Srečko Katanec

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Srečko Katanec
Srečko Katanec.jpg
Informações pessoais
Nome completo Srečko Katanec
Data de nasc. 10 de julho de 1963 (53 anos)
Local de nasc. Ljubljana, Iugoslávia
Altura 1,90 m
Informações profissionais
Posição Defensor (aposentado)
Treinador
Clubes de juventude
1970-1979 Jugoslávia Ljubljana
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1979-1981
1981-1985
1986-1988
1988-1989
1989-1995
Jugoslávia Ljubljana
Jugoslávia Olimpija Ljubljana
Jugoslávia Partizan
Alemanha Stuttgart
Itália Sampdoria
30 (1)
90 (2)
58 (3)
20 (2)
192 (4)
Seleção nacional
1983-1990
1995
Flag of SFR Yugoslavia.svg Iugoslávia
Flag of Slovenia.svg Eslovênia
31 (5)
5 (1)
Times/Equipas que treinou
1998
1998-2002
2002-2003
2006-2009
2009-2011
2013–
Eslovénia HiT/ND Gorica
Flag of Slovenia.svg Eslovênia
Grécia Olympiakos
Flag of Macedonia.svg Macedónia
Flag of the United Arab Emirates.svg Emirados Árabes Unidos
Flag of Slovenia.svg Eslovênia
{{{treinadorjogos}}}
Medalhas
Jogos Olímpicos
Bronze Los Angeles 1984 Equipe

Srečko Katanec (Ljubljana, 16 de julho de 1963) é um ex-futebolista esloveno, que atualmente é o técnico da Seleção Eslovena de Futebol.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Clubes[editar | editar código-fonte]

Entre os títulos que conquistou, destacam-se o campeonato iugoslavo de 1987, pelo Partizan Belgrado; o campeonato italiano de 1991 e a Recopa Européia de 1989 pela Sampdoria, clube pelo qual chegou à final da Copa dos Campeões da UEFA em 1992; também foi vice-campeão na Copa da UEFA de 1989, pelo Stuttgart.

Internacionalmente, destacou-se especialmente na Samp. Trazido pelo compatriota Vujadin Boškov, integrou a melhor fase da história da equipe de Gênova, em elenco que reunia os italianos Gianluca Pagliuca, Gianluca Vialli, Roberto Mancini, Pietro Vierchowod e Attilio Lombardo, o brasileiro Toninho Cerezo e o ucraniano Oleskiy Mykhailychenko; posteriormente, jogou também com o neerlandês Ruud Gullit.

Seleção(ões)[editar | editar código-fonte]

Pela antiga Seleção Iugoslava, jogou a Eurocopa de 1984 e foi medalha de bronze nas Olimpíadas do mesmo ano. [1] Convocado à Copa de 1990, tornou-se o terceiro esloveno a disputar o torneio (depois de Branko Oblak e Danilo Popivoda, ambos chamados no mundial de 1974), jogando 3 dos 5 jogos que a Iugoslávia disputou - seriam seus últimos por esta seleção. [2]

Pela recém-independente Eslovênia, disputou cinco partidas, embora uma única sendo jogo oficial, e marcou um gol, já em fim de carreira. A partida oficial, ocorrida em 1994, valia para as Eliminatórias da Eurocopa de 1996, contra a Itália. Terminaria precocemente a carreira de jogador de futebol ao final daquela temporada, quando seu contrato com a Sampdoria expirou, com apenas 31 anos.

Treinador[editar | editar código-fonte]

Em 1996, Katanec tornou-se técnico, inicialmente na Seleção Eslovena de Futebol Sub-21, como auxiliar, e no comando da equipe principal, conseguiu o feito de levar a Eslovênia a seus primeiros torneios oficiais como país independente, a Eurocopa 2000 e, principalmente, a Copa de 2002. Na Euro, os estreantes, após empate em 3 x 3 contra a Iugoslávia (chegaram a estar vencendo por 3 x 0) e derrota em 1 x 2 para a Espanha (quando tiveram o azar de sofrer o gol da derrota um minuto após terem empatado parcialmente a partida), terminaram eliminados na primeira fase, após empate sem gols contra a Noruega, que também terminou eliminada ali - ambos precisavam vencer para obter a classificação.

Nova queda na primeira fase veio na Copa da Coreia e do Japão, após conseguirem eliminar no grupo os rivais da Iugoslávia e, na repescagem, a tradicional Romênia. Na Ásia, entretanto, Katanec desentendeu-se com a estrela maior da equipe, o meia Zlatko Zahovič - que, inclusive, acabou chamando o treinador de "invejoso" - , após a derrota por 1 x 3 na estreia frente a Espanha. A eliminação veio já na segunda partida, após derrota de 0 x 1 para a África do Sul, e a despedida veio com nova derrota de 1 x 3, de virada, para o Paraguai. Após a Copa, foi contratado pela equipe grega do Olympiakos, ficando apenas uma temporada mesmo conquistando o campeonato grego.

Em 2006, passou a comandar outra seleção modesta surgida da Iugoslávia, desta vez a da Macedônia. Pediu demissão em abril de 2009, após um clima tenso entre os jogadores devido a um desentendimento que teve com o volante Goran Pandev (o "astro" da equipe) pouco antes de jogo em Amsterdã, contra os Países Baixos, válidos pelas Eliminatórias para a Copa de 2010; o jogo terminou em 4 x 0 para os neerlandeses, deixando os balcânicos em quarto lugar no grupo.

Mas Katanec não ficou muito tempo fora dos gramados: em junho, foi anunciado como o novo comandante da Seleção dos Emirados Árabes, sucedendo o francês Dominique Bathenay.

Referências

  1. «Perfil na Sports Reference». Consultado em 14 de fevereiro de 2016. 
  2. «Elenco na Copa de 1990». Consultado em 16 de fevereiro de 2016. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Trivela.com: Katanec se demite da seleção da Macedônia