Vitalino Adolfo Barzotto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Grizzo
Informações pessoais
Nome completo Vitalino Adolfo Barzotto
Data de nasc. 15 de junho de 1963 (54 anos)
Local de nasc. Tapera (RS),  Brasil
Apelido Grizzo
Informações profissionais
Período em atividade Como Jogador: 1984-2001 (17 anos)
Como Treinador: 2007-presente (6 anos)
Equipa atual Sem clube
Posição Treinador (ex-Volante)
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
19841986
1987
1988
19881992
1992
1993-1995
1996-1997
1998-1999
2000-2001
Brasil Pato Branco
Brasil Joinville
Brasil Colorado
Brasil Criciúma
Brasil Bahia
Brasil Hercílio Luz
Brasil Ponte Preta
Brasil Avaí
Brasil Passo Fundo
044 00(7)
022 00(2)
020 00(1)
0294 00(58)
01100(?)
092 00(8)
0105 00(12)
044 00(3)
053 00(1)
Times/Equipas que treinou
2007-2008
2008
2009
Brasil Criciúma (auxiliar)
Brasil Imbituba
Brasil Hercílio Luz

Vitalino Adolfo Barzotto mais conhecido como Grizzo (Tapera, 15 de junho de 1963), é um treinador e ex-futebolista brasileiro, que atuava como volante. Atualmente está sem clube.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Grizzo começou sua carreira atuando no futsal, foi da equipe de base do São Paulo em 1980/81 e recomeçou no Paraná, foi uma espécie de amador no meio profissional, sem empresários e sem marketing.

Em 1988 foi destaque do Paraná Club (que na época se chamava Colorado EC). O Criciúma o contratou em agosto de 1988 e chegou para disputar o Campeonato Brasileiro da Série A. Com 25 anos de idade conquistou o Tri-Estadual com o tigre (1989/1990/1991) e a Copa do Brasil 1991. Seu jogo de despedida no Criciúma foi contra o São Paulo pela Taça Libertadores da América de 1992 e no Campeonato Brasileiro, contra o Grêmio em 1992 com o placar 1 x 1 no Estádio Olímpico Monumental. Na época o time era comandado pelo treinador Luiz Felipe Scolari.[1]

Saindo do Criciúma, foi defender o Bahia, logo em seguida acertou jogar no Hercílio Luz de Tubarão Santa Catarina. No ano seguinte atuou pelo Pelotas-RS. Logo após, passou ainda pela Ponte Preta, aonde foi vice-campeão brasileira da série B em 1997.

No ano de 1998 mais uma importante marca em sua carreira. Grizzo foi contratado pelo Avaí e ajudou a levar o time ao título do Campeonato Brasileiro da Série C.

No ano 2000, vai para o Passo Fundo aonde abandonou a carreira no ano seguinte.

Em 2003, atuou ao lado de Juninho Paulista, Alfinete e o goleiro Maizena, pelo Ituano Futebol Clube, da cidade de Itu, SP; as boas atuações pelo Ituano, fizeram com que Grizzo fora contratado pelo Botafogo do Rio de Janeiro, disputando a recopa sul-americana pelo clube carioca.

Em 2007, Grizzo teve a oportunidade de “estagiar” como auxiliar técnico no Criciúma, que estava sob o comando do treinador Gélson da Silva, que haveria convidado-o ambos colegas de meio campo no Criciúma de 1991/92. A experiência foi realmente proveitosa de uma importância fundamental.

A primeira experiência a frente de um clube veio em 2008, quando assumiu o Imbituba[2]. Sua permanência no clube durou pouco.

Em 2009, Grizzo foi treinador da equipe Hercílio Luz[3] aonde já atuou como jogador. Após pouco mais de dois mêses a frente do time e com uma campanha de oito jogos, sendo cinco vitórias e três derrotas[4], Grizzo foi demitido do clube[5].

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como jogador
Pato Branco
Joinville
Criciúma
Avaí

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.