João Batista Gonçalves Campos, visconde de Jari

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura pelo(a) padre e ativista político homônimo, veja João Batista Gonçalves Campos.

João Batista Gonçalves Campos,[1] primeiro e único barão e visconde com honras de grandeza de Jari, (Província do Pará, 10 de maio de 1814Rio de Janeiro, 17 de maio de 1890) foi um magistrado brasileiro.[2]

Filho de Faustino Gonçalves Campos e de Josefa Joaquina Gonçalves Campos, formou-se na Faculdade de Direito de Olinda, em 1840. Foi juiz em diversos tribunais, até se aposentar ministro do Supremo Tribunal de Justiça. Foi chefe de polícia do Pará de 1855 a 1857.[3]

Foi também presidente da Província de Alagoas, de 15 de dezembro de 1864 a 31 de julho de 1865.[4]

Em recompensa aos serviços prestados à nação, D. Pedro II agraciou João Batista Gonçalves Campos com o grau de Cavaleiro da Ordem de Cristo, o Oficial da Ordem da Rosa (em decreto de 6 de setembro de 1866), e com os títulos de Barão de Jari, em decreto de 7 de maio de 1887, e visconde com grandeza, em decreto de 18 de março de 1889.[5]

Era maçom.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Roberto Calheiros de Melo
Presidente da província de Alagoas
1864 — 1865
Sucedido por
Esperidião Elói de Barros Pimentel


Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.