Isaac Israëls

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Isaac Israëls
Auto-retrato, 1919[1]
Nome completo Isaac Lazarus Israëls
Nascimento 3 de fevereiro de 1865
Amsterdã, Holanda
Morte 7 de outubro de 1934 (69 anos)
Haia, Holanda
Nacionalidade neerlandês
Área Pintura
Movimento(s) Impressionismo
Patronos Jozef Israëls

Isaac Lazarus Israëls (Amsterdã, 3 de fevereiro de 1865Haia, 7 de outubro de 1934) foi um pintor holandês. Fazia parte do movimento impressionista de Amsterdã.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Isaac nasceu em Amsterdã, em 1865, filho do também pintor Jozef Israëls, um dos mais respeitados pintores da Escola de Haia e de sua esposa, Aleida Schaap. Desde criança, Isaac começou a demonstrar talento para as artes, em especial pela pintura, especialmente por influência do pai.[2]

Entre 1880 e 1882, estudou na Royal Academy of Art, uma renomada academia de arte em Haia. Lá conheceu George Hendrik Breitner, pintor e fotógrafo holandês, de quem ficou amigo por toda a vida. Em 1881, aos 16 anos, vendeu sua primeira pintura, Bugle Practice, antes mesmo de terminá-la, para o pintor e colecionador de arte, Hendrik Willem Mesdag.[3] Dois retratos feitos no mesmo ano de sua avó e de uma amiga da família, são indícios de sua técnica e arte desde muito cedo.[4][5]

Carreira[editar | editar código-fonte]

A partir de 1878, Isaac esteve presente no Salon de Paris, especialmente com seu pai e em 1882 estreou na exposição com o quadro Military Burial.[6] Na exposição de 1885, recebeu menção honrosa por seu quadro Transport of Colonial Soldiers.[7] Viajou muito nessa época, em especial depois do triunfo no Salão de Paris.[2]

No começo de 1886, ele se estabeleceu em Amsterdã e se matriculou na Academia Real de Belas Artes, junto de seu amigo Breitner, para continuar seus estudos. Os dois gradualmente largaram a faculdade de maneira a circular por meios mais progressivos, como os Tachtigers, um movimento de inovadores e influentes artistas que iniciaram um movimento de renovação artístico na Holanda.[2] Inspirado pela filosofia dos Tachtigers, Isaac se tornou o pintor das ruas, dos cafés, dos cabarés e das pessoas comuns de Amsterdã.[2]

Isaac se mudou para Paris em 1904, onde abriu um estúdio na rue Alfred Stevens, número 10, próximo ao Montmartre, reduto da boemia e dos artistas tanto da França quanto do resto da Europa. Seu estúdio era perto do estúdio de Henri de Toulouse-Lautrec, cujo trabalho Isaac admirava.[2]

Com a eclosão da Primeira Guerra Mundial, ele se mudou para Londres, onde encontrou novas inspirações para pintura, como bailarinas e lutadores de boxe. Voltou para a Holanda durante a guerra, alternando sua residência em Haia e Amsterdã, produzindo principalmente retratos neste período. Uma de suas retratadas era Margaretha Gertruida Zelle, melhor conhecida como Mata Hari. Outras foram Johanna van Gogh-Bonger e a médica holandesa e ativista do sufrágio feminino, Aletta Jacobs.[2]

Passou o período entre 1921 e 1922 viajando pela Índia, pintando, desenhando e retratando a vida vibrante e colorida do Sudeste Asiático. Ao retornar para a Europa, se estabeleceu em Haia, na casa dos pais, já falecidos, onde morou o resto da vida, com viagens esporádicas pelas capitais mais agitadas culturalmente.[2]

Aos 63 anos ganhou a Medalha de Ouro nos Jogos Olímpicos de Verão de 1928 com seu quadro Red Rider, quando a pintura era considerada um esporte olímpico.[8]

Morte[editar | editar código-fonte]

Isaac morreu em Haia em 7 de outubro de 1934, aos 69 anos, em decorrências de lesões causadas por um acidente alguns dias antes. Deixou a esposa, Sophie de Vries.[9]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Isaac Israels and Raden Mas Jodjana: an East Indian friendship». CODART. Consultado em 2 de julho de 2019 
  2. a b c d e f g «Isaac Israels (1865-1934)». Alon Zakaim. Consultado em 2 de julho de 2019 
  3. «Bugle Practice». Netherlands Institute for Art History. Consultado em 2 de julho de 2019 
  4. «Portrait of Mrs. Schaap-Hymans». Netherlands Institute for Art History. Consultado em 2 de julho de 2019 
  5. «Portrait of Nanette Enthoven». Netherlands Institute for Art History. Consultado em 2 de julho de 2019 
  6. «Military Burial». Netherlands Institute for Art History. Consultado em 2 de julho de 2019 
  7. «Transport of Colonial Soldiers». Netherlands Institute for Art History. Consultado em 2 de julho de 2019 
  8. Heijmans, Jeroen. «The first two Gold Medals won by Holland in the 1928 Olympic Games were won not in the Olympic Stadium but in the Stedelijk Museum». sportgeschiedenis.nl. Consultado em 18 de maio de 2012. Arquivado do original em 8 de maio de 2014 
  9. «BIOGRAPHY - Isaac Israels (1865 - 1934)». REHS Galleries. Consultado em 2 de setembro de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Isaac Israëls