João Hircano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
João Hircano
Nascimento século II a.C.
Morte 104 a.C.
Cidadania Reino da Judeia
Progenitores
Filho(s) Alexandre Janeu, Aristóbulo, Antigonus I, Absalom ben Johanan
Ocupação sacerdote

João Hircano (em hebraico: יוחנן הרקנוס, Yohanan Hyrcanus; ca. 175 a.C.104 a.C.) foi um sumo sacerdote e membro da dinastia dos hasmoneus que governou a Judeia entre cerca de 135 e 104 a.C.[1]

João era o filho mais novo Simão Macabeu e neto do sacerdote Matatias, que há três décadas tinha iniciado a revolta contra os reis selêucidas. Em 137 a.C. liderou junto com o seu irmão Judas as tropas que derrotaram a invasão da Judeia feita pelo general de Antíoco VII, Cendebeus.

Em 135 a.C. o seu pai e dois irmãos mais velhos foram assassinados pelo seu cunhado e governador de Jericó, Ptolemeu. Em consequência, no ano seguinte João Hircano assumiu o cargo de sumo sacerdote e rei.

A morte de Antíoco VII e as lutas políticas que se seguiram e que enfraqueceram o novo monarca selêucida Demétrio II Nicátor foram aproveitadas por João Hircano para proceder a uma política de expansão. Hircano conquistou Siquém, capital dos Samaritanos, tendo destruído o templo destes situado no Monte Gerizim. Invadiu também a Idumeia, onde impôs o judaísmo aos seus habitantes.

Hircano é considerado como o primeiro dos Hasmoneus a cunhar moedas com o seu nome, nas quais se lê: "João, sumo sacerdote e chefe da comunidade dos Judeus".

Faleceu em 104 a.C., tendo sido sucedido pelo seu filho Aristóbulo I que morreu no ano seguinte. O trono passou então para outro dos filhos de Hircano, Alexandre Janeu.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «João Hircano». Encyclopædia Britannica Online (em inglês). Consultado em 11 de agosto de 2020 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Selecções do Reader´s Digest - Grandes Personagens da Bíblia. Madrid, 1997. ISBN 972-609-208-6.