Sadi Cabral

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde Abril de 2012).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Sadi Cabral
Nome completo Sadi Sousa Leite Cabral
Nascimento 10 de setembro de 1906
Maceió, AL
Morte 23 de novembro de 1986 (80 anos)
São Paulo, SP
IMDb: (inglês)

Sadi Sousa Leite Cabral[1] (Maceió, 10 de setembro de 1906São Paulo, 23 de novembro de 1986) foi um ator brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Sadi Cabral veio para o sul do país ainda bem jovem e em 1923, já no Rio de Janeiro, começou no teatro, trabalhando em várias comédias. Em 1936 teve a oportunidade de participar do elenco do filme "Bonequinha de Seda", de Oduvaldo Vianna.

A partir daí, integrou vários elencos de revistas no teatro e entrou para o TBC em 1956 atuando ao lado de Cacilda Becker. Foi pioneiro no rádio, onde introduziu as radionovelas com base em romances e textos teatrais.

Ele nunca foi galã, mas se tornou um ator imprescindível tanto no teatro como no cinema e na TV desde seus primeiros movimentos. No cinema, depois de "Bonequinha de Seda" ele fez trabalhos marcantes em "Inconfidência Mineira", "A Escrava Isaura", "O Pecado de Nina", "Rio 40 graus", "Mãos Sangrentas", "Cinco Vezes Favela", "Lampião, o Rei do Cangaço", "Chuvas de Verão" e "Perdoa-me por Me Traíres", entre muitos outros.

Na televisão, Sadi Cabral estrearia no início dos anos 50 nos teleteatros da TV Tupi e em telenovelas apenas em 1967 em "Paixão Proibida", telenovela escrita por Janete Clair para a TV Tupi, mas ganhou projeção nacional ao viver o Seu Pepê na novela "Minha Doce Namorada" na TV Globo na década de 1970. Seu último trabalho na televisão foi em "Maçã do Amor", novela exibida pela TV Bandeirantes.

Faleceu aos 80 anos, vitimado por uma parada cardíaca.

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Festival de Brasília - 1967

Carreira[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Antônio Pitanga
por A Grande Cidade
Troféu Candango de Melhor Ator Coadjuvante
por O Matador

1967
Sucedido por
Raul Cortez
por Capitu
Ícone de esboço Este artigo sobre um ator é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.