Orival Pessini

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde outubro de 2016). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Orival Pessini
Orival Pessini como seu personagem, Fofão, um dos seus personagens de maior sucesso.
Nascimento 6 de agosto de 1944
Pompéia, São Paulo
Morte 14 de outubro de 2016 (72 anos)
São Paulo, São Paulo
Nacionalidade  brasileiro
Ocupação Ator, humorista e artista plástico
Página oficial
www.pessini.com.br

Orival Pessini (Pompéia, 6 de agosto de 1944São Paulo, 14 de outubro de 2016) foi um comunicador, ator, compositor, cantor, comediante, artista plástico e humorista brasileiro conhecido por seus personagens Sócrates, Charles, Fofão, Patropi, Juvenal, Ranulpho Pereira, Hitler, Clô (baseado em Clodovil), Frank (em homenagem ao cantor Frank Sinatra) e outros em programas e comerciais para a TV, e também por utilizar máscaras de látex (feitas por ele próprio) na composição de seus personagens.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Pessini iniciou sua carreira no teatro amador e posteriormente começou a aparecer em comerciais famosos como dos produtos “Jarrão da Ki-Suco”, “Campanha da AACD” e “Tigre da Kellogg’s”. Sua estréia na TV foi no infantil  “Quem Conta Um Conto” na TV Tupi em 1963. Durante este período, Orival começou a desenvolver uma técnica própria, criando máscaras de látex com movimento. Na década de 70 interpretou os macacos Sócrates e Charles, do Planeta dos Homens (Globo). Em 1988 estréia a personagem Patropi, no programa “Praça Brasil" da Rede Bandeirantes, sendo convidado pra atuar em outros programas como Escolinha do Professor Raimundo (Globo) e A Praça é Nossa (SBT).

Foi no programa Balão Mágico (Globo) que Orival criou os bonecos Fofão e Fofinho, sendo que o primeiro, cuja jardineira foi confeccionada por Ney Galvão, era interpretado por Orival. Fofão fez tanto sucesso que, com o fim do programa global, ganhou seu programa diário TV Fofão (Bandeirantes), no qual apresentava quadros humorísticos e desenhos animados. Também estrelou um filme para o cinema, teve vários produtos licenciados com seu nome e lançou 10 álbuns de estúdio.

Em 2014, Orival atuou sem máscara na série global Amores Roubados como o padre José, contracenando com Patrícia Pillar. Neste mesmo ano sua personagem Fofão desfilou no carnaval sendo homenageado pela escola Rosas de Ouro que trouxe o tema "Inesquecível" relembrado figuras que marcaram a vida de muita gente. A produtora Farofa Studios está produzindo uma série animada com a personagem.

Morreu em 14 de outubro de 2016, aos 72 anos, após ser internado no Hospital São Luiz, em São Paulo, para fazer tratamento contra um câncer no baço.[1]

Após sua morte, as máscaras (e seus moldes) dos personagens de Orival Pessini foram destruídas. Era um desejo do ator, que temia que alguém fizesse mau uso do material.[2]

Personagens[editar | editar código-fonte]

  • Fofão - começou no programa infantil Balão Mágico, que teve exibição pela Globo no início dos anos 80. Depois, esse personagem foi transferido para a Bandeirantes em que ganhou um programa próprio: a TV Fofão; Destaque para o seu bordões: "Bilu-Bidu Alua-Iê pra todo mundo.", "Tavares, Tavares.", "Alô amiguinhos da TV Fofão."
  • Patropi - típico hippie, convidado de Praça Brasil e A Praça é Nossa, aluno da Escolinha do Professor Raimundo, da Escolinha do Barulho e da Escolinha do Gugu. Dizia-se um aluno de comunicação na PUC, mas que só dizia frases e palavras para a abertura de canal, assim como todo jogador ou técnico de futebol sempre faz. Havia iniciado o curso universitário e ainda não havia terminado, demorando em vários semestres o término. Alguns de seus bordões são: "Sei lá, entende?!", "Pa-daqui, pa-dali. Pa-de cá, pa-de lá", "Oh lôco bixo!" e "Sem crise, meu."
  • Juvenal - personagem fanha que se dizia muito veloz, mas dava a entender que vacilava e sempre era apanhado nas situações mais constrangedoras e embaraçosas. Era também um grande azarado.. Seu bordão mais conhecido era "Ele veio numa ve-lo-ci-dade..."
  • Ranulpho Pereira - personagem do programa Uma Escolinha Muito Louca. Aposentado revoltado que reclama de tudo quando se lembra da sua aposentadoria. Destaque para o seu bordão: "Se a gente não reclamar, vai ficar do jeitinho que está!"
  • Sócrates - sempre falava de coisas filosóficas mas de um modo bem ridículo para, obviamente, serem engraçadas. Destaque para seu bordão: “Não precisa explicar; eu só queria entender!". Fez parte do programa humorístico Planeta dos Homens, exibido pela Globo nos anos 70.
  • "SR.Campos" no filme Carrossel O Filme . Na qual interpretou o avô da "Alícia" ( Fernanda Concon) e dono do acampamento Panapaná.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Orival Pessini