Maktub

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Maktub é um livro escrito por Paulo Coelho. A palavra Maktub, do árabe, significa "carta", porém, o escritor refere-se ao significado como "Já estava escrito". Este significado também é interpretado como a fórmula fatalista com que o crente do Islamismo se resigna à vontade de Alá, entretanto, este segundo significado nada tem correlação com o livro.

O livro é uma coletânea de histórias, palavras, crônicas e outras, publicados diariamente em jornais entre os anos de 1993 e 1994. É um livro com base em histórias e fatos de várias culturas e partes do mundo, tratando-se não de um livro de conselhos, mas de um resumo de filosofia de vida de diversos povos.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um livro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

O significado literal da palavra em árabe é: carta. A palavra "maktub" foi traduzida pelo autor Paulo Coelho como "já estava escrito". Segundo Paulo Coelho, quando desejamos algo puro, do fundo de nossas almas, o universo estaria lá, conspirando para que o nosso sucesso fosse inevitável, acreditando que tudo está escrito e que apesar do livre arbítrio.