol mudou minha vida"». Consultado em 6 de abril de 2022 
  3. «Lucas Saatkamp (Lucão)». Olimpiada Todo Dia. Consultado em 6 de abril de 2022 
  4. «Lucão, um 'gigante' a serviço do RJX». 8 de março de 2013. Consultado em 14 de setembro de 2014 
  5. «Recém-chegado, Bruninho já levanta 1º título pelo Rio de Janeiro, bi carioca». ge.globo. Consultado em 2 de abril de 2022 
  6. «RJX vence o Sada Cruzeiro e conquista o título da Superliga Masculina de Vôlei 2012/13». surtoolimpico. Consultado em 2 de abril de 2022 
  7. «Lucão deixa Rio de Janeiro e assina contrato milionário com Sesi por dois anos». Super Esportes. Consultado em 6 de abril de 2022 
  8. «Saatkamp Lucas» (em italiano). Consultado em 6 de abril de 2022 
  9. «Lucão a caminho do Sada Cruzeiro na próxima temporada». Consultado em 6 de abril de 2022 
  10. «Cruzeiro anuncia a contratação do campeão olímpico Lucão». ge. Consultado em 30 de maio de 2022 
  11. «Rio-2016: campanha do Brasil na conquista do ouro no vôlei masculino». ISTOÉ Independente. 21 de agosto de 2016. Consultado em 31 de janeiro de 2021 
  12. «Olimpíadas: Argentina bate o Brasil por 3 a 2 e conquista o bronze no vôlei masculino». ge.globo. Consultado em 3 de abril de 2022 
  13. «Brasil vence a Eslovênia e leva o bronze inédito no Mundial». Ge.globo. 11 de setembro de 2022. Consultado em 11 de setembro de 2022 
  14. «Nasce o primeiro filho do jogador Lucão». CARAS. Consultado em 5 de outubro de 2021 
  15. «Lucão, da Seleção de vôlei, comemora nascimento de filho». Gazeta Esportiva. Consultado em 3 de abril de 2022 
  16. «Batizado do Théo, primeiro filho do casal Bia e Lucão». Consultado em 3 de abril de 2022 
  17. «Música, chinelos e Grêmio: campeão Lucão revela gostos longe da rede». ge.globo. Consultado em 6 de abril de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Lucas Saatkamp