Rolo (Mauricio de Sousa)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Novembro de 2015). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Rolo
Morada Rua dos Pinheiros
Idade 12 (primeira aparição), 20 (atualmente)
Origem Brasil
Sexo masculino
Ocupação estudante
Criado por Mauricio de Sousa
Série(s) Turma da Mônica, Turma da Tina
Primeira aparição 1972
Editor(es) Editora Abril
Editora Globo
Panini Comics
Projecto Banda desenhada  · Portal da Banda desenhada

Rolo é um personagem fictício de Maurício de Sousa, integrado a Turma da Tina. Foi criado como um pré-adolescente com visual hippie em 1972 servindo de coadjuvante para Tina. O visual de Rolo foi inspirado no de Márcio, irmão de Mauricio - já o nome veio dos "rolos"[1] em que ele se envolvia.[2] Ele, juntamente a Tina, protagonizavam sozinhos suas próprias histórias durante maior parte dos anos 70. A partir de 1977, as suas roupas perderam o aspecto hippie, ele foi encarnado como um adolescente moderno, atrapalhado e mulherengo. Nos anos 80 e 90 passou a ter o Zecão como melhor amigo. No início dos anos 2000, Rolo demonstrou preocupação com a faculdade e com o seu futuro. Recentemente, o personagem se tornou estudante de jornalismo.

Publicação[editar | editar código-fonte]

Rolo foi publicado inicialmente em tiras diárias no jornal "Folha da Manhã" (atual "Folha de S.Paulo") nos anos 1970, ainda no visual hippie, juntamente com Tina. Ele serviu para focar mais as histórias sobre a cultura hippie, ajudando a Tina a vender miçangas nas ruas, além de ter sido bem mais calmo. No entanto a partir de 1975 ele deixou a cultura e juntamente de Tina passou por uma fase de histórias mais infantis até 1977 quando ganhou novas roupas e passou a contracenar mais com a Pipa do que com a Tina.

Nos anos 80 ganhou uma personalidade que se tornou fixa por vários anos, um jovem entre 18 e 20 anos, atrapalhado, paquerador e por vezes azarado, formou amizade com Zecão ao longo dos anos e um amor a rock a ponto de querer montar sua própria banda. Ele também passou a fazer faculdade de jornalismo junto a Tina. Durante um tempo também chegou a andar de moto.

A primeira revista em que o nome 'Rolo' foi estampado na capa, foi na publicação "Gibizinho" (1991), já extinto. Nesta mesma publicação, Rolo ganhou duas edições com o seu nome.

Características[editar | editar código-fonte]

No começo, Rolo tinha a barba e o cabelo unidos, em forma de uma flor bem redondos e azuis cobrindo boa parte de seu rosto. Ele tinha olhos redondos e separados, um nariz em forma de "C", camisa com listras vermelhas e amarelas horizontais, uma calça pescador verde, sandálias, e um medalhão da paz. Até 1975 Rolo foi esticando cada vez mais aparentando estar crescendo e seu queixo e bochechas foram ficando mais visíveis. A partir de 1977 com a era da Discoteca passou a vestir roupas mais modernas e aleatórias.

Em 2007, isto foi alterado: a sua orelha divide-os.

Família[editar | editar código-fonte]

Dona Rolinda[editar | editar código-fonte]

Mãezona, vive preocupada com as saideiras de seu filho. Odeia quando o seu marido se esquece do aniversário de casamento. Torce para que um dia, seu filho namore Tina.

Seu Carlos "Carlão" Rolando[editar | editar código-fonte]

Pai de Rolo, não se conforma que o filho já esteja crescido e vive relembrando os seus tempos de jovem. É executivo, e muitas vezes, por estar atolado de serviço, se esquece da vida de casado.

Tio Juvenal[editar | editar código-fonte]

Melhor amigo de Carlão e padrinho do Rolo. Na juventude, vivia caindo nas enrascadas do amigo e e lhe chamando a atenção por metê-lo em "rolos".

Referências

  1. "Rolo" é uma gíria do português brasileiro que se refere a "problemas, "questões"
  2. «Quem inspirou os personagens da Turma da Mônica?». Mundo Estranho. Editora Abril. Consultado em 22 de novembro de 2015.