Jerry Cantrell

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jerry Cantrell
Jerry Cantrell 10.jpg
Jerry Cantrell em 2010
Informação geral
Nome completo Jerry Fulton Cantrell Jr.
Nascimento 18 de março de 1966 (51 anos)
Origem Tacoma, Washington
País Estados Unidos Flag of the United States.svg
Gênero(s) Metal alternativo
Grunge
Heavy metal
Hard rock
Instrumento(s) Vocal
Guitarra
Modelos de instrumentos G&L
Dean
Gibson Les Paul
Período em atividade 1985 - presente
Gravadora(s) Columbia Records
Sony Music
Afiliação(ões) Alice in Chains
Diamond Lie
Heart
Pearl Jam
Cardboard Vampyres
Metallica
Danzig
Ozzy Osbourne
Deftones
Página oficial Jerry Cantrell.com

Jerry Fulton Cantrell Jr. (Tacoma, 18 de março de 1966) é um músico americano conhecido como fundador, guitarrista, co-vocalista e principal compositor da banda Alice in Chains, que ganhou fama no início dos anos 90 durante o movimento grunge de Seattle, mas a banda se diferenciava das demais pelo som com influência do heavy metal e hard rock, e pelas harmonias vocais entre Cantrell e Layne Staley. Após a morte de Staley em 2002, Cantrell assumiu o posto de vocalista principal no primeiro álbum do Alice in Chains sem Staley, Black Gives Way to Blue, lançado em 2009, onde dividia os vocais com William DuVall. Cantrell também tem uma carreira solo e lançou os álbuns Boggy Depot (1998), Degradation Trip (2002) e Degradation Trip Volumes 1 & 2 (2002).

Em 2006, a revista britânica Metal Hammer premiou Cantrell com o título de "Riff Lord" (Senhor dos Riffs). Cantrell também tocou com as bandas Heart, Ozzy Osbourne, Metallica, Pearl Jam, Deftones, Danzig, Metal Church, Damageplan e Gov't Mule.

Cantrell também teve pequenas participações como ator nos filmes Jerry Maguire de 1996 e Rock Slyde de 2009. Além de atuar em dois mocumentários do Alice in Chains: The Nona Tapes de 1995 e AIC 23 de 2013.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido Jerry Fulton Cantrell Jr., ficou famoso como guitarrista, vocalista (em dueto com Layne Staley) e letrista da banda Alice in Chains. Sendo provavelmente o mais técnico dos guitarristas de Seattle de sua geração, Cantrell tem preferência por guitarras da G&L, Dean e Gibson Les Paul e amplificadores Bogner. O som encorpado e pesado marca seu estilo de base, porém, mostra bastante refinamento nas sonoridades leves.

Cantrell nasceu em Tacoma, Washington em 18 de março de 1966, filho de Gloria Jean Krumpos e Jerry Fulton Cantrell.[1] Ele é o mais velho de três irmãos e tem um irmão chamado David e uma irmã chamada Cheri.[2]

Os pais de Cantrell se divorciaram quando ele tinha sete anos, e ele foi criado pela mãe e pela avó materna, Dorothy Krumpos, que morreu de câncer em Outubro de 1986.[3] A mãe de Cantrell morreu de câncer no pâncreas aos 43 anos em 11 de Abril de 1987, quando Cantrell tinha 21 anos.[3][4] Amigos de Cantrell comentaram que ele caiu em depressão e se transformou em uma pessoa totalmente diferente após perder a mãe e a avó num curto espaço de tempo.[3]

Em 1985, Cantrell se mudou para Dallas para formar uma banda com alguns amigos e trabalhou na loja Arnold and Morgan Music Company.[5] Durante esse período, ele teve uma banda com Vinnie Chas (da banda Pretty Boy Floyd), chamada Sinister. Mais tarde eles formaram a banda Raze.[6]

Em 1986, Cantrell fundou a banda Diamond Lie, que contava com Scott Damon como vocalista, Bobby Nesbitt como baterista e Matt Muasau como baixista.[3] A banda começou a fazer shows em Tacoma e Seattle com o objetivo de obter um contrato com uma gravadora e também gravou uma demo de quatro músicas no London Bridge Studio.[3] Três semanas após a morte da mãe de Cantrel em 11 de Abril de 1987, ele assistiu ao show da banda de glam metal Alice 'N Chains em sua cidade natal no Tacoma Little Theatre.[7][3] Diamond Lie fez o seu último show em Julho de 1987.[3]

Alice in Chains[editar | editar código-fonte]

Cantrell conheceu Layne Staley, então-vocalista da banda Alice 'N Chains, numa festa em Seattle por volta de Agosto de 1987.[3] Cantrell não tinha onde morar após ser expulso de casa,[8] então Staley o convidou paea morar com ele no galpão de ensaios “Music Bank”. Pouco tempo depois de Cantrell ter se mudado para o Music Bank, a banda de Staley, Alice 'N Chains se separou.[9]

Cantrell queria formar uma nova banda, então Staley deu a ele o número do telefone de Melinda Starr, namorada do baterista Sean Kinney, para que Cantrell pudesse falar com ele.[3] Cantrell ligou para o número e marcou um encontro com Kinney.[3] Kinney e sua namorada foram para o Music Bank e ouviram as demos de Cantrell. Cantrell mencionou que eles precisavam de um baixista para tocar com eles e ele já tinha alguém em mente: Mike Starr, com quem Cantrell já havia tocado em uma banda chamada Gypsy Rose.[3] Kinney apontou para sua namorada e disse para Cantrell que ela era irmã de Mike Starr, e que ele e Starr tocavam juntos em bandas desde quando eram crianças.[3] Kinney chamou Starr e poucos dias depois ele começou a tocar com Kinney e Cantrell no Music Bank, mas eles ainda não tinham um vocalista.[3][9]

Staley já estava começando uma nova banda, mas Cantrell, Starr e Kinney queriam que ele fosse vocalista da banda deles, então eles começaram a fazer testes com péssimos cantores na frente de Staley, para que ele entendesse a dica.[10][9] Staley ficava irritado com isso, e a última gota para ele foi quando eles fizeram um teste com um stripper - Staley decidiu se juntar a banda depois disso.[10] Staley concordou em se juntar a banda sob a condição de que Cantrell participasse de sua banda funk. A banda funk de Staley acabou logo depois e ele se juntou a banda de Cantrell em tempo integral.[3] A banda teve nomes como "Mothra", "Fuck" e "Diamond Lie",[10][11] o último sendo o nome da banda anterior de Cantrell. Diamond Lie ganhou atenção em Seattle e assumiu o nome da antiga banda de Staley, Alice 'N Chains, logo adaptando o nome para Alice in Chains.[12]

O álbum de estréia da banda, Facelift, foi lançado em 1990 e deu início a uma carreira consagrada de muito sucesso. Jerry sempre foi uma peça chave na banda (considerado o "cabeça" dela), principalmente nas composições.

A partir de 1993, mesmo com a grande sucesso da banda, as atividades desta foram diminuindo, devido aos problemas com drogas do vocalista Layne Staley. A banda fez seu último show com Staley em Julho de 1996. Em 1998, o Alice in Chains se reúne para gravar duas músicas inéditas ("Get Born Again" e "Died"), o que não ocorria há três anos. O resultado pode ser conferido na caixa de CDs Music Bank, lançada em 1999.

Após a morte de Staley em abril de 2002, Cantrell anunciou o fim da banda.[13]

Em 2005 a banda se reuniu para um show beneficente em Seattle em apoio as vítimas do tsunami que atingiu o sul da Ásia em 2004.[14] A banda contava com a partipação de vários cantores assumindo os vocais no lugar de Staley.[14] Em 2006 a banda fez uma turnê pelos Estados Unidos, Europa e Japão com William DuVall como novo vocalista.[15] DuVall havia participado da turnê do álbum Degradation Trip de Cantrell fazendo backing vocals. Cantrell explicou a reunião da banda dizendo que eles queriam celebrar o que eles haviam feito e celebrar a memória do amigo [Layne Staley].[16]

O novo Alice in Chains entrou em estúdio em 29 de setembro de 2008. O novo álbum, intitulado Black Gives Way to Blue, foi o primeiro álbum da banda em 14 anos e também o primeiro sem Layne Staley. Cantrell assumiu o posto de principal vocalista no álbum, com DuVall fazendo apenas dueto com ele. Em 2013 a banda lançou o álbum The Devil Put Dinosaurs Here.

Carreira solo[editar | editar código-fonte]

Após um tempo de inatividade do Alice in Chains, Jerry resolve gravar um álbum solo, e em abril de 1998 é lançado Boggy Depot, produzido pelo próprio Jerry e Toby Wright, que já havia trabalhado nos três álbuns anteriores do Alice in Chains. Jerry contou com as participações de seus companheiros de AIC, o baixista Mike Inez e o baterista Sean Kinney, além dos baixistas Rex Brown (Pantera) e Les Claypool (Primus).

Boggy Depot foi razoavelmente bem sucedido e agradou aos fãs do Alice in Chains, tanto que alguns o consideram um álbum perdido do grupo. As faixas "Cut You In", "My Song" e "Dickeye" foram lançadas como singles. "Cut You In" atingiu a 5ª posição do ranking Mainstream Rock Tracks da Billboard,[17] e "My Song" alcançou a 6ª posição.[17] Em seguida ao seu lançamento, Jerry percorreu os EUA fazendo o show de abertura para a turnê do álbum ReLoad do Metallica.

Cantrell em 1992

Depois disso, Jerry começa a compor material para o seu segundo disco. Em 2002 ele já possui pronta uma quantidade de músicas suficiente para o lançamento de um disco duplo, mas a Columbia acaba rejeitando a idéia. Jerry assina então contrato com a Roadrunner, lançando "Degradation Trip" logo em seguida. O álbum possui duas edições, uma single e uma dupla, e foi dedicado ao amigo e ex-companheiro de banda, Layne Staley,[18] que morrera em abril daquele ano. As faixas "Anger Rising" e "Angel Eyes" foram lançadas como singles. "Anger Rising" atingiu a 10ª posição do ranking Mainstream Rock Tracks da Billboard.[17]

Ainda em 2002, Jerry participa com a música She Was My Girl da trilha sonora do filme Homem-Aranha, dirigido por Sam Raimi. O disco conta ainda com Pete Yorn, Hives e The Strokes. No começo de 2003, Jerry entrou em turnê pelos EUA com o Udora (ex-Diesel, banda de Minas Gerais) abrindo seus shows.

Em Novembro de 2014, durante uma entrevista na rádio 95,5 KLOS, Cantrell foi questionado se ele tinha algum plano de fazer um novo trabalho solo, ao qual ele respondeu: "Eu não sei. Talvez mais pra frente. O motivo pelo qual eu fiz qualquer coisa por conta própria foi porque minha banda não estava fazendo nada. Minha banda tem feito coisas ultimamente, então eu realmente não tenho tempo para fazer nada. Eu foco minha energia lá [na banda].[19]

Em Fevereiro de 2017, Cantrell lançou sua primeira canção solo em 15 anos, "A Job To Do", a música de encerramento do filme John Wick: Chapter Two. Cantrell escreveu a letra sob o ponto de vista do personagem-título interpretado por Keanu Reeves.[20][21]

Vida Pessoal[editar | editar código-fonte]

O pai de Cantrell, o Sr. Jerry, é um veterano de combate da Guerra do Vietnã. Ele foi o principal tema da canção "Rooster", que Cantrell escreveu em homenagem à seu pai. A primeira lembrança de infância de Jerry é o encontro com seu pai pela primeira vez, quando ele havia retornado da guerra. Devido ao esforço da guerra, seus pais se divorciaram e Jerry viveu com sua mãe, Gloria.

A mãe de Cantrell, Gloria Jean Cantrell, morreu em 1987. Seu amigo Andrew Wood (vocalista da banda Mother Love Bone), morreu em 1990, levando Jerry a escrever a música "Would?" para o segundo álbum do Alice In Chains, Dirt, em memória de seu amigo. Ele também dedicou o álbum de estréia, Facelift, para Wood, assim como para sua falecida mãe.

Cantrell descreveu o antigo companheiro de banda no Alice in Chains, Layne Staley, como seu melhor amigo.[22][23] Cantrell adotou a gata siamesa de Staley, Sadie, após a morte do amigo em abril de 2002. A gata aparece num episódio da série MTV Cribs, que foi gravada no rancho de Cantrell em Oklahoma, em Setembro de 2002.[24] Sadie faleceu na mesma noite que o Alice in Chains fazia um show um Seattle, em 8 de Outubro de 2010. Ela tinha 18 anos.[25][26] Cantrell compôs a canção "Black Gives Way to Blue" em tributo a Staley.[27] A faixa faz parte do álbum de mesmo nome do Alice in Chains lançado em 2009, o primeiro da banda sem Staley.[27] Em entrevista para a Metal Hammer em 2016, Cantrell revelou que ainda é muito difícil para ele ouvir essa música.[28] Ele também dedicou o álbum para Staley nas notas de agradecimento.[29]

Após residir em Seattle durante muitos anos, Cantrell se mudou para Los Angeles, Califórnia, em meados de 2003, época em que ele tinha parado seu uso de drogas pesadas. A peculiaridade desta transição seria expressada na canção "Check My Brain" de 2009. Cantrell também gasta seu tempo no rancho de sua família em Oklahoma, que uma vez foi destaque em um episódio da série MTV Cribs em 2002.[24]

Jerry Cantrell é coproprietário de um bar de Hard Rock com Scott Ian (Anthrax) em Las Vegas, chamado Dead Man's Hand.

Reconhecimento[editar | editar código-fonte]

Cantrell e Slash em 2008

Em julho de 2006, a revista britânica de Hard Rock & Metal, Metal Hammer, premiou Cantrell com o título de Riff Lord (Senhor dos Riffs), em seu show anual, o Golden Gods Awards, realizada no teatro London Astoria. Ele estava aparentemente emocionado com a conquista do título, ao longo de vários artistas famosos, como Slash, James Hetfield, e Jimmy Page foram consagrados com o prêmio.[30]

Cantrell estava na posição 38º dos 100 Maiores Guitarristas Heavy Metal de Todos os Tempos pela Guitar World[31] e, em 2012 foi classificado como 37º dos 100 Maiores Guitarristas de Todos os Tempo também pela Guitar World.[32]

Técnica[editar | editar código-fonte]

As primeiras influências de Cantrell fez o Alice In Chains ter sua pegada Heavy Metal e se destacar entre as suas bandas companheiras do Movimento Grunge, sendo diferente das demais bandas, que eram alternativas, orientadas para o Rock da cena musical de Seattle.

No entanto, sua gama musical também se estende para os elementos do Blues e do Country como é ouvido em seu primeiro álbum solo. A guitarra de Cantrell é conhecida por seu uso exclusivo do pedal wah, bem como compassos ímpares. Em uma entrevista de 1998, com Guitar World, ele foi questionado sobre a última qualidade:

"Eu realmente não sei de onde isso vem, ele só vem naturalmente para mim, eu poderia sentar e descobrir isso, mas de que adianta? Coisas fora de tempo são mais emocionantes - pega as pessoas de surpresa quando você muda de marcha antes mesmo de saber o que diabos tocar. Também é eficaz quando você desacelera algo para baixo e em seguida, bate numa na colisão. Um monte de coisas do Alice está escrito dessa maneira - 'Them Bones' é uma grande canção fora de tempo."

Carreira[editar | editar código-fonte]

Jerry Cantrell em 2006.

Discografia solo[editar | editar código-fonte]

Com Alice in Chains[editar | editar código-fonte]

Com Ozzy Osbourne[editar | editar código-fonte]

Outras aparições[editar | editar código-fonte]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Ano Título Papel Notas
1992 Singles Ele mesmo
1995 The Nona Tapes Nona Weisbaum / Ele mesmo Curta-metragem
1996 Jerry Maguire Jesus of CopyMat
2009 Rock Slyde Jerry
2013 AIC 23 Donnie "Skeeter" Dollarhide Jr. Curta-metragem

Referências

  1. «Kitsap County Auditor, Marriage Records, 1860-2014 - Jerry Fulton Cantrell - Gloria Jean Krumpos». Washington State Archives. Consultado em 1 de setembro de 2017 
  2. «Alice In Chains - Brother - Jerry Cantrell Builds A Bridge». U of Music. 10 de junho de 2016. Consultado em 1 de setembro de 2017 
  3. a b c d e f g h i j k l m n «Alice in Chains: The Untold Story». Consultado em 1 de setembro de 2017 
  4. Weingarten, Marc (Junho de 1998). «Unchained». Guitar World. Consultado em 1 de setembro de 2017. Arquivado do original em 31 de julho de 2009 
  5. «Jerry Cantrell: Facelift». Guitar World. 5 de janeiro de 2010. Consultado em 1 de setembro de 2017 
  6. «Interview: Vinnie Chas (Pretty Boy Floyd)». RockEyez. Consultado em 1 de setembro de 2017 
  7. «Intimate interview with Alice in Chains». 20 de abril de 2017. Consultado em 1 de setembro de 2017 
  8. Wiederhorn, Jon (8 de fevereiro de 1996). «Alice in Chains: To Hell and Back». Rolling Stone. Consultado em 1 de setembro de 2017. Cópia arquivada em 5 de abril de 2013 
  9. a b c «A Tour Of Seattle During The Glory Days Of Grunge». Uproxx. 9 de julho de 2016. Consultado em 1 de setembro de 2017 
  10. a b c «Interview Alice In Chains - Jerry Cantrell and Sean Kinney about Layne Staley». YouTube. 12 de janeiro de 2010. Consultado em 1 de setembro de 2017 
  11. «Diamond Lie Press Kit». Consultado em 1 de setembro de 2017 
  12. Kleidermacher, Mordechai (julho de 1990). «Link With Brutality». Circus magazine 
  13. Christopher, Michael. Degradation Trip: An Interview with Jerry Cantrell PopMatters (26 de dezembro de 2002)
  14. a b Hay, Travis (21 de fevereiro de 2005). «Alice in Chains owns stage in tsunami-relief show full of surprises». Seattlepi.com. Consultado em 1 de setembro de 2017 
  15. «Metallica man joins Alice in Chains». Rolling Stone. 9 de junho de 2006. Consultado em 1 de setembro de 2017. Arquivado do original em 20 de novembro de 2007 
  16. Harris, Chris (23 de fevereiro de 2006). «Remaining Alice In Chains Members Reuniting For Summer Gigs». MTV. Consultado em 1 de setembro de 2017. Cópia arquivada em 18 de dezembro de 2007 
  17. a b c «Jerry Cantrell Chart History». Billboard. Consultado em 20 de agosto de 2017 
  18. Jerry Cantrell ‎– Degradation Trip
  19. «Jerry Cantrell takes over the KLOS airwaves with Melissa Maxx PT 2». YouTube. 14 de novembro de 2014. Consultado em 1 de setembro de 2017 
  20. «Jerry Cantrell Shares 'A Job To Do' From 'John Wick' Sequel». Billboard. 9 de fevereiro de 2017. Consultado em 1 de setembro de 2017 
  21. «Listen To ALICE IN CHAINS Guitarist JERRY CANTRELL's New Solo Song 'A Job To Do'». Blabbermouth. 9 de fevereiro de 2017. Consultado em 1 de setembro de 2017 
  22. «Jerry Cantrell abre o jogo sobre Layne Staley (1995)». Consultado em 1 de setembro de 2017 
  23. «Alice in Chains: We need to say goodbye to Layne». Consultado em 1 de setembro de 2017 
  24. a b «No Rancho de Jerry Cantrell (2002)». Consultado em 20 de julho de 2017 
  25. «ALICE IN CHAINS: Layne Staley's Cat Sadie Passes Away». SMN News. 15 de outubro de 2010. Consultado em 20 de julho de 2017 
  26. «Layne Staley's Cat Passes Away». Alternative Nation. 19 de outubro de 2010. Consultado em 20 de julho de 2017 
  27. a b «Interview: Jerry Cantrell Discusses Alice in Chain's 2009 Comeback 'Black Gives Way to Blue'». Guitar World. 10 de janeiro de 2013. Consultado em 21 de agosto de 2017 
  28. «Jerry Cantrell recalls Alice In Chains goodbye to Layne Staley». Metal Hammer. 16 de julho de 2017. Consultado em 17 de junho de 2017 
  29. «Encarte: Alice in Chains - Black Gives Way To Blue». Consultado em 21 de agosto de 2017 
  30. «Golden Gods Awards Winners». Metal Hammer Magazine. Consultado em 7 de julho de 2017. Arquivado do original em 9 de dezembro de 2006 
  31. «Guitar World's 100 Greatest Heavy Metal Guitarists of All Time». Blabbermouth. 23 de janeiro de 2004. Consultado em 7 de julho de 2017. Cópia arquivada em 5 de setembro de 2013 
  32. «The 100 Greatest Guitarists of All Time». Guitar World. 10 de outubro de 2012. Consultado em 7 de julho de 2017. Cópia arquivada em 25 de outubro de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Jerry Cantrell