Síndrome complexa de dor regional

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A síndrome complexa de dor regional (SCDR), é uma síndrome de dor intensa em forma de queimação, que persiste após lesão nervosa traumática, principalmente periférica, associada com disfunção vasomotora, sudomotora e alterações tróficas tardias. Ela também é conhecida pelos termos síndrome da dor regional complexa (SDRC) e síndrome dolorosa complexa regional (SDCR).

A causa desta síndrome ainda é desconhecida, embora a SCDR seja associada com uma desregulação do Sistema Nervoso Central (SNC) e sistema nervoso autônomo, resultando em múltiplas perdas funcionais, deficiência e incapacidade. Fatores que a desencadeiam incluem ferimentos e cirurgia, embora existam casos documentados que não apresentavam nenhum ferimento no local[1].

A SCDR não é causada por fatores psicológicos, no entanto, a dor constante e a redução na qualidade de vida têm sido associadas a uma maior incidência de depressão e ansiedade[2].

A dor pode afetar inicialmente um membro, e depois se espalhar pelo corpo. 35% dos pacientes relatam sintomas afetando seu corpo todo[3].

O seu tratamento é difícil, devendo ser realizado um tratamento multidisciplinar com medicamentos, fisioterapia, terapia ocupacional, tratamentos psicológicos e neuromodulação. O tratamento é muitas vezes muitas vezes insatisfatório, especialmente com a demora de seu início[4].

Tipos[editar | editar código-fonte]

Em 1994, a Associação Internacional para o Estudo da Dor (IASP) propôs a subdivisão por tipos da SCDR, de acordo com a presença ou não de lesão nervosa:[5]

  • Tipo I, anteriormente conhecida como distrofia simpático-reflexa, atrofia de Sudeck, distrofia neurovascular reflexa, ou algoneurodistrofia, não apresenta lesão nervosa.
  • Tipo II: anteriormente conhecida como causalgia, apresenta evidência patente de lesão nervosa.

Referências

  1. Weissmann, Rotem; Yosef (1 de janeiro de 2016). «Pediatric complex regional pain syndrome: a review». Pediatric Rheumatology Online Journal. 14 (1). 29 páginas. doi:10.1186/s12969-016-0090-8. ISSN 1546-0096. PMID 27130211 
  2. Lohnberg, Jessica A.; Elizabeth M. (1 de junho de 2013). «A review of psychosocial factors in complex regional pain syndrome». Journal of Clinical Psychology in Medical Settings. 20 (2): 247–254. doi:10.1007/s10880-012-9322-3. ISSN 1573-3572. PMID 22961122 
  3. Schwartzman, Robert J.; Kirsten L. (1 de maio de 2009). «The natural history of complex regional pain syndrome». The Clinical Journal of Pain. 25 (4): 273–280. doi:10.1097/AJP.0b013e31818ecea5. ISSN 1536-5409. PMID 19590474 
  4. «Neuropathic Pain». Consultado em 5 de setembro de 2016 
  5. DISTROFIA SIMPÁTICO REFLEXA/CAUSALGIA

PORTO, Celmo celeno. Semiologia Médica. 5ª edição Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005: 69-71

Ícone de esboço Este artigo sobre Patologia (doença) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.