Aléxis Tsípras

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Alexis Tsipras)
Ir para: navegação, pesquisa
Aléxis Tsípras
Αλέξης Τσίπρας
Primeiro-ministro da  Grécia
Período desde 26 de janeiro de 2015
Presidente Károlos Papúlias
Prokopis Pavlopoulos
Antecessor(a) Antonis Samaras
Líder da Oposição
Período 20 de junho de 2012
26 de janeiro de 2015
Antecessor(a) Antónis Samarás
Sucessor(a) Antónis Samarás
Líder do SYRIZA
Período 2009 -
Antecessor(a) Alkos Alavanos
Vida
Nascimento 28 de Julho de 1974 (40 anos)
Atenas
Dados pessoais
Alma mater Universidade Politécnica Nacional de Atenas
Companheira Peristera Batziana
Partido SYRIZA
Profissão Engenheiro

Aléxis Tsípras, em grego Αλέξης Τσίπρας (Atenas, 28 de julho de 1974), é um político grego, primeiro-ministro de seu país desde 26 de Janeiro de 2015. É presidente do partido de esquerda Synaspismos (SYN) e o líder da Coligação da Esquerda Radical (SYRIZA).

Em 8 de maio de 2012 Aléxis Tsípras recebeu o mandato para formar um governo da Grécia, pelo presidente Karolos Papoulias. No dia anterior, Antónis Samarás do partido Nova Democracia desistiu de sua tentativa de formar um governo.[1] No entanto também não conseguiu formar Governo e e o presidente marcou novas eleições, as quais deram a vitória à Nova Democracia que formou Governo com o PASOK, iniciando Antónis Samarás as funções de primeiro-ministro. Aléxis Tsípras foi o líder da oposição de 2012 a 2015.

O SYRIZA ganhou as eleições legislativas da Grécia de 25 de Janeiro de 2015 e o seu líder, Aléxis Tsípras, foi nomeado primeiro-ministro, formando um governo de coligação com os partidos SYRIZA e Gregos Independentes - o Governo Tsipras.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Aléxis Tsípras possui um diploma de engenharia civil e alguns estudos de pós-graduação em agrimensura e planeamento. Ele trabalhou como engenheiro civil no setor de construções e é autor de vários estudos e projetos sobre o tema da cidade de Atenas[2] .

Atividades sociais e políticas[editar | editar código-fonte]

Aléxis Tsípras juntou-se à esquerda, enquanto ainda um estudante do ensino médio nas fileiras da Juventude Comunista da Grécia (KNE) e foi muito ativo durante as mobilizações 1990-91. Como estudante da Universidade ingressou nas fileiras do movimento renovador da esquerda e foi membro do Conselho Executivo da União da Faculdade de Engenharia Civil de Atenas. Atuou ainda como representante dos estudantes no Senado Universitário. Ele foi eleito membro do Conselho Central da União Nacional de Estudantes da Grécia (EFEE) durante o período de 1995-1997.

Em 1999 foi eleito secretário da Juventude do Synaspismos, cargo que ocupou até o 3 º congresso da organização, em março de 2003. Como secretário da Juventude Synaspismos tomou parte activa no processo de criação do Fórum Social Grego e assistiu a todas as marchas e protestos internacionais contra a globalização neoliberal. No 4 º congresso da Synaspismos em dezembro de 2004, foi eleito para o comité central do partido político e, consequentemente, para a secretaria político, onde foi responsável pelas questões de educação e juventude.

Tsípras em Bolonha discursando num comício do partido L'Altra Europa.

Nas eleições de 2006 ele era candidato como prefeito municipal de Atenas, apoiado pelo Synaspismos e as forças aliadas do SYRIZA. Ele encabeçou a lista "ANOIHTI POLI" (cidade aberta) e teve uma campanha eleitoral, chegando terceiro (após os candidatos da Nova Democracia e PASOK) ganhando 10,5% e 4 membros do Conselho Municipal. Ele foi eleito para o cargo de presidente do Synaspismos durante do 5 º Congresso do partido (Fevereiro de 2008). Ele foi eleito membro do Parlamento nas eleições nacionais de 2009 e, desde então, dirigiu o grupo parlamentar do SYRIZA[3] .

Eleições 2015[editar | editar código-fonte]

A Grécia convocou eleições antecipadas depois que o candidato governista à presidência, Stavros Dimas, não foi eleito na terceira votação parlamentar. Dimas obteve o respaldo de 168 dos 300 deputados da câmara legislativa, 12 a menos do que os 180 votos que necessitava. Antes das eleições, o primeiro-ministro Antonis Samaras fez uma última chamada aos deputados para pedir o apoio a seu candidato. Samaras afirmou que todos os que não o apoiassem, automaticamente se aliavam com Tsípras, que não apoiou nenhum candidato para forçar eleições.[4]

Com o avanço do SYRIZA nas sondagens, a Bolsa de Atenas e o Euro sofreram quedas.[5] Mas isso não impediu Tsípras de reunir mais de 50 mil pessoas num comício na praça Omnia, em Atenas, dois dias antes das novas eleições.[6] Em 25 de janeiro, o SYRIZA vence e no dia seguinte, Aléxis Tsípras é empossado como Primeiro-ministro da Grécia.[7]

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Aléxis Tsípras


Precedido por
Antónis Samarás
Primeiro-ministro da Grécia
2015 — presente
Sucedido por
'
Precedido por
Governo Samarás
Governo Tsipras
2015 -
Sucedido por
-