Capricho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde janeiro de 2015). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ambox important.svg
Este artigo ou seção parece estar escrito em formato publicitário.
Por favor ajude a reescrever este artigo para que possa atingir um ponto de vista neutro, evitando assim conflitos de interesse.
Para casos explícitos de propaganda, em que o título ou todo o conteúdo do artigo seja considerado como um anúncio, considere usar {{spam}}, regra n° 6 da eliminação rápida.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde janeiro de 2015).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Emblem-question.svg
Este artigo ou seção pode conter texto de natureza não enciclopédica. (desde janeiro de 2015)
Justifique o uso dessa marcação e tente resolver essas questões na página de discussão.
Capricho
Capa Capricho.jpg
Capa da 1127ª edição da revista, com Lua Blanco e Arthur Aguiar na capa.
Frequência Quinzenal
Editora Editora Abril
Empresa Grupo Abril
Circulação Paga: R$ 5,99
Categoria cultural
País  Brasil
Idioma Português, English
Fundação 1952
Primeira edição 18/06/1952
Página oficial

CAPRICHO é uma revista feminina teen brasileira multiplataforma da Editora Abril, com sede em São Paulo. [1]

A revista tem mais de 1,8 milhões de leitoras por edição.[2] Traz, mensalmente, reportagens sobre celebridades, moda e beleza, comportamento, atualidades e diversão. 

No final dos anos 90, iniciou a sua operação de licenciamento, que leva os atributos da marca a bens de consumo, como fragrâncias, maquiagens, material escolar, mochilas, lingerie e roupas.

Desde o início dos anos 2000, CAPRICHO produz conteúdo online e nas redes sociais, à medida que foram surgindo – Facebook, Twitter e Instagram, principalmente. Hoje, é líder de audiência mundial entre os sites de conteúdo teen [carece de fontes?].

Hoje, a marca produz 2 horas de conteúdo diário (de segunda a sexta), transmitido ao vivo pelo canal da marca no YouTube. 

E ainda publica CAPRICHO Week, lançada em fevereiro/14). É uma espécie de revista semanal, produzida exclusivamente para o celular (o conteúdo é diferente do que é publicado no impresso ou no site). O download das edições acontece no aplicativo da marca, na App Store ou Google Play. Pode ser avulso ou por meio de assinatura. [3]

História[editar | editar código-fonte]

CAPRICHO foi criada no dia 18/06/1952 pelo fundador da Editora Abril, Victor Civita. Foi a primeira revista feminina do Brasil e da Editora Abril.

  • 1952 - Revista quinzenal, formato pequeno, seu prato de resistência é a fotonovela, na época chamada "Cinenovela". Além da cinenovela, a revista apresenta histórias de amor desenhadas em quadrinhos.
  • Em novembro/52 - Numa decisão pessoal, Victor Civita aumenta o formato da revista passando a editá-la mensalmente, e a abordar outros tópicos como: moda, beleza, comportamento, contos e variedades. 
  • 1956 - CAPRICHO rompe a barreira dos 500.000 exemplares por edição, a maior tiragem de uma revista na América Latina, até então.
  • Agosto/70 - A revista passa a ser impressa quinzenalmente, com a mesma linha editorial.
  • Maio/82 - A revista sofre grande mudança editorial: muda o formato, o logotipo e a periodicidade (voltando a ser mensal). As fotonovelas passam a circular como encarte e a revista passa a dar prioridade a moda, beleza e comportamento, ao gosto de seu novo público (jovens de 15 a 29)
  • Agosto/82 - A revista deixa de publicar fotonovelas, firmando sua nova linha editorial. 
  • Junho/85 - Culminando o trabalho que se iniciou em maio de 82, a revista adota o slogan "A Revista da Gatinha", e acrescenta um "MIAU" ao logotipo CAPRICHO. Suas leitoras são jovens de 15 a 22 anos.
  • Outubro/89 - CAPRICHO passa por novas modificações, desde a parte gráfica até em seu público. A revista passa a ser feita para uma leitora adolescente de 12 e 19 anos.
  • 1993 - A CAPRICHO lançou a sua maior causa: Camisinha, tem que usar.
  • Março/96 - Volta a ser publicada quinzenalmente. Sua tiragem é de 250.000 exemplares por edição.
  • Janeiro/97 - Nova direção da revista. O público alvo são adolescentes, do sexo feminino, com idade entre 12 e 16 anos.
  • Agosto/99 - Muda a direção da revista, que passa a ampliar seu público alvo. Agora são meninas que estão vivendo a adolescência, independente da idade. 
  • Julho/06 - CAPRICHO passa por uma importante reforma gráfica e editorial. A ideia é torná-la uma revista mais moderna (abrindo espaço para arte jovem e ampliando o leque de ilustradores-colaboradores) e resgatar alguns valores próprios da plataforma revista, como o prazer tátil e visual (daí a opção por um projeto gráfico com cara de "feito à mão"). O novo projeto também prevê mudança anual da linguagem gráfica da revista. 
  • 2008 - CAPRICHO passa por uma nova reforma gráfica, que a torna mais feminina, um pouco menos artsy e com grande foco em celebridades teen. Os ídolos adolescentes Disney tomam conta de suas capas: High School Musical, Jonas Brothers e Hannah Montana e dá início a uma fase de intenso crescimento de vendas.
  • 2009 - É lançada a campanha “Deixe o mundo mais pink!”, com o “Manifesto Pink”. A campanha é a primeira desde que CAPRICHO lançou a sua maior causa, em 1993. Ela atua em três pilares importantes para a adolescente, numa linguagem festiva, que usa o Pink como metáfora: o respeito à individualidade, o respeito à diversidade e uma defesa ao otimismo. Para reforçar estes pilares, CAPRICHO publicou um manifesto em seu site. 
  • Junho/2010 - Lança a edição com três capas diferentes: Justin Bieber, Fiuk e Luan Santana. A edição atinge o recorde de vendas da marca desde a quinzenalização, com mais de 246.000 exemplares vendidos.
  • Dezembro/13 - Uma nova reforma gráfica e editorial descola CAPRICHO dos ídolos teens. Sua proposta é aproximar os leitores e ampliar a troca de experiências.
  • Abril/14 - CAPRICHO volta a ser uma revista mensal. Há uma reformulação da estrutura gráfica – pelo menos 24 páginas a mais por mês e papel com gramatura maior (tanto no miolo quanto na capa). Mais páginas implicam em mais conteúdo. Mantiveram praticamente as mesmas seções e incrementaram as reportagens. [4]    

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre uma revista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.