Casos de Família

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde março de 2014).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
NoFonti.svg
Este artigo ou secção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde outubro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Casos de Família
Informação geral
Formato Programa de auditório
Duração 60 min.
Criador(es) México Rafael Bello
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Galvão França (2004-2009)
Rafael Bello
Melissa Ribeiro
Raul Garin
Produtor(es) Fabiano Pescarelli
Rose Favéro
Priscila Dempsey
André Caldana
André Marchiori
Dani Alegrini
Ciro Neves
Caio Napoli
Leonardo Pellegrini
Alexandre Caravajo
Aline Castanheira
Raphael Durães
Luiz Molinari
Jessica Oliveira
Flavio Ataide
David Alves
Analú Hartfiel
Tauanne Oliveira
Leticia Silva
Caio Morilhas
Mayara Barros
William Visacri
Isaias Profeta
Nicole Akiau
Denis Souza
Igor Angelo
Erick Harada
Flavia Sambini
Caroline Soares
Chadia Ali Ali
Fernanda Madureira
Vitória Russo
Camila Rossi
Suzana Nunes
Apresentador(es) Regina Volpato (2004-2009)
Christina Rocha (2009-Presente)
Exibição
Emissora de
televisão original
Brasil SBT
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 17 de maio de 2004 -
N.º de temporadas 6
N.º de episódios 2301 (até 16 de maio de 2014)

Casos de Família é um programa de televisão brasileiro produzido e exibido pelo SBT desde 2004. Atualmente, é apresentado por Christina Rocha, que substituiu Regina Volpato no comando do programa em 2009, quando este foi reformulado.

Programa[editar | editar código-fonte]

O "Casos de Família" apresenta temas do cotidiano que vão ressaltar as emoções dos participantes presentes no palco, da plateia convidada e dos telespectadores que estão em casa. Além dos convidados, a plateia também participa ativamente do programa com opiniões e perguntas sobre as histórias relatadas. A intenção é orientar e até mesmo solucionar os casos apresentados contando com a participação de um psicólogo, apesar de que, inegavelmente, há uma tendência bastante visível dos profissionais em questão em defender mais o ponto de vista das participantes femininas em relação aos assuntos abordados.

Reestreia[editar | editar código-fonte]

  • Sob o comando de Christina Rocha, o programa dobrou a audiência do SBT no horário. O programa atingiu 9 pontos de média e 11 de pico, mantendo-se na vice-liderança isolada de audiência. No mesmo horário a Rede Globo alcançou 18,7, a Band alcançou 3,3 e a Rede Record alcançou apenas 3, mas agora o programa varia entre 5 e 8 pontos.[1]

Histórico[editar | editar código-fonte]

Christina Rocha, apresentadora do programa.
  • Em 2004, o SBT adquiriu o formato de uma emissora do Peru, e contratou a jornalista Regina Volpato (ex-Fundação Roberto Marinho e ex-BandNews) para comandá-lo.
  • Foi apresentado pela jornalista Regina Volpato de 17 de maio de 2004 até o dia 27 de fevereiro de 2009.
  • O programa se manteve como um dos únicos do SBT que não foi retirado do ar durante um período de instabilidade na emissora.
  • A apresentação de Regina Volpato conseguia conduzir o programa de forma civilizada, sem bate-bocas e discussões "acaloradas", já que o formato do programa tinha tudo para ter apelo sensacionalista.
  • Após 4 anos no comando do Casos de Família, Regina Volpato afirmou que não renovaria o contrato por motivos pessoais, e assumiria o programa até o final de seu contrato com a emissora, que venceu no dia 28 de fevereiro de 2009.
  • A partir da decisão de Regina Volpato de deixar o programa, o SBT foi em busca de uma nova apresentadora para o programa e fez uma série de pilotos com as apresentadoras Claudete Troiano, Márcia Dutra, Olga Bongiovanni, Christina Rocha e outros apresentadores. Christina Rocha acabou sendo escolhida pela emissora e pelos donos do formato, e assumiu a apresentação.
  • Durante a gravação dos pilotos, o programa entrou em um período de férias e deixou de ser exibido durante os meses de março e abril de 2009.
  • Na gravação de pilotos, Márcia Dutra expulsou um homem da platéia pois acreditou que esse atrapalhava o andamento do programa.
  • Especulou-se que o motivo da saída de Regina Volpato foi a implantação do formato venezuelano "Quem Tem Razão?" no programa, onde pessoas literalmente discutem os temas que devem ser abordados, e nesse teria o famoso "bate-boca", brigas.
  • Em 4 de maio de 2009, Christina Rocha assumiu a apresentação e o programa mudou a forma de abordagem dos casos, seguindo uma linha mais popular.
  • Logo no primeiro dia do novo programa, a apresentadora Christina Rocha mandou uma das participantes se retirar do programa por estar rindo debochadamente da situação.
  • Isso se repetiu no caso com o título Devo, não nego. Pago quando puder, quando Christina retirou três convidadas porque elas discutiam muito.
  • O fato repetiu-se pela terceira vez no dia 29 de julho de 2009, sob o tema Minha casa é pára-raio, quando Christina Rocha expulsou do programa uma participante que mal tinha entrado pelo fato dela ter desrespeitado a apresentadora, a platéia e outras participantes, apontando o dedo no rosto dessa última.
  • No dia 12 de maio de 2010, dois ex-amigos se desentenderam no programa, e chegaram a se engalfinhar no ar. Os seguranças do SBT tiveram que intervir, e o programa foi para o intervalo. Curiosamente, nesse intervalo a emissora exibiu um plantão sobre um incêndio no depósito do Ponto Frio. Depois do intervalo, Christina disse que os dois casos apresentados, inclusive o dos amigos brigões, foram armados, pois o tema abordado foi: "Você acredita em tudo que ouve/vê". Isso foi para mostrar que, apesar do programa apresentar casos reais, existem coisas na TV que não são.
  • No dia 13 de outubro de 2010, Christina expulsou dois convidados em razão do desrespeito deles com a apresentadora, platéia e a psicóloga Dr. Anahy.
  • A partir de 3 de janeiro de 2011, o Casos de Família deixa a grade do SBT para dar lugar a séries e a sessão de filmes Cinema em Casa, em virtude da programação de verão.
  • No dia 1 de março de 2011, com o fim da 8ª Temporada de Smallville, o programa volta ao ar, reformulado, em novo horário, às 16h45, logo após a novela mexicana Camaleões.[2]
  • Foi retirado do grade para cumprimento de férias no dia 21 de janeiro de 2013 e foi substituído por Quem Convence Ganha Mais
  • Voltou ao ar no dia 1 de abril de 2013.
  • Em 21 de agosto de 2013, passou a ser exibido semanalmente, às quartas-feiras, às 23h. Isso se deve ao SBT abrir uma nova faixa de novelas no horário, começando com a reprise da telenovela mexicana O Privilégio de Amar.[3] Porém, após somente uma exibição em novo dia e horário, a emissora retirou o programa do ar.
  • Devido a baixa audiência de Sobrenatural, que havia entrado na programação para substituir a atração, o programa voltou ao ar dia 16 de setembro de 2013.[4]
  • Em 10 de março de 2014 voltou a ser exibido de forma diária, agora em novo horário: às 14h15. Anteriormente a emissora havia anunciado que o programa só seria exibido aos sábados, por causa do The Noite, com Danilo Gentili, mas mudou de ideia.[5]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Em 29 de outubro de 2012 o programa relatou o caso de homens que preferem mulheres mais jovens, o que acabou sendo relacionado com a pedofilia.[6] [7]

Laio Campos que participou do programa divulgou em seu Facebook em maio de 2013 uma foto em que ele e três amigos gastavam o dinheiro que segundo ele era o cachê fornecido pelo programa. Um mês anterior, ele estaria convidando pessoas para participarem do Casos de Família e ganhar cem reais de cachê, almoço e transporte todos custeados pela emissora.[8]

Frequentemente participantes do Casos de Familia são vistos em outros programas como Programa do Ratinho no SBT e nos programas Você na TV e Teste de Fidelidade da RedeTV!.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]