Ezequias

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ezequias
Rei de Judá
Ezequias em Promptuarii Iconum Insigniorum.
Reinado 716/697 – 697/687 a.C.
Antecessor(a) Acaz
Sucessor(a) Manassés
Cônjuge Hefzibá
Casa Casa de Davi
Nome de nascimento חזקיהו (Hezekiah)
Nascimento ca. 739 a.C.
  Jerusalém
Morte ca. 687 a.C. (52 anos)
  Jerusalém
Sepultado em Jerusalém
Pai Acaz
Mãe Abias
Religião Judaísmo
Cristianismo

Ezequias (em hebraico: חזקיהו; em grego: Εζεκία; em latim: Hezekiah), também chamado de Hezequias, foi o 13º Rei de Judá, e reinou por 29 anos (726–697 a.C.)[1] era filho de Acaz e de Abi (ou Abia). Ezequias reinou conjuntamente com seu pai de 729 a 715 a.C. e, com a idade de 25 anos, tornou-se rei absoluto.

Seguiu o exemplo do seu brilhante antepassado, o Rei Davi, teria começado a reinar com 25 anos de idade e governou por 29 anos, a partir de 715 a.C..

Reinado[editar | editar código-fonte]

Resquícios do muro construído em Jerusalém por Ezequias, como proteção ao ataque de Senaqueribe.

No exato primeiro dia do seu reinado, reparou as portas e purificou a Casa/Templo de Yah. Reintegrou os sacerdotes e levitas ao seu ministério, e restaurou a celebração da Páscoa (II Crônicas 29:3 e 30:5). Além disso, combateu a idolatria em Judá proibindo o culto aos deuses pagãos, determinando também que fosse destruída a serpente de bronze construída na época de Moisés, pois novamente o povo estava adorando-a. E, devido à sua obediência, a Bíblia relata que Deus trouxe paz ao seu reino. Enquanto cuidou do templo, providenciou a adoração adequada.

De acordo com a Bíblia, Ezequias, ao ser confrontado pelo grande Rei da Assíria, Senaqueribe, orou a Deus e foi salvo do cerco de Jerusalém (por volta do ano 701 a.C.), através de um anjo enviado por Deus, que teria exterminado cento e oitenta e cinco mil soldados assírios durante a noite.Também no contexto do cerco, ordenou a construção do Túnel de Ezequias, para impedir as tropas de Senaqueribe de terem acesso ao precioso líquido, desviando o curso da água de fora das muralhas de Jerusalém para dentro da mesma.

Segundo a Bíblia, após a expulsão dos assírios, Ezequias experimenta um novo milagre. Tendo adoecido gravemente acometido do que a Bíblia chama de úlcera (alguns acreditam tratar-se de um câncer), o profeta Isaías veio lhe dizer que iria morrer. Não se conformando, Ezequias pôs-se a orar e Isaías retorna com outra mensagem de Deus informando um acréscimo de mais 15 anos à vida do rei. E, como prova do cumprimento dessa palavra, Deus deu um sinal a Ezequias, fazendo atrasar dez graus a sombra do relógio solar construído por Acaz.

Tendo se recuperado, cometeu um sério equívoco ao mostrar os seus tesouros aos mensageiros de Merodaque-Baladã II, rei da Babilônia. Devido a isso, foi advertido pelo profeta Isaías, prevendo o futuro cativeiro dos judeus, o que ocorreu numa invasão de Nabucodonosor II, no reinado de Zedequias.

Ezequias faleceu em 696 a.C., mas seu filho Manassés (708 a.C. - 642 a.C.) assumiu a posse de rei aos 12 anos, permitindo a idolatria em Jerusalém e fazer Judá cair em pedaços.

Situação política[editar | editar código-fonte]

Ezequias reinou num período em que a Assíria dominava o cenário político. O reino de Israel, ao norte de Judá, já havia sido reduzido a tributário assírio. Seu pai, Acaz, já havia despojado o templo e o palácio para poder pagar tributo ao rei assírio Sargão II. Após a morte deste e a sucessão do trono por Senaqueribe, Ezequias, direcionou esforços para manter-se independente da potência militar dominante e deixou de ser tributário. No entanto, quando Senaqueribe pela primeira vez ameaçou Jerusalém, o próprio Ezequias efetuou um custoso pagamento para que aquele poupasse a cidade[2].

Selo de Ezequias[editar | editar código-fonte]

Em dezembro de 2015, arqueólogos israelenses anunciaram a descoberta de uma marca do selo do rei bíblico.

Segundo Eilat Mazar da Universidade Hebraica de Jerusalém, que dirigiu a escavação onde a peça foi encontrada, a peça de argila tem uma inscrição, Pertence a Ezequias, filho de Acaz, rei de Judá; circular de menos de um centímetro de comprimento e pode ter sido feita pelo próprio rei.[3]

Literatura[editar | editar código-fonte]

Ezequias coordenou a compilação de textos bíblicos que hoje são os capítulos 25 a 29 de Provérbios. Estes capítulos formavam uma seção única, cuja introdução faz menção aos "homens de Ezequias" como compiladores.[4] Ezequias também compôs a canção de agradecimento por sua já citada cura, conforme indica Isaías 38:10-20.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. M.G. Easton M.A., D.D., Illustrated Bible Dictionary, 1897, sob o tópico "Hezekiah"
  2. II Reis 18:13-16
  3. Rabinovitch, Ari. «Marca rara de selo do rei bíblico Ezequias é encontrada em Jerusalém». Site Reuters Brasil. Consultado em 3 de dezembro de 2015 
  4. Provérbios 25:1

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Axel Bergstedt: Os Reis no Trono de Davi

Precedido por
Acaz
Rei de Judá
29 anos
Sucedido por
Manassés
Ícone de esboço Este artigo sobre religião é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.