Caló

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O caló é um jargão próprio dos ciganos da Península Ibérica, combina o léxico do romani, de origem indo-ariana muito evoluída devido aos costumes nômades do povo roma, e a gramática do castelhano e de outras línguas peninsulares.

Distribuição[editar | editar código-fonte]

O caló é falado por um contingente que pode variar entre 60 e 150 mil pessoas, a depender das estimativas, principalmente em Espanha e Portugal, mas também por comunidades ciganas de origem ibérica, presentes nos vários países da América Latina (em especial na Argentina, no México, na Colômbia e no Brasil). Há cerca de 700 mil ciganos em Espanha hoje, segundo estimativas oficiais (grande parte deles no Sul, na região da Andaluzia), porém a maioria já não é nómada, nem fala o caló.

Origem[editar | editar código-fonte]

Não se sabe ao certo de onde veio este idioma, mas é provável que tenha tido origem assim que os ciganos chegaram à Península Ibérica, tendo sido, no entanto, reprimido pelas autoridades reais portuguesas e espanholas, assim como a sua cultura em geral (vista como suspeita e vulgar pelas populações brancas). É a mistura do romani com o português, o galego, o basco, o catalão e especialmente o castelhano.

Situação Actual[editar | editar código-fonte]

  • Espanha

Embora no âmbito da União Europeia haja um interesse em preservar as línguas minoritárias, o caló não recebe protecção oficial, pois não é uma língua reconhecida em nenhuma das Regiões Autónomas espanholas, e este é o critério que o governo de Espanha usa para definir uma língua como merecedora de atenção governamental, com legislação e programas de incentivo ao seu uso. Pode-se dizer que a Espanha é um país multinacional, com uma maioria de castelhanos a dividir o país com outras 4 nacionalidades (catalães, galegos, bascos e gitanos), além de comunidades que vieram a estabelecer-se nos anos recentes (sobretudo árabes e berberes de norte d'África, gentes do Leste de Europa e hispânicos), e o caló é ainda um idioma importante (no mínimo 0,1% da população espanhola usa-o).

  • Portugal

Em Portugal a situação é semelhante, havendo apenas atenção oficial ao mirandês, não ao dialecto dos ciganos (que são entre 30 mil e 50 mil no país, dos quais cerca de 5 mil falam caló.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]