Lucas Moreira Neves

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.


Lucas Moreira Neves, OP Academia Brasileira de Letras
Cardeal da Santa Igreja Romana
Prefeito Emérito da Congregação para os Bispos e Arcebispo Emérito de São Salvador da Bahia

Título

Cardeal-bispo de Sabina-Poggio Mirteto
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 9 de julho de 1950
Ordenação episcopal 26 de agosto de 1967
Nomeado arcebispo 15 de outubro de 1979 por Cardeal Agnelo Rossi
Cardinalato
Criação 28 de junho de 1988 por João Paulo II
Brasão
Brasão Card. Moreira Neves.jpg
Lema DE LUCE VIGILO
desde a aurora presto atenção
Dados pessoais
Nascimento BrasilSão João del-Rei, 16 de setembro de 1925
Morte ItáliaRoma, 8 de setembro de 2002 (76 anos)
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Dom Frei Lucas Moreira Neves, OP (São João del-Rei, 16 de setembro de 1925Roma, 8 de setembro de 2002) foi um cardeal brasileiro.

Filho de Telêmaco Victor Neves e Margarida Alacoque Moreira Neves, seu pai era bibliotecário municipal em São João del-Rei, professor de música e regente. Sua mãe era professora primária.

Realizou seus estudos primários e ginasiais em São João del Rei no período de 1933 a 1938. Estudou no Seminário Menor de Mariana, Minas Gerais, até 1943.

Luís Moreira Neves ingressou na Ordem dos Dominicanos no dia 6 de março de 1944, aos dezoito anos de idade, passando a se chamar Frei Lucas. Emitiu os primeiros votos no dia 7 de março de 1945 e professou solenemente no dia 7 de março de 1948, no convento de Saint-Maximin, na França.

Estudos acadêmicos[editar | editar código-fonte]

Frei Lucas cursou o triênio de Filosofia em São Paulo, no Convento Santo Alberto Magno, no período de 1945 a 1947. Em 1948 iniciou estudos teológicos na École Théologique Dominicaine de Saint-Maximin, na comuna francesa de Saint-Maximin-la-Sainte-Baume, no departamento de Var.

Presbiterato[editar | editar código-fonte]

Foi ordenado sacerdote no dia 9 de julho de 1950, pelas mãos de dom Alexandre Gonçalves do Amaral, bispo de Uberaba.

Após sua ordenação, até 1953, atuou em São Paulo. Foi Vice-Mestre de Noviços; Assistente eclesiástico da Juventude Estudantil Católica Arquidiocesana. No período de 1957 a 1967 permaneceu no Convento de Santo Tomás de Aquino no Rio de Janeiro, durante este período de grande efervescência política no Brasil e no seio da Ordem Dominicana, foi Assistente Eclesiástico da Juventude Universitária Católica Arquidiocesana; Vice-Prior do Convento. Ensinou na Escola de Teatro da Ação Social Arquidiocesana (ASA), atuando ativamente no meio teatral, intelectual e artístico do Rio de Janeiro. No período de 1959 a 1965 foi Vice-Assistente Nacional do Movimento Familiar Cristão. Foi também responsável pelo Departamento de Formação Religiosa da Conferência dos Religiosos do Brasil (1966-1967).

Bispo auxiliar de São Paulo[editar | editar código-fonte]

No dia 9 de junho de 1967, o Papa Paulo VI o escolhe para ser bispo-auxiliar de São Paulo, com o título de bispo-titular de Ferradi Maius.

Sua ordenação episcopal deu a 26 de agosto de 1967, pelas mãos de Dom Agnelo Cardeal Rossi, Arcebispo de São Paulo, Dom Delfim Ribeiro Guedes, Bispo de São João del Rei e Dom Alain du Noday, OP, Bispo de Porto-Nacional. Escolheu como lema de vida episcopal parte do versículo do Salmo 63 (62): DE LUCE VIGILO (Deus Deus meus ad te de luce vigilo sivitit in te - Ó Deus, tu és o meu Deus, desde a aurora vos busco).

Na Arquidiocese de São Paulo, foi Vigário Episcopal para a Pastoral Familiar e Vigário Geral para a Pastoral dos Meios de Comunicação Social. Exerceu a função de consultor da Cúria Romana no período de 1972 a 1974.

Cúria Romana[editar | editar código-fonte]

Dom Lucas foi nomeado pelo Papa Paulo VI, no dia 7 de março de 1974, Vice-Presidente do Pontifício Conselho para os Leigos, órgão da Cúria Romana. Nesta função participou da III Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano, realizada em Puebla de los Angeles, México, em 1979.

No dia 15 de outubro de 1979, o Papa João Paulo II o nomeia Secretário da Congregação para os Bispos e Secretário do Sacro Colégio dos Cardeais. Nesta data recebeu o título de Arcebispo de Ferradi Maius.

Durante sua permanência na Cúria Romana foi também membro dos seguintes órgãos: Secretariado do Sínodo, Pontifícia Comissão "Justiça e Paz", Pontifícia Comissão para a Pastoral da Migração e do Turismo, Pontifícia Comissão para a América Latina e do Comitê para os Congressos Eucarísticos Internacionais. Foi ainda consultor da Sagrada Congregação para os Bispos e da Sagrada Congregação para a Doutrina da Fé

No dia 3 de janeiro de 1987 o Papa João Paulo II lhe atribuiu a Igreja titular de Forum Novum (Vescovio) em lugar do título de Ferradi Maius, com o título de arcebispo.

Arcebispo de Salvador[editar | editar código-fonte]

No dia 9 de julho de 1987 foi nomeado pelo Papa João Paulo II, Arcebispo Metropolitano de São Salvador da Bahia e Primaz do Brasil, sucedendo a Dom Avelar Cardeal Brandão Vilela que falecera a 19 de dezembro de 1986. Recebeu o pálio arquiepiscopal das mãos do Romano Pontífice, em Roma, no dia 5 de setembro de 1987. Sua posse solene deu-se em praça pública em Salvador, no dia 27 de setembro deste mesmo ano, em cerimônia presidida pelo Cardeal Bernardin Gantin, Prefeito da Sagrada Congregação para os Bispos, da Cúria Romana, com a presença de diversas autoridades religiosas e civis.

Cardinalato[editar | editar código-fonte]

No Consistório do dia 28 de junho de 1988, presidido pelo Papa João Paulo II, Dom Lucas foi criado cardeal com o título dos Santos Bonifácio e Aleixo, do qual tomou posse solenemente no dia 9 de outubro do mesmo ano. Neste consistório foi também criado cardeal o brasileiro Dom José Freire Falcão.

No dia em que recebeu a notícia de sua ascensão ao cardinalato, Dom Lucas celebrou em uma comunidade da periferia de Salvador onde anunciou ao povo a recente criação.


Sagrada Congregação para os Bispos[editar | editar código-fonte]

Sua Eminência foi designado pelo Papa João Paulo II para suceder ao Cardeal Bernardin Gantin como Prefeito da Congregação para os Bispos, na Cúria Romana, no dia 25 de junho de 1998. No mesmo dia recebeu o título da sé suburbicaria de Sabina-Poggio Mirteto, retendo, in commendam, o título de Santos Bonifácio e Aleixo.

Permaneceu na função até 16 de setembro de 2000, quando renunciou aos 75 anos de idade.

Foi frequentemente cotado como um possível sucessor do seu amigo João Paulo II. Entretanto, Dom Lucas nunca participou de um conclave papal.

Lorbeerkranz.pngAcademia Brasileira de Letras[editar | editar código-fonte]

Dom Lucas foi eleito em 18 de julho de 1996 para a Academia Brasileira de Letras, ocupando a cadeira de número 12, que tem por patrono França Júnior. Em sua posse, a 18 de outubro de 1996, foi saudado pelo acadêmico Marcos Almir Madeira.

Morte e exéquias[editar | editar código-fonte]

O Cardeal Moreira Neves faleceu em Roma, no dia 8 de setembro de 2002, aos 76 anos de idade, em decorrência de complicações de diabetes. No dia 11 de setembro sua missa de corpo presente foi celebrada na Basílica de São Pedro, em Roma, presidida por João Paulo II e concelebrada pelo Cardeal Joseph Ratzinger, futuro Papa Bento XVI, além de mais outros 30 cardeais, vários bispos e presbíteros.

João Paulo II mencionou trecho do testamento de Dom Lucas que assim inicia:

"In laudem gloriae… estas palavras de São Paulo… que há quase sessenta anos me servem de iluminação espiritual, me inspirem também no momento de me apresentar diante de Deus. Desejo ardentemente que, nesse momento, se concentre e encontre o seu ponto culminante toda a minha ação de graças à Santíssima Trindade".

Após as cerimônias fúnebres em Roma, o corpo de Sua Eminência seguiu para o Brasil, onde foi recebido em 14 de setembro na cidade de Salvador por autoridades locais, seguiu no dia seguinte para São João del-Rei, para missa exequial em sua cidade natal com a presença maciça dos concidadãos, do Governador do Estado de Minas Itamar Franco e do Presidente da Câmara dos Deputados, Aécio Neves e, após última cerimônia em Salvador no dia 16 de setembro, data em que completaria 77 anos desceu à sepultura na Catedral Basílica de Salvador.

Memorial[editar | editar código-fonte]

Em 2003, em São João del Rei, inaugurou-se o Memorial Dom Lucas Moreira Neves, localizado na Av. Getúlio Vargas, 52, em frente à Catedral do Pilar. O próprio prédio constitue-se de patrimônio histórico, reformado e adaptado dentro das regras impostas pelo Patrimônio Histórico para receber este acervo. Neste local encontram-se expostos documentos pessoais do Cardeal, como suas titulações e designações para os postos eclesiásticos que ocupou e comendas recebidas (Doutor Honoris Causa, Academias Brasileiras de Filosofia e Letras, entre outras); vestes sacerdotais, fotos; biblioteca com cerca de 20.000 livros; etc. O Memorial Dom Lucas Moreira Neves tem um endereço na internet. Este Memorial funciona de terça-feira a sexta feira no horário das 13:00 às 16:00hs e sábado e domingo das 09:00hs às 13:00hs.

Ordenações episcopais[editar | editar código-fonte]

Dom Lucas presidiu a ordenação episcopal dos seguintes bispos:

Foi concelebrante da ordenação episcopal de:

Books-aj.svg aj ashton 01.png A Wikipédia possui o
Portal de Literatura

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Livros[editar | editar código-fonte]

  • Neves, Lucas Moreira. Vigilante desde a aurora. São Paulo: Record, 1991.
  • Neves, Lucas Moreira. Mas livrai-nos do mal. São Paulo: Record, 1998.
  • Neves, Lucas Moreira. Razões de esperar. Topbooks, 1997.
  • Neves, Lucas Moreira. O alferes e o presidente. Rosa dos Tempos.
  • Neves, Lucas Moreira. Pôr-do-sol em Reritiba. Rosa dos Tempos.
  • Neves, Lucas Moreira. O homem descartável, Rosa dos Tempos, 1995.
  • Neves, Lucas Moreira. A sarça ardente e outras crônicas. São Paulo: Record, 2000.
  • Neves, Lucas Moreira. Memorial do fogo e outras crônicas. São Paulo: Record, 2000.
  • Neves, Lucas Moreira et al. Santo Domingo: análisis y comentarios. Lima: Vida y Espiritualidad, 1994. 215 p.

Artigos[editar | editar código-fonte]

São inúmeros os artigos de Sua Eminência, aqui são apenas alguns a título de referência.
  • Neves, Lucas Moreira. Homem / mulher, um só valor. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 3 de dezembro de 1991, p. 11.
  • Neves, Lucas Moreira. Humanae vitae: uma profecia (3). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, v.103, n.104, 21 de julho de 1993, p. 11.
  • Neves, Lucas Moreira. Imagens da mulher. O Estado de São Paulo, São Paulo, caderno Economia & Negócios / coluna Espaço Aberto, n.36470, 25 de agosto de 1993, p. 2.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Dom Avelar Cardeal Brandão Vilela
Brasão arquiepiscopal
Arcebispo da Arquidiocese de São Salvador da Bahia

1987 — 1998
Sucedido por
Dom Geraldo Majella Cardeal Agnelo
Precedido por
Dom Avelar Cardeal Brandão Vilela
Brasão arquiepiscopal
Cardeal-presbítero de Ss. Bonifacio ed Alessio

1988 — 2002
Sucedido por
Dom Eusébio Oscar Cardeal Scheid, SCJ
Precedido por
Eduardo Francisco Cardeal Pironio
Brasão arquiepiscopal
Cardeal-bispo de Sabina-Poggio Mirteto

1998 — 2002
Sucedido por
Giovanni Battista Cardeal Re
Precedido por
Abgar Renault
Lorbeerkranz.png
ABL - sexto acadêmico da cadeira 12

1996 — 2002
Sucedido por
Alfredo Bosi