Interpretação alegórica da Bíblia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde junho de 2014). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A interpretação alegórica da Bíblia, é a abordagem que atribui uma interpretação mais-que-literal ao conteúdo de um texto (por exemplo, Bíblia). É partir do pressuposto que o autor quis dizer mais do que escreveu.

O método tem suas origens tanto no pensamento grego (que tentavam evitar a interpretação literal dos antigos mitos gregos) quanto na literatura rabínica de Israel, a exemplo da exegese judaica Pardes. O autor pré-cristão Fílon de Alexandria refere-se expressamente a sua utilização pelos seus antecessores e usa-se a descobrir indícios de diferentes doutrinas da filosofia nas histórias do Pentateuco. Os vestígios das interpretações alegóricas e tipológicas podem ser encontrados mais tarde no Novo Testamento, mas são desenvolvidos na epístola de Barnabé e especialmente em Orígenes. A interpretação escritural cristã historicamente pode ser referida como Quadriga, em que o método de interpretação alegórico é chamado de tipológico.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Teologia ou sobre um teólogo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.