Robert Anton Wilson

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Robert Anton Wilson

Robert Anton Wilson ou RAW (Nova Iorque, 18 de janeiro de 1932 - 11 de janeiro de 2007) foi um escritor, filósofo, psicólogo, futurista, anarquista e pesquisador das teorias de conspiração estadunidense.

Em 22 de junho de 2006 o blogger Paul Krassner divulgou que Robert A. Wilson estaria já internado em casa sob cuidados médicos com amigos e família.[1]

Obras[editar | editar código-fonte]

Seu trabalho mais conhecido, "The Illuminatus Trilogy" (sem publicação em português), em co-autoria com Robert Shea, foi divulgado como "um conto de fadas para paranóicos", e examinou com bom-humor a paranoia americana sobre conspirações. Muito do seu material surgiu a partir de cartas enviadas à revista Playboy enquanto ele e Shea trabalharam lá como editores do fórum da Playboy. Embora nunca mais tenham trabalhado juntos no mesmo nível, Wilson continuou a expandir sua carreira de escritor em temas como o do livro "Illuminatus!".

Em Cosmic Trigger (1977) (no Brasil, O gatilho cósmico – O derradeiro segredo dos Illuminatti), ele examinou o Discordianismo, Sufismo, Futurologia, Zen-budismo, as práticas ocultistas de Aleister Crowley e Georg Ivanovitch Gurdjieff, os Illuminati e a Maçonaria, Yoga, e outras filosofias esotéricas ou a contracultura. Ele defendeu o modelo dos oito circuitos da consciência de Timothy Leary e a engenharia neurosomática/linguística em seu trabalho Prometheus Rising (1983, revisado em 1997) (no Brasil A Ascensão de Prometeus) e Quantum Psychology (1990) (no Brasil Psicologia Quântica), livros contendo técnicas práticas para que uma pessoa se liberte de seus túneis de realidade.

Ironicamente, considerando as críticas e caricaturas que faz da new age, seus livros podem ser encontrados em livrarias especializadas em material da new age. Ele afirmou ter tido percepções de encontros com "entidades" mágicas, e quando questionado se essas entidades seriam "reais", respondeu que elas eram "reais o suficiente", embora "não tão reais quanto os IRS (receita federal americana)" já que estes são "fáceis de se livrar". Ele advertiu os iniciantes quanto a usar práticas ocultistas, pois se apressar em tais práticas e nas energias delas resultantes pode levar uma pessoa a ficar "bem doida". Ao invés, ele recomenda iniciar com a Programação Neurolinguística, Zen-budismo, meditação básica, etc., antes de progredir para atividades mais potencialmente perturbadoras.

Wilson teve um relacionamento duradouro com a Associação para Exploração da Consciência, iniciando em 1982. Ele foi o orador da abertura de sua sede em 1984 e compareceu em vários Festivais Starwood. Foi lá que Wilson teve o primeiro diálogo em um palco com seu grande amigo Timothy Leary em 1989, intitulado A Fronteira Interior.

Em uma entrevista de 2003 à revista High Times, RAW se descreveu como um "Agnóstico Modelo" que ele diz consistir de "nunca olhar para qualquer modelo ou mapa do universo com crença de 100% ou negação de 100%. Seguindo Korzybski, eu coloco as coisas em probabilidades, não em certezas… Minha única originalidade reside em aplicar esta atitude zetética fora do âmbito da mais complexa das ciências complexas, a Física, em ciências menos complexas e então nas não-ciências como a Política, Ideologia, vereditos do júri e, é claro, na teoria da conspiração." Mais ele simplesmente alega "não acreditar em nada, desde que crença é a morte do pensamento". Ele tem descrito essa abordagem como "Maybe Logic" (Lógica do Talvez). Wilson escreveu artigos para a revista cyberpunk de vanguarda chamada Mondo 2000.

Enquanto ele publicou material principalmente sob o nome Robert Anton Wilson, também usou os codinomes Mordecai Malignatus, Mordecai the Fool (Mordecai o Tolo), Reverendo Loveshade e outros nomes associados aos Illuminati da Baviera, os quais ele supostamente ressuscitou nos anos 60.

RAW ocupa o posto de diretor do Comitê para Investigação Surrealista da Reclamação do Normal (Comittee for Surrealist Investigation of Claims of the Normal - CSICON) e apareceu em eventos de Desinformação.

Ele tem adotado perante a vida uma atitude de otimismo, alegria, amor e bom humor.

Maybe Logic: As Vidas e Amores de Robert Anton Wilson (Maybe Logic: The Lives and Loves of Robert Anton Wilson – sem publicação em português), um documentário lançado em 30 de maio de 2006 nos Estados Unidos, cobre trechos de mais de vinte e cinco anos da vida de Wilson.[2]

Notas e referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Livros publicados no Brasil[editar | editar código-fonte]

  • Wilson, Robert Anton; O gatilho cósmico - O derradeiro segredo dos Illuminati; 1ª edição; 252 páginas; Editora Madras; 2004; ISBN 85-7374-800-1
  • Wilson, Robert Anton; A nova inquisição; 1ª edição; 272 páginas; Editora Madras; 2004; ISBN 85-7374-785-4
  • Wilson, Robert Anton; Futuro proibido; 1ª edição; 223 páginas; Editora Conrad; 2003; ISBN 85-8719-389-9
  • Wilson, Robert Anton; A ascensão de Prometeus; 1ª edição; 252 páginas; Editora Eleusis; 1993; ISBN 85-85648-01-5
  • Wilson, Robert Anton; Psicologia quântica; 1ª edição; 190 páginas; Editora Madras; 2007; ISBN 85-37001-71-4

Discografia parcial[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Robert Anton Wilson