Disputa de fronteira sino-indiana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Este mapa mostra todo o comprimento de disputada da fronteira.

A Disputa de fronteira sino-indiana é uma questão de soberania sobre duas grandes e várias áreas separadas menores de territórios que são disputados entre China e Índia. A oeste, Aksai Chin, é reivindicado pela Índia como parte do estado de Jammu e Caxemira e na região de Ladakh, mas é controlada e administrada como parte da região autônoma chinesa de Xinjiang. É um território com extrema altitude e praticamente desabitado atravessado pela estrada de Xinjiang-Tibete. O outro grande território em disputa, a mais oriental, fica ao sul da Linha McMahon. Antigamente, era referido como Agência de Fronteira do Nordeste, e agora é chamado de Arunachal Pradesh. A Linha McMahon fazia parte do Acordo de Simla entre a Índia britânica e o Tibete assinado em 1914, um acordo rejeitado pela China.[1]

Em 1962 a Guerra sino-indiana foi travada em ambas as áreas. Um acordo para resolver a disputa foi concluído em 1996, incluindo "medidas de confiança" e um acordo mútuo, a Linha de Controlo Real. Em 2006, o embaixador da China para a Índia alegou que todo a área de Arunachal Pradesh é território chinês[2] no meio de um fortalecimento militar.[3] Na época, ambos os países afirmaram incursões, tanto quanto um quilômetro no extremo norte de Sikkim.[4] Em 2009, a Índia anunciou que iria enviar forças militares adicionais ao longo da fronteira.[5]

Referências

  1. The China-India Border War (em inglês) Marine Corps Command and Staff College. Visitado em 11 de agosto de 2014.
  2. Arunachal Pradesh is our territory: Chinese envoy (em inglês). Visitado em 11 de agosto de 2014.
  3. India to deploy 36,000 extra troops on Chinese border (em inglês). Visitado em 11 de agosto de 2014.
  4. China toys with India's border (em inglês). Visitado em 11 de agosto de 2014.
  5. The China-India Border Brawl (em inglês). Visitado em 11 de agosto de 2014.