José Bonifácio Ferreira Novellino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
José Bonifácio
José Bonifácio em 2020
Deputado estadual pelo Rio de Janeiro
Período 3 de janeiro de 2005[1]
até 31 de janeiro de 2007[2]
Prefeito de Cabo Frio
Período 1º de janeiro de 1993
até 31 de dezembro de 1996
Antecessor Ivo Ferreira Saldanha
Sucessor Alair Corrêa
Período 1º de fevereiro de 1977
até 31 de janeiro de 1983
Antecessor Antônio de Macedo Castro
Sucessor Alair Corrêa
Dados pessoais
Nome completo José Bonifácio Ferreira Novellino
Nascimento 14 de maio de 1945 (75 anos)
Cabo Frio, RJ
Nacionalidade brasileiro
Alma mater Universidade Federal Fluminense (UFF)
Partido PDT
Profissão Economista
Político

José Bonifácio Ferreira Novellino, também conhecido pelo apelido "", (Cabo Frio, 14 de maio de 1945) é um economista e político brasileiro. Formado em Economia pela UFF, foi vereador e por duas vezes prefeito de Cabo Frio (1977-1983 e 1993-1996), também foi deputado estadual pelo Rio de Janeiro.[2]

É também ex-presidente do PROCON-RJ e da Fundação Instituto de Pesca do Estado do Rio de Janeiro (FIPERJ), foi ainda diretor-geral do Departamento das Municipalidades do Governo do Estado do Rio de Janeiro, vice-prefeito de Arraial do Cabo, secretário municipal de Saúde em Arraial do Cabo, gerente regional da Companhia de Eletricidade do Estado do Rio de Janeiro (CERJ), superintendente regional do Ministério do Trabalho no Rio de Janeiro, subsecretário adjunto dos Direitos do Consumidor na Secretaria de Estado da Casa Civil.[3] e secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca do estado do Rio de Janeiro em 2014. Atualmente é vice-presidente do Diretório Estadual do Partido Democrático Trabalhista (PDT) no Rio de Janeiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Infância e Juventude[editar | editar código-fonte]

José Bonifácio Ferreira Novellino, filho de Alexis Pinto Novellino e Olivia Ferreira Novellino nasceu em 14 de maio de 1945 na cidade de Cabo Frio. Fez seu curso primário no Colégio Sagrado Coração de Jesus, dirigido pela irmãs franciscanas. No ano de 1957 ingressou no Seminário Arquidiocesano São José, em Niterói, onde permanece até o final de 1959, quando retorna a Cabo Frio e passa a estudar no Colégio Estadual Miguel Couto, onde conclui em 1964, como participante da primeira turma de formandos, o curso científico em Cabo Frio. Antes, em 1960, participa da implantação da Rádio Cabo Frio AM e obtém ali seu primeiro emprego com carteira assinada nas funções de locutor, permanecendo até 1962, quando vai trabalhar como escriturário no Banco Mercantil de Niterói - Agência de Cabo Frio.

No ano de 1965 retorna a Niterói, ingressando nos quadros do Banco Predial do Estado do Rio de Janeiro- Filial Rio, e  preparando-se para o vestibular na Universidade Federal Fluminense onde é aprovado em 1966 para o curso de Economia. No Banco Predial permanece até 1969, quando através de concurso público é aprovado e ingressa no quadro de funcionários do Banco do Estado da Guanabara, permanecendo até 1971, quando decide retornar a Cabo Frio, abrir a Casa de Sucos “BONIF”, e se filiar ao partido MDB. 1972 marca o início de sua vida pública, quando concorre e é eleito vereador à Câmara Municipal de Cabo Frio tendo uma atuação marcante e destacando-se naquela legislatura, o que foi determinante para que seus companheiros de partido o indicassem  para disputar  o cargo de prefeito.

José Bonifácio inaugura escola ao lado de autoridades e professores.
Colégio Municipal Rui Barbosa, realização do primeiro mandato de José Bonifácio.

Primeiro Mandato (1977-1983)[editar | editar código-fonte]

Em 1976 disputou com mais cinco candidatos e elegeu-se prefeito de Cabo Frio, com 31 anos, sendo um dos mais jovens na história do município. Seu mandato foi marcado por destinar, prioritariamente, os poucos recursos arrecadados no município para as áreas de educação e saúde de todos os quatro distritos de Cabo Frio (Distrito Sede, Arraial do Cabo, Armação dos Búzios e Tamoios). Marco importante de sua gestão foi a elaboração por uma comissão mista de técnicos do município e do governo do estado coordenados pela Professora Lyzia Bernardes do ante-projeto de Lei de Uso e Ocupação do Solo Urbano que após amplo e democrático debate promovido pela Câmara Municipal de Cabo Frio foi aprovado, transformando-se em lei que até os dias de hoje continua sendo a base do crescimento urbano da cidade.

Destacam-se como realizações desse período:

  • Construção da Escola Municipal Prof. Edilson Duarte;
  • Construção da Escola Municipal Yone Nogueira (Arraial do Cabo);
  • Compra do Colégio Rui Barbosa com a implantação gratuita do ensino de 2º grau na rede municipal;
  • Construção da Rodoviária de Cabo Frio;
  • Construção do Hospital do IBASCAF (atual São José Operário);
  • Duplicação da Ponte Feliciano Sodré e da  Avenida Teixeira e Souza;
  • Construção da Avenida Júlia Kubtichek;
  • Realização periódica de concurso público para todas as áreas do governo, que até então majoritariamente aconteciam por indicação.

Governo Leonel Brizola[editar | editar código-fonte]

Com o término de seu mandato em 31 de janeiro de 1983 retorna a sua atividade ligada ao comércio de lanches reabrindo a casa de sucos “BONIF “, e em 1984 é eleito presidente da Associação Comercial de Cabo Frio  onde permanece até 1986 quando foi nomeado diretor-geral do Departamento das Municipalidades do Governo do Estado do Rio de Janeiro pelo então governador fluminense Leonel Brizola.[3] Antes de voltar a exercer um cargo eletivo, o político também foi gerente regional da extinta Companhia de Eletricidade do Estado do Rio de Janeiro (CERJ), função onde pôde aplicar maciços investimentos na eletrificação rural e nas comunidades de baixa renda na Região dos Lagos.[2]

Segundo Mandato (1993-1996)[editar | editar código-fonte]

Nas eleições municipais de 1992, Bonifácio foi eleito para um segundo mandato como prefeito de Cabo Frio. Este período foi igualmente marcado pela expansão da rede municipal de ensino, estruturação da saúde pública e desenvolvimento da infraestrutura da cidade.

Algumas das realizações são:

  • Construção da Escola Municipal Prof. Darcy Ribeiro ( hoje Américo Vespúcio),
  • Construção da Escola Agrícola Dr. Nilo Batista, em Tamoios;
  • Construção da  Escola Municipal Vereador Emigdio Gonçalves Coutinho, em Búzios;
  • Desapropriação da Fazenda Campos Novos e construção do Parque Agrícola de Exposições;
  • Reativação e ampliação do Hospital do IBASCAF, passando a denominar-se Hospital Municipal São José Operário;
  • Construção do Teatro Municipal,
  • Construção do Novo Centro Administrativo (conhecido como "Centrinho"), onde hoje está instalado o Instituto Federal de Educação (IFF Cabo Frio);
  • Asfaltamento da estrada Cabo Frio-Búzios.
Hospital Municipal São José Operário, construído como IBASCAF e ampliado por Zé.

Deputado Estadual[editar | editar código-fonte]

Nas eleições de 2002, José Bonifácio concorreu ao cargo de deputado estadual pelo Partido Democrático Trabalhista (PDT), tendo obtido 18.691 e garantido a primeira suplência da coligação PPS-PDT-PTB.[4] Nas eleições municipais de 2004, Bonifácio também saiu vitorioso como vice, na chapa liderada por Henrique Melman para a Prefeitura de Arraial do Cabo. Contudo, em janeiro de 2005, Novellino tomou posse como deputado estadual após assumir a cadeira de um parlamentar da coligação que fora eleito prefeito nas eleições municipais de 2004.[1] Na ALERJ, foi membro da Comissão Permanente de Orçamento e criou duas Comissões Especiais, uma sobre a privatização da BR-101 e da BR-393 e outra sobre a Terceirização dos Serviços de Coleta de Lixo no estado do Rio de Janeiro. Antes de assumir uma cadeira na ALERJ, o político fora Secretário de Saúde de Arraial do Cabo por um breve período. Como não foi reeleito deputado estadual nas eleições de 2006. Nesse mesmo período assumiu a 1ª. Vice-presidência da Executiva Estadual do PDT e em abril de 2007 com a ida do presidente Carlos Lupi para o Ministério do Trabalho, assume a presidência estadual do PDT. Bonifácio deixa o cargo legislativo em 31 de janeiro de 2007.[2]

Administração Estadual[editar | editar código-fonte]

Em julho de 2009, Bonifácio foi indicado pelo então ministro Carlos Lupi para ser superintendente regional do Ministério do Trabalho no estado do Rio de Janeiro, cargo que ocupou até março de 2010 e posteriormente entre novembro de 2010 e janeiro de 2011. Na função, implantou importantes medidas de melhoria no atendimento ao público e descentralizou as ações da Superintendência para diversas gerências regionais espalhadas pelo estado.[2] No dia 4 de janeiro de 2011, tomou posse como subsecretário adjunto dos Direitos do Consumidor na Secretaria de Estado da Casa Civil. Em fevereiro do mesmo ano, José Bonifácio assumiu a direção do PROCON-RJ, função onde ficou encarregado em transformar a entidade em uma autarquia.[5]

Em 1º de fevereiro de 2013, Bonifácio assumiu a presidência da Fundação Instituto de Pesca do Estado do Rio de Janeiro (FIPERJ), órgão cuja missão é promover o desenvolvimento sustentável da aquicultura e da pesca

fluminense.[6][7] No dia 7 de abril de 2014, o político cabofriense foi empossado como titular da extinta Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca (SEDRAP), cargo que exerceu até 31 de dezembro de 2014.

Novas Eleições[editar | editar código-fonte]

Nas eleições de 2018, José Bonifácio foi candidato a senador pelo estado do Rio de Janeiro pelo Partido Democrático Trabalhista (PDT). A candidatura do político foi aprovada no dia 7 de agosto de 2018 pelo Diretório Estadual do PDT.[8] No pleito, Bonifácio obteve 313.265 votos (2,24% do total de votos válidos), não se elegendo ao cargo disputado.[9]

Em 2 de dezembro de 2019, em uma coletiva de imprensa, anuncia sua pré-candidatura á Prefeitura de Cabo Frio[10]. Meses depois, 14 de fevereiro de 2020, o vereador Rafael Peçanha anuncia a desistência de sua candidatura e declara apoio a José Bonifácio[11].

Vida Pessoal[editar | editar código-fonte]

José Bonifácio e Ana Lucia Valladão

José Bonifácio Ferreira Novellino é casado com a médica Ana Lucia Valladão, e tem duas filhas de seu primeiro casamento: Daniele Medeiros Novellino e Juliana Medeiros Novellino.

Em 2018 foi diagnosticado com câncer no pâncreas. Iniciou assim o tratamento, que exigiu 12 sessões de quimioterapia, ocasionando a perda de aproximadamente 20 quilos. Em 2 de dezembro de 2019, na mesma coletiva em que foi confirmada sua pré-candidatura, José Bonifácio e sua esposa, Ana Lucia Valladão, anunciaram a sua cura do câncer e o restabelecimento da sua saúde.[10]




Prêmios e Honrarias[editar | editar código-fonte]

Escola Municipal José Bonifácio Ferreira Novellino, no bairro Jardim Peró, em Cabo Frio.

Recebeu diversas homenagens por sua atuação na esfera pública, em especial a nomeação da Escola Municipal José Bonifácio Ferreira Novellino, no Bairro Jardim Peró, em Cabo Frio. Dentre as homenagens de câmaras legislativas, destacam-se:

Da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro:

  • Medalha Tiradentes (2013).
  • Diploma Leonel de Moura Brizola (2011).
  • Moção de Congratulações (2009).

Da Câmara Municipal do Rio de Janeiro:

  • Medalha Pedro Ernesto (2020).

Da Câmara Municipal de São Pedro da Aldeia:

  • Comenda do Mérito Legislativo (2002).
  • Medalha do Mérito Brigadeiro Lafayette Cantarino Rodrigues de Souza (1999).

Da Câmara Municipal de Búzios:

  • Título de Cidadão Buziano (1998).

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Jornal da ALERJ - ANO III - N° 70 - Rio de Janeiro, de 1° a 7 de fevereiro de 2005» (PDF). ALERJ. p. 2. Consultado em 9 de agosto de 2018 
  2. a b c d e «PROJETO DE RESOLUÇÃO N° 313/2011». ALERJ. Consultado em 9 de agosto de 2018 
  3. a b «Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca - Perfil do Secretário». Governo do Estado do Rio de Janeiro. Consultado em 16 de agosto de 2018. Cópia arquivada em 7 de agosto de 2014 
  4. «PROJETO DE RESOLUÇÃO Nº 1017/2013». ALERJ. Consultado em 16 de agosto de 2018 
  5. Sampaio, Nadja (12 de fevereiro de 2011). «José Bonifácio Novellino, ex-deputado, assume Procon do Rio com desafio de criar autarquia». O Globo. Consultado em 18 de agosto de 2018 
  6. Lima, Natália; Ribeiro, Paula (1º de fevereiro de 2013). «Novo presidente na Fiperj». FIPERJ. Consultado em 16 de agosto de 2018 
  7. «Conheça a Fiperj / Missão da Fiperj». FIPERJ. Consultado em 16 de agosto de 2018 
  8. Apolinário, Sônia (8 de agosto de 2018). «Tempo de TV só vai sair no último minuto». Jornal do Brasil. Consultado em 9 de agosto de 2018. Cópia arquivada em 15 de agosto de 2018 
  9. «Senado Rio de Janeiro: Flávio Bolsonaro (PSL) e Arolde de Oliveira (PSD) são eleitos». Gazeta do Povo. 7 de outubro de 2018. Consultado em 7 de dezembro de 2018 
  10. a b http://www.dothnews.com.br. «Bonifácio anuncia que está curado de câncer e apresenta possível candidato a vice». www.folhadoslagos.com. Consultado em 19 de maio de 2020 
  11. http://www.dothnews.com.br. «Rafael desiste de candidatura e vai apoiar Bonifácio». www.folhadoslagos.com. Consultado em 19 de maio de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]