Toyota Supra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Toyota Supra
Visão geral
Nomes
alternativos
Toyota Celica Supra
Toyota Celica XX
Produção 1978 - 2002
2019 - presente
Fabricante Toyota
Modelo
Classe Carro esportivo
Carroceria Cupê liftback de 3 portas
Ficha técnica
Motor 1JZ (terceira geração)
2JZ (quarta geração)
B58 (quinta geração, co-desenvolvido com BMW)
Layout Motor dianteiro, tração traseira
Cronologia
Toyota 2000GT
Toyota FT-HS

O Toyota Supra (em japonês: トヨタ・スープラ, Hepburn: Toyota Sūpura) é um automóvel desportivo produzido pela fabricante japonesa Toyota entre 1978 e 2002, e desde 2019 até o presente. O nome "Supra" é derivado do prefixo latino, que significa "acima", "ultrapassar" ou "ir além".[1] O Supra possui linhas agressivas e um aerofólio para gerar sustentação negativa e dar mais esportividade ao design do carro. O Supra é equipado com muita tecnologia, dispõe de controle de tração e uma excelente capacidade de frenagem.

Primeira geração (A40/A50; 1978-1981)[editar | editar código-fonte]

Primeira geração (A40/A50)
Toyota Celica Supra da primeira geração.
Visão geral
Produção 19781981
Ficha técnica
Motor 6 cilindros em linha
Transmissão Manual de 5 velocidades
Automática de 4 velocidades
Dimensões
Comprimento 4600–4615 mm
Entre-eixos 2630 mm
Largura 1650 mm
Altura 1290–1310 mm
Peso 1150–1270 kg

O Toyota Supra surgiu em 1978, com desenvolvimento baseado na plataforma do Toyota Celica, porém com algumas características próprias e que viriam mais tarde serem as responsáveis pelo sucesso que o carro alcançou. As primeiras diferenças que se notaram foram em tamanho, pois o Supra era mais comprido e largo que o Celica. Mecanicamente recebeu suspensão independente nas quatro rodas, bem como freios a disco também nas quatro.

Todavia, a mais marcante alteração em relação à plataforma do Celica ficou por conta do motor adotado, um 6 cilindros em linha de 2.6 litros, que foi o primeiro motor da Toyota a receber injeção eletrônica de combustível, desenvolvido especialmente para ele e que recebeu a designação 4ME. Esta primeira geração ficou conhecida por MA46. Em 1981, ainda na sua primeira geração, um novo motor SOHC de 2.8 litros passou a equipar o carro, dando início ao processo que faria nascer a segunda geração de Supras.

Celica XX[editar | editar código-fonte]

Toyota Celica XX 2000G (MA45) de 1979.

Celica XX (pronuncia-se "duplo X") é o nome da primeira geração do Celica Supra no mercado japonês. Foi oferecido no Japão durante os anos de 1978 a 1981 e foi redesenhado em 1981. A Toyota obteve assistência de engenharia da Lotus Cars e forneceu alguns componentes para uso no Lotus Excel. O Supra foi vendido como Celica XX apenas no Japão em canais de vendas de concessionárias japonesas chamados Toyota Corolla Store. Nos mercados mundiais, era vendido como Celica Supra.

Em 1981, o Celica XX apresentou o primeiro computador de navegação do mundo.[2]

Segunda geração (A60; 1981-1985)[editar | editar código-fonte]

Segunda geração (A60)
Toyota Celica Supra da segunda geração.
Visão geral
Produção 19811985
Ficha técnica
Motor 6 cilindros em linha desde 1988 cc até 2759 cc
Transmissão Manual de 5 velocidades
Automática de 4 velocidades
Dimensões
Comprimento 4661 mm
Entre-eixos 2614 mm
Largura 1695-1720 mm
Altura 1321 mm
Peso 1361 kg

Em 1981 a Toyota lança a segunda geração do carro e ainda sob o nome de MA61 Celica Supra, mas com uma série de novidades que só mais tarde o Celica viria a incorporar, como os faróis escamoteáveis e o aerofólio incorporado à carroceria, como o novo motor de seis cilindros e também 2.8 litros, porém com duplo comando no cabeçote (DOHC) e que desenvolvia 145 cavalos de potência, já suficientes para fazê-lo acelerar aos 100 km/h em menos de 8,5 segundos e ultrapassar a barreira dos 200 km/h. Um ano após o lançamento desta geração, o seu motor recebe mais algumas modificações, chegando aos 150 cavalos.

Terceira geração (A70; 1986-1993)[editar | editar código-fonte]

Terceira geração (A70)
Toyota Supra da terceira geração.
Visão geral
Produção 19861993
Ficha técnica
Motor 6 cilindros em linha com 1988 cc, 2491 cc ou 2954 cc
Transmissão Manual de 5 velocidades
Automática de 4 velocidades
Dimensões
Comprimento 4620 mm
Entre-eixos 2596 mm
Largura 1690-1760 mm
Altura 1310 mm (1986–1988)
1300 mm (1989–1993)
Peso 1460–1640 kg (manual)
1580–1720 kg (automático)

A terceira geração do Toyota Supra vem em 1986 e é que a que ficou célebre por inaugurar uma nova fase do Supra que recentemente havia ultrapassado a marca de 20 milhões de unidades fabricadas pela Toyota. O nome Celica vai embora e o carro ganha independência total da sua plataforma. Novo trabalho no design do carro o deixa mais moderno e robusto, ainda mantendo os faróis escamoteáveis, mas com novas peças aerodinâmicas. As inovações mecânicas ficam por conta do novo motor 7M-GE de 3.0 litros de 200 cavalos que um ano mais tarde (1987) seria o primeiro carro da montadora a ter um motor turbo (chamado de 7M-GTE), responsável por 267 cavalos.

Em 1987 o Supra passa a ser o primeiro veículo da Toyota a ser equipado com ABS. Em 1990 mais alterações e mais um novo o motor (1JZ-GTE) de 6 cilindros, 2,5 litros e desta vez biturbo, gerando 280 cavalos e já capaz de levar o Supra aos 250 km/h com limitador eletrônico de velocidade.

Quarta geração (A80; 1993-2002)[editar | editar código-fonte]

Quarta geração (A80)
Toyota Supra da quarta geração.
Visão geral
Produção 19932002
Modelo
Designer Isao Tsuzuki (1990)[3]
Ficha técnica
Motor 6 cilindros em linha de 2997 cc
Transmissão Manual de 5 ou 6 velocidades
Automática de 4 velocidades
Dimensões
Comprimento 4515–4520 mm
Entre-eixos 2550 mm
Largura 1810 mm
Altura 1275 mm
Peso 1410-1570 kg

Foi apenas em 1993 que a quarta geração do Supra foi lançada. Neste modelo os faróis escamoteáveis foram removidos e o carro ganhou uma carroçaria muito mais resistente e mais arredondada que as anteriores. A redução de peso foi extremamente importante para este modelo, perdendo quase 60 kg (132 lb) em relação à geração anterior, graças ao uso de alumínio no capô, no teto e nos suportes dos pára-choques. Com esta geração vem mais tecnologia e mais novidades para os afoitos apaixonados pelo carro. Desta vez duas opções de motorização, sendo uma de 6 cilindros (2JZ-GE), 3.0 litros e 24 válvulas com duplo comando no cabeçote e com controle variável de abertura das válvulas, responsável por 220 cavalos de potência, e outra (2JZ-GTE) com as mesmas características, porém com dois turbos sequenciados que rendiam até 325 cavalos de potência.

Equipado com câmbio manual de 6 velocidades Getrag, o Supra biturbo exportado para os países que não fazem exigência do limitador eletrônico de velocidade, alcança 250 km/h (com o limitador eletrônico chega a 180 km/h) e acelera de 0-100 km/h em 5,3 segundos. Porém nos diversos países europeus e mesmo nos EUA - um grande mercado para o Supra - as regulamentações de emissão de poluentes, impuseram restrições a carros como ele e alguns de seus concorrentes, fazendo com que em 1999 suas vendas fossem encerradas. A produção continuou no Japão até agosto de 2002, cessando devido a padrões de emissão restritivos.

Quinta geração (J29/DB; 2019-presente)[editar | editar código-fonte]

Quinta geração (J29/DB)
Toyota Supra da quinta geração.
Visão geral
Nomes
alternativos
Toyota GR Supra
Produção 2019–presente
Modelo
Designer Nobuo Nakamura (designer-chefe)[4][5]
Tetsuya Tada (engenheiro-chefe)[4][5]
Ficha técnica
Motor BMW de 4 cilindros em linha com 1998 cc
BMW de 6 cilindros em linha com 2998 cc
Transmissão Automática de 8 velocidades ZF 8HP
Dimensões
Comprimento 4380 mm
Entre-eixos 2470 mm
Largura 1865 mm
Altura 1290–1295 mm
Peso 1410–1520 kg

A quinta geração do Toyota Supra, o J29/DB, foi visto pela primeira vez em ação no Festival da Velocidade de Goodwood ​​em 2018. Em janeiro de 2019, o carro foi apresentado oficialmente no Salão do Automóvel de Detroit.[6]

Para esta nova geração, a Toyota trabalhou em conjunto com a BMW, na qual foram compartilhados elementos como o chassi, o motor e a transmissão, que vêm do Z4[7] e, em termos de "tuning" ou software, é próprio da Toyota. Dois novos motores são oferecidos: o BMW B48B20 de 4 cilindros, de 1998 cm³ (2 litros), com 258 CV (254 HP; 190 kW); e o BMW B58B30 de 6 cilindros em linha de 2998 cm³ (3 litros) produzindo 340 CV (335 HP; 250 kW), que são acoplados a uma nova transmissão automática de 8 velocidades, chamada ZF 8HP.

Embora sua origem não seja 100% Toyota, as características básicas permanecem: o carro possui uma mecânica em linha de seis cilindros turboalimentada e tem uma distribuição de peso equilibrada de 50:50.

Especificamente, o novo modelo 2019 compartilha a plataforma e seus principais elementos com o BMW Z4 2019. Desde o início, o Supra só será oferecido com uma carroçaria cupê, enquanto o modelo alemão só estará disponível como descapotável.

Na cultura popular[editar | editar código-fonte]

Toyota Supra de 1995, do filme The Fast and the Furious.

Como um carro desportivo icônico, o Toyota Supra apareceu em vários videojogos de corrida, filmes, vídeos musicais e programas de televisão. Alguns dos aspectos mais notáveis ​​são as aparições nos videojogos Grand Theft Auto: San Andreas (como uma paródia do carro), Gran Turismo, Forza Motorsport, Need for Speed, Midnight Club, Assetto Corsa e Asphalt 8: Airborne.

Um Supra de 1995 também apareceu no filme de ação de 2001 The Fast and the Furious; em 2003 em 2 Fast 2 Furious; em 2009 em Fast & Furious; em 2015 em Furious 7, como uma homenagem ao falecido ator Paul Walker; e Fast & Furious 9 apresenta um GR Supra laranja de 2020, a mesma cor do carro que apareceu no primeiro filme da série, que é dirigido por Han Seoul-Oh e Jakob Toretto, irmão de Dominic Toretto.

Referências

  1. «Toyota Traditions». Toyota Global Site .
  2. «Technical Development Electronics Parts». Toyota Motor Corporation. 2012 .
  3. «Toyota Launches All-New Supra». Toyota. 24 de maio de 1993 .
  4. a b O'Kane, Tony (28 de agosto de 2018). «Tetsuya Tada: meet the hero behind the Toyota Supra». Which Car. Australia 
  5. a b «New Toyota Supra: interview with chief engineer Tetsuya Tada» (Nota de imprensa). UK: Toyota. 19 de julho de 2018 
  6. Salão de Detroit: Toyota Supra está de volta após quase duas décadas. Motor1.uol.com.br.
  7. Nova geração do Toyota Supra tem mecânica alemã e é produzida na Áustria. Quatrorodas.abril.com.br.

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Toyota Supra