Rodox

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde julho de 2013). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Rodox
Informação geral
Origem Brasília, DF
País  Brasil
Gênero(s) Hardcore punk
Punk rock
Nu metal
Rap metal
Rock alternativo
Reggae
Período em atividade 2002 - 2004
Gravadora(s) Warner Music
Integrantes Rodolfo Abrantes
DJ Bob
Fernando Schaefer
Marcelo Magal
Marcus Ardanuy
Patrick Laplan
Pedro Nogueira
Canisso

Rodox foi uma banda brasileira de Hardcore Punk/Nu Metal formada em 2002 em Brasília[1], foi o segundo projeto musical de sucesso liderado por Rodolfo Abrantes, antigo líder dos Raimundos. Misturando o ska, punk e nu metal.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Rodolfo, depois de sair dos Raimundos, no auge da carreira, ausentou-se por algum tempo do cenário musical. Muitos pensavam que ele não iria mais tocar, mas nesse período ele estava compondo, tocando e gravando hip hop junto ao DJ Bob (Daniel Scviero). Depois as músicas foram mudando de forma e Tom Capone foi chamado para produzir e tocar, para a bateria Fernando Schaefer (ex-Pavilhão 9 e Korzus). Em cinco dias, nasce Rodox.[2] Para iniciar a turnê, se juntaram ao trio o experiente Patrick Laplan (Eskimo, Los Hermanos, Trêmula, Biquini Cavadão) no baixo, Marcus Ardanuy (ex-roadie dos Raimundos, Tork) na guitarra, e por fim Pedro Nogueira (atual Luxúria) na outra guitarra. A banda foi rotulada por alguns como rock cristão,[3] em virtude da faixa que abre o CD, "Olhos Abertos" e também "Cego de Jericó". Mas nas faixas seguintes era possível ouvir hardcore/punk rock de todo tipo, nova-iorquino, estilo Skate, etc. No CD também existem reggaes pesados ("Continuar de pé"), baladas ("Quem tem coragem não finge"), hip hop com rock ("3 reis", dividida em três vocais, Rodolfo, o rapper Xis, e Marcelo Falcão, de O Rappa).

Rodox estava nascendo, com um estilo próprio e de grande qualidade, com todas as músicas compostas por Rodolfo. Rodox saiu em turnê, fazendo shows e atraindo fãs. O CD de estreia, batizado de "Estreito", deu origem a quatro músicas de trabalho: "Olhos abertos", "Dia quente", "Quem tem coragem não finge" e "De uma só vez". Depois de vários shows bem aproveitados pela banda, e da gravação do segundo álbum homônimo, em 2003, veio a primeira triste notícia: Pedro Nogueira, o guitarrista da banda, anunciou sua saída do Rodox por diferenças musicais com o estilo da banda. Marcelo Magal, ex-guitarrista da banda Dick Vigarista, entra em seu lugar. Tudo parecia estabilizado, quando dias depois da saída de Pedro, Patrick Laplan anunciou também a sua saída do Rodox, afirmando estar insatisfeito com o funcionamento da banda. Rodox continuou com seus shows, com Marcelo e Marcus Ardanuy assumindo o baixo. Com o passar do tempo houve muitos boatos no fórum da banda sobre uma possível reunião de Rodolfo e Canisso, que havia deixado os Raimundos. Os rumores se concretizaram e a nova música de trabalho, "Foi Bom Esperar", já contou com Canisso no clipe. O segundo álbum lançado foi Rodox em 2003.[4]

Fim da Banda[editar | editar código-fonte]

Sábado, 7 de agosto de 2004, foi realizado o último show do Rodox, no Rock in Rio Café de Salvador, na Bahia. Fontes informaram que lá pela quarta música Fernandão (que desde o início do show parecia irritado com algo) literalmente chutou a bateria, tendo a banda inteira saído do palco.[5] O então vocalista da banda Rodolfo falou apenas "boa noite, obrigado" e saiu do palco deixando os fãs que foram conferir a banda que tinha mais de um ano que não tocava na cidade sem entender o que estava acontecendo. O baterista retornou algum tempo depois para pedir desculpas e comunicar que tudo estava acabado. No dia seguinte, apareceu no fórum da banda mensagem creditada ao baterista Fernandão falando sobre o fim da banda e o seu relacionamento com Rodolfo. Comentando o fim da banda Rodox, que havia anunciado há alguns dias, Rodolfo publicou uma mensagem falando sobre o preconceito de rotular a banda como gospel, e que além disso, buscou nos integrantes mostrar o caminho de Deus, sem sucesso.[6][7] Ainda agradeceu a todos os fãs que o seguiram na jornada dentro do Rodox. E terminou o texto com a frase: "A vida continua e quem está na linha vai seguir."[8]

Terceiro disco[editar | editar código-fonte]

Em 2004, o Rodox estava em estúdio trabalhando no terceiro álbum, que nunca foi concluído, existem boatos, que surgiram através de uma entrevista com o Rodolfo Abrantes, em que ele diz ter colocado vocais em 2 músicas, inclusive informando aos fãs que pedissem com jeitinho ao Fernandão, que ele as liberaria. Fernando Schaefer negou a informação, falando que apenas os instrumentais estavam prontos, e em pouco tempo criou a proposta de aproveitá-los com um novo vocalista, que seria escolhido através de um concurso em sua página do myspace, o que acabou não acontecendo.

Atualmente[editar | editar código-fonte]

Rodolfo Abrantes atualmente é pregador evangélico da Igreja Bola de Neve, e frequentemente sai em viagens por igrejas compartilhando a sua história. Pela Bola Music, selo pertencente à igreja, lançou 4 discos-solo: Santidade ao Senhor (2006) , Enquanto é Dia (2007), Ao Vivo (2010) que conta com musicas dos seus discos anteriores, e R.A.B.T. Rompendo as barreiras do Templo (2012).

Patrick Laplan produziu o disco de estreia do Eskimo, do artista João Capdeville, e de grupos como R.Sigma, Fleetign Circus, Planar, Sound Bullet, Pedro Veríssimo, entre outros. Seguiu em turnê e gravou com Biquini Cavadão entre o fim de 2000 ao fim de 2009. Hoje além de produtor, é compositor de música original para cinema, e toca com João Capdeville, e eventualmente com Filipe Ret.

Pedro Nogueira integrou a banda Luxúria, trabalhou na gravação do segundo disco da banda, mas como o disco não saiu, acabou acompanhando a vocalista Meg Stock em carreira solo e hoje integra a banda Helga.

Marcus Ardanuy está atualmente na banda Tork.

Marcelo Magal Logo depois do fim do Rodox entrou para banda O Surto. Em 2006 lançou o disco " De Onde foi que paramos mesmo? " no qual teve oportunidade de coproduzir. Por divergências de opinião acabou deixando a banda em 2008. Montou seu estúdio e se integrou na produtora Cinderellas onde realiza trabalhos como produtor. No mesmo ano foi convidado para produzir o segundo DVD do Biquini Cavadão ( 80 Vol. II ). 2009 foi convidado pra tocar nos shows do Biquini, só que dessa vez como baixista.

Fernando Schaefer voltou a integrar suas bandas Treta e Pavilhão 9, depois montou a banda Endrah e atualmente participa das bandas Paura e Worst.

Canisso retornou ao Raimundos, além de fazer parte do projeto Rockafellas, com Jean Dolabella (ex-baterista do Sepultura), Marcão (ex-guitarrista do Charlie Brown Jr.) e Paul Di'Anno (ex-vocalista do Iron Maiden).

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Última formação[editar | editar código-fonte]

Ex-integrantes[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio

Álbum Ao Vivo

  • Rodox Ao Vivo em Curitiba (2004)

Videografia[editar | editar código-fonte]

  • Dia Quente
  • Quem Tem Coragem Não Finge
  • Olhos Abertos
  • De Uma Só Vez
  • De Costas Para o Mar
  • Foi Bom Esperar
  • Segue a Linha

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]