Pórtico dos Máximos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pórtico dos Máximos
Tipo Pórtico
Construção Séc. IV
Geografia
País Itália
Cidade Roma
Localidade Regio IX - Circo Flamínio
Coordenadas 41° 53' 33" N 12° 28' 35" E
Pórtico dos Máximos está localizado em: Roma
Pórtico dos Máximos
Pórtico dos Máximos

Pórtico dos Máximos (em latim: Porticus Maximae) era um pórtico da Roma Antiga construído no século IV e localizado na região sul do Campo de Marte.

História[editar | editar código-fonte]

O Pórtico dos Máximos foi construído por volta de 380 a.C.[1]. O nome da igreja de Sant'Ambrogio della Massima ("de Maxima"[nota 1]) é provavelmente um vestígio toponímico da localização do pórtico na região[3].

Descrição[editar | editar código-fonte]

O pórtico foi construído seguindo o trajeto da rua (possivelmente a Via Tecta ou uma travessa da Via Trionfale) que ligava o Circo Flamínio à Ponte Élio[1][4][5].

O percurso, ainda hoje reconhecível, é o que passa pela Via del Portico di Ottavia, Via di Santa Maria del Pianto, Via dei Giubbonari, Via dei Cappellari (depois o trajeto provavelmente coincide com o do Corso Vittorio Emanuele II), chegando finalmente à Ponte Sant'Angelo (nome moderno da Ponte Élio).

Na Via dei Cappellari, perto da Piazza Farnese, na Piazza del Pianto e na Via della Reginella foram escavados fragmentos de colunas de granito que podem ter pertencido a esta estrutura[1]. Foram também encontrados muitas colunas e fragmentos arquitetônicos (capitéis de mármore) entre o Corso Vittorio Emanuele II e as vias Sora e del Pelegrino[1][5].

O Arco de Graciano, Valentiniano e Teodósio, atestado nas fontes medievais (que transcreveram suas inscrições), foi construído entre 379 e 383 perto da moderna Ponte Sant'Angelo, no final do Pórtico dos Máximos[4].

Planimetria[editar | editar código-fonte]

Planimetria do Campo de Marte meridional


Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Segundo citações de 1192 e de 1320 que reportam respectivamente os nomes de "Monasterio Maximae" e de "Monasterium Sanctae Mariae de Maximae"[2].

Referências

  1. a b c d Platner (1929), p. 419-431
  2. Danti, Alberto (1992). «Una lastra a rilievo altomedievale dal Monsatero di Sant'Ambrogio alla Massima». L'Erma di Bretschneider. Bollettino dei Musei comunali di Roma. Nuova serie (em italiano). 6: 50. ISBN 9788870628111 
  3. «Via di Sant'Ambrogio» (em italiano). RomaSegreta 
  4. a b CIL VI, 1184
  5. a b Richardson, Lawrence (1992). A New Topographical Dictionary of Ancient Rome (em inglês). [S.l.]: Johns Hopkins University Press. p. 315 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Platner, Samuel Ball; Ashby, Thomas, eds. (1929). Porticus Maximae. Col: A Topographical Dictionary of Ancient Rome (em inglês). Londres: Oxford University Press