Cláudio Hummes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cláudio Hummes, OFM
Cardeal da Santa Igreja Romana
Prefeito emérito da Congregação para o Clero e Presidente do Conselho Internacional de Catequese

Título

Cardeal-presbítero de Santo Antônio de Pádua na Via Merulana
Hierarquia
Papa Francisco
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 3 de Agosto de 1958
Ordenação episcopal 25 de Maio de 1975 pelo Cardeal Aloísio Lorscheider
Nomeado arcebispo 29 de Maio de 1996 pelo Papa João Paulo II
Cardinalato
Criação 21 de Fevereiro de 2001 por João Paulo II
por João Paulo II
Brasão
Coat of arms of Claudio Hummes.svg
Lema OMNES VOS FRATRES
Vós sois todos irmãos
Dados pessoais
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Dom Frei Cláudio Hummes OFM (Montenegro, 8 de agosto de 1934) é um frade franciscano, sacerdote católico brasileiro. Foi o décimo oitavo bispo de São Paulo, sendo seu sexto arcebispo e quarto cardeal. Na Cúria Romana foi prefeito da Congregação para o Clero.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido com os prenomes "Auri Afonso", filho de Pedro Adão Hummes e Maria Frank Hummes, teuto-brasileiros, ingressou na Ordem dos Frades Menores em 1º de fevereiro de 1952, onde emitiu os primeiros votos no dia 2 de fevereiro de 1953 e professou solenemente no dia 2 de fevereiro de 1956, quando então mudou seu nome para "Cláudio".

Estudos[editar | editar código-fonte]

Vida religiosa[editar | editar código-fonte]

Ingressou na Ordem dos Frades Menores (franciscanos) em 1º de fevereiro de 1952, em Garibaldi, Rio Grande do Sul, onde emitiu os primeiros votos no dia 2 de fevereiro de 1953 e professou solenemente no dia 2 de fevereiro de 1956.

Presbiterado[editar | editar código-fonte]

Foi ordenado presbítero no dia 3 de agosto de 1958, por Dom João Resende Costa.

Atividades antes do episcopado

Episcopado[editar | editar código-fonte]

Em 22 de março de 1975 foi eleito bispo-titular de Carcábia e bispo-coadjutor de Santo André, com direito à sucessão. Em 25 de maio de 1975, aos quarenta anos de idade, recebeu a ordenação episcopal, na catedral de Porto Alegre, sendo sagrante principal Dom Frei Aloísio Leo Arlindo Cardeal Lorscheider, então arcebispo de Fortaleza, e consagrantes Dom Mauro Morelli, então bispo auxiliar de São Paulo, e Dom Urbano José Allgayer, então bispo auxiliar de Porto Alegre. Tomou posse a 29 de junho de 1975 e, a 29 de dezembro do mesmo ano, assumiu como bispo diocesano de Santo André, sucedendo a Dom Jorge Marcos de Oliveira.[1]

Em 29 de maio de 1996 foi nomeado arcebispo de Fortaleza e a 15 de abril de 1998 foi transferido para a Sé de São Paulo, tomando posse em 23 de maio.

É considerado moderado, sendo preocupado com as questões sociais e zeloso em relação à doutrina da Igreja. Defensor dos direitos dos trabalhadores, foi uma voz de contestação ao regime militar brasileiro.

Polêmica com Wikileaks[editar | editar código-fonte]

Junto aos telegramas diplomáticos divulgados pela Wikileaks consta que, em reunião com a embaixada americana, da qual também participou o cardeal Juan Sandoval Íñiguez, estes expressaram preocupação quanto "aos pobres na América Latina não entenderem os benefícios potenciais do livre mercado e pediu ajuda a USG, reconhecendo que a Igreja, embora necessariamente cautelosa, também pode vir a desempenhar um papel mais importante".[2]

Cardinalato[editar | editar código-fonte]

No Consistório do dia 21 de fevereiro de 2001, presidido pelo Papa João Paulo II, na Basílica de São Pedro, Dom Cláudio foi criado cardeal-presbítero, do título de Santo Antônio de Pádua na Via Merulana. Em 2002, Hummes foi o orientador dos exercícios espirituais (retiro) que o Papa João Paulo II e a Cúria Romana participaram em fevereiro. Foi um dos cardeais eleitores do Conclave de 2005, tendo sido considerado papabile pela imprensa mundial.

Em 31 de outubro de 2006 foi nomeado prefeito da Congregação para o Clero, função que exerceu até o dia 7 de outubro de 2010, quando foi aceita sua renúncia pelo Papa Bento XVI.[3]

Aos 18 de abril de 2011 o Cardeal Arcebispo Metropolitano de São Paulo Dom Odilo Scherer o nomeou Vigário-Geral da Arquidiocese de São Paulo e orientador das Pastorais do Mundo do Trabalho, dos Movimentos Eclesiais e das Novas Comunidades.

No dia 25 de junho de 2011 foi nomeado pela Presidência da CNBB como presidente da Comissão Episcopal para a Amazônia.

O Papa Bento XVI o nomeou membro da Pontifícia Comissão para a América Latina no dia 19 de julho de 2011.[4]

Brasão e Lema[editar | editar código-fonte]

Descrição: Escudo eclesiástico, partido: o 1º de sépia com um in-fólio aberto de argente, tendo uma espada e uma pena do mesmo, postas em aspa e brocantes sobre o livro. O 2º de argente, com um braço humano vestido de sépia, movente do flanco dextro, e outro de carnação, movente do flanco senestro, passados em aspa e com ambas as mãos chagadas de goles, encimados de uma cruz latina de sépia – modificado das Armas da Ordem Franciscana. Chefe de blau com uma estrela de doze pontas, de sépia, perfilada de jalde. O escudo está assente em tarja branca, na qual se encaixa o pálio branco com cruzetas de sable. O conjunto pousado sobre uma cruz trevolada de duas travessas de ouro. O todo encimado pelo chapéu eclesiástico com seus cordões em cada flanco, terminados por quinze borlas cada um, tudo de vermelho. Brocante sob a ponta da cruz um listel de blau com a legenda: OMNES VOS FRATRES, em letras de argente.

Interpretação: O escudo obedece as regras heráldicas para os eclesiásticos. No 1º, o campo sépia representa a cor do hábito franciscano, à qual pertence o cardeal, sendo equivalente ao sable (negro), que simboliza: a sabedoria, a ciência, a honestidade, a firmeza e a obediência ao Sucessor de Pedro. O in-fólio com a espada e a pena representam São Paulo Apóstolo, numa referência ao padroeiro do Estado, da cidade e da Arquidiocese, sendo de argente (prata) simboliza a inocência, a castidade, a pureza e a eloquência, virtudes essenciais num bispo.

No 2º, o metal argente (prata) com seu significado já descrito, substituiu o blau (azul) do brasão original franciscano; os braços representam os membros de Nosso Senhor Jesus Cristo e de São Francisco de Assis, na recepção das chagas; a cruz é o sinal da fé cristã e da salvação. O chefe em blau (azul) representa o manto de Maria Santíssima, sob cuja proteção o cardeal pôs sua vida sacerdotal, e, heraldicamente, significa: justiça, serenidade, fortaleza, boa fama e nobreza; a estrela de doze pontas representa Nosso Senhor Jesus Cristo e seus doze apóstolos, sendo de sépia simboliza: a sabedoria, a ciência, a honestidade, a firmeza e a obediência e seu perfilado de jalde (ouro) simboliza: nobreza, autoridade, premência, generosidade, ardor e descortínio. O lema é tirado da Bíblia (Mt 23,8): "Vós sois todos irmãos", sendo bem apropriado para um frade franciscano.

Atividades e contribuições[editar | editar código-fonte]

Atividade na Cúria Romana[editar | editar código-fonte]

Membro de:

Membro dos:

Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

  • Hummes, Cláudio. Renovação das provas tradicionais da existência de Deus por Maurice Blondel em L'Action (1893). Tese (Doutorado). Braga: Tip. Editorial Franciscana, 1964.
  • Fé e compromisso político. São Paulo: Paulinas, 1982.
  • Betto, Frei (org.). Desemprego, causas e conseqüências. São Paulo: Paulinas, 1984. 96 p. (Autores: Frei Betto, Paul Singer, José de Souza Martins, Luiz Inácio Lula da Silva, Cláudio Hummes.)
  • Hummes, Cláudio. Sempre discípulos de Cristo: retiro espiritual do Papa e da Cúria Romana. São Paulo: Paulus, 2002. 184 p.
  • Hummes, Cláudio. Diálogo com a cidade. São Paulo: Paulus, 2005. 408 p.

Bispos ordenados[editar | editar código-fonte]

Ordenou padre:

O Cardeal Hummes foi o principal sagrante dos seguintes bispos:

E foi consagrante de:

Projetos relacionados[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Cláudio Hummes

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Dom Jorge Marcos de Oliveira
Brasão episcopal.
Bispo de Santo André

1975 - 1996
Sucedido por
Dom Décio Pereira
Precedido por
Dom Frei Aloísio Cardeal Lorscheider, OFM
Brasão arquiepiscopal
Arcebispo de Fortaleza

1996 - 1998
Sucedido por
Dom José Antônio Aparecido Tosi Marques
Precedido por
Dom Frei Paulo Evaristo Cardeal Arns
Brasão arquiepiscopal
Arcebispo de São Paulo

1998 - 2006
Sucedido por
Dom Odilo Pedro Cardeal Scherer
Precedido por
Dom António Cardeal Ribeiro
Brasão arquiepiscopal
Cardeal-Presbítero de Santo Antônio de Pádua na Via Merulana

2001 - atualidade
Sucedido por
'
Precedido por
Dom Darío Castrillón Cardeal Hoyos
Coat of arms of the Vatican City.svg
Prefeito da Congregação para o Clero

2006 - 2010
Sucedido por
Mauro Piacenza