Amassias

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde junho de 2012)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Amazias
Rei de Judá
Amazias em "Promptuarii Iconum Insigniorum"
Reinado 858 a 833 a.c.
Antecessor(a) Jeoás
Sucessor(a) Uzias, seu filho
Dinastia Casa de Davi
Nome completo
Amazias
  Jerusalem
Morte 833 a.c.
  Jerusalem
Enterro Cidade de Davi
Filho(s) Uzias
Pai Jeoás
Mãe Jeoadã

Amassias ou Amazias foi o 9º rei de Judá.

Rei de Judá que em 858 AEC ascendeu ao trono com 25 anos e reinou por 29 anos, desde o assassínio de seu pai, Jeoás. Sua mãe era Jeoadim (Jeoadã), e sua esposa era Jecolia. (2Rs 14:1, 2; 15:2; 2Cr 25:1; 26:3) Tendo-se firmado no reino, executou aqueles que tinham assassinado seu pai, mas acatou a lei de Moisés de não punir os filhos deles. (2Rs 14:5, 6; De 24:16) Seu reinado foi assinalado por certo entusiasmo pela adoração verdadeira, mas não de “pleno coração”, e não sem graves falhas, que trouxeram o desastre tanto para ele mesmo como para a nação de Judá. O registro de seu governo trata primariamente de duas campanhas militares. — 2Cr 25:2.

Amazias primeiramente teve êxito contra Edom, ou Seir, usando uma força de 300.000 homens de Judá e de Benjamim. Também contratou 100.000 mercenários de Israel, mas, ao receber o conselho dum homem de Deus, pagou-lhes e mandou-os embora. Jeová concedeu a Amazias uma esmagadora vitória no vale do Sal, permitindo que matasse 20.000 inimigos e capturasse Sela, que passou a chamar de Jocteel. No entanto, Amazias levou consigo os deuses de Seir e começou a adorá-los, fazendo com que se acendesse a ira de Jeová contra ele: “Por que buscaste os deuses do povo, que não livraram o seu próprio povo da tua mão?” Amazias somente agravou o mal por silenciar o profeta de Jeová. — 2Rs 14:7; 2Cr 25:5-16.

A segunda campanha de Amazias foi trágica, do começo ao fim. Os 100.000 homens de Israel que foram dispensados fizeram incursões contra os povoados de Judá, ao voltarem para o norte. Talvez tenha sido isto que provocou Amazias a desafiar tolamente a Jeoás, do forte reino setentrional, dizendo: “Vem deveras. Olhemo-nos um ao outro na face.” A resposta de Jeoás foi: Quão tolo seria uma planta espinhosa confrontar um cedro maciço apenas para ser pisada por um animal selvático! Amazias recusou-se a ouvir; aparentemente ficara cheio de si por causa da sua recente vitória, e Jeová condenara Amazias à derrota, devido à sua idolatria. A batalha foi travada em Bete-Semes, Judá fugiu, Amazias foi capturado, uma brecha de uns 178 m foi aberta na muralha de Jerusalém e muitos tesouros do templo e muitos reféns foram levados junto na volta a Samaria. — 2Rs 14:8-14; 2Cr 25:13, 17-24.

Desde o tempo em que Amazias se desviou da adoração de Jeová, formou-se uma conspiração contra ele, que finalmente obrigou Amazias a fugir para Laquis. Ali os conspiradores o mataram. Amazias teve como sucessor o seu filho Azarias (Uzias), de 16 anos. — 2Rs 14:17-21; 2Cr 25:25-28.

Precedido por
Joás
Rei de Judá:
29 anos
Sucedido por
Uzias

Referências[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre religião é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.