Templo de Hércules e as Musas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Templo de Hércules e as Musas
Tipo Templo
Construção 34 ou 33 a.C.
Promotor / construtor Lúcio Márcio Filipo (pai) ou
Lúcio Márcio Filipo (filho)
Geografia
País Itália
Cidade Roma
Localidade Região VII - Circo Flamínio
Coordenadas 41° 53' 36" N 12° 28' 41" E
Templo de Hércules e as Musas está localizado em: Roma
Templo de Hércules e as Musas
Hércules e as Musas

O Templo de Hércules e as Musas (em latim: Aedes Herculis Musorum ou Herculis et Musorum) era um templo da Roma Antiga situado no Campo de Marte, em Roma, dedicado a Hércules e as Musas.[1] Foi edificado por Marco Fúlvio Nobilior após sua captura de Ambrácia em 189 a.C. e seu triunfo em 187 a.C., provavelmente por tomar ciência na Grécia que Hércules era um muságeta (condutor de Musas).[2] Para Todd W. Parment, contudo, teria sido edificado entre 187 e 179 a.C.,[1] ano que foi nomeado censor ao lado de Marco Emílio Lépido.[3]

Segundo Macróbio,[4] Plínio, o Velho[5] e Ovídio,[6] Nobilior adicionou ao templo uma cópia dos fastos com notas, provavelmente os primeiros deste tipo, e estátuas das nove Musas e Hércules tocando lira, todas obtidas em Ambrácia. Mário Sérvio Honorato afirma que Nobilior também teria transferida a edícula de bronze das Camenas, anteriormente localizado no Templo da Honra e Virtude, para lá.[7][1] As estátuas do Templo de Hércules são descritas em denários de Quinto Pompônio Musa datáveis de 64 a.C..[2]

Segundo Suetônio[8] e Ovídio,[9] o templo teria sido reconstruído em 34 ou 33 a.C. por Lúcio Márcio Filipo, o meio-irmão do imperador Augusto (r. 27 a.C.–14 d.C.), após seu triunfo devido a seu mandato bem-sucedido como governador da Hispânia. Para Samuel Ball Platner, contudo, com base em Marcial,[10] o construtor teria sido o pai deste, também chamado Lúcio Márcio Filipo.[11] Ele passou a ser circundado desde este momento pelo Pórtico de Filipo.[1] O templo foi mencionado nos Catálogos Regionais e aparece num fragmento do Plano de Mármore. Uma inscrição descobertas nas imediações esteve provavelmente originalmente no pedestal de alguma das estátuas.[2]

Localização[editar | editar código-fonte]

Planimetria do Campo de Marte meridional

Referências

  1. a b c d «Porticus Phillippi» (em inglês). Consultado em 23 de julho de 2015. 
  2. a b c Platner 1929, p. 255.
  3. Gorski 2015, p. 91.
  4. Macróbio século V, I.12.16.
  5. Plínio, o Velho século I, XXXV.66.
  6. Ovídio século I a.C., VI.812.
  7. Mário Sérvio Honorato século IV, I.8.
  8. Suetônio século I, 29.5.
  9. Ovídio século I a.C., 6.801-2.
  10. Marcial século I, V.49.11-12.
  11. Platner 1929, p. 428.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Gorski, Gilbert J.; Packer, James E. (2015). The Roman Forum: A Reconstruction and Architectural Guide. [S.l.]: Cambridge University Press. ISBN 0521192447 
  • Marcial (século I). Epigramas. [S.l.: s.n.] 
  • Ovídio (século I a.C.). Fastos. [S.l.: s.n.] 
  • Platner, Samuel Ball (1929). A Topographical Dictionary of Ancient Rome. Londres: Oxford University Press