Alanya

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Turquia Alanya
Korakasa, Korakesion, Coracesium, Coracésio, Kalon Oros, Candeloro, Skandeloro, Alaiye
 
—  Distrito (ilçe)  —
Vista da parte oriental de Alanya e do seu porto desde o castelo
Vista da parte oriental de Alanya e do seu porto desde o castelo
lema Güneşin Gülümsediği Yer
(Onde o sol sorri)
Alanya está localizado em: Turquia
Alanya
Localização de Alanya na Turquia
36° 33' N 32° E
Região Mediterrâneo
Província Antália
Administração
 - Governador (kaymakam) Hulusi Doğan [1]
 - Prefeito (belediye başkanı) Hasan Sipahioğlu (2009), AKP[2]
Área [3]
 - Distrito (ilçe) 1 582 km²
Altitude máxima 250 m (820 pés)
Altitude mínima 0 m (0 pés)
População (2009)[4]
 - Distrito (ilçe) 241 451
    • Densidade 152,62/km2 
 - Urbana 131 434
Gentílico: Alanyalılar
Fuso horário EET (UTC+2)
 - Horário de verão EEST (UTC+3)
Código postal 07400
Prefixo telefónico 0242
Sítio Governo distrital: www.alanya.gov.tr
Prefeitura: www.alanya.bel.tr

Alanya é uma cidade costeira e distrito (em turco: ilçeler) do sul da Turquia, que faz parte da província de Antália e da região do Mediterrâneo (Akdeniz Bölgesi), situada a 120 km a leste de Antália. Segundo o censo de 2009[4] , a população do distrito era de 241 451 habitantes numa área de 1 582 km², dos quais 131 434 na cidade de Alanya. A maior parte dos habitantes é de origem anatólia, mas calcula-se que residam na cidade aproximadamente 10 000 europeus.[nt 1]

Localizada numa posição estratégica, numa pequena península no Mar Mediterrâneo, no sopé meridional dos Montes Tauro, Alanya foi uma praça-forte para muitos impérios mediterrânicos, como o ptolemaico, selêucida, romano, bizantino, Sultanato de Rum, Beilhique de Karaman[a] e otomano. O apogeu da cidade em termos de importância histórica deu-se no século XIII, quando foi foi a residência de inverno do sultão seljúcida de Rum Aladino Kaykubad I[b], de quem o nome atual deriva. Algumas das numerosas construções de Aladino encontram-se entre os principais monumentos da cidade, nomeadamente a Kızıl Kule (Torre Vermelha), a tersane (estaleiro naval), e o castelo.

O clima mediterrânico relativamente moderado, as atrações naturais, tanto na costa, como no interior, e o património histórico fazem de Alanya um destino turístico muito popular. A atividade do setor turístico da região representa 9% do total da Turquia, enquanto que as vendas de imobiliário a estrangeiros representam 30% do total nacional. O turismo cresceu a partir de 1958, tornando-se a principal atividade económica da cidade e provocando um significativo aumento da população. A cidade acolhe todos os anos diversos eventos desportivos de verão e festivais culturais.

Nomes[editar | editar código-fonte]

A cidade mudou várias vezes de mãos ao longo do tempo, o que se refletiu nos diversos nomes que teve. Alanya era conhecida em latim como Coracesium ou Korakesion em grego koiné (comum), derivado do lúvio ou hitita Korakassa, que significa cidade saliente. No período bizantino era conhecida como Kalon Oros (montanha bela).[5] Nas línguas latinas modernas é por vezes referida como Coracésio. Os seljúcidas deram-lhe o nome de Alaiye, derivado do nome do sultão Alaeddin Keykubad I. Nos séculos XIII e XIV, os mercadores italianos chamavam à cidade Candelore or Cardelloro.[6] O nome atual foi oficialmente adotado quando Kemal Atatürk visitou a cidade em 1935. Conta-se que o "i" e o "e" do nome antigo Alaiye foram mudados devido a um erro num telegrama de 1933.[7] [8]

História[editar | editar código-fonte]

Mapa de Alanya no Kitab-ı Bahriye (Livro de navegação) de Piri Reis, onde é visível a Kızıl Kule (Torre Vermelha) e a tersane (estaleiro naval).

Embora aparentemente só tenha sido fortificada durante o período helenístico, após a conquista por Alexandre, o Grande, o rochedo do castelo foi provavelmente habitado pelos pelos hititas (séculos XVI—XII a.C.) e pelos persas aqueménidas (séculos VI—IV a.C.).[9] Achados na gruta próxima de Kadrini indiciam ocupação durante o Paleolítico que remonta a 20 000 a.C. Foi encontrada no distrito uma tábua com inscrições em fenício datado de 625 a.C. e a cidade é mencionada no manuscrito grego sobre geografia "Périplo de Pseudo-Cílax", do século IV a.C.[10]

Após 323 a.C., os Diádocos, sucessores de Alexandre, entregaram o governo da região a Ptolemeu I Sóter, um general de Alexandre Magno. Ptolemeu e os seus sucessores mantiveram um controlo pouco apertado sobre a população isáurica, o que permitiu que o porto se tornasse um refúgio de piratas muito concorrido. A cidade resistiu ao rei Antíoco III Magno do vizinho Império Selêucida em 199 a.C., mas apoiou Diodoto Trífon quando ele usurpou a coroa selêucida entre 142 e 138 a.C. Diodoto empreendeu a construção de novas fortificações e de um novo porto, cujas obras seriam finalizadas pelo seu sucessor e rival, Antíoco VII, em 137 a.C.[11]

A República Romana combateu os piratas cilícios em 102 a.C., quando Marco António Orador estabeleceu um proconsulado em Sida, sob as ordens de Públio Servílio Vácia Isáurico, que correu com as tribos isaurias.[12] A pirataria em Alanya foi definitivamente extinta depois da vitória de Pompeu na Batalha de Coracésio, em 67 a.C., após a qual a cidade foi incorporada na província romana da Panfília.[13] O banditismo dos isaurios permaneceu um problema durante o domínio romano, e houve revoltas tribais nos séculos IV e V d.C., a maior delas entre 404 e 408.[14] Após a queda do Império Romano, a cidade passou a fazer parte do Império Bizantino, tornando-se uma diocese dependente de Side, na diocese metropolitana da Pamphylia Prima.[15]

Os muçulmanos chegaram no século VII, aquando das Guerras bizantino-árabes, tendo região sofrido várias razias, uma situação que levou à construção de novas fortificações.[10] O ano de 681 marcou o fim da diocese de Alanya, embora São Pedro de Atroa possa ter-se refugiado na cidade no início do século IX, para escapar às perseguições do período iconoclasta.[15] [16] Após a Batalha de Manziquerta, na qual os bizantinos foram derrotados pelos seljúcidas, a área ficou na posse dos vencedores até 1120, ano em que foir reconquistada pelo imperador bizantino João II Comneno.[17]

Ruínas da igreja bizantina do recinto do castelo.
A Kızıl Kule (Torre Vermelha), torre defensiva seljúcida do século XIII.

Após a o ataque da Quarta Cruzada (1202-1204) aos bizantinos, o Reino Arménio da Cilícia, um dos estados cruzados, deteve a cidade de forma intermitente, até que em 1221 o líder seljúcida anatólio Aladino Kaykubad I[b] a tomou definitivamente ao nobre arménio Kir Fard, com cuja filha casou. Aladino nomeou o seu sogro arménio governador de Akşehir.[18] O governo seljúcida marcou o apogeu da cidade, que se tornou a capital de inverno do império seljúcida.[19] Grandes construções, como as cidadelas gémeas, as muralhas, a Kızıl Kule (Torre Vermelha), o arsenal e a tersane (estaleiro naval), tornaram Alanya um porto de mar importante para o comércio mediterrânico, particularmente com o império aiúbida do Egito e as cidades-estado italianas.[20] Aladino Keykubad também construiu numerosos jardins e pavilhões fora das muralhas. Estas obras, muitas delas ainda existentes, foram provavelmente financiadas pelo próprio Aladino ou por emires locais e construídas pelo empreiteiro Abu 'Ali al-Kattani al-Halabi.[9] O filho de Aladino, o sultão Kaykhusraw II continuou com a campanha de construções, edificando uma cisterna em 1240.[21]

Com a vitória na Batalha de Köse Dağ, a 26 de junho de 1243, as hordas mongóis acabaram com a hegemonia seljúcida na Anatólia e dominaram a cidade durante aproximadamente um século, embora com invasões esporádicas de beilhiques (pequenos estados turcos). Em 1293, os karamanidas[a] liderados por Mecdüddin Mahmud tomaram a cidade, mas o seu controlo sobre ela foi intermitente.[22] Em 1371 a cidade esteve brevemente na posse dos Lusignans do Chipre, que a conquistaram aos hamididas (beylik de Hamid).[23] [24] Em 1427 os karamanidas venderam Alanya ao sultanato mameluco do Cairo por 5 000 moedas de ouro.

Em 1471 a cidade foi conquistada para o Império Otomano pelo general e grão-vizir Gedik Ahmed Paşa, passando Alanya a ser capital de um sandjak (divisão administrativa otomana) do eyalet (província) de Içel (atual Mersin).[5] Os otomanos ampliaram o controlo em 1477, quando tornaram monopólio estatal o comércio de madeira, a atividade de exportação mais importante da cidade, até então dominado por venezianos.[20] Em 6 de setembro de 1608 a cidade resistiu a um ataque naval da Ordem de Santo Estêvão, de Veneza.[6]

A tersane (estaleiro naval) construída pelos seljúcidas no século XIII, no fundo das muralhas, perto da Torre Vermelha.

A descoberta do caminho marítimo para a Índia e consequente desenvolvimento de rotas oceânicas diretas da Europa ocidental para a Índia e Extremo Oriente a partir do início do século XVI, teve um forte impacto negativo no comércio da região, a ponto de Alanya não ser qualificada como centro urbano nos registos de impostos do final do século XVI.[25] Em 1571 os otomanos integraram a cidade na província de Chipre, criada após a conquista dessa ilha no mesmo ano.[10] Esta ocorrência diminuiu ainda mais a importância económica de Alanya. O viajante turco Evliya Çelebi visitou-a em 1671 ou 1672 e escreveu acerca do bom estado do castelo, mas também referiu a decadência dos subúrbios.[5] Em 1864 a cidade passou a pertencer à província de Konya, para em 1868 ser integrada na província de Antália, situação que se mantém até à atualidade (2010).[10] Durante os séculos XVIII e XIX foram construídas em Alanya numerosas villas por membros da nobreza otomana e as autoridades locais da dinastia karamanida promoveram algumas obras públicas. O banditismo tornou-se comum novamente em toda a província de Antália em meados do século XIX.[26]

Vista das muralhas desde a parte mais alta do castelo, com a parte oriental da cidade ao fundo. À direita avista-se a Mesquita Süleymaniye.

Em consequência da derrota otomana na Primeira Guerra Mundial e do Acordo de Saint-Jean-de-Maurienne, celebrado no verão de 1917 entre a França, Itália e Reino Unido, no qual se delineou a partição do Império Otomano, Alanya foi entregue a Itália, que a manteria até 1923, quando o Tratado de Lausanne determinou que a região fosse entregue à recém formada República da Turquia.[27] Como outras cidades da região, Alanya foi fortemente afetada pelos acontecimentos que marcaram o começo da república turca, a guerra da independência e a subsequente troca de populações entre a Grécia e a Turquia. A maior parte dos habitantes cristãos de Alanya foram deslocados para Nea Ionia, um subúrbio de Atenas. Segundo o censo otomano de 1893 haveria então 964 gregos numa população total de 37 194.[28]

O turismo começou com turcos que iam para Alanya nos anos 1960 para desfrutarem das supostas propriedades curativas da gruta de Damlataş. A construção do aeroporto de Antália permitiu à cidade tornar-se um destino turístico importante internacionalmente. A população cresceu significativamente nos anos 1990 em resultado da imigração e provocou uma rápida modernização das infraestruturas.[29]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Alanya está situada no Golfo de Antália, na planície costeira anatólia da Panfília, entre os Montes Tauro, a norte, e o Mar Mediterrâneo a sul, fazendo parte da chamada Riviera Turca e ocupando aproximadamente 70 km de costa.[30] [31] De oeste para leste, o distrito é limitado pelo de Manavgat ao longo da costa, as regiões montanhosas de Gündoğmuş, Hadim e Taşkent na província de Konya, Sarıveliler na província de Karaman e Gazipaşa, na costa.[32] O município de Manavgat alberga os sítios arqueológicos de Sida e Selge.

Aspeto da parte ocidental da península de Alanya.
Uma das grutas próximas da cidade, nas montanhas a leste do centro, nas margens do rio Dimçay, a cerca de 12 km do centro.
Distritos em volta de Alanya
Gündoğmuş Hadim Taşkent
Manavgat Rosa de los vientos.svg Sarıveliler
Golfo de Antália Mar Mediterrâneo Gazipaşa

A planície da Panfília, entre o mar e as montanhas é um exemplo isolado de bosque do Mediterrâneo Oriental, constituído principalmente por cedro do Líbano, matagal de folha persistente, figueira e pinheiro-larício.[33] O chamado Maciço de Alanya designa a área de rocha metamórfica a leste de Antália. Esta formação está dividida em três nappes[c] — a de Mahmutlar, mais baixa, a de Sugözü e a de Yumrudağ, a mais alta. Uma litologia similar estende-se por debaixo da cidade, numa janela tectónica[d][34] A zona a norte da cidade é rica em bauxite, um minério de alumínio, e há estudos que apontam para a rentabilidade da exploração mineira desses recursos.[35]

As partes ocidental e oriental de Alanya estão divididas por uma península rochosa que constitui uma das características distintivas da cidade. O porto, grande parte do centro e a praia de Keykubad, cujo nome provem do sultão Aladino Keykubad, ficam a leste da península. A praia de Damlataş, famosa pelas suas "grutas gotejantes", e a praia de Cleópatra situam-se a oeste. Supõe-se que o nome dessa praia derive do facto da rainha ptolemaica poder ter visitado a praia ou porque a área fez parte do dote a ela oferecido por Marco António; outras versões da história referem que Marco António e Cleópatra teriam passado a lua-de-mel em Alanya.[36] [37] A Atatürk Bulvarı, a avenida principal, corre paralela ao mar, e divide a parte sul, mais turística, da parte norte, mais tradicional e nativa, que se estende até às montanhas. A Çevre Yolu Caddesi, outra das avenidas principais, rodeia a cidade a norte.

Clima[editar | editar código-fonte]

Alanya tem um clima continental mediterrânico. A bacia mediterrânica assegura que a maior parte da chuva ocorre no inverno, provocando verões longos, quentes e secos, o que está na origem do slogan usado pelo departamento de turismo local: onde o sol sorri.[38] Não é raro observarem-se trombas de água junto à costa, principalmente no outono.[39] A presença dos Montes Tauro junto do mar causa nevoeiros que vezes produzem arco-íris que são visíveis em muitas manhãs. A altura das montanhas proporciona por vezes o efeito visual interessante de em dias quentes de inverno ser possível avistar neve desde a cidade. A temperatura média anual da água do mar é de 21,4 °C, subindo para uma média de 27,6 °C em Agosto.[nt 1] [40]

Nuvola apps kweather.svg Dados climatológicos para Alanya Weather-rain-thunderstorm.svg
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 16,2 16,3 18,3 21,1 24,7 28,7 31,5 32,1 30,2 26,5 21,5 17,8 23,7
Temperatura média (°C) 11,8 11,9 13,8 16,9 20,9 25,1 27,8 28 25,4 21,2 16,4 13,2 19,4
Temperatura mínima média (°C) 8,6 8,5 10,1 13 16,7 20,5 23,3 23,7 21,2 17,4 13 10 15,5
Chuva (mm) 199 149,4 97,8 70,7 32,4 8,5 4,5 2,7 17,5 98,5 182,9 231,2 1 095,1
Dias com chuva 13,8 11,6 9,5 8,5 4,4 1,5 0,4 0,5 2,1 6,6 9,9 13 81,8
Humidade relativa (%) 57 57 61 63 66 66 64 65 58 55 59 60 60,9
Horas de sol 130,2 131,6 198,4 231 300,7 330 337,9 322,4 279 223,2 168 136,4 2 788,8
Fonte: Serviço Meteorológico da Turquia[41]
Fonte #2: My Weather.[42]

Demografia[editar | editar código-fonte]

A população de Alanya triplicou entre 1990 e 2007, passando de 52 000 habitantes em 1990 para aproximadamente 135 000 em 2007. Nesse ano estimava-se em 390 000 o número de habitantes da região. Uma das causas apontadas para essa ocorrência é o grande crescimento do setor imobiliário.[43] Em 2009 população do distrito era de 241 451131 434 na área urbana da capital,[4] e 94 316[44] na centro. Em 2007 havia registo de 9 789 residentes estrangeiros, a maioria de origem europeia. Nesse mesmo ano, entre as comunidades estrangeiras destavam-se pelo seu número a alemã, com 2 749 residentes e a dinamarquesa, com 2 082[45] Em 2008 havia 17 850 proprietários estrangeiros, 24,4% do total nacional.[46] A maior parte da população estrangeira tem mais de 50 anos de idade.[47] Durante o verão a população aumenta devido ao grande número de turistas — todos os anos passam pela cidade aproximadamente 1,1 milhões de visitantes.[31] Tanto os turistas estrangeiros como os turcos garantem os rendimentos de uma parte considerável da população.

Malha urbana de parte da cidade situada nas encostas dos Montes Tauro.


População da cidade de Alanya (1893 – 2009)[4] [28] [44] [48] [49] [50]
1893 1985 1990 1997 2000 2007 2008 2009
37 914 28 733 52 460 110 181 88 346 91 713 92 223 94 316
   -24,2%  +82,6%  +110%  -19,8%  +3,8%  +0,6%  +2,3%

A cidade tem muitos imigrantes do Sudeste da Anatólia, no leste, e do Mar Negro, no norte e nordeste. Nos anos 2000 assitiu-se a uma vaga de imigração ilegal proveniente do Médio Oriente e da Ásia Meridional. Embora muitos desses imigrantes tenham vindo com o intuito de ficar na Turquia, uma parte considerável deles foram para a Turquia na esperança de ser mais fácil emigrarem para países da União Europeia a partir da Turquia .[51] Em 2006, havia registo de 1 217 imigrantes com residência oficial em Alanya que trabalhavam no estrangeiro.[52] Nas montanhas a norte da cidade ainda habitam sazonalmente nómadas da etnia Yörük.[53] Há também uma pequena comunidade de africanos descendentes de escravos importados na época otomana.[54]

A população de Alanya é maioritariamente muçulmana (99%). Apesar de existirem algumas igrejas antigas, não há serviços litúrgicos cristãos regulares. Em 2006, a abertura duma igreja protestante de língua alemã com serviços sazonais deu muito que falar. A permissão da sua abertura foi obtida em 2003, um sinal evidente do crescimento da população europeia da cidade.[55] A autarquia cede o Centro Cultural Atatürk regularmente a grupos cristãos para cerimónias mais concorridas.[56]

Não há notícia de residentes judeus na cidade, mas ela é visitada por turistas israelitas, principalmente em cruzeiros. Embora seja raro, já se verificaram alguns incidentes menores de discriminação em relação a esses turistas, particularmente em períodos de grande tensão, como foi o caso da Guerra do Líbano de 2006, quando um comerciante recusou a entrada a israelitas na sua loja.[57] [58]

Governo local[editar | editar código-fonte]

A Atatürk Bulvarı, a avenida principal da cidade.
Rua do centro da cidade (Tevfikiye Cadesi).

O distrito de Alanya foi fundado em 1872. As primeiras eleições autárquicas decorreram em 1901. Atualmente (2010), o distrito é governado por um prefeito e um conselho distrital constituído por 25 membros. A maioria dos conselheiros (doze) são do Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP), o mesmo partido que está no governo nacional. O Partido da Mãe Pátria (Anavatan, antigo ANAP) tem oito conselheiros, o Partido Republicano do Povo (CHP) tem três, e o Partido de Ação Nacionalista (MHP) tem dois.[59] O prefeito atual, Hasan Sipahioğlu, está à frente do município da capital desde 1999. Foi eleito em 1999 e 2004 pelo Anavatan, mas em julho de 2009 aderiu ao AKP.[60] As eleições autárquicas ocorrem de cinco em cinco anos, as próximas estão previstas para 2014. Além do prefeito ou presidente, há também um vice-prefeito, que frequentemente representa a cidade em diversos eventos, nomeadamente de caráter desportivo.[61]

O distrito de Alanya está dividido em 17 municípios, correspondendo um deles ao centro da cidade, e 92 aldeias ou vilas (köyler).[48]

Além do governo local eleito, há um governador nomeado pelo governo central (kaymakam em turco), um cargo atualmente (2010) ocupado por Hulusi Doğan.[1] Tanto o governo central de Ancara, quer diretamente, quer através do kaymakam, como o governo provincial de Antália têm grande influência no distrito. Nas eleições nacionais de 2007, o partido mais votado na província foi o AKP, seguido de perto pelo CHP e pelo DYP (Partido da Via Justa, Doğru Yol Partisi em turco, fundido no final de 2009 com o Anavatan para formar o Partido Democrático, DP).[62] Mevlüt Çavuşoğlu, membro do AKP, é o único natural de Alanya que é deputado da Grande Assembleia Nacional da Turquia, representando a província de Antália. É o presidente da comissão parlamentar de migrações, refugiados e população e também o presidente da Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa.[63]

Cidades-irmãs[editar | editar código-fonte]

Os laços mais significativos são com Nea Ionia, uma cidade grega dos arredores de Atenas, para onde foi deslocada a maior parte dos cristãos de Alanya em 1923, no decurso da troca de populações entre a Grécia e a Turquia acordada no Tratado de Lausanne. Os clubes de futebol das cidades-irmãs de Wodzislaw Slaski e Schwechat já visitaram Alanya para treinar e para disputar jogos amigáveis.[64] [65] Cada Festival Anual de Turismo e Cultura é dedicado a um país e os países de origem das cidades-irmãs têm sido escolhidos para esse efeito, como foi o caso de Trakai, quando 2009 foi o ano dedicado à Lituânia.[66]

Alanya possui doze cidades geminadas. Dentre as doze cidades, onze são europeias e apenas uma, Fushun, na República Popular da China, localiza-se fora do continente europeu. As demais cidades geminadas são: Borås (Suécia); Gladbeck (Alemanha); Keszthely (Hungria); Nea Ionia (Grécia); Moscovo - ou Moscou - (Rússia); Rovaniemi (Finlândia); Schwechat (Áustria); Špindlerův Mlýn (República Checa); Talsi (Letónia); Trakai (Lituânia) e Wodzisław Śląski (Polónia).[67] [68]

Economia[editar | editar código-fonte]

A indústria turística em Alanya movimenta pouco menos de 1 100 milhões de Euros anualmente (dados de 2005), o que faz dela a principal atividade económica.[31] A região é também famosa pela sua fruticultura, particularmente de limão, laranja, tomate, banana e pepino.[31] [69] Em 2006 foram produzidas aproximadamente 80 000 toneladas de citrinos em 16 840 ha de pomares. A ameixa rainha-claúdia (Prunus domestica italica) e o abacate têm cada vez mais procura como fruta temporã, enquanto que a rentabilidade dos citrinos tem vindo a diminuir.[70]

Vista do porto.

Apesar da localização costeira, poucos residentes vivem do mar, e a pesca não é uma atividade económica muito importante. No início dos anos 1970, quando os stocks de peixe diminuiram, foi estabelecido um sistema de acesso rotativo aos recursos pesqueiros para preservar o setor.[71] Este sistema inovador fez parte do trabalho de investigação de Elinor Ostrom em políticas económicas que determinaria a atribuição do Prémio Nobel da Economia de 2009.[72] [73] Em 2007, houve protestos locais contra o estabelecimento na cidade de grandes cadeias de supermercados e de lojas de vestuário.[74]

A partir de 2003, a eliminação provisória das restrições de compras de bens imobiliários na Turquia por estrangeiros, tornou a venda de casas ainda mais lucrativa, o que motivou o aumento da construção de vivendas e condomínios destinadas a residentes sazonais europeus e asiáticos.[43] 69% das casas vendidas a estrangeiros na província de Antália e 29,9% do total de toda a Turquia localizam-se em Alanya.[46] [75] Os compradores são principalmente indivíduos que compram mais para uso próprio do que para investimento.[76] O boom nas vendas de casas provocou um aumento desmesurado das construções clandestinas ou construídas por empresas que não estão devidamente credenciadas. Por outro lado, o aumento desmesurado dos preços provocou uma grande descida da procura por parte de locais e nacionais, para os quais os preços continuam a ser muito altos apesar de ter havido descidas de preços nos últimos tempos que chegam aos 50% em alguns empreendimentos, uma situação que tem causado inquietações no setor, a ponto de haver quem argumente que as vendas a estrangeiros têm efeitos muito negativos no mercado.[77] A altura máxima permitida para a maior parte dos edifícios é de 6,5 m,[78] o que faz com que os hotéis mais altos só se encontrem a leste e a oeste da cidade, preservando o centro da cidade à custa de uma menor exploração turística. No entanto, na periferia assiste-se a uma expansão urbanística descontrolada.[79]

Turismo[editar | editar código-fonte]

Praia de Cleópatra, a ocidente da península.

Desde a abertura do primeiro hotel moderno em 1958, considerado o primeiro ano da indústria de turismo em Alanya, os hotéis concorrem para acomodar o influxo de turistas. Em 2007 existiam 157 000 camas de hotel.[29] [80] A gruta de Damlataş, situada no início do lado ocidental da península, tem um acesso junto à praia de Damlataş. Esta gruta, que muitos acreditam ter propriedades curativas por causa do seu microclima que mantém a temperatura em 22 °C e a humidade em 95%, era uma das atrações principais para os primeiros turistas.[81] Muitos turistas, especialmente escandinavos, alemães, russos e holandeses passam regularmente as suas férias de verão em Alanya.[82] Os turistas são atraídos principalmente pelos preços das propriedades e alojamento, pelo tempo quente, pelas praias de areia, pelos locais históricos e pela qualidade da comida.[83]

Entre as atividades de lazer mais populares incluem-se o windsurf, o parasailing e os barcos-banana. Há ainda o que reclama ser o maior parque aquático da Europa, o Sealanya,[84] e a maior pista de kart da Turquia. A época de caça também atrai alguns turistas que vão para caçar cabras selvagens, javalis e perdizes em reservas naturais.[85]

A partir de 2005, a procura turística tem dados alguns sinais de abrandamento, o que se deve a vários fatores, entre os quais se podem apontar o aumento das ações violentas do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), a descoberta de gripe das aves na província de Van e a polémica das caricaturas de Maomé.[86] As autoridades de Alanya reagiram com uma série de iniciativas publicitárias, como por exemplo, cozinhar o bolo mais comprido do mundo em 26 de abril de 2006, um recorde do Guiness.[87] A economia sofreu também com o investimento parado em 20 000 propriedades por vender.[74]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Educação e saúde[editar | editar código-fonte]

Jovens estudantes de uma escola de Alanya numa aula.

A taxa de alfabetização do distrito é de 95%. A região tem várias escolas públicas e privadas, tanto comuns, como escolas ımam hatip[f]. A taxa média de alunos por professor é de 24.[31] As aldeias rurais são prejudicadas pelo reduzido número de escolas secundárias fora do centro da cidade.

Em 2005, a Universidade Akdeniz, sedeada em Antália, fundou a Faculdade de Gestão de Alanya como um polo universitário focado na indústria turística.[88] A faculdade acolhe uma conferência internacional sobre turismo em colaboração com a Universidade Nova de Buckinghamshire, de Inglaterra.[89] A Universidade de Georgetown de Washington, D.C. promove um programa anual de estudos[g] para estudantes estadounidenses conhecido como Centro McGhee de Estudos Mediterrânicos.[g] O centro foi batizado com o nome do embaixador dos Estados Unidos na Turquia entre 1952 e 1953, George Crews McGhee, que doou a sua villa em Alanya para a criação do centro.[90] O Centro Universitário Médico e de Investigação de Başkent, um hospital universitário gerido pela Universidade Başkent, de Ancara, é um dos 19 hospitais de Alanya.[91] Outros hospitais importantes incluem o Hospital Estatal de Alanya, com 300 camas, e o Hospital Privado Hayat, com 90 camas.[92]

Transportes[editar | editar código-fonte]

Navio de cruzeiro russo atracado no porto.
Botes no porto de Alanya.

A autoestrada D-400, que liga Alanya a Mersin, liga igualmente as partes leste e oeste da cidade, rodeando aquilo que se pode considerar o centro. A principal ligação ao centro da cidade é a Atatürk Bulvarı (bulvarı é avenida em turco). A autoestrada D-695, que liga Ancara a Akşehir, corre na direção norte-sul e alcança a costa a 41 km a oeste de Alanya, próximo de Side, onde liga com a D-400.

Alanya é servida pelo aeroporto de Antália (IATA: AYT), que dista cerca de 120 km (2 horas por estrada) da cidade. Em 1999 foi concluído o Aeroporto de Gazipaşa (IATA: GZP), a 45 km (30-40 minutos por estrada) do centro de Alanya,[93] com o intuito de servir a região oriental da província de Antália, nomeadamente Alanya e a zona costeira mais a leste, muito menos desenvolvida em termos turísticos.[94] No entanto, apesar de ter havido diversos anúncios que o aeroporto iria começar a funcionar, o penúltimo dos quais em 2009, isso não aconteceu.[93] [95] [96] [97] Em março de 2010 foi anunciado que o primeiro voo comercial se realizaria em 22 de maio desse ano.[98] No verão de 2010 a companhia aérea Bora Jet começou a operar voos entre Istambul e Gazipaşa[99] e espera-se que em 2011 já haja voos internacionais.[94]

Nenhuma parte da província de Antália é servida por caminho-de-ferro.[100]

Há dois terminais rodoviários em Alanya, onde operam autocarros e dolmuş (espécie de táxis partilhados, que frequentemente têm rotas fixas). Em geral, os autocarros cobrem apenas as rotas principais, sendo as restantes rotas, nomeadamente as que percorrem a cidade, servidas por dolmuş e táxis. Muitas das ruas da cidade velha estão encerradas ao tráfego motorizado, pelo que a única forma de as percorrer é a pé.[101]

O porto tem cais para navios de cruzeiro e para os ferryboats sazonais com destino a Cirénia, na República Turca do Chipre do Norte.[102] A marina de Alanya, inaugurada em 2008, situa-se na periferia a ocidente da cidade.[103] Esta estrutura com 85 km² permitiu que a cidade participasse no "Rali de Iates do Mediterrâneo Oriental" (Eastern Mediterranean Yacht Rally) a partir de 2008.[104] [105] [106]

Em 2009 a cidade tinha um serviço de bicicletas partilhadas com 150 bicicletas e 20 terminais.[107]

Comunicação social[editar | editar código-fonte]

Alanya tem dez jornais diários locais.[31] Um deles é o Yeni Alanya, que além do jornal propriamente dito tem a revista de sociedade Orange, ambos com edições em turco, inglês e alemão. Existem dois jornais em alemão, o Aktuelle Türkei Rundschau e o Alanya Bote, destinados aos numerosos turistas e residentes alemães. A revista Hello Alanya, principalmente destinada aos visitantes estrangeiros, é publicada mensalmente em inglês e holandês. O jornal grátis regional Riviera News é publicado em inglês e obtém-se facilmente na cidade.

Cinco emissoras de rádio têm emissões a partir da cidade.[31] A Alanya FM Radyo emite em 106,0 MHz e é associada da Radio Flash, que emite em 94,0 MHz; ambas transmitem principalmente música popular.[108] Outras estações de rádio incluem a Alanya RadyoTime, em 92,3 MHz, que tem uma programação variada de música turca, notícias e conversas.[109] Há duas estações de televisão sedeadas em Alanya, a Kanal Alanya e a Alanya Televizyonu (abreviatura: ATV), associada da Alanya RadyoTime.[110]

Cultura[editar | editar código-fonte]

Muitas comemorações nacionais têm lugar no centro da cidade, junto ao monumento a Kemal Atatürk.

A localização costeira da cidade é um pretexto importante para a realização de diversos festivais anuais:

  • Festival de Turismo e Arte — Realizado entre o final de maio e início de junho, marca a abertura da época turística.[111]
  • Festival Internacional de Cultura e Arte de Alanya — Decorre na primeira semana de outubro, assinalando o fim da época turística.[112]
  • Dias de Jazz de Alanya — Realiza-se desde 2002 no mês de setembro, na Kızıl Kule, onde está instalado o museu etnográfico; acolhe músicos de jazz turcos e estrangeiros, numa série de cinco concertos com entrada grátis.[113]
  • Simpósio Internacional de Escultura em Pedra de Alanya — Decorre no mês de novembro desde 2004.[114]
  • Festival de Documentários de Alanya — Foi criado pela Sociedade Cinemateca de Alanya e pela Associação de Cineastas de Documentário da Turquia.[115]
Malha urbana colorida.

Além dos festivais regulares, há ainda a destacar:

  • Orquestra de Câmara de Alanya — Formada por membros da Companhia Nacional de Ópera e Ballet de Antália, o seu concerto inaugural decoreu em 7 de dezembro de 2007.[116]

Todos os anos é celebrada a visita de Atatürk à cidade em 18 de fevereiro de 1935, sendo as comemorações centradas no respetivo museu, situado na casa onde se hospedou. O Museu de Alanya tem expostas peças arqueológicas encontradas na cidade e arredores, incluindo uma estátua de grandes dimensões de Hércules, cerâmica, ossários romanos e cópias históricas do Alcorão.[118]

É comum que os residentes estrangeiros celebrem os seus feriados nacionais, como, por exemplo o Dia da Constituição da Noruega, a 17 de maio,[119] e Ano Novo persa, o Noruz, no equinócio da primavera, a 20 ou 21 de março.[120]

Arquitetura, monumentos e museus[editar | editar código-fonte]

Castelo
Interior da tersane

O Castelo de Alanya está situado no cimo da península, é uma cidadela seljúcida construída em 1226. A maior parte dos principais monumentos da cidade encontram-se dentro do castelo ou à sua volta. A fortificação atual foi edificada por cima de outras fortificações anteriores e tinha a função dupla de estrutura defensiva e de palácio do governo local. Em 2007 começaram a ser restauradas várias secções do local, nomeadamente a adaptação duma igreja bizantina para uso de um centro comunitário cristão. Além desta igreja, encontram-se no castelo a mesquita Süleymaniye, construída pelos seljúcidas no século XIII e renovada no século XVI por Solimão, o Magnífico, que lhe deu o seu nome atual, e um caravançarai construído igualmente por Solimão.[121] As muralhas rodeiam a maior parte da península e pode caminhar-se ao longo delas. Dentro das muralhas encontram-se numerosas villas, exemplos bem preservados do período clássico da arquitetura otomana, a maior parte delas construídas no século XIX.

O Kızıl Kule (Torre Vermelha) é um dos edifícios mais famosos de Alanya e a última das 83 torres do castelo, uma construção octogonal de tijolo com 33 m de altura que se ergue no porto, abaixo do castelo. Atualmente (2010), alberga o museu distrital de etnografia. O sultão Aladino Kaykubad I[b] trouxe o arquiteto Ebu Ali de Alepo, na Síria, para projetar a torre,[122] cuja função principal era a defesa da tersane (estaleiro naval). É um dos exemplos mais magníficos da arquitetura militar medieval.[123]

O Tersane (estaleiro naval) é um doca seca medieval construída pelos seljúcidas em 1221, mede 57 por 40 metros e está dividida em cinco naves abobadadas.[121]

A Casa e Museu de Atatürk é um edifício onde ficou alojado Kemal Atatürk durante a sua curta estadia na cidade em 1935, é um exemplo bem preservado de uma villa otomana tradicional. Tem em exposição diversos artefatos dos anos 1930. A casa foi construída entre 1880 e 1885 em estilo "karnıyarık".[e]

O Museu de Alanya está alojado em um edifício de 1967, perto da praia de Damlataş.[118]

O Caravançarai de Alarahan situa-se próximo de Manavgat, a 35 km a oeste da cidade, junto ao castelo de Alara, à beira do rio com o mesmo nome. É mais uma obra do tempo de Aladino Keykubad, que está convertida num pequeno museu e centro de património.[124]

O rico património arquitetónico de Alanya justifica o fato de a cidade fazer parte da Associação Europeia de Cidades e Regiões Históricas (EAHTR), uma organização sedeada em Norwich, Inglaterra, fundada pelo Congresso dos poderes locais e regionais do Conselho da Europa.[125] Em 2009, as autoridades locais candidataram o castelo e a tersane a Património Mundial da UNESCO, tendo a candidatura sido aceite.[126] [127] É frequente que as autoridades locais ordenem que as casas sejas pintadas com cores vivas e que os telhados sejam vermelhos, o que dá à cidade moderna um fulgor pastel.

Desporto[editar | editar código-fonte]

Alanya é a sede de uma equipa feminina profissional de basquetebol, a Alanya Belediye, a qual começou por estar na primeira divisão da Liga Turca de Basquetebol, mas baixou à segunda divisão em 2002. O principal clube de futebol da cidade, o Alanyaspor, fundado em 1948, usa o estádio Milli Egemenlik. Em 2010 estava na terceira divisão nacional, após ter estado na segunda divisão entre 1988 e 1997. Em 2007 começou a ser construído um novo estádio para nele serem realizadas as competições de inverno entre os clubes maiores.[128] O Complexo Desportivo Municipal situa-se junto ao estádio Milli Egemenlik, o qual constituiu uma das treze estruturas do complexo.[129]

Equipas femininas no torneio de voleibol de praia de 2006

A localização de Alanya junto ao mar torna a cidade apropriada para alguns eventos desportivos, dos quais o mais famoso é provavelmente o campeonato de triatlo, que faz parte do circuito da União Internacional de Triatlo, o qual se realiza anualmente em outubro desde 1990.[130] Associado ao campeonato de triatlo, realizam-se também provas de maratona de natação desde 1992.[131] Em consequência do sucesso do triatlo, Alanya acolheu um campeonato de pentatlo moderno em 2009.[132] A cidade é ainda palco em maio do Turkish Open de voleibol de praia, o qual faz parte do campeonato europeu Nestea da Confederação Europeia de Voleibol.[133] Em 2007 a Federação de Voleibol da Turquia persuadiu a Confederação Europeia de Voleibol a construir um complexo de treino em Alanya e fazer dele um "centro exclusivo de voleibol da Europa".[134] Em junho de 2010 a cidade recebeu o campeonato universitário de voleibol de praia.[135]

A cidade acolhe frequentemente eventos desportivos nacionais, como o torneio anual de andebol de praia[61] e a final da Volta à Turquia de ciclismo de estrada.[136] Outros eventos de ciclismo incluem a Corrida Internacional de Mountain Bike de Alanya.[137] Em 2010 o campeonato de ciclismo de estrada e o congresso anual da União Europeia de Ciclismo de 2010 tiveram lugar em Alanya em março.[138] [139]

Vista panorâmica do cimo da península, com a praia de Cleópatra à esquerda (ocidente) e a praia de Keykubad ao fundo, à direita (oriente).

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Redford, Scott. Landscape and the state in medieval Anatolia: Seljuk gardens and pavilions of Alanya, Turkey (em inglês). Oxford: Archaeopress, 2000. ISBN 1-8417-1095-4

Notas[editar | editar código-fonte]

[a] ^ aNota de tradução: Karamanoğlu no original.[nt 1] Também chamado de Beylik de Karaman, a dinastia dos karamanidas, foi um dos mais poderosos estados turcos entre os séculos XIII e XV. Ver «Karamanides» na Wikipédia em francês.
[b] ^ bNota de tradução: Alaeddin Keykubad I ou Kayqubad I no original.[nt 1] Traduzido como Aladino Keykubad (ou Aladino, o Grande, segundo o artigo «Haladinus Magnus» na Wikipédia em latim) foi o sultão de Rum entre 1220 e 1237. Ver «Kay Qubadh Ier» na Wikipédia em francês.
[c] ^ cNota de tradução: Nappe no original.[nt 1] Chama-se nappe (falha de cavalgamento?) a uma porção de rocha que foi movida mais de 2 km da sua posição original por causa da colisão de placa tectónicas. Ver «Nappe» na Wikipédia em inglês.
[d] ^ dNota de tradução: Tectonic window no original.[nt 1] Janela tectónica ou fenster (em alemão: janela) é uma estrutura geológica formada por erosão diferencial ou por um mecanismo de falha normal num sistema de cavalgamento. Ver «Ventana tectónica» na Wikipédia em espanhol.
[e] ^ Karnıyarık, que tanto pode traduzir-se como "beringela recheada" ou "barriga de beringela" ou "barriga cortada ou aberta" é um prato típico das cozinhas turca e arménia, mas também designa um estilo arquitetónico.
[f] ^ As escolas Imam Hatip são uma espécie de escolas secundárias com algumas características de escola profissional e religiosa. São as sucessoras dos madraçais (escolas islâmicas) otomanos que formavam os imames empregados pelo governo.
[g] ^ No original[nt 1] chama-se a esse curso um study abroad (literalmente estudo no estrangeiro). Para mais informações, ver artigos «Study abroad» na Wikipédia em inglês e «McGhee Center for Eastern Mediterranean Studies» na Wikipédia em inglês.
  1. a b c d e f g Texto inicialmente baseado em tradução do artigo «Alanya» na Wikipédia em inglês (acessado nesta versão).

Referências

  1. a b Alanya Kaymakami (em inglês). alanya.gov.tr. Governo distrital (kaymakami) de Alanya. Página visitada em 2010-06-22.
  2. Alanya Belediyesi (em turco). YerelNET. Página visitada em 2010-06-19.
  3. Districts of Turkey (em inglês). www.statoids.com. Administrative Divisions of Countries ("Statoids") (2 de fevereiro de 2008). Página visitada em 26 de maio de 2010. Cópia arquivada em 26 de maio de 2010.
  4. a b c d Address based population registration system (ABPRS) database (2009) (em inglês). www.tuik.gov.tr. TURKSTAT.
  5. a b c Crane, Howard. (1993). "Evliya Çelebi's Journey through the Pamphylian Plain in 1671-72" (GIF) (em inglês). Muqarnas 10 (Essays in Honor of Oleg Grabar): 157–168 pp.. Brill. DOI:10.2307/1523182. Página visitada em 2010-06-19.
  6. a b Mason, Roger. . "The Medici-Lazara Map of Alanya" (GIF) (em inglês). Anatolian Studies 39: 85–105 pp.. Ancara: Instituto Britânico de Ancara. DOI:10.2307/3642815. Página visitada em 2010-06-19.
  7. Yetkin, Haşim (1990). Dünden Bugüne Alanya (em inglês). Yetkin Dağitim, Antália. Página visitada em 2010-06-19. Cópia arquivada em 2010-06-19.
  8. Alaiye's Becoming Alanya (em inglês). www.alanya.tv. Alanyanın Web Sitesi (2008). Página visitada em 2010-06-19. Cópia arquivada em 2010-06-19.
  9. a b Rogers, J. M.. (1976). "Waqf and Patronage in Seljuk Anatolia: The Epigraphic Evidence" (GIF) (em inglês). Anatolian Studies 26: 82, 83, 85, 97–98 pp.. Ancara: Instituto Britânico de Ancara. DOI:10.2307/3642717. Página visitada em 2010-06-19.
  10. a b c d The History of Alanya (em inglês). www.kultur.gov.tr. Ministério do Turismo da Turquia. Página visitada em 2010-06-19. Cópia arquivada em 2008-05-19.
  11. Acar, Özgen (2005-10-10). Alanya's graffiti from the Middle Ages being saved (em inglês). arama.hurriyet.com.tr. Hürriyet Turkish Daily News. Página visitada em 2010-06-19. Cópia arquivada em 2010-06-19.
  12. Sherwin-White, A. N.. (1976). "Rome, Pamphylia and Cilicia, 133-70 B.C." (GIF) (em inglês). The Journal of Roman Studies 66: 1-14 pp.. Londres: Society for the Promotion of Roman Studies. DOI:10.2307/299775. Página visitada em 2010-06-19.
  13. de Souza, Philip. (1997). "Romans and Pirates in a Late Hellenistic Oracle from Pamphylia" (GIF) (em inglês). The Classical Quarterly 47 (2): 479 pp.. Cambridge University Press. Página visitada em 2010-06-19.
  14. Lenski, Noel. (1999). "Assimilation and Revolt in the Territory of Isauria, from the 1st Century BC to the 6th Century AD" (GIF) (em inglês). Journal of the Economic and Social History of the Orient 42 (4): 440–441 pp.. Brill. DOI:10.1163/1568520991201687. Página visitada em 2010-06-19.
  15. a b Wikisource-logo.svg "Coracesium" na edição de 1913 da Catholic Encyclopedia (em inglês)., uma publicação agora em domínio público.
  16. Jones, Terry H. (200-12-06). Saint Peter of Atroa (em inglês). Saints.SQPN.com. Star Quest Production Network (SQPN). Página visitada em 2010-06-20. Cópia arquivada em 2010-06-20.
  17. Vryonis, Jr., Speros. (1975). "Nomadization and Islamization in Asia Minor" (GIF) (em inglês). Dumbarton Oaks Papers 29: 45 pp.. DOI:10.2307/1291369. Página visitada em 2010-06-20.
  18. Redford, Scott. (1993). "The Seljuqs of Rum and the Antique" (GIF) (em inglês). Muqarnas 10: 149–151 pp.. Brill. DOI:10.2307/1523181. Página visitada em 2010-06-20.
  19. Yavuz, Ayşil Tükel. (1997). "The Concepts That Shape Anatolian Seljuq Caravanserais" (GIF) (em inglês). Muqarnas 14: 81 pp.. Brill. DOI:10.2307/1523237. Página visitada em 2010-06-20.
  20. a b Inalcik, Halil. (1960). "Bursa and the Commerce of the Levant" (GIF) (em inglês). Journal of the Economic and Social History of the Orient 3 (2): 143–147 pp.. Brill. DOI:10.2307/3596293. Página visitada em 2010-06-20.
  21. Arik, M. Oluş; Russell, James; Minzoni-Déroche, Angela; Erim, Kenan; Korfmann, Manfred; Cauvin, J.; Aurenche, O.; Erzen, Afıf; Çambel, Halet; Tuchelt, K.; Baydur, Nezahat; Vetters, Hermann; Yardımcı, Nurettin; Ferrero, Daria De Bernardi; Berti, Dott. Fede; Bilgi, Önder; Sevim, Veli; Yalman, Bedri; Aslanapa, Oktay; Yalcınkaya, Işın; Silistreli, Uğur; Duru, Refık; Borchardt, J.; Müller-Wiener, W.; Atalay, Erol; Erkanal, Armağan; Alpagut, Berna; Radt, W.; Greenewalt, Crawford H.; Avcı, Nadir; İzmirligil, Ülkü; Bass; Çilingiroglu, Altan. (1986). "Recent Archaeological Research in Turkey" (GIF) (em inglês). Anatolian Studies 36: 173 pp.. Ancara: Instituto Britânico de Ancara. DOI:10.2307/3642834. Página visitada em 2010-06-20.
  22. Alâiye Beyligi (em turco). Selçuklu Tarihi. enfal.de (2001-02-17). Página visitada em 2008-09-07.
  23. "Hamid Dynasty (Turkmen dynasty)". Britannica Online Encyclopedia. Encyclopædia Britannica. Consultado em 2010-06-20. 
  24. "Hamid Dynasty". Britannica Online Encyclopedia. (2007). Encyclopædia Britannica. Consultado em 2007-01-29. 
  25. Erder, Leila T.; Faroqhi, Suraiya. (outubro 1980). "The Development of the Anatolian Urban Network during the Sixteenth Century" (GIF) (em inglês). Journal of the Economic and Social History of the Orient 23 (3): 279 pp.. Brill. DOI:10.2307/3632058. Página visitada em 2010-06-20.
  26. History of Kalkan (em inglês). www.fivestarhotelsantalya.com. Five Star Hotels Antalya (2006). Página visitada em 2010-06-20. Cópia arquivada em 2010-06-20.
  27. Helmreich, Paul C.. (junho 1976). "Italy and the Anglo-French Repudiation of the 1917 St. Jean de Maurienne Agreement" (GIF) (em inglês). The Journal of Modern History 48 (2): 99 pp.. University of Chicago Press. DOI:10.1086/241525. Página visitada em 2010-06-20.
  28. a b Karpat, Kemal H.. (outubro 1978). "Ottoman Population Records and the Census of 1881/82-1893" (GIF) (em inglês). International Journal of Middle East Studies 9 (3): 271 pp.. Cambridge University Press. Página visitada em 2010-06-20.
  29. a b Hakları, Telif (2002). Belediye Tarihi (em turco). www.alanya.bel.tr. Alanya Belediyesi (Prefeitura de Alanya).
  30. Hakları, Telif. Alanya in numbers (em inglês). www.alanya.bel.tr. Alanya Belediyesi (Prefeitura de Alanya). Página visitada em 2010-06-20. Cópia arquivada em 2010-06-20.
  31. a b c d e f g Rakamlarla Alanya (em turco). www.altso.org.tr. Câmara de Comércio de Alanya (2005). Página visitada em 2010-06-20.
  32. Akiş, Ayhan. (2007). "Alanya'da Turizm ve Turizmin Alanya Ekonimisine Etkisi" (em turco). Selcuk Universitesi Sosyal Bilimler Enstitusu Dergisi (17): 15-32 pp.. ISSN 13021796.
  33. World Wide Fund for Nature (2001). Eastern Mediterranean conifer-sclerophyllous-broadleaf forests (PA1207) (em inglês). www.nationalgeographic.com. National Geographic Society. Página visitada em 2010-06-20. Cópia arquivada em 2010-06-20.
  34. Koçkar, M. K.; Akgün, H.. (março 2003). "Engineering geological investigations along the Ilıksu Tunnels, Alanya, southern Turkey" (em inglês). Engineering Geology 68 (3-4): 141–158 pp.. Elsevier. DOI:10.1016/S0013-7952(02)00204-1. Página visitada em 2010-06-20.
  35. Temur, Sedat; Kansun, Gürsel. (2006-09-01). "Geology and petrography of the Masatdagi diasporic bauxites, Alanya, Antalya, Turkey" (em inglês). Journal of Asian Earth Sciences 27 (4): 512–522 pp.. Elsevier. DOI:10.1016/j.jseaes.2005.07.001. Página visitada em 2010-06-20.
  36. Kleopatra Beach (em inglês). www.alanya.cc. ALTİD - Alanya Touristic Hoteliers Association. Página visitada em 2010-06-20. Cópia arquivada em 2010-06-20.
  37. Alanya (em inglês). www.sunsearch.info. SunSearch Consulting Ltd. Página visitada em 2010-06-20. Cópia arquivada em 2010-06-20.
  38. Summer sun for southern beaches, eastern Anatolia remains icy (em inglês). Today's Zaman. Feza Gazetecilik (2008-02-09). Página visitada em 2010-06-20.
  39. Waterspouts in Alanya (em inglês). www.wunderground.com, Istanbul Journal of Weather. Weather Underground (2006-10-19). Página visitada em 2010-06-20.
  40. Alanya (em inglês). www.holidaycheck.com. Holidaycheck AG. Página visitada em 2010-06-20. Cópia arquivada em 2010-06-20.
  41. İl ve İlçelerimize Ait İstatistiki Veriler- Meteoroloji Genel Müdürlüğü (em turco). Dmi.gov.tr. Página visitada em 25 de março de 2013.
  42. July Climate History for Alanya | Local | Turkey (em inglês). Myweather2.com.
  43. a b Çevik, Reeta (2007-07-26). New Alanya residents reshaping the area (em inglês). arama.hurriyet.com.tr. Hürriyet Turkish Daily News. Página visitada em 2010-06-20. Cópia arquivada em 2010-06-20.
  44. a b Adrese dayali nüfus kayit sistemi (ADNKS) veri tabani (em turco). www.tuik.gov.tr. TURKSTAT (2009). Página visitada em 2010-06-24. Cópia arquivada em 2010-06-24.
  45. Foreign interest in Alanya on the rise (em inglês). Today's Zaman. Feza Gazetecilik (2007-05-01). Página visitada em 2010-06-20.
  46. a b Yilmaz, Fatih; Yeşhil, Ahmet (2008-05-01). Property prices fall with cancellation of law on property sales to foreigners (em inglês). Today's Zaman. Feza Gazetecilik. Página visitada em 2010-06-20.
  47. Yeşil, Ahmet (2007-02-10). Number of foreigners owning property in Turkey rapidly increasing (em inglês). Today's Zaman. Feza Gazetecilik. Página visitada em 2010-06-20.
  48. a b Hakları, Telif (2002). Nüfusu ve Demografik Boyutları (em turco). www.alanya.bel.tr. Alanya Belediyesi (Prefeitura de Alanya). Página visitada em 2010-06-22. Cópia arquivada em 2010-06-22.
  49. Adrese dayali nüfus kayit sistemi (ADNKS) veri tabani (em turco). www.tuik.gov.tr. TURKSTAT (2007). Página visitada em 2010-06-24. Cópia arquivada em 2010-06-24.
  50. Adrese dayali nüfus kayit sistemi (ADNKS) veri tabani (em turco). www.tuik.gov.tr. TURKSTAT (2008). Página visitada em 2010-06-24. Cópia arquivada em 2010-06-24.
  51. Stevens, Kristen (2006-12-19). Migration matters in globalized Turkey (em inglês). arama.hurriyet.com.tr. Hürriyet Turkish Daily News. Página visitada em 2010-06-20. Cópia arquivada em 2010-06-20.
  52. Coşkun, Yadigar (2006). Analyzing the Aspects of International Migration in Turkey (PDF) (em inglês). MiReKoc - Migration Research Program at the Koç University. Página visitada em 2010-06-20.
  53. Kutay, Kürşat (2009-06-15). Yürüks struggle to keep traditions (em inglês). www.hurriyet.com.tr. Hürriyet Turkish Daily News. Página visitada em 2010-06-20. Cópia arquivada em 2010-06-20.
  54. Ziflioğlu, Vercihan (2008-11-04). Sad story of black citizens in Turkey (em inglês). arama.hurriyet.com.tr. Hürriyet Turkish Daily News. Página visitada em 2010-06-20. Cópia arquivada em 2010-06-20.
  55. Church work on the Turkish Riviera (em inglês). www.ekd.de. Igreja Evangélica Alemã (2004). Página visitada em 2010-06-20. Cópia arquivada em 2007-09-27.
  56. Boyle, Donna (2008-03-15). Easter spirit (em inglês). arama.hurriyet.com.tr. Hürriyet Turkish Daily News. Página visitada em 2010-06-20. Cópia arquivada em 2010-06-20.
  57. Chason, Miri (2008-08-15). Turkey: Sign reads ‘Israeli murderers keep out’ (em inglês). Ynet News (www.ynetnews.com). Yedioth Internet, Tel Aviv, Israel. Página visitada em 2010-06-21. Cópia arquivada em 2010-06-21.
  58. Prachniak, James (2008-03-29). It's the Wedge Issues, Stupid - Turkey and the U.S. Focus on Polarizing, Unproductive Politics (em inglês). The Georgetown Independent (www.thegeorgetownindependent.com). Universidade de Georgetown, Washington, D.C.. Página visitada em 2010-06-21. Cópia arquivada em 2010-06-21.
  59. Hakları, Telif (2009). Meclis Üyeleri (em turco). www.alanya.bel.tr. Alanya Belediyesi (Prefeitura de Alanya). Página visitada em 2010-06-22. Cópia arquivada em 2010-01-17.
  60. Erİş, Teoman (2009-07-16). MHP'li Yıldız'dan, Başkan Sipahioğlu ve AKP'ye tepki (em turco). www.milliyet.com.tr. Jornal Milliyet. Página visitada em 2010-06-22. Cópia arquivada em 2010-06-22.
  61. a b Hakları, Telif (2007-05-02). The Prevailing Party in Beach Handball is the Turkish Teams (em inglês). www.alanya.bel.tr. Alanya Belediyesi (Prefeitura de Alanya). Página visitada em 2010-06-23. Cópia arquivada em 2010-06-23.
  62. Ntvmsnbc Secim 2007 (FLASH) (em turco). NTV (Turquia) (2007). Página visitada em 2010-06-22.
  63. Mr Mevlüt Çavuşoğlu (em inglês). assembly.coe.int. Conselho da Europa. Página visitada em 2010-06-22.
  64. Hakları, Telif (2008-09-07). AlanyaSpor was beaten by sistercity team Schwechat 4-0 (em inglês). www.alanya.bel.tr. Alanya Belediyesi (Prefeitura de Alanya). Página visitada em 2010-06-23. Cópia arquivada em 2010-01-17.
  65. Hakları, Telif (2008-09-07). Odra Wodzislaw Executives Thanked Sipahioglu (em inglês). www.alanya.bel.tr. Alanya Belediyesi (Prefeitura de Alanya). Página visitada em 2010-06-23. Cópia arquivada em 2010-06-23.
  66. 'Lithuania Year' in Alanya (em inglês). www.hurriyet.com.tr. Hürriyet Turkish Daily News (2009-05-29). Página visitada em 2010-06-23. Cópia arquivada em 2010-06-23.
  67. Hakları, Telif. Our Sibling Cities (em inglês). www.alanya.bel.tr. Alanya Belediyesi (Prefeitura de Alanya). Página visitada em 2010-06-23. Cópia arquivada em 2010-06-23.
  68. Hakları, Telif (2009-12-04). Sistership Agreement with Spindleruv Mlyn of Checz Republic is Signed (em inglês). www.alanya.bel.tr. Alanya Belediyesi (Prefeitura de Alanya). Página visitada em 2010-06-23. Cópia arquivada em 2010-06-23.
  69. Economic Structure of Antalya (em inglês). www.atso.org.tr. Câmara de Comércio e Indústria de Antália (2005). Página visitada em 2010-06-22. Cópia arquivada em 2007-05-30.
  70. Yeşİl, Ahmet (2008-04-30). Alanya farmers turn to greengage plum, avocado production (em inglês). Today's Zaman. Feza Gazetecilik. Página visitada em 2010-06-22. Cópia arquivada em 2010-06-22.
  71. Halting degradation of natural resources (em inglês). www.fao.org. Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) (1996). Página visitada em 2010-06-22. Cópia arquivada em 2010-06-22.
  72. The Sveriges Riksbank Prize in Economic Sciences in Memory of Alfred Nobel 2009 (em inglês). Nobelprize.org (2009). Página visitada em 2010-06-22.
  73. Fishermen in Alanya proud to be a part of the Nobel prize (em inglês). www.alanyaproperties.com. Alanya Properties. Página visitada em 2010-06-22. Cópia arquivada em 2010-06-22.
  74. a b Boyle, Donna (2007-11-24). Which way is progress? (em inglês). arama.hurriyet.com.tr. Hürriyet Turkish Daily News. Página visitada em 2010-06-22. Cópia arquivada em 2010-06-22.
  75. Antalya's Alanya district attracts foreigner buyers (em inglês). arama.hurriyet.com.tr. Hürriyet Turkish Daily News (2008-05-01). Página visitada em 2010-06-22. Cópia arquivada em 2010-06-22.
  76. Yeşil, Ahmet (2009-03-14). Foreigners no longer buying real estate for profit in Alanya (em inglês). Today's Zaman. Feza Gazetecilik. Página visitada em 2010-06-22. Cópia arquivada em 2010-06-22.
  77. Yeşil, Ahmet (2007-10-29). Alanya’s property sector moribund (em inglês). Today's Zaman. Feza Gazetecilik. Página visitada em 2010-06-22. Cópia arquivada em 2010-06-22.
  78. FAQ (em inglês). Tora Villa Real Estate. Página visitada em 2010-06-22. Cópia arquivada em 2010-06-22.
  79. Leone, Stacie (maio 2008). Burgeoning Alanya (em inglês). www.turkey-now.org. Turkish - U.S. Business Council (TAIK). Página visitada em 2010-06-22. Cópia arquivada em 2010-06-22.
  80. Campaign calls on Alanya's merchants to respect tourists (em inglês). arama.hurriyet.com.tr. Hürriyet Turkish Daily News (2007-06-26). Página visitada em 2010-06-22. Cópia arquivada em 2010-06-22.
  81. Damlataş Cave (em inglês). www.alanya.com.tr. ALTİD - Alanya Touristic Hoteliers Association. Página visitada em 2010-06-22.
  82. Griffith, Leslie (2007-05-30). While I wasn't sleeping (em inglês). dukechronicle.com. The Chronicle, jornal de estudantes da Universidade Duke,. Página visitada em 2010-06-22. Cópia arquivada em 2010-06-22.
  83. Kremida, Damaris (2007-03-06). The boom and bust of Alanya's riviera (em inglês). arama.hurriyet.com.tr. Hürriyet Turkish Daily News. Página visitada em 2010-06-22. Cópia arquivada em 2010-06-22.
  84. Europe's biggest water park begins new season (em inglês). Today's Zaman. Feza Gazetecilik (2009-05-05). Página visitada em 2010-06-22. Cópia arquivada em 2010-06-22.
  85. Alanya to attract foreigners for hunting tourism (em inglês). arama.hurriyet.com.tr. Hürriyet Turkish Daily News (2008-10-22). Página visitada em 2010-06-22. Cópia arquivada em 2010-06-22.
  86. Alanya Sees 30% Fall in Scandinavian Tourists (em inglês). Today's Zaman. Feza Gazetecilik (2006-03-03). Página visitada em 2010-06-22. Cópia arquivada em 2010-06-22.
  87. Welcomes World's Longest Cake Baked In Turkey (em inglês). TurkishPress.com. Anatolia.com, Plymouth, EUA (2007-03-22). Página visitada em 2010-06-22. Cópia arquivada em 2010-06-22.
  88. Alanya İşletme Fakültesi (em inglês). www.akdeniz.edu.tr. Universidade Akdeniz (2006-07-05). Página visitada em 2008-09-07. Cópia arquivada em 2008-05-23.
  89. International Tourism Conference (em inglês). www.akdeniz.edu.tr. Universidade Akdeniz (2008-02-06). Página visitada em 2008-09-07. Cópia arquivada em 2008-06-18.
  90. The McGhee Center for Eastern Mediterranean Studies (em inglês). www11.georgetown.edu. Universidade de Georgetown, Washington, D.C.. Página visitada em 2010-06-21.
  91. Baskent University Alanya Hospital (em inglês). www.baskent-aln.edu.tr. Universidade Başkent, Ancara. Página visitada em 2010-06-21. Cópia arquivada em 2010-06-08.
  92. Health Services in Alanya (em inglês). alanya.gov.tr. Governo distrital (kaymakami) de Alanya. Página visitada em 2010-06-21. Cópia arquivada em 2010-06-21.
  93. a b TAV wins Gazipaşa Airport bid (em inglês). www.todayszaman.com. Today's Zaman (2007-09-01). Página visitada em 2010-10-08.
  94. a b Long-Awaited Gazipasa Airport to Boost Alanya Property Market (em inglês). www.rightmove.co.uk. Rightmove Overseas Property Magazine (2010-05-17). Página visitada em 2010-10-13.
  95. Kutay, Kürşat (2009-06-02). No turbulence at Gazipaşa (em inglês). www.hurriyet.com.tr. Hürriyet Turkish Daily News. Página visitada em 2010-06-23. Cópia arquivada em 2010-06-23.
  96. The Antalya Gazipaşa Airport will begin operating in the summer (em inglês). www.tavairports.com. TAV Airports Holding (abril 2009). Página visitada em 2010-06-23.
  97. Fresh blood for the Antalya economy - The first flight for Gazipaşa airport (em inglês). www.tavairports.com. TAV Airports Holding (abril 2009). Página visitada em 2010-06-23.
  98. Agência noticiosa Doğan (2010-03-17). First flight at Gazipaşa expected on May 22 (em inglês). www.hurriyetdailynews.com. Hürriyet Turkish Daily News. Página visitada em 2010-06-23. Cópia arquivada em 2010-06-23.
  99. Gazipasa Alanya Airport Opens Finally (em inglês). www.nubricks.com (2010-07-22). Página visitada em 2010-10-13.
  100. Smith, Mark. Train travel within Turkey (em inglês). www.seat61.com. The Man in Seat Sixty-One. Página visitada em 2010-06-23.
  101. Ayliffe, Rosie; Dubi, Marc; Gawthrop, John; Richardson, Terry. The Rough Guide to Turkey (em inglês). 5 ed. [S.l.]: Rough Guides, Ltd, 2003. 562-571 pp. ISBN 1-84353-071-6
  102. Hall, Tom (2008-10-26). Ask Tom (em inglês). www.guardian.co.uk. Jornal The Guardian. Página visitada em 2010-06-23.
  103. Antalya attracts port investments (em inglês). arama.hurriyet.com.tr. Hürriyet Turkish Daily News (2007-12-28). Página visitada em 2010-06-23. Cópia arquivada em 2010-06-23.
  104. Turkey's 37th Marina To Be In Service Next Year (em inglês). TurkishPress.com. Anatolia.com, Plymouth, EUA (2008-05-29). Página visitada em 2010-06-23. Cópia arquivada em 2010-06-23.
  105. 19th Eastern Mediterranean Rally Yachts In Murefte (em inglês). TurkishPress.com. Anatolia.com, Plymouth, EUA (2008-04-27). Página visitada em 2010-06-23. Cópia arquivada em 2010-06-23.
  106. Eastern Mediterranean Yacht Rally (em inglês). www.aboutnorthcyprus.com. About North Cyprus. Página visitada em 2010-06-23. Cópia arquivada em 2010-06-23.
  107. Sağlam, Asli (2008-09-18). Alanya to lead environment-friendly cities (em inglês). arama.hurriyet.com.tr. Hürriyet Turkish Daily News. Página visitada em 2010-06-23. Cópia arquivada em 2010-06-23.
  108. Alanya Medya Center Flash FM, Alanya FM 242-512 7855-511 7124 (em turco). Página visitada em 2010-06-23.
  109. Alanya RadyoTime (em turco). Página visitada em 2010-06-23.
  110. Radio and Television (em inglês). Alanyanın Web Sitesi. Página visitada em 2010-06-23.
  111. Festivals (em inglês). www.kultur.gov.tr. Ministério do Turismo da Turquia. Página visitada em 2010-06-21. Cópia arquivada em 2010-06-21.
  112. Festivals (em inglês). www.ezoptravel.com. Ezop Travel. Página visitada em 2010-06-13. Cópia arquivada em 2010-06-08.
  113. Holiday town Alanya to host tiny jazz festival (em inglês). Today's Zaman. Feza Gazetecilik (2008-10-07). Página visitada em 2010-06-22. Cópia arquivada em 2010-06-22.
  114. 4th of Alanya Stone Sculpture Semposium (em inglês). www.alanya.com.tr. ALTİD - Alanya Touristic Hoteliers Association (2007-10-30). Página visitada em 2010-06-22. Cópia arquivada em 2010-06-22.
  115. Holiday resort hosts documentary festival (em inglês). Today's Zaman. Feza Gazetecilik (2009-04-20). Página visitada em 2010-06-22. Cópia arquivada em 2010-06-22.
  116. Alanya showed an interest in Chamber Orkestra (em inglês). www.alanya.com.tr. ALTİD - Alanya Touristic Hoteliers Association (2007-12-08). Página visitada em 2010-06-22. Cópia arquivada em 2010-06-22.
  117. Most Popular People Born In "Alanya/ Antalya/ Turkey" (em inglês). IMDB. Página visitada em 2010-06-22.
  118. a b Anatolia News Agency (2007-08-29). Museums shed light on Anatolian history (em inglês). arama.hurriyet.com.tr. Hürriyet Turkish Daily News. Página visitada em 2010-06-20. Cópia arquivada em 2010-06-20.
  119. 500 Norwegians Attend Ceremonies In Alanya To Mark National Day Of Norway (em inglês). TurkishPress.com. Anatolia.com, Plymouth, EUA (2008-05-18). Página visitada em 2010-06-22. Cópia arquivada em 2010-06-22.
  120. Nevruz’da İranlı sürprizi (em turco). Yeni Alanya (2009-03-29). Página visitada em 2010-06-22. Cópia arquivada em 2010-06-23.
  121. a b Hakları, Telif (2002). Historical Places (em inglês). www.alanya.bel.tr. Alanya Belediyesi (Prefeitura de Alanya). Página visitada em 2010-06-20. Cópia arquivada em 2010-06-20.
  122. Ancient cities and historical sites - Alanya (em inglês). www.antalya-ws.com. Antalya Web Site. Página visitada em 2010-06-20. Cópia arquivada em 2010-06-20.
  123. Dörner, F. K.; Robert, L.; Young, Rodney; Underwood, Paul A.; Çambel, Halet; Özgüç, Tahsin; Mansel, A. M.; Gabriel, A.. (1954). "Summary of Archaeological Work in Turkey in 1953" (GIF) (em inglês) 4: 13 pp.. Ancara: Instituto Britânico de Ancara. DOI:10.2307/3642371. Página visitada em 2010-06-20.
  124. Kutay, Kürşat (2009-06-24). Alarahan caravanserai now a major attraction (em inglês). www.hurriyet.com.tr. Hürriyet Turkish Daily News. Página visitada em 2010-06-20. Cópia arquivada em 2010-06-20.
  125. Association of Historic Towns of Turkey (DOC) (em inglês). www.historic-towns.org. European Association of Historic Towns and Regions. Página visitada em 2010-06-20.
  126. Agência Noticiosa Doğan (2009-02-04). Alanya in line for ’World Heritage’ tag (em inglês). www.hurriyet.com.tr. Hürriyet Turkish Daily News. Página visitada em 2010-06-20. Cópia arquivada em 2010-06-20.
  127. 5 more sites from Turkey on UNESCO’s World Heritage Tentative List (em inglês). Today's Zaman. Feza Gazetecilik (2009-04-24). Página visitada em 2010-06-20.
  128. Alanya 15,000-seat, closed-roof stadium to open next year (em inglês). Today's Zaman. Feza Gazetecilik (2007-04-12). Página visitada em 2010-06-23. Cópia arquivada em 2010-06-23.
  129. Hakları, Telif. Olympic Swimming Pool is at Sportmen's Service (em inglês). www.alanya.bel.tr. Alanya Belediyesi (Prefeitura de Alanya). Página visitada em 2010-06-23. Cópia arquivada em 2010-01-17.
  130. Tuncer, Yasin (2008-11-02). Turkey has great potential for triathlons (em inglês). Today's Zaman. Feza Gazetecilik. Página visitada em 2010-06-23. Cópia arquivada em 2010-06-23.
  131. Agência noticiosa Doğan (2009-10-29). Russians sweep swimming marathon in Russia (em inglês). www.hurriyetdailynews.com. Hürriyet Turkish Daily News. Página visitada em 2010-06-23. Cópia arquivada em 2010-06-23.
  132. Agência noticiosa Doğan (2009-09-15). Alanya hosts pentathlon event (em inglês). www.hurriyetdailynews.com. Hürriyet Turkish Daily News. Página visitada em 2010-06-23. Cópia arquivada em 2010-06-23.
  133. Family reunion at high noon - Nestea European Championship Tour 2005 (em inglês). www.cev.lu. Confederação Europeia de Voleibol (2005-05-13). Página visitada em 2010-06-23. Cópia arquivada em 2010-06-23.
  134. Oğuz, Mustafa (2007-08-25). Sun, surf... and enter beach volleyball (em inglês). arama.hurriyet.com.tr. Hürriyet Turkish Daily News. Página visitada em 2010-06-23. Cópia arquivada em 2010-06-23.
  135. Campbell, Erin (2010-06-15). U.S. Beach Teams to Compete in Alanya, Turkey (em inglês). usavolleyball.org - USA Volleybal. Comitê Olímpico dos Estados Unidos. Página visitada em 2010-06-23. Cópia arquivada em 2010-06-23.
  136. 43rd Presidency Cycling Tour starts (em inglês). Today's Zaman. Feza Gazetecilik (2007-05-07). Página visitada em 2010-06-23. Cópia arquivada em 2010-06-23.
  137. Han, Pliny (2008-09-30). 12th International Mountain Bike Cup to be held in Turkey (em inglês). Agência noticiosa Xinhua. Página visitada em 2010-06-23. Cópia arquivada em 2010-06-23.
  138. Turkey To Host U.E.C. 2010 Congress (em inglês). TurkishPress.com. Anatolia.com, Plymouth, EUA (2008-03-03). Página visitada em 2010-06-23. Cópia arquivada em 2010-01-17.
  139. News - 21st Annual General Meeting, Alanya, Turkey (em inglês). uec-federation.eu. União Europeia de Ciclismo. Página visitada em 2010-06-23.

Erro de citação: A etiqueta <ref> com nome "webase" definida em <references> não é utilizada no texto acima.

Erro de citação: A etiqueta <ref> com nome "avgt" definida em <references> não é utilizada no texto acima.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Alanya