Antíoco VII Sideta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Antíoco VII Evérgeta, dito Sideta (em em grego: Αντίοχος Ζ' Σιδήτης; ca. 159 a.C.129 a.C.[1] ) em referência a Sida, cidade da Ásia Menor (atual Turquia), onde ele foi criado,[2] foi um governante do Império Selêucida que reinou de 138 a.C. a 129 a.C. Era irmão de Demétrio II Nicator.[3] De acordo com Eusébio de Cesareia, ele se chamaria Antíoco V, pois foi o quinto rei da Síria de nome Antíoco.[4] Foi o último grande rei selêucida. Flávio Josefo o chamada de Antíoco Pio, pela moderação que ele mostrou quando capturou Jerusalém.[5]

Contexto histórico[editar | editar código-fonte]

Demétrio I Sóter, ao se tornar rei da Síria, tentou expandir seus domínios, mas seus vizinhos, Ptolemeu VI Filometor, do Egito, Átalo II de Pérgamo, e Ariarates V da Capadócia, arrumaram um jovem, Alexandre Balas, como se fosse um herdeiro real.[6] Alexandre Balas era um suposto filho de Antíoco Epifânio,[7] Demétrio I era filho de Seleuco IV, [8] irmão de Antíoco Epifânio.[2]

Ptolemeu VI Filometor casou sua filha Cleópatra Téia com Alexandre Balas.[8]

Alexandre Balas derrotou Demétrio I Soter, que morreu em batalha.[6] Demétrio havia confiado seus dois filhos a um amigo em Cnido, com uma fortuna, e o mais velho, Demétrio II Nicator, com o apoio de cretenses, atacou Alexandre Balas.[9]

Ptolemeu VI transferiu Cleópatra de Alexandre para Demétrio II Nicator.[10] filho de Demétrio I Sóter.[2]

Na Batalha de Antioquia (145 a.C.), morreram Ptolemeu VI Filometor e Alexandre Balas, mas Demétrio II Nicator sobreviveu.[2]

Demétrio continuou a guerra, e derrotou Antíoco VI; no ano seguinte ele juntou as tropas na Babilônia para atacar Arsaces[2] (Mitrídates I da Pártia)[Nota 1] . No ano seguinte, o terceiro ano da 160ª olimpíada, ele foi capturado por Arsaces[2] .

Usurpação por Diódoto Trifão[editar | editar código-fonte]

Quando Demétrio II foi capturado, Diódoto Trifão, seu governador, assassinou Antíoco VI Dionísio, filho de Alexandre Balas, e alegou que Antíoco havia morrido nas mãos dos médicos.[11]

Cleópatra Téia estava cercada em Selêucia com seus filhos, e Antíoco VII estava proibido de entrar nas cidades por causa de Trifão, mas Cleópatra chamou Antíoco, e propôs que eles se casassem, e que Antíoco tomasse o reino.[11] Segundo Flávio Josefo, Cleópatra foi aconselhada a esta estratégia por seus amigos, por medo que a cidade de Selêucia fosse entregue a Trifão.[11]

Reinado[editar | editar código-fonte]

Durante o período de cativeiro de Demétrio, Antíoco Sideta saiu de Side e, no quarto ano da 160a olimpíada, tomou posse da Síria.[2]

Em 138 a.C. [12] Diódoto foi atacado e derrotado por Antíoco VII.[12] [13] Ele foi preso na fortaleza de Coracesium (atualmente Alanya), onde se suicidou,[14] ou foi executado em Apamia após esta cidade ter sido capturada,[13] em 137 a.C.[12]

No terceiro ano da 162a olimpíada, Sideta conquistou os judeus após um cerco de Jerusalém, e executou os principais líderes dos judeus.[2] De acordo com Flávio Josefo, o sumo sacerdote de Israel, João Hircano I, abriu o sepulcro do Rei Davi e de lá retirou três mil talentos, que entregou a Sidetes para que esse poupasse a cidade.[15]

Sidates, então, atacou a Pártia, apoiado pelos judeus,[16] [Nota 2] e, por um curto tempo, recuperou a Mesopotâmia, Babilônia e a região dos Medos. Antíoco, após derrotar o general parta Indates, ergueu um troféu no Rio Lico.

No quarto ano da 162a olimpíada, Arsaces [Nota 3] atacou com 120.000 tropas, libertando Demétrio II para causar confusão.[2] Antíoco Sideta atacou a Pártia no inverno, e foi morto, aos 35 anos de idade.[2]

O reino Selêucida, então, passou a se restringir à Síria.

Filhos, sobrinhos e enteados[editar | editar código-fonte]

Antíoco VI era filho de Alexandre Balas [17] e enteado de Demétrio II Nicator,[18] portanto filho de Cleópatra Thea.

Demétrio II e Cleópatra Thea foram os pais de Seleuco V Filometor [3] e Antíoco VIII Gripo.[3] [19]

Antíoco Sideta e Cleópatra Thea foram os pais de Antíoco IX de Cízico.[3] [20] [Nota 4] Antíoco Sideta teve três filhos e duas filhas, duas filhas de nome Laódice e um filho de nome Antíoco, que morreram de doença, um filho de nome Seleuco que foi capturado por Arsaces na batalha em que Antíoco Sideta morreu e um filho de nome Antíoco, que foi criado pelo eunuco Craterus em Cízico.[4]

Notas e referências

Notas

  1. Nos textos cuneiformes, os reis da Pártia usavam apenas o nome Arshaka, Arshakan ou Arshakamma, helenizado como Arsaces, assim como os Imperdores Romanos usavam César como nome. Ver A. T. Olmstead, Cuneiform texts and hellenistic chronology [em linha]
  2. Flávio Josefo, comentando sobre Nicolau de Damasco, cita um texto de Nicolau, no qual Hircano é chamado de Lircano, o Judeu.
  3. Arsaces é o termo genérico para o rei dos Partas, assim como César foi usado para os imperadores romanos. Este rei dos partas é Fraates II de Pártia.
  4. Flávio Josefo não menciona Cleópatra Téia como mãe de Antíoco Sideta, mas diz que Sideta e Cízico eram meio-irmãos por parte de mãe.

Referências

  1. Hornblower, Simon e Spawforth, Anthony (editores). Oxford Classical Dictionary, verbete "Antiochus VII". Oxford University Press, 1996.
  2. a b c d e f g h i j Eusébio de Cesareia, Crônica, Os Reis da Ásia Menor depois da morte de Alexandre, o Grande, 96 [em linha]
  3. a b c d Apiano, História Romana, As Guerras Sírias, 68 [em linha]
  4. a b Eusébio de Cesareia, Crônica, 97
  5. Flávio Josefo, Antiguidades Judaicas, Livro XIII, Capítulo 8, Hircano se torna sumo sacerdote, e expulsa Ptolemeu do reino. Antíoco luta contra Hircano, e depois se alia a Hircano, 2
  6. a b Justino, Epítome das Histórias de Pompeius Trogus, 35.1 [em linha]
  7. Flávio Josefo, Antiguidades Judaicas, Livro XIII, Capítulo 2, Como Alexandre Balas, na guerra contra Demétrio, dá várias vantagens a Jônatas e o nomeia sumo sacerdote, e o convence a ajudá-lo, mesmo Demétrio tendo prometido maiores vantagens. Sobre a morte de Demétrio., 1
  8. a b Bar Hebraeus, Cronografia, Livro VII, O primeiro reino dos gregos, Aqui começa a sétima série, que passa dos reis dos persas até os gregos pagãos
  9. Justino, Epítome das Histórias de Pompeius Trogus, 35.2 [em linha]
  10. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro XXXII, 9c
  11. a b c Flávio Josefo, Antiguidades Judaicas, Livro XIII, Capítulo 7, Como Simão se aliou a Antíoco Pio, e lutou contra Trifão, e, depois, contra Cendebeu, general de Antíoco; como Simão foi assassinado por seu genro Ptolemeu à traição, 1 [em linha]
  12. a b c Speake, «Diodoto Trifón», p. 121 www.google.com. Visitado em 2010-09-22.
  13. a b Flávio Josefo, Antiguidades Judaicas, Livro XIII, Capítulo 7, 2
  14. Estrabão, Geografia, Livro XIV, 5.2
  15. Flávio Josefo, Antiguidades Judaicas, Livro XIII, Capítulo 8, 4
  16. Nicolau de Damasco, citado por Flávio Josefo, Antiguidades Judaicas, Livro XIII, Capítulo 8, 4
  17. Chronographeion Syntomon, O quarto reino do reino de Alexandre [em linha]
  18. Justino, Epítome das Histórias de Pompeius Trogus, 36.1 [em linha] [em linha]
  19. Justino, Epítome das Histórias de Pompeius Trogus, 39.1 [em linha]
  20. Flávio Josefo, Antiguidades Judaicas, Livro XIII, Capítulo 10, Como durante a luta de Antíoco Gripo e Antíoco de Cízico Hircano tomou Samaria e a destruiu, e como Hircano se uniu à seita dos saduceus e abandonou a seita dos fariseus., 1

Árvore genealógica baseada no texto. Linhas pontilhadas indicam paternidade questionada pelos autores antigos:

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Antíoco III Magno
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Seleuco IV Filopáter
 
 
 
 
 
Antíoco IV Epifânio
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Ptolemeu VI Filometor
 
 
 
 
Demétrio I Sóter
 
 
 
Antíoco V Eupator
 
Alexandre Balas
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Cleópatra Teia
 
Demétrio II Nicator
 
 
 
Antíoco VII Sideta
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Seleuco V Filometor
 
Antíoco VIII Filometor
 
Antíoco IX de Cízico
 
 
 
Antíoco VI
 
 
Alexandre Zabinas
Ícone de esboço Este artigo sobre História ou um historiador é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.