Christina Oiticica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Chistina Oiticica
Nome completo Christina Oiticica
Nascimento 23 de novembro de 1951 (63 anos)
Rio de Janeiro, RJ
 Brasil
Nacionalidade Brasileira
Cônjuge Paulo Coelho[1]
Ocupação Artista plástica
Página oficial
www.christinaoiticica.com.br

Christina Oiticica (Rio de Janeiro, 23 de novembro de 1951) é uma artista plástica brasileira. É a esposa de Paulo Coelho.[2] [3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

É conhecida pela utilização de uma exótica técnica neoconcretista que relembra a land art e também a ecoarte, uma técnica que permite que os elementos da natureza ajam sobre suas obras.[4] Oiticica, "filha" dos movimentos artísticos experimentais da década de 1970 nascidos no Rio de Janeiro, sua cidade natal, tem levado seus quadros para os quatro cantos do mundo.

Christina Oiticica idealizou a combinação da land art – que utiliza como suporte a natureza como matéria - com a pintura nos Pireneus franceses, há cinco anos, quando, com uma tela de aproximadamente 10 metros de largura, decidiu pintar ao ar livre, em meio à natureza, ao observar que não contava com um espaço fechado no qual pudesse criar sobre uma superficial de tal tamanho. Uma vez finalizada a obra, a artista a deixou-a secar ali mesmo. No dia seguinte, ao buscá-la, descobriu que o , a terra, as folhas e alguns insetos haviam sido integrados à tela. "Sem ter premeditado nada, a natureza havia dado seu toque único sobre a pintura".[5]

A artista começou esta técnica pintando nas florestas, vales e montanhas dos Pireneus, na França, o resultado deste trabalho virou o livro "As Quatro Estações". Logo em seguida, entre 2004 e 2005 ela enterrou várias telas na floresta Amazônica (Brasil) e esperou um ano para desenterrá-las. A floresta úmida e equatorial deixou suas marcas indeléveis nos quadros. Ainda em 2005 levou a sua obra até ao Vale Sagrado de Ganeshpuri, na Índia.[6]

Entre 2006 e 2008, Oiticica elegeu o Caminho de Santiago, lugar sagrado e simbólico que recebe peregrinos do mundo todo, como seu ateliê. A artista compôs suas telas em diferentes locais do Caminho: usando o relevo de pedras, a intervenção da chuva, da neve, a cor da terra, pigmentos naturais e cera. Uma vez compostas, elas foram "plantadas" na terra e recuperadas meses depois.[7]

Geralmente Oiticica deixa as suas telas na terra pelo período de 9 meses (o ciclo de uma gestação) ou por 1 ano (ciclo das 4 estações).

Exposições[editar | editar código-fonte]

Em vinte anos de carreira artística, as obras de Christina Oiticica já foram exibidas em mais de sessenta galerias em doze países. Entre as principais exposições se destacam:[8]

  • Carrousel du Louvre – Paris, França
  • Britto Central – Miami, Estados Unidos da América
  • Festival Art Masters – St Moritz, Suíça
  • Infr'action – Festival de Séte, França
  • Galeria BACI – Washington, Estados Unidos
  • Luis Vuitton – São Paulo, Rio de Janeiro, Brasil
  • 4a Exposición Visual de Fotografías – Bienal de Liège, Bélgica
  • Galería Mestnua – Ljubljana, Eslovênia
  • 48° Salão de Arte Contemporânea de Montrouge, França
  • Museo Nacional de Bellas Artes – Río de Janeiro, Brasil
  • Casa de Oscar Wilde – Dublin, Irlanda

Referências

  1. Mulher de Paulo Coelho chora ao ler biografia "O Mago". Folha de São Paulo. Página visitada em 10 de junho de 2008.
  2. Natureza, arte e Paulo Coelho: o fantástico mundo de Christina Oiticica Periodicamente.it. Visitado em 8 de janeiro de 2009.
  3. Azevedo, Luciana. Lily Marinho homenageia pintora Christina Oiticica Caras. Visitado em 8 de janeiro de 2009.
  4. Inventiva, inspirada e criativa! RioArteCultura.com. Visitado em 8 de janeiro de 2009.
  5. As Quatro Estações Art-Bonobo. Visitado em 8 de janeiro de 2009.
  6. Marques, Luciana. Pintora Christina Oiticica e um novo desafio Caras. Visitado em 8 de janeiro de 2009.
  7. Oiticica, Christina. Biografia de Christina Oiticica ChristinaOiticica.com.br. Visitado em 8 de janeiro de 2009.
  8. Oiticica, Christina. Exposições de Christina Oiticica ChristinaOiticica.com.br. Visitado em 8 de janeiro de 2009.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]