Plasma (KDE)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou seção está a ser traduzido. Ajude e colabore com a tradução.
KDE Plasma 4
Logótipo
Captura de tela
KDE Plasma 4.13
Desenvolvedor Aaron Seigo como líder do projeto e outros
Plataforma alpha, amd64, arm, hppa, ia64, ppc, ppc64, sparc, x86
Modelo do desenvolvimento Software Livre
Lançamento 11 de janeiro de 2008 (10 anos)[1]
Versão estável 4.14.3 (11 de novembro de 2014; há 4 anos)[2] [+/-]
Versão em teste 4.14 RC1 (31 de julho de 2014; há 4 anos)[3] [+/-]
Idioma(s) Multilíngue
Linguagem C++ (Qt4)
Sistema operativo Completa: Tipo-unix com X11 e também Windows XP–posterior.[4]
Apenas programas: Mac OS X v10.4–posterior
Gênero(s) Motor de widget e área de trabalho
Licença GNU LGPL
Estado do desenvolvimento Ativo
Página oficial plasma.kde.org (em inglês)., acessado pela última vez há 431 semanas e 1 dia

KDE Plasma 4, subseqüentemente renomeado de KDE Plasma Workspaces, é o nome da quarta geração de ambientes gráficos fornecidos pelo KDE. É composto por três espaços de trabalho, cada um visando uma plataforma específica: Plasma Desktop para PCs tradicionais e notebooks, Plasma Netbook para netbooks, e Plasma Active para tablets e dispositivos similares.

A sua tecnologia é fundamental para recriar várias tecnologias de integração da área de trabalho incluídas nos ambientes KDE anteriores, para GNU/Linux e outros sistemas tipo unix, focando-se na beleza e em efeitos gráficos especiais. Ele mais perceptivelmente substitui a anterior camada KDesktop, a barra de tarefas Kicker e o motor de widgets SuperKaramba, usados na série KDE 3, por um espaço de trabalho unificado para a KDE SC 4. O Plasma também fornece interfaces que independem da resolução para o KDE, tornando a área de trabalho praticamente idêntica mesmo em resoluções de tela diferentes. Os applets do Plasma são chamados coletivamente de plasmóides, mas variam de widgets informativos a mini-aplicativos como calculadoras e dicionários. Um recurso importante do Plasma é que não mais distinção entre painéis (como a barra de tarefas), ícones da área de trabalho, ou widgets; eles são criados da mesma forma.

O Plasma separa componentes em "motores de dados" e sua visualização em contrapartida. O objetivo é reduzir o esforço total de programa necessário para múltiplas visualizações dos mesmos dados; e para facilitar que o motor de dados e sua visualizações sejam escritos independentemente. O substituto planejado para o KMenu em versões posteriores da KDE SC 4, chamado Raptor, fará uso extensivo disto.

Com o lançamento do KDE SC 4.11 em 14 de agosto de 2013, o KDE Plasma 4 foi colocado em um congelamento de recursos e transformado em um pacote estável a longo prazo até agosto de 2015. Em 15 de julho de 2014, o sucessor do KDE Plasma 4, o KDE Plasma 5, foi lançado.[5]

Widgets suportados[editar | editar código-fonte]

Esta é a lista dos widgets que a versão atual do Plasma suporta. Lembre-se que nem todos widgets são suportados por padrão em todas distribuições GNU/Linux; algumas podem exigir diferentes pacotes, ou até a recompilação do Plasma.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia tem o portal:

Referências

  1. «KDE 4.0 Release Announcement» 
  2. «KDE Ships KDE Applications and Platform 4.14.3». KDE. 11 de novembro de 2014. Consultado em 13 de novembro de 2015. 
  3. «O KDE Lança a Versão 4.14 Pré-Lançamento das Aplicações e da Plataforma». KDE. 31 de julho de 2014. Consultado em 19 de março de 2018. 
  4. «Replace Windows Shell with KDE Plasma Desktop» 
  5. «New Plasma brings a cleaner interface on top of a new graphics stack». kde.org. KDE. 15 de julho de 2014. Consultado em 18 de julho de 2015. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]