Marion Zimmer Bradley

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde novembro de 2016).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Marion Zimmer Bradley
Nome completo Marion Eleanor Zimmer Bradley
Nascimento 3 de junho de 1930
Albany, Nova Iorque
Morte 25 de setembro de 1999 (69 anos)
Berkeley, Califórnia
Nacionalidade Estados Unidos norte-americana
Cônjuge Walter H. Breen
Filho(s) Moira Greyland
Ocupação Escritora, Editora
Principais trabalhos As Brumas de Avalon, Darkover
Página oficial
The Marion Zimmer Bradley Literary Works Trust

Marion Eleanor Zimmer Bradley (Albany, 3 de junho de 1930Berkeley, 25 de setembro de 1999) foi uma escritora norte-americana de romances sobre fantasia e ficção científica, conhecida principalmente pelas séries As Brumas de Avalon e Darkover.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Marion Zimmer Bradley nasceu em Albany, capital do estado de Nova Iorque, em junho de 1930, no auge da Grande Depressão. Sua família era muito pobre e seus pais não tinham condições de oferecer-lhe uma educação esmerada. Logo, teve de começar a trabalhar muito cedo, chegando a ser garçonete e faxineira. Ao completar dezesseis anos, ganhou de sua mãe uma máquina de escrever, com a qual começou a escrever histórias. No início, para sobreviver, sujeitou-se a produzir uma série de romances sensacionalistas.

Nos anos 50, Zimmer Bradley podia ser descrita como uma “escritora de sucesso fácil”: para sustentar marido e filhos, vendia histórias de sexo e de mistério a revistas de grande tiragem. Nessa época, juntou-se a um grupo de activistas lésbicas denominado Daughters of Bilitis, considerada a primeira organização de direitos lésbicos dos Estados Unidos. Na década seguinte, dedicou-se à produção de romances góticos para poder pagar um curso universitário.

Marion Zimmer Bradley foi casada duas vezes e teve dois filhos. Morava em Berkeley, na Califórnia e deixou mais de meia centena de livros. Além de sua produção literária, muito de sua notoriedade se deve também ao apoio que deu à comunidade de ficção científica americana. Entre seus livros mais famosos estão As Brumas de Avalon, Presságio de Fogo/Incêndio de Tróia, A Casa da Floresta e os livros da série Darkover.

Carreira literária[editar | editar código-fonte]

Com a permanência de seu romance As Brumas de Avalon durante três meses na lista dos best-sellers do New York Times, a autora tornou-se uma escritora de prestígio e uma das mais lidas no mundo inteiro. Prosseguiu na mesma senda com Presságio de Fogo (1987) — Incêndio de Tróia, no Brasil — onde reescreve a Guerra de Tróia sob uma perspectiva feminista. Em A Casa da Floresta (1983), Zimmer Bradley regressou ao universo mítico da Bretanha druídica, desta vez, em confronto com o Império Romano. Em 1985, lançou um novo livro, destinado ao público infantil, chamado A Filha da Noite, baseado na ópera A Flauta Mágica, de Mozart. Muitos, no entanto, consideraram o livro uma obra adulta, e possivelmente imprópria para crianças.

Além destas obras, suas histórias de ficção científica do ciclo Darkover (um planeta onde os seres humanos, ao contacto com os alienígenas, adquirem poderes extrapsíquicos) continuam a ter numerosos admiradores.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ciclo Darkover[editar | editar código-fonte]

Nome Sinopse
A Chegada em Darkover (Darkover Landfall) Num futuro distante, a humanidade começa a explorar e colonizar novos mundos. Uma nave que ia em direção a um desses planetas, sofre um acidente e acaba pousando em Darkover, um planeta que não teria sido escolhido para ser colonizado, pois era frio demais, e além disso abrigava espécies inteligentes, embora não civilizadas. Sem ter como voltar ao espaço, nem como se comunicar, a expedição é dada como perdida pela terra. Mas muitos sobreviveram a queda, e pretendem reparar a nave e prosseguir viagem. Entretanto, eles não estavam preparados para o vento fantasma...
A Rainha da Tempestade (Stormqueen) Na era do caos, um período de confusão e terrivel tirania em Darkover, o planeta do sol vermelho, antes da chegada da primeira expedição da terra, nasce uma criança num dominio das montanhas que seria conhecida como Rainha da Tempestade.
A Dama do Falcão (Hawkmistress) Este livro conta a história de Romily MacAran. No tempo dos Cem Reinos, quando uma sangrenta guerra civil assolava Darkover, uma jovem saiu de casa sozinha, rompendo com a família e renunciando a sua herança, porque desejava ser ela própria, não o que o pai ou um marido determinassem. Passando por um rapaz, e aproveitando-se de suas habilidades como mestre falcoeiro, uma profissão vedada as mulheres, ela se junta ao exército de Elahim, que está unificando o planeta.
Dois para Conquistar (Two To Conquer) É a história de Bard di Asturien, um soldado proscrito e ambicioso, e de seu adversário, Varzil, o bom, que lutava para estabelecer o pacto. Também é a história de Paul Harrell, um homem da distante terra, que era um sósia do inimigo de Varzil.
Os Herdeiros de Hammerfel (Heirs Of Hammerfell) Imagem da terrivel rivalidade entre dois reinos Darkover, relatada no momento em que um deles, ao incendiar o castelo inimigo e matar seu rei, obriga a rainha a fugir com seus filhos gêmeos ainda bêbes. Os gêmeos são separados na confusão, e um deles é criado pela mãe, em Thendara, e o outro é criado por um dos antigos empregados, na propriedade.
A Corrente Partida (Shattered Chain) O livro conta a história de Jaelle, uma mulher que habitava uma das cidades secas do planeta Darkover. Onde as mulheres são forçadas a mais absoluta submissão. Jaelle no entanto foge para se tornar uma amazona, livre, selvagem e guerreira.
A Espada Encantada (Spell Sword) Continuação da história de Darkover, contando o trecho relativo a Espada Mágica de Dom Esteban, que possui no cabo uma pedra da estrela, através da qual a Habilidade de Esteban Podia ser Transmitida a Qualquer um que a Empunhe. Quando o avião do terráqueo Andrew Carr cai durante uma missão de mapeamento e exploração, ele é contatado mentalmente por Calista, filha de Dom Esteban, que está prisioneira dos homens-Gato. Andrew então se junta a Damon, que empunha a espada de Dom Esteban, e os dois se propõe a resgatar Calista.

Ciclo de Avalon[editar | editar código-fonte]

O Ciclo de Avalon é uma série de livros de fantasia escritos por Marion Zimmer Bradley, iniciando-se com A Queda de Atlântida e finalizando com os quatro romances de As Brumas de Avalon, posteriormente expandidos com a ajuda de Diana L. Paxson. Paxson tomou a autoria dos livros para si após a morte de Bradley em 1999. A série foca na lendária ilha de Avalon e nas várias mulheres que moldaram sua história e a da Bretanha.

Os livros A Queda de Atlântida: A Teia da Luz e A Teia das Trevas, Os Ancestrais de Avalon, Os Corvos de Avalon, A Casa da Floresta, A Senhora de Avalon, A Sacerdotisa de Avalon e As Brumas de Avalon são melhor compreendidos se lidos na ordem apresentada. Na sequência apresentada, cada livro completa o outro, criando uma mitologia da criação de Avalon, através da reencarnação de personagens importantes, desde da Atlântida até a época do Rei Artur.

Outras Obras[editar | editar código-fonte]

Alegações de pedofilia[editar | editar código-fonte]

Em 2014, Bradley foi acusada de abuso sexual cometido contra sua filha, Moira Greyland, que afirmou ter sido molestada entre 3 e 12 anos.[2]

Em reportagem ao jornal inglês The Guardian, Greyland disse que não havia revelado isto antes porque temia a reação dos fãs de sua mãe. Greyland também afirmou que ela não foi a única vítima, e que ela foi uma das que acusaram seu pai, Walter H. Breen, de pedofilia, o que o levou a múltiplas condenações. Bradley admitiu ciência do comportamento do seu marido, mas decidiu não reportá-lo.

Referências

Ícone de esboço Este(a) artigo sobre um(a) escritor(a) de ficção científica e fantasia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.