Sandro Pallaoro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Sandro Luiz Pallaoro (Pato Branco, PR, 1966 - 28 de novembro de 2016) foi um empresário brasileiro, mais conhecido por ter sido o presidente da Chapecoense entre novembro de 2010 e novembro de 2016, e de uma empresa de ramo agrícola da região de Chapecó, a Pallaoro Alimentos. Foi uma das 71 vítimas fatais do voo 2933 da LaMia.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Sandro foi eleito presidente da Chapecoense em novembro de 2010, momento em que o clube disputava a Série C do Campeonato Brasileiro, substituindo a Associação de Atletas e Colaboradores da Chapecoense, responsável pela manutenção da equipe.[1] Foi considerado como um dos principais responsáveis pela ascensão meteórica da equipe catarinense, a qual ingressou na primeira divisão do Brasileirão de 2014 e chegou à final da Copa Sul-Americana de 2016.[1] Em 2015, foi eleito o Empresário do Ano pela Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC).[2]

Em 28 de novembro de 2016, Sandro e grande parte dos dirigentes embarcaram no Voo LaMia 2933, ao serviço da Associação Chapecoense de Futebol, proveniente de Santa Cruz de la Sierra, Bolívia e com destino ao Aeroporto Internacional José María Córdova em Rionegro, Colômbia, onde o clube disputaria a primeira partida da Final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional.[3] Por volta das 22h15, no horário local, a aeronave caiu, matando 71 das 77 pessoas que estavam a bordo, tendo por passageiros, atletas, equipe técnica e diretoria da Chapecoense, jornalistas e convidados.[4][5] Sandro foi uma das vítimas fatais.[6]

Após a sua morte, tornou-se referência como um dos principais representantes da história da Chapecoense e teve seu nome ovacionado durante as homenagens na Arena Condá.[7][8] Foi velado juntamente com todas as vítimas em um velório coletivo em Chapecó no dia 3 de dezembro, tendo seu corpo sido enterrado no cemitério Jardim do Éden, na mesma cidade, no dia seguinte.[9]

Referências

  1. a b «CHAPECÓ - Presidente Sandro Pallaoro concorre à reeleição na Chapecoense». Roberto Lorenzon. Consultado em 11 de janeiro de 2017. Arquivado do original em 30 de novembro de 2016 
  2. «O clube e a empresa na vida de Sandro Pallaoro». ACI Chapecó. Consultado em 11 de janeiro de 2017 
  3. s/a (29 de novembro de 2016). «Avião com equipe da Chapecoense sofre acidente na Colômbia». G1. Consultado em 29 de novembro de 2016 
  4. «Veja lista de passageiros no avião da Chapecoense que caiu na Colômbia». Portal G1. 29 de novembro de 2016. Consultado em 7 de dezembro de 2016 
  5. «Lista de mortos». Portal G1. 30 de novembro de 2016. Consultado em 30 de novembro de 2016. Cópia arquivada em 30 de novembro de 2016 
  6. «Colômbia anuncia fim do resgate de avião: 71 mortos e seis sobreviventes». 29 de dezembro de 2016 
  7. «Explosivo, contra políticos e gestor do ano: o presidente que mudou a Chape». UOL. Consultado em 11 de janeiro de 2017 
  8. «Determinação do presidente Sandro Pallaoro levou Chape ao topo num intervalo de cinco anos». ND Online. Consultado em 11 de janeiro de 2017 
  9. «Presidente da Chapecoense, Sandro Pallaoro é enterrado em Chapecó». Estadão. Consultado em 11 de janeiro de 2017