Dinastia ptolemaica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde abril de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Antigo Egito
Faraós e dinastias
Período pré-dinástico
Período protodinástico
Época Tinita: I - II
Império Antigo: III IV V VI
1º Período Intermediário:

VII VIII IX X XI

Império Médio: XI XII
2º Período Intermediário:

XIII XIV XV XVI XVII

Império Novo: XVIII XIX XX
3º Período Intermediário:

XXI XXII XXIII XXIV XXV

Época Baixa: XXVI XXVII
XXVIII XXIX XXX XXXI
Período Greco-romano:
Dinastia macedónica
Dinastia ptolomaica
Período Romano
Outros diádocos
  Reino de Cassandro
  Reino de Lisímaco
  Reino de Seleuco I Nicator
  Épiro
Outros
  Roma
  Colónias gregas

A dinastia ptolemaica (ou ptolomaica) foi uma dinastia macedónia que governou o Egipto de 305 a 30 a.C.. Recebe a designação devido ao facto dos seus soberanos terem assumido o nome Ptolemeu (ou Ptolomeu, do grego Ptolemaios). É também conhecida como dinastia lágida em função do nome do pai do fundador da dinastia. Ptolomeu foi um dos generais de Alexandre Magno.

A dinastia insere-se no período helenístico, época que decorre entre a morte de Alexandre e a ascensão do Império Romano, durante a qual se assistiu à difusão da civilização grega pela bacia do mar Mediterrâneo, criando novas formas artísticas, religiosas e políticas. Embora tivesse uma origem estrangeira, a dinastia ptolemaica respeitou a cultura egípcia, revivendo alguns dos seus aspectos do passado e adoptando as suas divindades.

Os faraós desta dinastia foram responsáveis por várias construções, entre as quais se destacam a cidade de Alexandria (com o seu farol e biblioteca), o templo de Hórus em Edfu e o templo de Ísis em Filas.

Lista dos soberanos ptolemaicos[editar | editar código-fonte]


Nome Consorte Reinado Comentários
Ptolemeu I Sóter, o Salvador Berenice I 305 - 285 Foi um dos generais de Alexandre, o Grande, e foi a testemunha ocular que influenciou os relatos de Plutarco e Arriano, os historiadores mais confiáveis da Antiguidade sobre Alexandre.
Ptolemeu II Filadelfo, Que ama a irmã Arsínoe I, Arsínoe II 285 - 246 Fundador do museu de Alexandria. Casou com a sua irmã, Arsínoe II.
Ptolemeu III Evérgeta I, o Benfeitor Berenice II 246 - 221 Incorpora o reino de Cirene no Egipto. Auge do poder da dinastia ptolemaica.
Ptolemeu IV Filopator, o Amigo do pai Arsínoe III 221 - 205 Cruel e fraco, dominado pelo seu ministro Sosíbio.
Ptolemeu V Epifânio, o Ilustre Cleópatra I 205 - 180
Ptolemeu VI Filometor, o Amigo da mãe Cleópatra II 180 - 145 Quando ascendeu ao trono tinha apenas cinco anos, pelo que a sua mãe Cleópatra I foi regente.
Ptolemeu VII Neos Filopator 145
Ptolemeu VIII Evérgeta II Cleópatra II, Cleópatra III 170 - 116
Ptolemeu IX Sóter II (1º reinado) Cleópatra IV, Cleópatra V Selene 116 - 107
Ptolemeu X Alexandre I Berenice III 107 - 88
Ptolemeu IX Sóter II (2º reinado) 88 - 80
Ptolemeu XI Alexandre II Berenice III 80
Ptolemeu XII Neos Dionisos Cleópatra V 80 - 51
Cleópatra VII 51 - 30 Casou com o irmão Ptolomeu XIII com o qual reinou a partir de 51 a.C.. Retirada do poder, foi reposta em 46 a.C. graças à intervenção de Júlio César, seu amante. Após a morte de Ptolomeu XIII, casa com outro irmão, Ptolomeu XIV, mero rei fantoche. Com outro amante romano, Marco António tentou formar um império no Oriente, mas foi derrotada por Otaviano em 31 a.C.
Ptolemeu XIII 51 - 47
Ptolemeu XIV 47 - 40
Ptolemeu XV César, dito Cesarião ou Caesarion (pequeno César) 44 - 30 Filho de Cleópatra VII, foi declarado co-regente aos três anos em 44 a.C.. Foi assassinado por ordem de Otaviano em 30 a.C.
EgyptianPtolemies2.jpg