Raudinei Anversa Freire

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Raudinei
Informações pessoais
Nome completo Raudinei Anversa Freire
Data de nasc. 18 de julho de 1965 (54 anos)
Local de nasc. Echaporã (SP), Brasil
Nacionalidade brasileiro
Altura 1,81 m
canhoto
Informações profissionais
Período em atividade 1982–1999 (17 anos)
Clube atual aposentado
Posição atacante
Clubes de juventude
1982–1985 Juventus
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1985–1987
1987–1988
1988–1990
1990–1991
1992
1993
1993
1994
1994–1995
1996
1997
1997
1998
1998
1998
1999
1999
1999
Juventus
Porto
Deportivo La Coruña
Belenenses
Gil Vicente
Santo André
Guarani
Castellón
Bahia
Kyoto
Juventus
América
Ituano
São Caetano
Paraná
Portuguesa Santista
Juventude
União São João[1]







Raudinei Anversa Freire, mais conhecido apenas como Raudinei (Echaporã, 18 de julho de 1965) é um ex-futebolista brasileiro que atuava como atacante.

Atualmente mora em São Paulo, empresário de jogadores, é agente FIFA[1] e credenciado pela CBF.[2] Raudinei ainda mantém suas raízes no Clube Atlético Juventus, onde é diretor de futebol[1] e a sua esposa, a jornalista Cristina, assessora de imprensa.[3]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Inicio[editar | editar código-fonte]

Raudinei iniciou sua carreira nas equipes de base do Clube Atlético Juventus, em meados dos anos 1980, onde foi profissionalizado. Fez ótimas partidas no Clube Atlético Juventus, despertando interesse pelos grandes clubes de São Paulo, mas decidiu ir para a Europa e teve ótimas passagens pelo Porto em Portugal e Deportivo La Coruña na Espanha.[1]

Retorno ao Brasil[editar | editar código-fonte]

Depois de cinco anos no exterior, voltou para o Brasil para defender as equipes, do Guarani Futebol Clube de Campinas em 1992 e o Santo André em 1993 , mas não ficou aqui por muito tempo, retornando para a Europa no ano seguinte.[1]

Volta a Espanha[editar | editar código-fonte]

Retornando a Espanha, foi para o Club Deportivo Castellón , mas em pouco tempo estava de volta ao Brasil.[1]

Bahia - Eterno Ídolo[editar | editar código-fonte]

No Bahia o número 15, Raudinei saiu do banco de reservas, no intervalo da partida, para ser o eterno ídolo tricolor ao marcar o gol do bicampeonato baiano num Ba-Vi aos 46 minutos do 2° tempo, empatando a partida em um a um e tornando-se herói da torcida, em 7 de agosto de 1994, diante de um público de mais de 100 mil torcedores.[4] Equipe do Bahia nesta final: Jean; Odemilson, Advaldo, Missinho e Serginho; Maciel (Raudinei), Souza, Ueslei e Paulo Emílio; Zé Roberto (Naldinho) e Marcelo Ramos; Técnico: Joel Santana.[5]

Ida ao Japão[editar | editar código-fonte]

Depois do sucesso no Bahia, resolveu ter novas experiências no Continente Asiático,desta vez no Kyoto Purple Sanga do Japão, ficando apenas uma temporada, retornando em 1997, aos 32 anos de idade para o Juventus.[1]

Final da Carreira no Brasil[editar | editar código-fonte]

Durante dois anos e alguns meses Raudinei teve passagens por oito clubes, não conseguindo mais manter a sua regularidade[1] e ainda foi suspenso por três meses em 1999 defendendo o União São João de Araras, por seu exame anti-dopagem acusar a substância proibida EAA - Esteróides Androgênicos Anabólicos ou simplesmente anabolizantes;[6] onde decidiu encerrar sua carreira de atleta profissional aos 34 anos.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Família[editar | editar código-fonte]

Raudinei é casado com a jornalista[1] Cristina Strutz Freire com quem tem um filho chamado Felipe.[11]

Referências

Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.