Atentado de Oklahoma City

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Atentado de Oklahoma City
Oklahomacitybombing-DF-ST-98-01356.jpg
Data 19 de abril de 1995
Lugar Edifício Federal Alfred P. Murrah
Oklahoma City
Grupo terrorista
Timothy McVeigh (único responsável apurado)
Vítimas
168 mortos e 500+ feridos

O Atentado de Oklahoma City, foi um ataque terrorista perpetrado pelo americano Timothy McVeigh, em 19 de abril de 1995 em Oklahoma City, que teve como alvo o Edifício Federal Alfred P. Murrah. O resultado foi de 168 mortos e mais de 500 feridos. Foi o maior atentado nos Estados Unidos desde a explosão em 1993 de outro carro-bomba no World Trade Center, em Nova York.[1] . Desde então passou a ser considerado o maior realizado, até os Ataques de 11 de Setembro de 2001, o pior ocorrido em solo americano.

Diversos fatores externos influíram em McVeigh para que detonasse um caminhão bomba em frente ao antes mencionado edifício. Entre eles cabe mencionar a tragédia de Ruby Ridge (1992) e o massacre de membros do Ramo Davidiano em Waco, no Texas (1993), conhecido como o Cerco de Waco.

A explosão destruiu completamente a fachada e muitos pisos do edifício, no entanto, não conseguiu derrubá-lo em sua totalidade. A bomba utilizada no atentado foi fabricada por McVeigh e Terry Nichols.[2] .[3] .

O atentado[editar | editar código-fonte]

Às 9h02m da manhã de quarta-feira 19 de abril de 1995, na rua em frente ao edifício federal Alfred P. Murrah, estacionou um caminhão Ryder que continha cerca de 2.300 kg de explosivos caseiros. A bomba era composta de nitrato amónico misturado com combustível, e nitrometano, um combustível altamente volátil; a esta mistura é conhecida como ANFO (por suas siglas em inglês: amonium nitrate, fuel oil). Os efeitos da explosão foram sentidos até Puente Creek, a uma distância de aproximadamente 48 km.

Noventa minutos depois da explosão, Timothy McVeigh, um veterano da Guerra do Golfo, foi preso enquanto viajava para norte de Oklahoma City por conduzir um veículo sem matrícula de circulação, e foi associado ao atentado.

Referências

  1. http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u28610.shtml, pagina visitada em 30 de maio de 2012
  2. http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u25289.shtml
  3. CAVENDISH, Richard. in: 1001 dias que abalaram o mundo. Edição geral de Peter Furtado. Trad. Fabiano Morais, Fernanda Abreu e Pedro Jorgensen Junior - Rio de Janeiro: Editora Sextante, 2009, pág. 910.