Rust in Peace

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rust in Peace
Álbum de estúdio de Megadeth
Lançamento 24 de setembro de 1990
Gravação 1989 – 1990
Gênero(s) Thrash metal
Duração 40:48
57:09 (Remasterizado)
Gravadora(s) Capitol Records
Produção Dave Mustaine e Mike Clink
Cronologia de Megadeth
So Far, So Good... So What!
(1988)
Maximum Megadeth
(1991)

Rust in Peace é o quarto álbum de estúdio da banda norte-americana de Thrash metal, Megadeth.

Lançado pela Capitol Records em 1990. Um versão remixada e remasterizada, apresentando algumas faixas bônus, foi lançada em 2004.

Dave Mustaine chegou a dizer que Rust in Peace foi o primeiro álbum que o Megadeth fez realmente como uma banda.

Recepção[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
allmusic 4.5 de 5 estrelas. [1]
Rolling Stone 4 de 5 estrelas. [2]
The Metal Observer 10 de 10 estrelas. [3]
MetalReviews 9.5 de 10 estrelas. [4]
Tartarean Desire 9 de 10 estrelas. [5]

Rust in Peace é o magnum opus da banda. O álbum foi muito bem aceito pelos fãs e pela crítica.

É considerado um clássico do thrash metal. Alguns o apontam, ao lado de Master of Puppets do Metallica, Reign in Blood do Slayer e Among the Living do Anthrax como o melhor de toda história desse estilo. Críticos destacaram a qualidade sonora superior à de seus antecessores, as letras mais complexas e o estilo parcialmente progressivo adotado pela banda. O Megadeth recebeu disco de platina pelo álbum em 1994 e recebeu indicações ao Grammy em 1991 e 1992 por Melhor Performance de Metal. Rust in Peace foi incluído no livro dos 1001 álbuns que você precisa ouvir antes de morrer. Foi a turnê de Rust in Peace que trouxe o Megadeth pela primeira vez ao Brasil, onde o grupo se apresentou na segunda edição do Rock in Rio, realizado no Maracanã, em janeiro de 1991.

O álbum foi um sucesso de vendas pelo mundo, ficando por várias semanas no Top 10 dos Estados Unidos. Produziu singles como "Hangar 18" e "Holy Wars... The Punishment Due". Em 2017, foi eleito o 19º melhor álbum de metal de todos os tempos pela revista Rolling Stone.[6]

Problemas com o remaster de 2004[editar | editar código-fonte]

Em 2002, Dave Mustaine remasterizou o primeiro álbum do Megadeth, Killing Is My Business... and Business Is Good!. Empolgado com a recepção positiva da versão remasterizada, começou a trabalhar na remasterização dos álbuns subsequentes do Megadeth que haviam sido gravados com a Capitol Records, que vão até o Risk. A versão remasterizada de Rust in Peace foi lançada em 2004 com uma sonoridade diferente, quatro faixas bônus e a arte da capa ligeiramente modificada.

Durante o processo de remixagem do álbum, Mustaine descobriu que as faixas contendo os vocais de "Take No Prisoners", "Rust in Peace... Polaris", "Five Magics" e "Lucretia", estavam faltando. Takes alternativos que haviam sido gravados na época foram usados em "Lucretia" e "Five Magics", mas nas outras três faixas, Mustaine teve que gravar novos vocais, o que desagradou muitos fãs.

Tema das músicas[editar | editar código-fonte]

  • Holy Wars... The Punishment Due mostra como as guerras santas são internas e como realmente não importa em que países elas aconteçam.
  • Hangar 18 fala sobre a Área 51, uma área dos Estados Unidos reservada para supostas pesquisas de extraterrestres.
  • Take No Prisoners fala sobre guerras e soldados que acabam ficando contra seu próprio país.
  • Five Magics é sobre um homem que aprende a usar mágicas. "Five Magics" é um termo de magia antigo, que diferenciava bons e maus magos.
  • Poison Was The Cure fala dos problemas que Mustaine tinha com o vício em heroína.
  • Lucretia fala sobre fantasmas que viviam no sótão de Mustaine.
  • Tornado of Souls fala sobre quando Mustaine terminou com Diana, sua ex-noiva com quem ficou junto por 6 anos. Isso fica bem claro na parte Esta manhã eu fiz uma ligação, Para acabar com tudo isso, Desliguei o telefone, e quis chorar, Mas droga, este poço secou.
  • Dawn Patrol fala sobre a destruição do mundo. O motivo são as armas nucleares.
  • Rust in Peace... Polaris ocorreu a Dave Mustaine quando ele estava dirigindo para casa vindo de Lake Elsinore. Ele estava dirigindo muito próximo ao carro da frente que tinha no pára-choque um adesivo que dizia: "Tomara que todas as ogivas nucleares enferrujem em paz". Dave tomou aquilo como uma frase forte e imaginou aquelas velhas ogivas estocadas na praia com crianças pichando-as.

Legado[editar | editar código-fonte]

As faixas "Holy Wars... The Punishment Due" e "Hangar 18" tornaram-se quase adições permanentes ao conjunto vivo do Megadeth, e são umas das canções favoritas dos fãs. No início de 2010, a banda anunciou uma turnê para celebrar o vigésimo aniversário da Rust in Peace. A turnê foi de 1 de março a 31 de março de 2010 e incluiu 22 shows. Devido à esmagadora resposta positiva, a banda anunciou que iria continuar a executar o álbum inteiro no Sul e América Central datas da turnê que estavam a seguir. Coincidentemente, há muito tempo o ex- baixista e fundador membro da banda Dave Ellefson, que deixou a banda em 2002, voltou a uma banda pouco antes do começo da viagem. Ele substituiu James Lomenzo, provocando ainda mais interesse na turnê. Ellefson declarou em uma entrevista para a Classic Rock Magazine que o baterista do Megadeth Shawn Drover entrou em contato com ele e afirmou que o baixista James Lomenzo estava deixando a banda, e que "se alguma vez houve um tempo para você e Dave falar, é agora ".

Faixas[editar | editar código-fonte]

N.º Título Compositor(es) Duração
1. "Holy Wars... The Punishment Due"   Mustaine 6:32
2. "Hangar 18"   Mustaine 5:11
3. "Take No Prisoners"   Mustaine 3:27
4. "Five Magics"   Mustaine 5:39
5. "Poison Was the Cure"   Mustaine 2:56
6. "Lucretia"   Ellefson, Mustaine 3:56
7. "Tornado of Souls"   Ellefson, Mustaine 5:19
8. "Dawn Patrol"   Ellefson, Mustaine 1:51
9. "Rust in Peace... Polaris"   Mustaine 5:44
Duração total:
40:35

Componentes[editar | editar código-fonte]

Desempenho nas paradas e vendas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Avaliação no allmusic
  2. Avaliação na Rolling Stone
  3. Avaliação no The Metal Observer
  4. Avaliação no MetalReviews
  5. Avaliação no Tartarean Desire
  6. Sheffield, Rob (21 de junho de 2017). «100 Greatest Metal Albums of All Time». Rolling Stone (em inglês). Wenner Media LLC. Consultado em 22 de junho de 2017 
  7. a b c d e f «Megadeth - Rust in Peace». australian-charts.com. Consultado em 24 de outubro de 2013 
  8. a b «Megadeth — Awards». AllMusic. Consultado em 24 de outubro de 2013 
  9. «メガデス-ORICON STYLE ミュージック» (em Japanese). Oricon. Consultado em 30 de setembro de 2008 
  10. «Chart Stats — Megadeth». Chart Stats. Consultado em 24 de fevereiro de 2013. Cópia arquivada em 30 de maio de 2012 
Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de Megadeth é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.