Cneu Domício Enobarbo (cônsul em 122 a.C.)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde maio de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.

Cneu Domício Enobarbo (? — 104 a.C.) foi um militar romano do século II a.C. que ocupou o consulado em 122 a.C.

Carreira militar[editar | editar código-fonte]

Elegido cônsul em 122 a.C., prosseguiu a guerra de Roma na Gália, com maiores meios que até então. Junto com o seu colega Quinto Fábio Máximo atingiu uma enorme vitória sobre os Arvernos e Alóbrogenes, que se uniram contra o invasor. Enquanto Quinto Fábio Máximo regressa à capital, Enobarbo prosseguiu a sua marcha, beirando o pé das Cevenas, mantendo na linha as tribos celtas, que se retiram para as montanhas, e balizando assim a fronteira da nova província gaulesa, a futura Gália Narbonense. Em 120 a.C. celebrou o seu triunfo em Roma. Em 118 a.C. foi eleito censor e construiu a Via Domícia na Gália.

Consequências políticas[editar | editar código-fonte]

Na nova colônia de Narbo Márcio (Narbona), instalaram-se os veteranos do exército de Cneu Domício Enobarbo, mas também numerosos elementos da plebe romana, que naquele tempo estavam perdendo os lotes de terra do ager publicus que conseguíram com Caio Semprônio Graco, pois os terratenentes estavam-nos recuperando.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Historia universal siglo XXI.La formación del imperio romano.ISBN 84-323-0168-X

Referências