Cecilia Payne-Gaposchkin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cecilia Payne-Gaposchkin
Astronomia
Nascimento 10 de maio de 1900
Local Wendover, Buckinghamshire
Morte 7 de dezembro de 1979 (79 anos)
Local Cambridge (Massachusetts)
Atividade
Campo(s) Astronomia
Instituições Harvard College Observatory
Alma mater Universidade Harvard
Tese 1925: Stellar Atmospheres, A Contribution to the Observational Study of High Temperature in the Reversing Layers of Stars
Orientador(es) Harlow Shapley e Arthur Stanley Eddington
Orientado(s) Frank Kameny
Prêmio(s) Prêmio Annie J. Cannon de Astronomia (1934)
Assinatura
Cecilia Payne-Gaposchkin02b.jpg

Cecilia Payne-Gaposchkin (Wendover, Buckinghamshire, 10 de maio de 1900Cambridge (Massachusetts), 7 de dezembro de 1979) foi uma astrônoma britânico-americana.

Foi a primeira pessoa a mostrar que o Sol é composto primariamente de hidrogênio, em 1925. Na época, acreditava-se que o Sol possuísse uma composição similar à da Terra.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Cecilia Payne nasceu em Inglaterra e estudou inicialmente botânica, física e química na Universidade de Cambridge. Deixou a Inglaterra em 1922 com intenção de viver nos Estados Unidos. Em 1925 tornou-se a primeira pessoa a concluir um doutoramento na área de astronomia na Universidade de Harvard e fê-lo graças à sua dissertação sobre "atmosferas estelares, uma contribuição para o estudo da observação da temperatura alta nas camadas revertidas de estrelas" (Stellar Atmospheres, A Contribution to the Observational Study of High Temperature in the Reversing Layers of Stars). O astrónomo Otto Struve caracterizou o trabalho de Cecilia Payne como: "indubitavelmente a tese de doutoramento mais brilhante jamais escrita em astronomia”. Aplicou a teoria da ionização desenvolvida pelo físico Meghnad Saha e desta forma podia relacionar exatamente a classificação estelar com a temperatura absoluta. A tese estabeleceu que o hidrogénio era o componente mais abundante das estrelas.

Numa viagem posterior através da Europa em 1933, satisfez o seu desejo de visitar o físico russo Sergei I. Gaposchkin na Alemanha. Ajudou-o a conseguir um visto para os Estados Unidos e casaram-se em março de 1934, e tiveram três filhos. Payne-Gaposchkin continuou a ser uma cientista ativa durante toda a vida, passando a sua carreira académica sempre em Harvard. Durante vários anos não teve posição oficial, até que em 1938 foi-lhe outorgado o título oficial de "astrónoma". Em 1956 foi a primeira mulher a ser professora associada em Harvard, e a sua cátedra foi a primeira ocupada por uma mulher no seu departamento.

Distinções[editar | editar código-fonte]

Prémios
Nomes de objetos estelares em sua homenagem

Citações[editar | editar código-fonte]

A recompensa do jovem cientista é a emoção de ser a primeira pessoa na história do mundo a considerar algo ou a entender algo. Nada se pode comparar a essa experiência… a recompensa do cientista mais velho é o sentimento de transformar um vago esboço numa paisagem principal.
—Cecilia Payne-Gaposchkin

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um astrônomo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.