Manvantara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Manvantara em medida Hindu de tempo, em escala logarítmica.

Manvantara, Manuvantara [1] ou idade de Manu (o progenitor da humanidade segundo os Hindus) é um período astronômico de medição do tempo adotado no hinduísmo e na teosofia. "Manuantara", "manu-antara" ou "manvantara" (combinações das palavras manu e antara) significa, literalmente, a duração de Manu, ou a duração de sua vida.[2]

Cada Manvantara é criado e governado por um Manu específico, que, por sua vez, é criado por Brahma, o próprio Criador no seu aspecto positivo. Manu cria o mundo e todas as suas espécies durante esse período de tempo. Cada Manvantara dura a vida de um Manu. Após sua morte, Brahma cria outro Manu para continuar o ciclo de criação ou Shristi. Vishnu, de sua parte, manifesta-se em um novo Avatar, e também um novo Indra e Saptarishis são nomeados.

Eventualmente, se leva 14 Manus e seus respectivos Manvantaras para criar um Kalpa, Aeon, ou um "Dia de Brahma", segundo o Tempo Cícliclo Hindu e também a cronologia védica. Posteriormente, no final de cada Kalpa, há um período - o mesmo Kalpa - de dissolução ou Pralaya,[3] onde o mundo (terra e todas as formas de vida, mas não todo o universo em si) é destruído e está em um estado de repouso, que é chamado de "Noite de Brahma".

Depois que o criador Brahma inicia seu ciclo de criação mais uma vez, em um ciclo infinito de criação seguido de destruição, Shiva, o deus hindu da destruição e da renovação, é invocado para o fim do ciclo.[4]

Visão do Manvatara na Teosofia[editar | editar código-fonte]

Manvantara (ou Kalpa), segundo a teosofia, é o período de tempo do ciclo de existência dos planetas em que ocorre atividade. Ele dura, segundo o computo dos Brâmanes, 4 320 000 000 de anos. O período de inatividade, chamado Pralaya, tem a mesma duração.

Tomando 360 Manvantaras e igual número de Pralayas, obtém-se um "Ano de Brahman". A duração de 100 "Anos de Brahman" forma uma "Vida de Brahman", também chamado de Mahamanvantara, durando no total 311 040 000 000 000 de anos. Este é, segundo Blavatsky, o período de atividade do cosmo, seguindo-se um período de inatividade, chamado Mahapralaya, de igual duração.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Manuantara The Secret Doctrine by H. P. Blavatsky, Vol. 1, p. 368, OS DIAS E AS NOITES DE BRAHMA. Este é o nome do período conhecido como Manvantara (Manuantara, ou "entre os Manus") e Pralaya (Dissolução); referindo-se aos períodos de atividades do Universo, e o outro para os seus tempos de repouso relativo e completo - conforme-se ocorre no final de um "Dia", ou uma "Idade" (a vida) de Brahma. Esses períodos, que seguem um ao outro em sucessão regular, também são chamados de Kalpas, grandes e pequenos, o menor e o Maha Kalpa, embora, propriamente falando, o Maha Kalpa nunca se refira a um dia, mas a toda vida e idade de Brahma. Sobre isto, é dito, no Brahma Vaivarta: "Cronologistas computam um Kalpa pela vida de Brahma; Kalpas menores, como o Samvarta e o resto, são numerosos." Em verdade, eles são infinitos; como se nunca tivessem um começo, i.e., não há um primeiro Kalpa, nem se terá um último, na Eternidade.
  2. Srimad-Bhagavatam 3.13.14-16
  3. / the/sd/sd2-1-18.htm Pralaya A Doutrina Secreta por H. P. Blavatsky, vol. 2, p. 307 Os Sete e quatorze Manus
  4. Manvantara as Leis de Manu, (Manu Smriti), Livros Sagrados do Oriente vol. 25, traduzido por Georg Bühler, 1886, Capítulo I, 79. A idade mencionada antes dos deuses, (ou) 12 000 (de seus anos), sendo multiplicado por 71, (o que constitui) é aqui chamado o período de um Manu (Manvantara). Os Manvantaras, as criações e destruições (do mundo, são) inumeráveis​​; por diversão, por assim dizer, Brahman repete este ciclo de novo e de novo.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]