Artemisia Gentileschi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Artemisia Gentileschi
Autorretrato
Nome completo Artemisia Gentileschi
Nascimento 8 de Julho de 1593
Roma, Itália
Morte 1656 (63 anos)
Nápoles, Itália
Nacionalidade Itália Italiana
Área Pintura
Movimento(s) Barroco

Artemisia Gentileschi (Roma, 8 de julho de 1593 – Nápoles, 1656) foi uma pintora italiana.

Filha do pintor Orazio Gentileschi, foi uma das únicas mulheres a serem mencionadas no ramo da pintura artística do barroco, sendo a primeira a possuir uma posição privilegiada. Dedicou-se a temas trágicos em que suas personagens (femininas) representam papéis de heroínas. Evitou as naturezas mortas e as flores, comuns para as artistas da época.

Conforme a versão de Susan Vreeland, em seu romance sobre Artemisia Gentileschi, a jovem pintora foi violentada aos 17 anos por Agostino Tassi, um assistente do ateliê do pai. No julgamento dele torturam-na para julgar a vericidade de sua versão. Não podendo ficar em Roma, foi-lhe arranjado um casamento de conveniência. Separou-se depois de dez anos e partiu rumo à Florença, onde descobriu uma vida empolgante no mundo das artes na Itália do século XVII e, com o crescente sucesso de suas obras, tornou-se a primeira mulher a entrar para a Academia de Arte de Florença.

Nos tempos modernos ganhou nova fama como heroína feminista.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Artemísia Gentileschi nasceu em Roma em 8 julho de 1593. Filha mais velha do pintor toscano Orazio Gentileschi.

Artemísia foi introduzida à pintura na oficina de seu pai, mostrando mais talento que seus irmãos que trabalhavam ao seu lado. Ela aprendeu a desenhar, a misturar cores e como pintar. Como o estilo do trabalho de seu pai era inspirado em Caravaggio, as obras de Artemísia acabaram sendo influenciadas também por esse artista. Entretanto, sua abordagem era diferente de seu pai, enquanto suas pinturas são altamente naturalistas, as de seu pai são mais idealizadas.

Orazio deu grande incentivo para a sua filha, já que, durante o século XVII, as mulheres não eram consideradas suficientemente inteligentes para trabalhar. Ao mesmo tempo, Artemísia teve de resistir as atitudes tradicionais e as submissões psicológicas e ao fazer isso, ganhou grande respeito e reconhecimento por seu trabalho.

O primeiro trabalho da jovem Artemísia, aos dezessete anos de idade, foi a Susanna ei Vecchioni (Susana e os Anciões, 1610). Suspeitava-se que ela foi ajudada por seu pai durante a produção desta obra. A pintura mostra como Artemísia assimilou o realismo de Caravaggio sem ser indiferente à linguagem da escola de Bolonha, que teve Annibale Carracci entre seus principais artistas. É uma das poucas pinturas sobre o tema de Susanna mostrando a abordagem sexual como um evento traumático.

Em 1611, seu pai trabalhou com Agostino Tassi, para decorar o cofre do Casino della Rose, dentro do Palazzo Pallavicini Rospigliosi, em Roma. Com isso Orazio contratou o pintor para ser tutor de sua filha. Durante a tutela, Tassi estuprou Artemísia, e outro homem, Cosimo Quorlis, também estava envolvido. Depois de sofrer o estupro, Artemísia continuou tendo relações sexuais com Tassi, na expectativa de que fossem se casar e assim pudesse restaurar sua dignidade e seu futuro. Tassi negou a promessa de casamento, e nove meses depois do estupro, quando Orazio descobriu que Artemísia e Tassi não iriam se casar, prestou acusações contra Tassi.

Durante o julgamento que durou sete meses, foi descoberto que Tassi tinha planejado assassinar sua esposa. Havia ordenado esse assassinato junto a sua cunhada, com quem teve um caso de adultério, e planejava roubar algumas das pinturas de Orazio. Durante o julgamento, Artemísia foi submetida a um exame ginecológico e tortura para verificar o seu testemunho. No final do julgamento Tassi foi condenado à prisão por um ano, embora ele nunca tenha cumprido o tempo total da pena. O julgamento influenciou a visão feminista de Artemísia Gentileschi.

Orazio arranjou para sua filha o casamento com Pierantonio Stiattesi, um artista modesto de Florença. Pouco tempo depois de se casarem, o casal mudou-se para Florença, onde Artemísia recebeu uma comissão para uma pintura na Casa Buonarroti. Ela tornou-se uma pintora de sucesso da corte, aproveitando o patrocínio da família Médici e de Charles I. Foi proposto que durante este período Artemísia também pintasse a Madonna col Bambino (A virgem e o menino), que atualmente se encontra na Galeria Spada de Roma.

Ela pintou muitos retratos de mulheres fortes e que sofreram por influências de mitos e por influência da Bíblia - vítimas, suicidas e guerreiras - e fez disso sua especialidade para pintar a história de Judith decapitando Holofermes (1614-1620), sendo esse seu trabalho mais conhecido, que mostra a decapitação de Holofernes, em uma cena de luta e derramamento de sangue.

Em Florença, Artemísia conquistou muito sucesso, sendo a primeira mulher a ser aceita na Academia de Belas Artes de Florença. Ela manteve boa relação com os artistas mais respeitados de sua época, como Cristofano Allori, e foi capaz de conquistar favores e proteção de pessoas influentes. Ela também teve um bom relacionamento com Galileu Galilei, com quem manteve troca de cartas por um longo tempo.

Ainda em Florença Artemísia e Pierantonio tiveram duas filhas, ambas se tornaram pintoras, treinadas por sua mãe, embora nada se conheça sobre seus trabalhos. E apesar de seu sucesso, problemas financeiros fizeram com que Artemísia voltasse para Roma em 1621, sem a presença do marido.

Em 1630 Artemísia muda-se para Nápoles, uma cidade rica em oficinas e amantes das artes, em busca de novas e mais lucrativas oportunidades de emprego. Muitos outros artistas, incluindo Caravaggio também ficaram em Nápoles por algum momento se suas vidas. Em Nápoles Artemísia começou a trabalhar em pinturas em uma catedral, dedicada a São Januário no anfiteatro de Pozzuoli. Durante seu primeiro ano na cidade ela pintou O nascimento de São João Batista e Corisca e o Sátiro, mostrando através destas pinturas sua capacidade de se adaptar as novidades do período e a lidar com diferentes assuntos.

A medida que envelhecia, as obras de Artemísia foram se tornando ainda mais graciosas, e enquanto isso foi, em certa parte, uma extensão da mudança no seu gosto e sensibilidade, também é resultado de ter se tornado conscientemente uma artista.

Pensava-se que Artemísia morrera entre os anos de 1652 e 1653, mas evidências recentes apontam que em 1654 ela ainda estava aceitando encomendas, mesmo que dependesse cada vez mais do auxílio de seu assistente Onofrio Palumbo. Especula-se que ela morreu em 1656, em consequência de uma praga em Nápoles.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Em muitas pinturas de Artemisia é possível observar a influência de Caravaggio, a qual foi herdada de seu pai.

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Artemisia Gentileschi