João Batista Gonçalves Campos, visconde de Jari

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura por padre e ativista político homônimo, veja João Batista Gonçalves Campos.


João Batista Gonçalves Campos, visconde de Jari
Nascimento 10 de maio de 1814
Pará
Morte 17 de maio de 1890 (76 anos)
Cidadania Brasil
Ocupação político, juiz
Prêmios Cavaleiro da Ordem de Cristo

João Batista Gonçalves Campos,[1] primeiro e único barão e visconde com honras de grandeza de Jari, (Província do Pará, 10 de maio de 1814Rio de Janeiro, 17 de maio de 1890) foi um magistrado brasileiro.[2]

Filho de Faustino Gonçalves Campos e de Josefa Joaquina Gonçalves Campos, formou-se na Faculdade de Direito de Olinda, em 1840. Foi juiz em diversos tribunais, até se aposentar ministro do Supremo Tribunal de Justiça. Foi chefe de polícia do Pará de 1855 a 1857.[3]

Foi também presidente da Província de Alagoas, de 15 de dezembro de 1864 a 31 de julho de 1865.[3]

Em recompensa aos serviços prestados à nação, D. Pedro II agraciou João Batista Gonçalves Campos com o grau de Cavaleiro da Ordem de Cristo, o Oficial da Ordem da Rosa (em decreto de 6 de setembro de 1866), e com os títulos de Barão de Jari, em decreto de 7 de maio de 1887, e visconde com grandeza, em decreto de 18 de março de 1889.[3]

Era maçom.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Roberto Calheiros de Melo
Presidente da província de Alagoas
1864 — 1865
Sucedido por
Esperidião Elói de Barros Pimentel
Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.