Turma da Mata

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Turma da Mata é um grupo de personagens criados por Mauricio de Sousa. São todos animais antropomórficos e humanoides vivendo em uma mata, representando um misto de hierarquia humana e selvagem.

Originalmente o protagonista das histórias era Raposão durante os anos 60, porém com o sucesso comercial de Jotalhão, elefante verde que se transformou em garoto-propaganda da marca de extrato de tomate Elefante da Cica, o personagem passou a ser o mais querido entre o público. Mas atualmente a série não tem um protagonista específico, pois cada é protagonizada por um personagem diferente, tanto que ao contrário das outras criações de Mauricio esta não leva o título de nenhum personagem da mesma.

Personagens[editar | editar código-fonte]

Principais[editar | editar código-fonte]

  • Jotalhão (1962): o protagonista do clã é um elefante verde e desajeitado, amigo de todos e que sempre protege a mata de caçadores. De tão simpático, transformou-se em símbolo do extrato de tomate Elefante da Cica e protagonizou comerciais da marca, juntamente com Mônica. A música do comercial dizia "Ô Mônica, abrace o elefante...". Até hoje, é o garoto-propaganda daquele extrato de tomate[1].
  • Raposão (1961): uma raposa, muitas vezes retratada com um malandro da Mata. Grande amigo de Jotalhão e compadre do Coelho Caolho, é esperto e adora ficar sem fazer nada.
  • Coelho Caolho (1961): compadre de Raposão e Jotalhão. Usa óculos de lentes bem grossas e, como todo bom coelho, seu problema é ter mais filhos do que pode controlar - 118 no total[2]. Apesar do nome, tem os dois olhos.
  • Tarugo (1970): um tartarugo de óculos que tem uma carapaça conversível, que permite que sua cabeça saia pelo meio ao invés de pela frente, como as tartarugas normais. Recentemente tem se mostrado bastante estressado por viver sendo perturbado, intencionalmente ou não, pelos inúmeros filhotes do Coelho Caolho.
  • Rita Najura (1970): uma formiga apaixonada pelo elefante Jotalhão. Tenta de todas as formas casar-se com este, com o argumento de que o amor é cego e que não importa a diferença de tamanho entre os dois.
  • Rei Leonino (1972): o soberano da Mata, um leão-rei de olhos verdes que usa sempre uma coroa na cabeça e um cetro nas mãos. O seu palácio real é uma caverna em meio à Mata. É atuante, majestático e imponente. Às vezes intolerante com seus súditos, ainda está longe de ser um déspota.
  • Luís Caxeiro (1974): um ouriço azul. O primeiro-Ministro do reino, o Ministro do Leva-e-Traz e o puxa-saco oficial do rei Leonino. Deve morar no palácio real, pois nunca sai dele.

Secundários[editar | editar código-fonte]

  • Coelhinhos (1977): salvo uma ou outra coelhinha, a grande maioria dos filhotes são coelhinhos mesmo. Na última contagem totalizaram 118[2].
  • Dona Coelha (1977): a esposa do Coelho Caolho, dedica todas as 24 horas do seu dia para tomar conta de seus filhotes.
  • Dona Corujoca (1970): fica acordada toda a noite e dorme durante o dia. É laranja, usa um chapéu de professor e é a mais sábia da Mata.
  • Macacos-Súditos: micos bem treinados para servir o rei Leonino. Guardam o palácio real bem como o próprio monarca.
  • Saulvo (1970): também uma formiga, mas macho e apaixonado pela Rita Najura. Dizem que ele odeia o Jotalhão, já foi chamado pela Rita Najura de Miudinho.
  • Zé Fuinha e Zé Furão (1970): São uma dupla de ratos pilantras da mata. Tentam passar a perna e roubar dos habitantes, principalmente do Jotalhão, porém sempre se dão mal. Zé Fuinha é o chefe magrinho e razinza, enquanto Zé Furão é o cúmplice bobalhão e gordão. Tiveram algumas poucas aparições e foram esquecidos com o tempo.
  • Mico Lino: um mico esperto que tenta passar a conversa nos cidadãos, mas acaba se dando mal. Às vezes é chamado de Mico Nico.
  • Tuta Tatu: outra habitante da Mata. De boa índole, contudo adora trocar tudo que carrega por algo menos importante.
  • Dona Serpente: uma cobrinha metida, que sempre quer ser o centro das atenções.
  • Monão: uma mistura de macaco com homem das neves, é um ermitão que mistura poções para ajudar seus amigos da Mata.
  • Kongo: um gorila ranzinza da Mata.
  • Pappa: um patinho pequeno da Mata.
  • Seriema: a seriema fofoqueira da Mata.
  • Juca Ratinho: um raro personagem – adorava assustar Jotalhão nas primeiras tiras de jornais.
  • Dalva: uma formiga, amiga da Rita Najura.
  • Dra. Sarah Kura: médica vista em uma história em que Kongo dobrou a tromba de Jotalhão e ela ajudou-o a encontrar um novo nariz – dentre eles o nariz de Coelho Caolho, o de Rodrigo Santoro e o bico dela mesma.

Extrato de tomate[editar | editar código-fonte]

O extrato de tomate "Elefante" já existia, quando Mauricio publicou uma tira em que mostra a Mônica puxando um elefante e o Cebolinha dizendo que achava que sua mãe havia pedido "massa de tomate", uma evidente piada com o nome do extrato. Os publicitários da Proeme, que detinha a conta da CICA, dona do extrato, gostaram da tira e se interessaram em usar o elefante como símbolo[3].

Referências

  1. Crônica 94 - "O primeiro elefante a gente nunca esquece."
  2. a b «Turma do Mauricio». Superinteressante. Editora Abril. 2004. Consultado em 22 de novembro de 2015. 
  3. [1]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]